Jump to content

Leaderboard

  1. nunopicado

    nunopicado

    Moderator


    • Points

      1,175

    • Content Count

      6,042


  2. HappyHippyHippo

    HappyHippyHippo

    Member


    • Points

      1,164

    • Content Count

      14,780


  3. thoga31

    thoga31

    Moderator


    • Points

      580

    • Content Count

      7,287


  4. marcolopes

    marcolopes

    Member


    • Points

      402

    • Content Count

      1,377



Popular Content

Showing content with the highest reputation since 05/13/2012 in all areas

  1. 16 points
    Conforme demos a entender há algum tempo atrás, o P@P decidiu mudar o software que suporta o fórum. Depois de um longo período de testes, esta mudança foi efectuada! Esta mudança coincide também com uma mudança de domínio principal do P@P, que passa agora a ser www.portugal-a-programar.pt! Depois de vários anos a usar o SMF, o P@P passa agora a usar o IPBoard, que para além do fórum, também inclui o blog, e uma nova plataforma de downloads, que esperamos que venha a ser bastante útil aos utilizadores da nossa comunidade, promovendo a partilha de recursos. Para além de várias melhorias ao nível de administração e moderação, o novo software trará também algumas melhorias para os utilizadores, das quais destacamos: Tema para dispositivos móveis Sistema de tags bastante funcional Integração com redes sociais Melhor sistema de pesquisa e de visualização de novos conteúdos Sistema de notificações bastante mais funcional Novos funcionalidades ao nível de mensagens privadas Sistema de avaliação de tópicos e de mensagens Temos consciência que nem todos utilizadores vão gostar da mudança, e que muito irão estranhar esta nova plataforma, mas acreditamos que a longo prazo a generalidade dos utilizadores irá reconhecer as vantagens desta nova opção. Sublinhamos também que uma mudança destas é um processo complexo, sujeito a erros. Apesar de todos os cuidados na preparação desta migração, é natural que notem alguns problemas, sobretudo nestes primeiros dias, até porque há ainda algumas arestas a limar nos próximos dia/semanas. Adicionalmente, os utilizadores devem rever as suas configurações, através do Painel de Controlo, de modo a garantir que tiram partido de todas as funcionalidades oferecidas pelo IPBoard, ou para corrigir alguma configuração que não tenha sido correctamente migrada. Da parte do staff, tentaremos resolver os problemas encontrados o mais rapidamente possível.
  2. 10 points
    Ao contrário do passado com as guias de transporte e faturas, quem precisar de exemplo e implementação da Fatura Eletrónica XML em UBL que diga. Com validador incluído.
  3. 8 points
    OK malta, ainda pensei que isto ia lá depois de esfumarem um pouco, mas estou a ver que não... Daqui a tempos, alguém, quem sabe um de vocês, vai precisar pesquisar uma cena qualquer no tópico, e o que vai ver é lixo, com fartura. O meu ponto de vista é: O @brunotoira indicou num tópico onde anda malta a precisar que poderia partilhar a solução. Não disse em que termos, remetendo mais explicações para uma comunicação privada. A questão se o deveria fazer ou não no tópico é interessante, sem dúvida, e não totalmente definida. Por um lado, não disse especificamente que está a vender o código, pelo que não é uma venda. Por outro, indicou que desta vez não vai simplesmente colocar o código público, o que para bom entendedor, meia palavra basta. Qualquer membro pode concordar ou discordar desta posição. Se concordar, e lhe interessar, fala com ele. Se não concordar, está à vontade para denunciar a mensagem para ser alvo de análise posterior pelo staff do forum O que não pode, garantidamente, é começar uma troca de galhardetes sem ponta de sentido, ainda mais depois de eu avisar aqui em letra bem visível que qualquer assunto relacionado a isso seria para ser tratado por PM. Andamos todos a brincar? Somos crianças agora, num recreio onde só se pode jogar se todos jogarem pelas nossas regras? Que eu saiba, aqui não há crianças. Seria bom que todos se lembrassem disso. Quantas mais páginas vamos encher com lixo num tópico que trata de um assunto que claramente interessa a todos os que cá andam? Qualquer um daqui está à vontade para fazer o código que quiser, e partilhar ou não esse código. E se partilhar, as condições em que o faz são também suas. Se é preferível do ponto de vista da comunidade que o código seja partilhado gratuitamente? Claro. Eu próprio já o fiz várias vezes como disse o @CrominhO, e também já adaptei para mim código feito por outros, inclusivamente do @brunotoira. É por isso que isto se chama Comunidade. Mas exigir isso é que não podemos fazer. Acham que ele, ou qualquer outro, deve partilhar de borla? Escrevam-lhe em privado e tentem convencê-lo disso, com boa educação e, sim, bom senso. Se ele recusar, está no seu direito. E se não partilhar, não significa que não possa ajudar pontualmente uma ou outra dúvida que alguém exponha no tópico, como de resto é costume e já tem feito. Vamos por favor acabar com as birras, que já todos temos idade para isso.
