Jump to content

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 02/28/2019 in all areas

  1. 4 points
    Olá, A Autoridade Tributária agora já me deu uma resposta mais concreta sobre a pergunta efectuada, pelo que cito para futuras dúvidas: Obrigado, abraço.
  2. 4 points
    Eu também estou á espera do código do @derrerter Caro colega de profissão, deduzo eu. O senhor desculpe mas faz-me lembrar um tal Joe Berar** que manda nesta mer** toda, em tudo e todos, ainda por cima anda no "gozo" comigo... menos mal o Joe é com nós todos... Ora bem... lamento informar, mas não será com estas atitudes rudes da sua parte que lhe vou dar um único minuto da minha vida para o ajudar seja no que for. Por ultimo, registe isto: Eu nunca, nem a si nem a ninguem, lhe faltei uma unica vez ao respeito. Se é um voyer/cusco/copy-paste/programador de codigo alheio e nem referencia nada, a quem lhe deu de mão beijada esse código, que anda aqui a copiar código e vender á grande e á francesa aos seus clientes... lamento mas a mama acabou (pelo menos da minha parte) Quanto ao Juizo, vou deixar ao critério de um dos administradores atribuir o "juizo" a quem acharem que falta. Sinceramente, vou gostar mesmo de ver você a perder meses a desenvolver isto, e no fim QUERO VER o seu código fonte aqui no site. Nem que seja em MS-DOS. Volto a frisar, você é um bom colaborador deste site, todos aguardamos ansiosamente pelo código e brokers e gateways. Ah, quanto ao seu código, só mais uma coisinha..... Eu nao preciso de nem uma unica linha do seu source-code, ao contrário de si 😉caso contrário não me tinha pedido para lhe enviar. Vou sair um bocado deste site. Pá desculpem o desabafo, mas quem me conhece sabe que nao ando aqui a brincar, quanto mais para aturar malucos.
  3. 2 points
    Parece que o SEAF do novo governo que é o mesmo do anterior mudou de ideias em relação ao que tinha acordado com a OCC e reduziu 1 ano ao prazo. Triste é que estes Despachos não públicos. O novo governo tomou posse no sábado, este já é o nº 4, e não aparecem em lado nenhum.
  4. 2 points
    Já agora, saliento no final da página 9 do referido Oficio Circulado nº 30213: "23 - Durante o ano de 2019, a comunicação dos elementos das faturas pode ser efetuada até ao dia 15 do mês seguinte ao da emissão da fatura (conforme Despacho n.º 411/2019.XXI, de 24 de setembro, do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, sobre a norma transitória prevista no artigo 43.º, n.º 8 do Decreto-Lei). A partir de 1 de janeiro de 2020, deve ser efetuada até ao dia 12 do mês seguinte ao da emissão da fatura (ver alteração ao n.º 2 do artigo 3.º do Decreto-Lei n.º 198/2012 introduzida pelo artigo 16.º da Lei n.º 119/2019, de 18 de setembro)."
  5. 2 points
    @Nandinho, A tua função converter() não devia ser responsável por imprimir o resultado do cálculo que faz. Regra geral, as operações de input/output (através das funções input() e print(), neste caso), devem ficar fora da função propriamente dita. Assim sendo, a tua função deveria ser reduzida a algo como: def converter(miles): return 1.6 * miles Podes então utilizar da seguinte forma: milhas = int(input('entre as milhas a converter: ')) km = converter(milhas) print('{} milhas, são {} kilometros'.format(milhas, km)) Repara na utilização da função format() para mostrar o resultado final; é mais flexível que a forma que utilizaste no teu código. E por fim, um pormenor: o teu código não funciona quando introduzes um número de milhas com casas decimais (experimenta). Facilmente consegues contornar isso substituindo int() por float() na obtenção do valor do utilizador. No entanto, a apresentação de resultados sofre de um problema de arredondamentos: entre as milhas a converter: 6 6 milhas, são 9.600000000000001 kilometros Investiga um pouco sobre a função format() para conseguires chegar ao pretendido: entre as milhas a converter: 6 6 milhas, são 9.6 kilometros
  6. 1 point
    Talvez sim ou talvez não. Se uma fatura emitida manualmente num impresso em tipografia tem as contas mal feitas, se calhar o melhor seria anula-lo e emitir novamente um correto. Mas, se não for anulada, é válida tal como está. Pode até ser corrigida mais tarde por uma Nota de Débito ou Nota de crédito. Para todos os efeitos, mesmo depois de recolhida, o que fica válido é a fatura tipográfica, já que o sistema não deve deixar imprimir a fatura recolhida, ou se o fizer tem de dizer "cópia do documento original" e não terá qualquer valor fiscal.