  4. 7 points
    Titulo do Projecto: Social Unlocker Última Versão: 1.6 Site Oficial: http://www.rafaelalmeida.pt/socialunlocker/ Líder do Projecto: cmd Descrição do Projecto: O objectivo do plugin é desbloquear o conteúdo em que somos "obrigados" a dar Like só para poder ver o mesmo. De momento está disponível para Google Chrome e Firefox, a ser lançado para Safari, Internet Explorer e possivelmente Opera. Download código-fonte: GitHub
  5. 7 points
    Bom dia a todos, Tal como já alguns sabem,à uns dias fui a Lisboa e tive oportunidade de "apanhar" os inspectores bem dispostos, super-simpáticos e extremamente educados, sem levantar grandes problemas ao programa que levava a certificar. É de louvar a simpatia que me transmitiram, e como me senti muito "à vontade", fez-se tudo num instante. Houve tempo para tudo, inclusivé para falar deste Portugal-a-Programar. Ambos de inspectores mandaram um abraço aqui para o pessoal do fórum, que apesar de não estarem atentos ao que se fala aqui, dizem que vão ver se têm tempo para vir cá dar uma vista de olhos aos tópicos. Fiquei impressionado com os Softwares que internamente desenvolvem para detectar de imediato os problemas do saf-t. Pedi muito uma cópia para mim... ficou meio "dou ou não dou"... Foi feito em Perl, e se ficasse lá mais meia horita talvez mo fornecessem... Já vi muitos analisadores SAF-T, mas como aquele, nunca. É simplesmente GENIAL. Tive oportunidade de lhe questionar sobre a encriptação da chaveprivada, eu expliquei-lhe como estou a fazer, e foi-me logo dito que não há hipotese de recuperar a chave, mesmo abrindo no edit, ou UltraEdit ou PSPad etc. Já agora, para todos: o que estou a fazer é dividir a chaveprivada em segmentos de 10 caracteres, e atribuo a variaveis: var1 var2 var3 var4 var5 var6 etc... O texto que atribuo à variavel, é por ordem trocada, e ao precisar da chaveprivada correcta, é só colocar as variaveis pela ordem correcta, supomos que seja var2 var6 var4 var3 var1 var5. Além disso, ao entrar no programa, faço um randomize que me dá um numero de 1 a 10. Depois crio um caracter aleatoriamente, e coloco-o na String da ChavePrivada, com o caractér criado, na posição aleatória. (isto por cada variavel) e ao precisar da chaveprivada correcta, faço o inverso. Isto torna o sistema praticamente impossível de descodificar, pois dificilmente se consegue saber qual é a ordem correcta das variaveis, bem como o caractér que está lá a mais.. Quem diz variaveis de 10, pode usar variaveis com 5 o que torna ainda mais dificil. Falamos de muitos pormenores, que prefiro não falar para ja, e no fim lá me disseram, o programa está óptimo, não mexa mais nisso deixe estar isso assim :) E pronto, foi mais uma viagem aos nossos amigos.
  6. 7 points
    Conforme demos a entender há algum tempo atrás, o P@P decidiu mudar o software que suporta o fórum. Depois de um longo período de testes, esta mudança foi efectuada! Esta mudança coincide também com uma mudança de domínio principal do P@P, que passa agora a ser www.portugal-a-programar.pt! Depois de vários anos a usar o SMF, o P@P passa agora a usar o IPBoard, que para além do fórum, também inclui o blog, e uma nova plataforma de downloads, que esperamos que venha a ser bastante útil aos utilizadores da nossa comunidade, promovendo a partilha de recursos. Para além de várias melhorias ao nível de administração e moderação, o novo software trará também algumas melhorias para os utilizadores, das quais destacamos: Tema para dispositivos móveis Sistema de tags bastante funcional Integração com redes sociais Melhor sistema de pesquisa e de visualização de novos conteúdos Sistema de notificações bastante mais funcional Novos funcionalidades ao nível de mensagens privadas Sistema de avaliação de tópicos e de mensagens Temos consciência que nem todos utilizadores vão gostar da mudança, e que muito irão estranhar esta nova plataforma, mas acreditamos que a longo prazo a generalidade dos utilizadores irá reconhecer as vantagens desta nova opção. Sublinhamos também que uma mudança destas é um processo complexo, sujeito a erros. Apesar de todos os cuidados na preparação desta migração, é natural que notem alguns problemas, sobretudo nestes primeiros dias, até porque há ainda algumas arestas a limar nos próximos dia/semanas. Adicionalmente, os utilizadores devem rever as suas configurações, através do Painel de Controlo, de modo a garantir que tiram partido de todas as funcionalidades oferecidas pelo IPBoard, ou para corrigir alguma configuração que não tenha sido correctamente migrada. Da parte do staff, tentaremos resolver os problemas encontrados o mais rapidamente possível.
  7. 6 points
    Mais usadas, Swift/ObjectiveC para iOS e Java para Android. Mas existem muitas alternativas, dependendo do tipo de aplicação que pretendes desenvolver, mercado onde vais colocar as aplicações, etc. Como exemplo: Xamarin, desenvolves em C# e o Xamarin Studio trata de compilar para o formato correcto necessário para iOS, Android ou Windows Phone; Corona, usa Lua, tem um runtime próprio que é incluído com a tua APP para fazer a interpretação, vocacionada para jogos, mas podes usar para outras coisas. Cordova, usa HTML, JS e CSS, com possibilidade de usar alguns plugins nativos, é basicamente um browser em fullscreen; desenvolvimento muito mais rápido, mas ter boa performance e usabilidade exige mais cuidado Nativo: Visual Studio, Android Studio (Java), XCode (Swift), se quiseres desenvolver a "mesma" aplicação para duas plataformas diferentes tens de ter dois projectos/códigos diferentes. Pessoalmente prefiro as opções nativas, uso Swift para iOS e Java para Android, apesar de usar o Xamarin, não o uso para aplicações móveis. Em qualquer dos casos, desenvolver para iOS obriga a teres um Mac/OSX e uma conta de iOS Developer válida (subscrição anual), mesmo as versões multiplataforma usam as ferramentas nativas para fazerem as conversões necessárias. A questão do mercado de trabalho é subjectiva, Java é bastante usado. Java para Android é um pouco diferente (mais no tipo de bibliotecas e ferramentas) e o mercado de aplicações para Android é enorme. A minha experiência sempre foi que esse mercado, mesmo muito grande, não dá rendimento que justifique o investimento se estiver a desenvolver aplicações para utilizadores (ser eu a vender as APP). Com a utilização de in-app purchages e publicidade dá alguns trocos mas para é preciso uma utilização muito elevada para render alguma coisa. Por outro lado o mercado iOS é bem mais rentável. Em qualquer um dos dois onde tive mais sucesso foi em aplicações para empresas, em que a empresa vende ou oferece a aplicação, ou precisa dela para uso interno/suporte a modelo de negócio, e paga pelo desenvolvimento e nesse caso não tens de te preocupar com o quanto a APP vende. Neste caso, muitas vezes a tecnologia depende do cliente, fiz muitas aplicações com HTML/JS/CSS porque para o cliente era suficiente e para mim a velocidade de desenvolvimento resultava em lucro maior. Outros clientes exigiam nativo, mas pagavam para isso :).
  8. 6 points
    O valor do trabalho é aquele que as pessoas estão dispostas a pagar por ele. Se temos um trabalho que precisa de uma pessoa, e há 10 pessoas disponíveis para o fazer, é pouco relevante se é necessário uma licenciatura para o fazer. Um dos erros do nosso país foi achar que era dando uma licenciatura a toda a gente que se punha as pessoas a ganhar mais. Na verdade, isso faz é com que a oferta de trabalho qualificado aumente, pondo toda a gente a ganhar menos (e baixando o preço dos produtos pelo meio, o que é benéfico para o consumidor). Parece-me normal que as pessoas comecem a trabalhar por salários mais baixos, pois tal tem tendência a aumentar o trabalho (pago) disponível (redução do custo/aumento da procura). Chamam exploradores ao empresários, mas ainda não ouvi chamarem exploradores aos consumidores, quando compram produtos a preços ridiculamente baixos. Uma pessoa que acha que produz mais do que o que recebe, resolvia o problema trabalhando por sua conta (e obviamente assumindo os riscos da actividade). É claro que ou fica a trabalhar no mercado paralelo, ou está lixado com as burocracias e impostos. E diria que este é o principal problema do nosso país. Falta quem crie emprego, quer devido à burocracia, quer devido aos impostos, quer devido aos incentivos (subsídios) para que não se produza, quer devido à cultura de que os empresários são exploradores.
  9. 5 points
    Foi hoje publicada a Portaria 126/2019 que vem alterar o formato do ficheiro de inventários que é obrigatório comunicar anualmente à AT. A grande alteração passa pela obrigatoriedade de indicar o "valor da existência final relativa ao período a que reporta (valor total relativo à quantidade indicada)" (campo ClosingStockValue). Isto entra em vigor a 1 de Janeiro de 2020 mas já tem de ser usado para comunicar os inventários de 2019.
  10. 5 points
    Entrei isto na net Gostava de saber a vossa opinião https://www.espap.gov.pt/Documents/servicos/sp_fin/v1.6.7_Manual_Fornecedores_1.6_Doc_Eletronicos.pdf Se alguem souber do schema xsd... xD
  11. 5 points
    Voltamos a misturar assuntos! FACTURA ELECTRÓNICA continua a ter a mesma definição! Tem de ser AUTENTICADA e o recebimento tem de ser assegurado (bem como o arquivo). Existe legislação própria para o efeito. Aqui está em debate a FACTURA electrónica da ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA! Vou tentar responder a isto de forma clara: Como podem verificar, é uma ESPIRAL de decretos leis, e este resumo que fiz esclarece perfeitamente o que é uma FACTURA ELECTRÓNICA de acordo com a legislação em vigor, e CONTINUARÁ A SER, até que as leis sejam revogadas / alteradas.