  7. 1 point
    foi adiado para 2021: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/legislacao/Despachos_SEAF/Documents/Despacho_66_2019_XXII_SEAF.pdf entregue no formato "antigo" (que já existia). cps,
  8. 1 point
    Em lado nenhum diz que tem de ser fatura eletrónica. No entanto, segundo interpretação da AT, se não for fatura eletrónica, só é válida para consumidores finais. Para empresas não dá para deduzir o IVA. Claro que um PDF pode ser impresso numa qualquer impressora e passa a ser fatura em papel, mas há alguns inspetores da AT que ameaçam cortar a dedução quando o papel não tem vincos demonstrativos de que veio num envelope do fornecedor, hahaha!
  9. 1 point
    @Zamalor, mais uma vez, não dás sequer oportunidade aos users de perceberem o que estão a fazer de errado. Chegas aqui e postas cóigo como se não houvesse amanhã. Não é esta a forma de ajudar os users que o forum defende. Aliás, não estás a ajudar em nada! Se queres simplesmente fazer código, monta um negócio e o pessoal paga para tu lhes fazeres código. Agora, quem quer aprender, não está a ser ajudado em nada por ti!
  10. 1 point
    Penso que o problema possa estar por estares a pesquisar num campo do tipo Memo. Experimenta com outro campo para veres se está tudo bem configurado.
  11. 1 point
    Olá Vitor ... nós aqui tb usamos o webservice para as guias e faturas (ft,fs,fr,nc,nd) e o que me está a confundir é essa questão que escreveste de "De acordo com o n.º 1 do art.º 3.º do Decreto-Lei n.º 198/2012, os documentos que devam constar da tabela 4.3 WorkingDocuments devem ser reportados mensalmente à AT." ... os documentos de faturação não estão no 4.3 WorkingDocumentos, estão no 4.1 se não me engano. Então quem comunica as faturas por webservice como faz depois para comunicar os outros documentos ?? se no fim do mês submeter o saft de faturação (que deve incluir os documentos de 4.3) vai duplicar as faturas que já comunicou .. ou estou a ver isto da forma errada ?
  12. 1 point
    As mensagens são quase auto-explicativas. 2 primeiras linhas: Percebes inglês ou é preciso eu traduzir? O resto logo se vê. E isto não são erros do DevC++. São erros do teu código.
  13. 1 point
    E estamos a falar de uma simples alteração a um ficheiro xsd que, em princípio, se faria com relativa facilidade e rapidez, certo. Sendo que essa portaria já foi publicada a 2 de Maio. Mas há outras coisas bem mais complicadas e cujo prazo está a terminar e que, até ver, não há nenhuma novidade: - Já alguém sabe como se vai fazer a tal comunicação relativa aos estabelecimentos, equipamentos, ..., prevista no artigo 34.º do Decreto-Lei 28/2019? Inicialmente era obrigatório fazer a comunicação até 30 de Junho de 2019. Posteriormente, de acordo com o Despacho 254/2019 do SEAF, passou para 31 de Outubro. Ou seja, estamos a uma semana do prazo terminar. - Já há informação concreta quanto ao QR code a inserir nas facturas? E quanto ao código único do documento e à obrigatoriedade de comunicar as novas séries de documentos à AT? Tudo isto faz parte do Decreto-Lei 28/2019, publicado no dia 15 de Fevereiro, ou seja, há mais de 8 meses e ainda não há nada para trabalharmos. E como tem de estar a funcionar a partir de 1 de Janeiro, já só temos 1 semana e 1 mês para implementarmos isto (seja lá o que for e como for) em todos os nossos clientes. Entretanto, a AT publicou um Ofício Circulado a 1 de Outubro que nada acrescenta em concreto. Aliás, esse Ofício Circulado surge no dia 1 de Outubro, porque a AT tinha de publicar qualquer coisa até essa data (estava obrigada pelo ponto 3 do Despacho 254/2019 do SEAF).
  14. 1 point
    Se for um recibo no regime de caixa (ou do regime geral em que se opte por descriminar o IVA): CreditAmount=100, NetTotal=100, TaxPayable=23, GrossTotal = 123. No regime geral: CreditAmount=123, TaxPayable = 0, NetTotal=123, GrossTotal=123 Ver FAQ 58-2794 Os descontos nos recibos não influenciam o IVA (são sempre descontos financeiros). Assim, com um desconto de 3€ no recibo ficava esta coisa estranha: RC: CreditAmount=97, NetTotal=97, TaxPayable=23, GrossTotal=120, SettlementAmount=3 RG: CreditAmount=120, NetTotal=120, TaxPayable=0, GrossTotal=120, SettlementAmount=3 Ver FAQ 60-2796
  15. 1 point
    Também estive nessa formação. Deu para ver a divisão da AT em "quintinhas" e a aplicação da maxima "na minha quinta mando deu". Ou seja, o formador da AT disse algo do género: O código do IVA manda assim, se os programas não deixam fazer, deviam deixar. Quando o questionaram sobre os programas para serem certificados não podem deixar faturar a negativo, ele respondeu algo do género: Isso é com a secção de certificação de programas e eu sou da secção do IVA.
  16. 1 point
    Alguém me sabe dizer onde um produtor de software pode pedir para fazer testes com a eSPap? Já enviamos pedido de informação para lá mas até hoje ninguém respondeu. Eles têm lá um registo para fornecedores da AP mas nós não somos fornecedores da AP. É por ai que temos que ir? Nós iniciamos o processo de entrega de documentos com a Saphety mas esta tem custos para os clientes (não para nós) enquanto que aparentemente a eSPap não. Gostava de começar os trabalhos com o portal FE-AP mas não consigo encontrar informação para isso. Aparentemente o brunotoira já o fez. Podes-me dizer como o fizeste? E não me refiro á parte técnica mas sim quem contactaste e como?
  17. 1 point
    Na altura em que falamos a ordem ainda não se tinha pronunciado sobre isso, apenas lançou uma nota com 2 linhas :-\ em todo o caso, de facto eles dizem Mas é a interpretação da ordem. Como dizes e bem, na Lei diz que entra em vigor a 1 de Outubro e que a comunicação é referente ao mês seguinte. Até porque existem sistemas normalizados que têm de ser alterados. Parece-me um bocadinho em cima. Em todo o caso, não me parece que seja aplicada coima a quem em Outubro comunicar até dia 15 nem me parece difícil comunicar até ao dia 12 em vez de o dia 15 de Outubro :-) Acho que mais vale prevenir :-)
  18. 1 point
    Boa noite, Se é muito noob nestas coisas de faturação eu não te aconselho a usar um programa de faturação gratuito, ter suporte professional para mim é fundamental quando se trata de faturação. O melhor conselho que te posso dar é pede assistência ao produtor do software que estás a usar.