  12. 5 points
    Revista PROGRAMAR Edição 38 - Dezembro de 2012 (clica para download) Nesta edição continuaremos também a premiar os autores dos três melhores artigos, dado o sucesso nas edições anteriores. E os leitores devem dar a sua opinião para que possamos premiar correctamente. Para isso vote em http://tiny.cc/ProgramarED38_V Assim nesta edição trazemos até si, como artigo de capa, um artigo de Introdução à Programação em Compute Unified Device Architecture (CUDA) de Patricio Domingues. Nesta 38ª edição pode ainda encontrar os seguintes artigos: Accionamento de Led e Arduino Através de Interface Gráfica em Processing (Nuno Santos) PostgreSQL como alternativa de SGBD (Ricardo Trindade) Custo Efetivo de uma Solução na Nuvem em Ambiente Windows Azure (Edgar Santos) Rápido e bem? A programação web tem! (Sérgio Laranjeira) Introdução à Programação em CUDA (Patrício Domingues) Visual (NOT) Basic - Organismos! Do zero ao mercado (2/2) (Sérgio Ribeiro) Enigmas de C#: Foreach (Paulo Morgado) Core Dump: Core Dump [8] - Fora de Horas (Fernando Martins) Review do livro Introdução ao Design de Interfaces (Sérgio Alves) Review do livro Exercícios em Java – Algoritmia e Programação Estruturada (Carlos José Dias) Viagem da Informação (Rita Peres) “Camaleão! De que cor?” (Sara Santos) Verifica regularmente os ficheiros Javascript do seu site? (David Sopas) Entrevista a Tiago Andrade e Silva Projecto em Destaque na Comunidade Portugal-a-Programar: Taggeo
  13. 5 points
    Em relação ao Número de Série penso que não é bem como foi aqui referido anteriormente: o grupo 4.1.4.19.12. Número de série do produto (ProductSerialNumber) não é obrigatório (não tem o asterisco). Agora, existindo este grupo, então é obrigatório que exista o 4.1.4.19.12.1. * Número de série (SerialNumber), o que é compreensível. Por aqui não vem nenhum mal ao mundo: não havendo números de série não colocamos o 4.1.4.19.12. Havendo números de série, temos o 4.1.4.19.12 e, dentro deste, colocamos tantos 4.1.4.19.12.1. quantos forem necessários.
  14. 5 points
    Boas, Vou abrir este tópico só para ir deixando algumas dicas/pregos/workarounds que fui encontrando para que nao tenham de passar pelo mesmo pesadelo que eu. Caso algum destes problemas so me esteja a acontecer a mim, avisem sff ^^ 1º - Se quiserem mostrar imagens não usem o TImage!! Quem quiser saber mais disto posso depois deixar mais exactamente o porque, mas basicamente, as TImage são muito pesadas. Se criarem umas 10 dinamicamente, ou mudarem a visibilidade de uma maiorzita, já notam a pendurar alguns segundos. Solução: Usar o TRectangle e usar a imagem na propriedade Fill. Não tem comparaçao... até voa ^^ 2º - Minimizar o uso de forms! Não é que não possam... mas em termos de desempenho e coerencia entre versoes android/windows, muitos dos casos mais simples de utilização de N forms podem ser minimizados através do uso de um TabControl, em que cada página seria como o novo form. Dado que as apps p/android nao terão necessidade obrigatoria de muitos forms, nao me parece muito desconfortavel. Mais uma vez, não existe nenhuma limitação sobre isto, é apenas uma sugestão minha! 3º - Usar e controlar o botão de retroceder do Android (tipicamente o do lado esquerdo ) Este é uma dica e um prego num só ^^. Para apanharem o botão de retroceder do android basta fazerem como normalmente se faria para qualquer tecla normal mas usando a constante VKHardwareBack (if Key = vkHardwareBack then). Até aqui nada de especial, o problema é que mesmo que apanhem a tecla e façam codigo vosso, o programa vai fechar! Aqui não sei se vem do Android ou do Delphi mas por defeito, qualquer aplicaçao fecha sempre que carregam nesta tecla. A solução é apanhar a tecla normalmente, mas caso nao queiramos fechar o programa temos que enganar o programa e dizer que afinal nao foi essa tecla que foi pressionada com um Key := 0; Tendo como exemplo o ponto 2, em que temos uma TabControl com 3 paginas e queremos que estando na pagina 2, a aplicaçao abra a pagina 1 quando o utilizador carregue no retroceder, será preciso este código: procedure TFrm.FormKeyUp(Sender: TObject; var Key: Word; var KeyChar: Char; Shift: TShiftState); begin if Key = vkHardwareBack then begin //Prego para nao sair do programa Key := 0; // Do whatever you want to do here if TabPrincipal.ActiveTab=TabLvlSel then TabPrincipal.ActiveTab:=TabIntro; end; end; (Esta informação vem na documentação oficial da embarcadero, mas é para reforçar a ideia, porque senao acontece como a mim e nunca mais se lembram do Key:=0; e depois la se vao umas horas a procurar porque raio a app fecha sempre que se carrega no back -.