  19. 1 point
    Ao ler o enunciado do problema, tenho uma leitura completamente diferente (provavelmente ainda o vai desenvolver), nomeadamente: - não vejo em lado algum que deve ignorar os espaços (para mim é um carácter normal) - diz caracteres distintos, portanto também não é para contar os outros (diferentes de espaços) mas sim os DISTINTOS Até fui procurar um calculo online, para demonstrar o que "leio" e encontrei este (https://www.somacon.com/p525.php) onde a string "Portugal a Programar" tem os seguintes caracteres DISTINTOS: Code: 32 0x20 ' ' Count: 2 Code: 80 0x50 'P' Count: 2 Code: 97 0x61 'a' Count: 4 Code: 103 0x67 'g' Count: 2 Code: 108 0x6C 'l' Count: 1 Code: 109 0x6D 'm' Count: 1 Code: 111 0x6F 'o' Count: 2 Code: 114 0x72 'r' Count: 4 Code: 116 0x74 't' Count: 1 Code: 117 0x75 'u' Count: 1 -----TOTAL CHARACTERS: 20 Não será uma aplicação com este tipo de resultado que deves desenvolver?
  20. 1 point
    Olá. Permite-me primeiro fazer alguns reparos ao código em si. É boa prática que os #defines sejam em letra maiúscula. Depois, é bom também utiliza-los coerentemente, ou seja, fgets(nome, N, stdin); em vez do valor hardcoded. Depois, for (i=0; i < strlen(nome) != '\0'; i++) { count++; } isto é redundante. Faz exatamente o mesmo do que o strlen(). " i < strlen(nome) != '\0' " Acho que devias rever isto. Não sei se percebes muito bem o que é que a função strlen() faz, e o significado do '\0'. No entanto, aproveitando esse teu pedaço de código, deixo uma dica para os espaços: for (i=0; i < strlen(nome) != '\0'; i++) { if (nome[i] != ' ') count++; } A tua solução está a dar um caracater a mais. Mas deixo isso para resolveres, que também é preciso estudar um bocadinho
  21. 1 point
    Ainda sobre a Factura Electrónica para a Administração Pública, ontem, 5 de Setembro, foi publicada a Portaria 289/2019.
  22. 1 point
    O que necessitas é: =IF(($D$1-D92)<=30;"0-30 Dias";IF(($D$1-D92)<=60;"31-60 Dias";IF(($D$1-D92)<=90;"61-90 Dias";"+ 90 Dias"))) Atenção, noto que utilizas como separador de parâmetro a vírgula. Não sei se é erro teu (mais provável) ou configuração. Não precisas de utilizar o AND. O resto é uma questão de ordenação e lógica. Cumprimentos
  23. 1 point
    Fonte: https://multun.net/obscure-c-features.html
  24. 1 point
    a variável v contem um ponteiro para uma região de memória da qual não podes alterar (a string "PaP Programar") quando vais tentar atribuir o caracter ch à posição v[i ], tens o problema que referes.
  25. 1 point
    Viva, do nosso lado temos novamente os serviços a funcionar. Contudo chamo a atenção se não terá sido de forma provisória que a AT colocou os serviços como estavam de forma a dar tempo para atualizar os software/certificados. O que fizemos (além das experiencias) foi: ficheiro PublicChainCA2.p7b converter para .pem openssl pkcs7 -print_certs -in PublicChainCA2.p7b -out PublicChainCA.pem Adicionar ao já existente (necessario criar pfx) pfx os certificados que existem no novo pem criado para o efeito usei um software keystore explorer Adicionar root certificate adicionar o outro certificado Gravar novo pfx
  26. 1 point
    Bom liguei agora para a AT e o servidor dos ws de testes quer das faturas quer dos documentos de transporte, quer da parte agricola está desligado. Daí não se conseguir comunicar. A senhora com quem falei não me soube foi dizer quando estará operacional o servidor. EDIT: @Cu5co olha o que escrevi em cima.
  27. 1 point
    Isso não quer dizer que estava tudo bem, pelo contrario a comunicação sempre esteve mal. desde o inicio que isto deveria ser obrigatório para garantir a autenticação fidedigna. portanto acho que se deveriam se preparar e tentar entender como se faz, para poderem contornar este tipo de situações facilmente. O que eu acho é que foi uma tentativa de alterar um erro que desde o inicio esteve presente, sem que lhes sejam atribuídas culpas no cartório.