-) 4º - Alterações em controlos do form só na main thread! Isto já é dado adquirido em muitas linguagens por isso pode ser uma falsa questão. De qualquer modo, como nunca tive problemas com isto em aplicações para Windows, é algo que não dava importância) De qualquer modo, neste caso o melhor é usar uma class propria derivada da Thread onde se coloque o codigo a correr pela thread numa funçao e a alteraçoes dos controlos do form noutra, para que se possa usar o Syncronize(); TGui=Class(TThread); var frm:TForm; procedure ChangeGUI(); protected procedure Execute(); end; procedure TThread.ChangeGUI(); begin frm.label1.text:='bu!'; end; procedure TThread.Execute(); begin //Do work //Do some more... Syncronize(ChangeGUI()); // etc... end; 5º - Não se assustem com o tamanho do APK! Mal façam a primeira aplicação vão reparar que o apk tem cerca de 20mb, caso nao tenham posto nada de especial. Isto é realmente muito abusado em relação ao Java mas calma! Quando chegar o momento em que queiram distribuir a vossa aplicaçao é altura de criar o signed APK, que não é feito através do build normal mas sim do publish (Ver nos links em baixo), isto vai fazer com que o tamanho do apk final seja significativamente mais reduzido... No meu teste fiquei com 5mb penso eu, mas 2mb eram em imagens e outros resources. Links Uteis http://docwiki.embarcadero.com/RADStudio/XE5/en/Creating_an_Android_App http://docwiki.embarcadero.com/RADStudio/XE5/en/Android_Mobile_Application_Development (Ver este link com atenção para publicar a aplicação na Google Play e para criar o apk final) http://docwiki.embarcadero.com/RADStudio/XE5/en/Mobile_Code_Snippets http://www.fmxexpress.com/ (Este tem tudo o que precisam saber para aplicações em Android)
  15. 5 points
    Titulo do Projecto: PROGRAMAR Downloader for Linux Última Versão Estável: 2.1.1 Licença: GNU GPL 3.0 Líder do Projecto: thoga31 Membros Actuais do Projecto: thoga31 Screenshots: Demo do Modo Interactivo (2.0.0): vídeo Demo das novidades da versão 2.1.0: vídeo Descrição do Projecto: Reparei que já temos mais do que uma aplicação relacionada com a Revista PROGRAMAR, mas nenhuma delas se destina a outra plataforma que não o Windows. Nessa medida, decidi fazer uma aplicação simples e minimalista para distribuições GNU/Linux. O programa permite: Verificar qual é a última edição da Revista. Fazer o download de todas as edições, apenas da última, ou então um download selectivo de determinadas edições. Modular o output através dos modificadores -v (verbose) e -q (quiet, não recomendado). Trabalhar em Modo Interactivo com opção de download. Obter informações acerca de uma dada edição com o Modo Informativo. Exemplos de uso: COMANDO DESCRIÇÃO revista --last Mostra qual é a última edição. revista --download last Faz o download da última edição. --get e --download são equivalentes. revista --get all Faz o download de todas as edições. revista --get range 20 27 -v Faz o download da 20ª edição até à 27ª, inclusive. revista --get set 5 10 13 36 47 Faz o download selectivo das 5ª, 10ª, 13ª e 36ª edições. Não fará a da 47ª pois neste momento, só há a 43ª O programa descarta automaticamente edições não válidas. revista --interact Entra no Modo Interactivo (ver screenshots). revista --info last Informações acerca da última edição (Modo Informativo). revista --info 34 Informações da 34ª edição. revista --help Ajuda do programa. revista --about Acerca do programa. Dirijam-se, na shell, para o directório onde querem guardar as edições e executem o programa. Ele detecta automaticamente a localização onde estão, e lá guardará os downloads. Caso algum ficheiro já exista, o seu download não é executado, mas isto não interrompe o programa - ele continua a executar os restantes downloads que estão na stack de espera. Caso um download tenha menos de 1KB, o ficheiro resultante é eliminado. Nos meus tempos livres irei desenvolver mais a aplicação. Acerca do programa: Programado em Object Pascal. Compilado com Free Pascal Compiler versão 2.6.4, no Ubuntu 14.04 LTS x64. Download: Bitbucket Centro de Downloads: http://www.portugal-a-programar.pt/files/file/95-programar-downloader-for-linux/
  16. 5 points
    Como aqui só se fala de tristezas. A todos um Santo Natal e Bom Ano 2015. Obrigado a todos aqueles que me ajudaram
  17. 5 points
    Para quem possa interessar, fica aqui um exemplo de questionário que anda a circular relativo as inspeções no âmbito da faturação:
  18. 5 points
    Eles estão-se nas tintas para nós e para o que nós achamos lamentável... Quero que eles se f... Cosam! Amanhã vou de férias, coisa que não faço há anos... São só 4 dias, mas acho que o escravo merece. Quando voltar, logo se vê. Ainda que eles se estejam a marimbar para isso, também temos família a quem dar atenção, filhos com quem queremos estar, cérebros a precisar de descanso... Tudo o que eles vêem em nós são gajos que ficam todos contentes com cada alteração, por ser mais uma que nos vai deixar ricos! Quanto a vocês não sei, mas eu, nem com três trabalhos consigo ficar rico... A única coisa que consigo ficar por estes dias é farto... Pronto, está dito...