  28. 1 point
    Obrigado @Sergio.. Resolveu. Deixem-me deixar aqui alguma ajuda e corrijam-me se estou errado. Aquando da renovação do nosso certificado enquanto produtores de software é enviado no .ZIP o PublicChainCA2.p7b (no interior DGITA_Issuing_CA2.pem) que até agora não era utilizado e funcionava. A partir de sexta-feira parece que fizeram com que este novo certificado fosse necessário. O certificado pode ser obtido a partir do Link acima do @Sergio. Quanto aos certificados que foram enviados na sexta-feira (portaldasfinancasgovpt) são apenas a quem faz ligação via SSL. Eu cá faço por TLS e não preciso desse certificado. Um abraço a todos e parabéns a este Fórum.
  29. 1 point
    Como Adicionaste Sérgio? Ontem (hoje de madrugada) tentei mandar o crt directo no pedido, nada. Tentei extrair a Publica do Crt para assinar o CA, nada. Cheguei a assinar a Nonce essa publica em vez de ser com a publica da AT e nada também 😕 Basicamente os ficheiros têm 3 chaves, uma do Root, outra da assinatura e outra de ligação ao CA 😕 Como é que "adicionaste" os ficheiros de ontem à cadeia (PublicChainCA2.p7b) ??? podes meter o comando por favor? É que se metermos a funcionar mas não percebermos o que está acontecer é mau porque pode parar outra vez 😕
  30. 1 point
    Eu utilizo -K, --config <file> No ficheiro é que coloco os parametros. Acho que se o ficheiro pem for colocado na pasta /etc/ssl/certs/ (linux) é provável que também funcione
  31. 1 point
    <script> function processar1 (botao) { alert( botao.value ) } function processar2 (arg) { alert( arg ) } </script> <body> <input type="image" id="submit" class="grupos" src="imgs/t.png" name="p1" value="1" onclick="processar1(this)"> <input type="image" id="submit" class="grupos" src="imgs/t.png" name="p1" value="1" onclick="processar2(1)"> </body> </html>
  32. 1 point
    Esse erro acontece porque miles não está definido no scope que chama a função convert. O que devias fazer é colocar o input de dados fora da função convert: esta função deveria ter única e exclusivamente o objectivo de fazer a conversão, e não de lidar com o input do utilizador. Exemplo: # Função só com o objectivo de cálculo def dobro(x): return 2*x # Scope onde a função é chamada: aqui deve decorrer o input e a chamada do cálculo a = int(input()) b = dobro(a) print("O dobro de {0} é {1}.".format(a, b)) Cumprimentos.
  33. 1 point
    Viva, Se queres começar sempre com um ficheiro (registos) vazio, penso que só precisas disto: {$I-} rewrite(f); {$I+} Se queres manter os registos na sessão anterior, acrescenta o "Seek(f,Filesize(f));" {$I-} reset(f); if ioresult<>0 then rewrite(f); Seek(f,Filesize(f)); {$I+} Cps,
  34. 1 point
    Olá, não sei em que linguagem estás a programar mas presumo que seja MySql. Se for, experimenta ver este site: https://www.devmedia.com.br/armazenando-imagens-no-mysql/32104
  35. 1 point
    Pessoal, sinceramente acho que estão a fazer uma tempestade num copo de água, E eu estou à vontade para falar, porque em primeiro lugar não usei 1 linha de código do @brunotoira, em 2º quando me registei em 2009 foi precisamente para ajudar um amigo que já cá estava no forum, e não para pedir ajuda, como de resto é possível ver no histórico. Quero com isto dizer que nunca fui ajudado ou nunca ajudei no P@P ??? Claro que não, faz parte, mas cada um sabe até onde pode ir. Da ultima o rapaz partilhou uma app com código em 3 ou 4 linguagens, e ao que parece, foi utilizado por dezenas de aplicações Certificadas em Portugal. Aqui estava tudo bem, O @nunopicado partilhou uma DLL que deve ter sido usada por mais uma dezenas de APPs Certificadas em Portugal, Aqui também estava tudo bem, Desta vez, alem da APP ao que parece até tem um gateway (quem paga o servidor?), e já não está tudo bem porque o P@P é ajuda sem contrapartida... O que distingue dos Gateways que falamos em páginas anteriores que são cobrados ?? 😐 .. Os outros Podem, um membro do P@P não?? 😐 Até porque ninguém obriga ninguém a nada. Bom senso pessoal, bom senso... O que não me parece que fique nada bem @#sa, é meter em causa o P@P por causa de um colega achar (e está no seu direito) que não deve partilhar determinado código. Isso é que não me parece mesmo nada bem. Porque eu, tal como tu, de certeza que já foste muito ajudado aqui no forum, tal como já ajudaste. Bom Senso
  36. 1 point
    A parte física há várias hipóteses, o normal é usar células de carga. Se usares células de carga, tens 2 hipóteses de a ligar ao PLC, diretamente, se o PLC tiver cartas especificas para isso ou com um controlador e uma entrada analógica do PLC A nível de PLC a programação de uma carta especifica para células de carga, ou uma entrada analógica (com o valor do peso) é completamente diferente
  37. 1 point
    Olhando para o código, acho que não percebeste a ideia do exercício... Mas olhando para o que disseste, parece que entendeste... ... A variável soma não faz falta no exercício, mas sim o tal array C. Para somar, é quase isso: for i := 1 to n do C[i] := A[i] + B[i]; A partir daí é mostrar o resultado no ecrã. Resumindo, precisas de 3 arrays, uma variável de índice para os FOR e 4 ciclos FOR (partindo do princípio que não vais criar funções/procedimentos para reaproveitar código).
  38. 1 point
    Ora boas, pois se percebi bem basta criares uma variável em cada botão do primeiro form com o caminho da diretoria, e enviares isso para o segundo form. Vê aqui: http://www.macoratti.net/10/06/vbn_vef1.htm Que parece que está bem explicado. Boa sorte.
  39. 1 point
    Boas, tenho as minhas dúvidas que dê, e é coisa que nunca experimentei... Mas encontrei este artigo: https://www.thoughtco.com/changing-font-properties-in-vbnet-3424232 e talvez dê se fizeres como ele diz e depois qualquer coisa como Button.Caption =Texto1 + Texto2... Boa sorte.
  40. 1 point
    Exatamente. Essa é uma questão a resolver pelo contabilista. O ficheiro do inventário só tem de refletir aquilo que foi definido contabilísticamente. Não podemos apresentar um ficheiro de inventário valorizado em X e a existência estar contabilizada por Y.