  19. 5 points
    Entre não pagar a taxa e não receberes nada e pagar a taxa e mesmo assim não receberes nada, qual preferes?
  20. 5 points
    Eu tenho que desabafar isto: Existem poucas coisa de que me orgulho em ser Português. Mas este fórum é um orgulho. Aqui somos todos concorrentes e ajudamo-nos todos uns aos outros. Bem hajam ao(s) seu(s) criador(es) e a todos os que aqui colaboram.
  21. 5 points
    Quiseram verificar se deixava anular documentos e em que condições - se for ultimo e mesma data, ok segundas vias, alterar nome de cliente e imprimir depois segunda via de documento (tem que sair com nome anterior) documentos com valor menor que 1 euro - querem sempre ver este caso múltiplos tipos de iva mesmo documento também é uma obrigatória deles. notas de credito e debito com referencia obrigatória a fatura - no documento e no saft nota de credito se deixa fazer (não pode) com valor superior a fatura no caso de morada de entrega alternativa se a exporta para o saft Não deixar faturar com data anterior ao ultimo documento emitido Se a vossa app não faz algo - ex, fac. simplificada - digam, eles não insistem Comigo foi o caso - não deixo faturar sem nif. Ai não ? E os seu clientes ? Não se queixam. Então está bem. Mostrar que não deixa. Toneladas de controles evitados só com essa. e os 'clássicos' controle de series, nif's, nome de utilizador e backups Vantagem - se quiserem mais tarde acrescentar novos tipos de documentos - é só enviar os pdf's e safts para o vosso querido certificador via email, não é necessário nova certificação, basta que ele diga que estão bem antes de implementarem nos clientes. O que apanhei sabia bastante de programação, é malta que sabe do que fala, tenham isso em atenção. Deixam corrigir 'coisinhas' na hora. Comigo foi, faça lá isso enquanto verifico o seu saft. O analizador deles - que não dão a ninguém, lol - apanha tudo e mais alguma coisa. E durante a certificação ouvir na sala ao lado - corrija isso e volte cá amanha - olha o susto que um tipo leva. Para quem for de comboio Sair em oriente metro (descer as escadas) - linha vermelha até saldanha sair para duque d'avila estão mesmo a porta, é só atravessar a rua e já está com 3 restaurantes / snack's mesmo em frente conselho - levem algo para ler, que eu apanhei uma seca de 1 hora até ser chamado - bendita tablet que tinha um livro em pdf para estar entretido
  22. 5 points
    Sim, mas aí nem falámos, pois não era o caso... Então vamos lá... Fizeram uma série de perguntas sobre o programa, se é opensource, se tenho os direitos de autor, essa coisada toda. Depois, passámos à análise dos documentos que enviei. Daqui se ressalvou que: - Documentos que não sejam assinados, também não levam menção nenhuma do tipo "Processado por computador". Eu estava a por, é para tirar. - Facturas manuais ou de reintegração não devem ter mencionadas essas características. Ex.: Em vez de Factura Manual, deve chamar-se apenas Factura. - Facturas manuais não devem apresentar hora no documento, pois a hora não será a do documento original, e sim do manual. Deve mostrar-se apenas a data, que será a do doc. manual. - Facturas manuais: InvoiceDate deve ser o do documento manual, e não o do dia actual - Confirma-se de uma vez por todas a história fo Factura/Recibo e seu código: É mesmo FR - Facturas sempre em duplicado, a não ser FS - Documentos internos, em circunstância alguma devem ter na descrição a palavra "Factura" - Eu tinha uma "Factura de Fornecedor", para dar entrada das compras, fizeram-me prometer que mudava aquilo sem falta, pois pode ser considerado documento falso. - Uns ajustes no report de Contagem de Stock, nomeadamente não aparecer o resumo de IVA (mas porque raio é que eu o tinha lá?) - Tenho um documento do tipo GT chamado Devolução a Fornecedor. Muda-se o nome para Guia de Transporte, podendo meter por baixo, se quiser, Devolução a Fornecedor. - Carga/Descarga: Estou a escrever só estas palavras, mas deve ser escrito mesmo Local de Carga e Local de Descarga. - Hash mais acima, como já tinha referido - Nas Notas de Crédito, a referência ao documento de origem deve incluir a descrição (eu estava a por apenas Tipo Serie/Numero) - Gostaram do meu controle de reposição da base de dados baseado no número de documentos, mas disseram para incluir também um controle idêntico baseado em CheckSum. - Casas decimais: Internamente, quantas mais melhor, para minimizar erros de arredondamento. Preços unitários pode ser configurável, preços finais sempre com 2 casas. Recomendaram-me ainda que lesse o Art. 5º do DL 198/90, mais as alterações feitas a este no OE 2014. - Ainda não faço ideia do que é, mas entretanto vou ver. Depois passámos ao programa propriamente dito... A análise incidiu principalmente em: - Anulações: Anulações só podem ser feitas se tiver o documento original em mão - Notas de Crédito - Parciais e totais (Total de quantidades