  41. 1 point
    Finalmente apareceu mais informação sobre como o ATCUD irá funcionar. Como a AT já encontrou no mercado vários Softwares que criam Séries paralelas com o objetivo de poderem através das mesmas criar um canal facilitado de fuga ao fisco, as Séries de Documentos passam a partir de 2020 a ser controladas pela AT, e mais, é necessário pedir a AT o ATCUD antes de criarmos/utilizarmos uma nova Série ( isto será tudo feito de forma eletrónica e em tempo real através do Site da AT ). Assim sendo, e apenas com a informação que chegou até á data ( referente aos Artigos 34º e 35º ), sempre que o Software permitir criar uma nova Série de Documentos, obrigatoriamente tem de pedir qual o ATCUD que a AT enviou só e apenas para essa mesma Série ( este Código do ATCUD será assim como o seu nome indica único e nunca pode ser repetido ou usado noutra série ). Com toda a certeza este ATCUD também será mencionado a Fatura assim como também já irá no SAFT ( deixaremos de poder enviar "0" para este Campo como o fazíamos até hoje ) Alguma informação das novidades de 2019, algumas com efeitos só em 2020: Informa-se das novas alterações e obrigatoriedades legais aplicáveis a todos os sujeitos passivos de IVA, que já exerçam atividade a 15 de fevereiro de 2019, ou que iniciem a atividade até 31 de maio de 2019. Obrigatoriedade de comunicar à AT por via eletrónica até 30 de junho de 2019 (Artº 34º e 35º) . A identificação e localização dos estabelecimentos da empresa em que são emitidas faturas e demais documentos fiscalmente relevantes; . A identificação dos equipamentos utilizados para processamento de faturas e outros documentos fiscalmente relevantes; . O número de certificado do programa utilizado em cada equipamento; . A identificação dos distribuidores e dos instaladores que comercializam e/ou instalaram as soluções de faturação; . Sempre que se verifiquem alterações de qualquer dos elementos constantes da comunicação referida no número anterior, os sujeitos passivos devem entregar nova comunicação, no Portal das Finanças, previamente à emissão de faturas ou demais documentos fiscalmente relevantes; . Comunicação das séries documentais em utilização . Os sujeitos passivos devem comunicar por via eletrónica à AT, antes da sua utilização, a identificação das séries utilizadas na emissão de faturas e demais documentos fiscalmente relevantes por cada estabelecimento e meio de processamento utilizado. . Por cada série documental comunicada nos termos do número anterior, a AT atribui um código, que deve integrar o código único de documento. Conservação do arquivo e cópias de segurança (Artº 27º) . Os sujeitos passivos são obrigados a possuir cópias de segurança dos suportes eletrónicos: . Os originais e as cópias de segurança devem ser armazenados em locais distintos e em condições de conservação e segurança necessárias a garantir a impossibilidade de perda dos arquivos.
  42. 1 point
    Não foi a primeira. Antes da Microsoft foi a Apple, entre Agosto e Outubro de 2018. Antes da Apple foi a Petrochina em 2007, se bem que essa normalmente não é considerada, porque o valor nunca chegou a ser fixado acima desse valor, apenas houve uma transacção que causou esse trigger. Diga-se de passagem que a Microsoft tem um P/E maior que a Apple (28 vs 16). No entanto, a Microsoft está com o mesmo P/E que a Google/Alphabet, mostrando o quão forte a Microsoft tem estado em relação à Google. Fontes: Petrochina — http://www.nbcnews.com/id/21635325/ns/business-world_business/t/petrochina-worth-trillion-briefly/ Apple — https://www.businessinsider.com/apple-1-trillion-company-stock-2018-8
  43. 1 point
    viva, quando diz "meu servidor", o que está incluído no seu servidor? - já lá tem uma "API" (REST) para fazer a interface com o "android" ou qualquer outro sistema exterior? - ou só tem o "servidor" e o mysql instalado? cps,
  44. 1 point
    Na minha opinião, que já aqui dei anteriormente, esta norma é a mera transposição do que já constava (e vigorava) na portaria da certificação e só se aplica aos documentos de conferência. Se repararmos ainda na alínea b) do artigo 2.º do DL 28/2019, na definição de "documentos fiscalmente relevantes" : os documentos de transporte, recibos e quaisquer outros documentos emitidos, independentemente da sua designação, que sejam suscetíveis, nomeadamente, de apresentação ao cliente que possibilitem a conferência de mercadorias ou de prestação de serviços. Estando descritos em separado, penso que se pode concluir que documentos de transporte e documentos de conferência não são a mesma coisa. Acresce que os requisitos dos documentos de transporte estão descritos em legislação especial (n.º 2 do artigo 4.º do RBC criado pelo DL 147/2003), pelo que é essa que se aplica aos mesmos. Ou seja as faturas e os DTs, que são os documentos "oficiais", têm regras próprias. Toda a outra parafernália de documentos criados pelas necessidades e criatividade dos operadores ao longo dos anos (consultas de mesa, pró-formas, notas de honorários, etc, etc) têm de cumprir estes requisitos.
  45. 1 point
    É o SAF-T. A Portaria 321-A/2007 (a que criou o SAF-T) regulamenta o dito n.º 8 do artigo 123.º do CIRC (na altura era o 115.º).
  46. 1 point
    Podes usar ArrayList nesse exercício. Qual é a tua dúvida concretamente?
  47. 1 point
    Não vejo as coisas dessa forma... ninguém irá dar suporte (digo eu!). Ou melhor, o suporte será o mesmo que é dado a quem emite um RECIBO VERDE (Factura-recibo) no portal da AT... O que o governo quer é implementar uma ferramenta por forma a que exista a possibilidade de emissão de documentos exigidos à empresas, sem que estas sejam obrigadas a adquirir um software a terceiros... tão simples quanto isso. A existir uma APP irá comunicar os documentos imediatamente através de webservices, logo, sem bases de dados, e sem complicações. Um pouco como o programa do IRS (caso seja desktop)
  48. 1 point
    Vamos ter de aguardar para ver o que aí vem, mas tenho sérias dúvidas quanto ao sucesso disto. Para pequenas empresas (mesmo pequenas) isto até poderá ser solução, mas se as empresas quiserem as coisas minimamente integradas... aí já não me parece. Um software de facturação actualmente é muito mais que uma aplicação que emite documentos certificados. Mas, enfim, eles lá sabem. Seja como for, não deixa de ser engraçado ver estes senhores tão preocupados com o que as empresas gastam com o software. Mas não se preocupam com a grande carga de impostos que essas mesmas empresas têm de suportar ou com o valor da factura energética ou com o que deixam nos postos de combustíveis. O grande problema são mesmo os produtores de software, esses gatunos, que andam por aí a extorquir as pobres empresas. Os clientes já acham que nós somos todos um bando de ladrões e que estamos sempre a aproveitar as alterações impostas pelo estado para os obrigar a actualizar programas. Pelos vistos o estado acha o mesmo. Vai-se a ver devíamos todos trabalhar de borla. Por outro lado, podemos ver isto como uma oportunidade de negócio para uma qualquer grande software house do mercado. Será que a AT não vai subcontratar? Mais, eles vão ter capacidade para dar formação? E quem vai estar no helpdesk (ou os utilizadores vão colocar dúvidas no e-balcão)? Ou seja, talvez haja por aí novas oportunidades de emprego: fechamos as nossas "tasquinhas" e vamos todos para funcionários públicos! 😀
  49. 1 point
    O Despacho n.º 85/2019 - XXI SEAF, de 1 de Março veio alterar os prazos de vários pontos exigidos no Decreto-Lei nº28/2019. Nomeadamente, a obrigação de utilização de programas certificados, para quem ainda não estava obrigado, pode ser cumprida até 1 de Julho de 2019. A obrigação de cumprir os requisitos do artigo 11º (no que diz respeito à integridade operacional, integridade dos dados de suporte e à disponibilização de documentação técnica) também pode ser cumprida até 1 de Julho. Quanto à comunicação da localização do arquivo prevista no nº 5 do artigo 20º, o prazo só começará a contar depois de ser publicada uma portaria que altere os modelos das declarações de início e de alterações (artigos 31º e 32º de CIVA). PS: Eu até gostava de ter feito copy e paste do texto do despacho, mas a AT apenas disponibilizou uma digitalização (ainda por cima de fraca qualidade) do mesmo.
  50. 1 point
    Boas Não esperes que te dêem código já feito e testado. Infelizmente existem muitas pessoas que pensam que isto aqui é o freecode.offer Experimenta começar pelo principio. 1- Les o numero inserido pelo utilizador. 2- Ve se o numero inserido tem pelo menos 13 algarismos 3- Ve se o algoritmo de luhn está correcto dado o numero inserido e por aí fora. Subdividir o trabalho é meio caminho andado para que funcione Mais dúvidas, vai expondo que ajudamos sempre. Abraço
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.