creditadas nunca superior às do documento original) - Preços não podem ser alterados (ou pelo menos os meus não deixo alterar, e disseram-me que estava bem) - Data de Caixa (que não pode andar muito longe da data de sistema - no meu caso só permito no máximo 1 dia de diferença). - Descrição de artigos não alterável - NIF não alterável - Entidades: Se derem para anular (é o meu caso), não podem desaparecer completamente, muito menos os documentos passados a essa entidade. - Cópias de segurança: Métodos de controle e salvaguarda da informação - Gestor de DB: Nunca pode estar instalado na máquina de produção (Ex. HeidiSQL) - Configuração do programa: Estiveram a ver que tipo de configurações o programa deixa fazer - Permissões de utilizadores: Que tipo de permissões se podem activar e desactivar para cada utilizador - Controle de número de impressões - 2ª Via a partir da segunda impressão - Documentos pendentes de um dia para o outro - Insistiram neste ponto - no meu caso não é possível manter nada pendente nem quando sai e volta a entrar na aplicação - qualquer documento tem de ser finalizado - Recibos; Normais e RIC - Normais não podem levar a tag TAX, os RIC têm de ter uma linha por cada taxa, bem como a tag TAX - Gaveta: Abertura de gaveta sempre com documento de suporte (deduzo que não seja obrigatória a sua impressão, desde que ele seja gerado) - Taxas de IVA: A taxa Isenta deve ser uma só. As isenções serão atribuídas ao artigo que use taxa 0%, e não à taxa em si E pronto, acho que não me esqueço de nada! Ah, esqueci sim... Dois pontos que causaram por aqui algum debate: - Tipo de documento na impressão: Tem de aparecer - Hash na mudança de período: Primeiro estavam-me a falar que o hash estava mal, pois não estava a usar do do documento anterior (de dezembro). Eu disse que até tinha a por, mas por causa do OC50001/2013 que mete lá o famoso "OU", tinha tirado essa parte. Concordaram com isso, e fica assim mesmo. Aparentemente, antes não era assim, e este ofício é que trouxe essa novidade.
  23. 5 points
    E está feito... Aveiro, aqui vou eu. Meia dúzia de pormenores para ajustar, e um "mantenha o programa assim que está bom" na hora da despedida... 2 senhores, de trato cordial e bem disposto, que estiveram a analisar tudo o que tinham na checklist, mais o que se foram lembrando durante o decorrer da entrevista. Ainda me perdoaram a fenomenal gafe de estar a imprimir para pdf mas gerar extensão html (é no que dá fazer alterações de última hora e testar pela metade). Mais tarde faço um relato mais pormenorizado!
  24. 5 points
    Agora que está tudo mais calmo... Na realidade, as tags dos elementos html, head e body podem ser omitidas salvo algumas excepções (consultem a especificação oficial da W3C para saberem quais). No entanto, e agora dirijo-me a ti, alex9099, omitir essas tags é (como já disseram) uma má prática. Quando omites informação, o browser dá o seu melhor para tentar construir a página da forma que ele acha que tu queres, mas nem sempre acerta. Com HTML5 estes comportamentos estão mais definidos, mas não deixa de ser má ideia omitir essas tags. Vou mais adiante, ao ponto de dizer que é pouco profissional omitir essas tags (mas também fica bem saber que podem ser omitidas). Repara ainda que ao omitires as tags mencionadas, tens que ter em mente todos os casos nos quais elas não podem ser omitidas (sim, porque há excepções!) e saber essas excepções todas é bem pior que simplesmente incluir as tags em todos os documentos, não concordas? De resto, vi que és um rapaz novo que está metido nas tecnologias ligadas à Web: parabéns pela iniciativa! Agora resta-te estar a par de como se fazem as coisas actualmente.
  25. 5 points
  26. 5 points
    Ainda em relação ao mail/carta para o pessoal da AT e afins, e apesar de não estar metido nesta alhada de softwares de facturação, deixo a minha sugestão. Em vez de cada um enviar um mail em nome próprio e ou da empresa, escrevam um mail/carta aberta assinada por todos os membros aqui que têm estado a ter dificuldades por causa dos motivos que já apresentaram. E digo "carta aberta" no sentido de a fazerem chegar à comunicação social, de forma a que o país fique a saber que há dezenas, centenas de programadores neste país que estão a bater com a cabeça na parede à conta das famosas leis e despachos e whatever escritos em Código Ambiguoum. Façam ouvir a vossa voz, o pensamento "não adianta de nada" é um dos grandes alimentos desta gente que está lá a decidir as coisas ao pequeno-almoço, pensando "ah, aqueles gajos desenrascam-se".
  27. 5 points
    Uma LUZINHA? Queres dizer... NÓS... os beta-testers e escravos do sistema! Foram muitas dezenas de emails de recomendações enviados, problemas reportados, sugestões... Não era dificil de prever que as coisas não iriam correr da melhor forma. Também foi fácil de prever que as coimas teriam de ficar suspensas até nova ordem.. Sistemas desta "envergadura" necessitam de uma grande análise prévia, e de feedback, tanto das empresas como das software houses. Deveria ter sido criada uma plataforma colaborativa para contacto directo entre a AT e os produtores de software, bem como com as empresas, onde as dúvidas, problemas, sugestões, pudessem ser abertas e comentadas, até serem resolvidas ou abandonadas. Aliás, tal como DITO AQUI (e passo a citar): http://info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyres/07A23F83-95A0-43F3-8988-F88A74484C6C/0/Comunicado.pdf Gostava de saber QUAIS foram as empresas (e software houses???) que foram as PRIVELIGIADAS nesse PROCESSO de COLABORAÇÃO! Onde está a transparência do sistema?? :-\
  28. 5 points
    Não sei o que diz a lei portuguesa em relação ao direito de resposta, nada? Para mim é mais uma questão de ética. Ser um artigo de opinião não torna o direito de resposta desadequado, ates pelo contráio. São os artigos de opinião que são mais susceptíveis de gerar situação de recurso ao direito de resposta. Dito isto, pedir direito de resposta a uma review feita a um livro, e com a extensão de uma página, na qual o autor aponta alguns aspectos negativos segundo o seu ponto de vista... é ser mais papista que o papa. Se cada vez que se dá uma opinião sobre o trabalho de alguem, se andasse a dar direito de resposta, então a imprensa escrita desapareceria num ápice. Para tudo há um limite do razoável. Parece-me que uma review destas não é nenhum ataque pessoal nem sequer nenhuma tentativa de bota-abaixo. O tom em que erros ortográficos e uma ou outra incorrecções são apontadas é completamente desproporcionado, e acaba por dar origem a uma situação ridícula porque a resposta tem ela própria erros ortográficos. A conclusão que eu tiro é que a autora do livro se quis distanciar do autor da review tentando deixar claro que se trata de uma pessoa que está no ensino superior e que por isso está em posse de recursos tecnicos superiores aos do autor da review. Da minha perspectiva, a única coisa que conseguiu apenas criar uma situação embaraçosa para si própria. Se supostamente o desnível tecnico que tenta passar por debaixo da sua resposta é tão grande, então por que motivo dá importância sequer à crítica ao ponto de lhe responder tão formalmente? A revista programar teve origem neste fórum, o qual frequento desde 2005, daqui a mais há uma década. É um projecto que já durou mais do que muitos cursos superiores que já começaram, e acabaram, depois de de 2005. Pode haver aqui no portugal-a-programar alguma falta de rigor tecnico, o que acaba por se reflectir na revista. Mas uma coisa posso eu afirmar com toda a convicção: a forma como o portugal-a-programar aceita e aprende com a crítica é incomparavelmente mais profissional do que aquela que é de esperar da maior parte das pessoas ligadas ao ensino superior.
  29. 5 points
    pegas no player que tens (que é em flash), fazes um embrulho muito bonito, e envias para Jaula dos ursos Jardim Zoológico de Lisboa Estrada de Benfica, 158-160 1549-004 Lisboa depois vais a net e pesquisas por : "html5 audio player" sacas um player muito bonito mas agora que não use flash colocas no teu site toda a gente fica feliz, mesmo as pessoas que visitam o teu site porque não necessitam do flash !!
  30. 5 points
    Olhando para os teus tópicos, vejo que só num caso não tens respostas. Por outro lado, parece que as tuas mensagens estão restritas aos teus tópicos. Será que andas a descriminar os outros, não respondendo aos seus tópicos? Pois, não custa nada vir cá acusar os outros de não responderem aos nossos tópicos. Mas tendo em conta que a maior parte dos teus tópicos foram respondidos, mesmo quando a maior parte está fora das áreas essenciais do fórum (electrónica e hardware), espero ver-te por cá também a responder às questões dos outros. Já agora, olhando para os tópicos notei uma coisa "desagradável", o facto de muitas vezes não responderes aos utilizadores que te tentaram ajudar.
  31. 5 points
    O Portal de Downloads da comunidade Portugal-a-Programar destina-se a promover a partilha de conteúdos relativos à programação e áreas similares, que podem incluir materiais usados por estudantes nos seus ciclos de estudos (e.g., apontamentos, exercícios, testes), ou outros materiais desenvolvidos pelos utilizadores que podem ser úteis a outros utilizadores (e.g., tutoriais, scripts, bibliotecas, aplicações). Tem por objectivo criar um repositório de conteúdos, que permite a sua melhor organização e catalogação, facilitando assim o trabalho de pesquisa dos utilizadores. Qualquer utilizador registado pode submeter conteúdos, desde que sejam da vossa autoria, ou que o autor tenha decidido dispobilizá-los publicamente. É possível submeter ficheiros directamente, ou indicar um link para um ficheiro externo. (Caso seja o autor dos ficheiros, é preferível enviar directamente o ficheiro, para evitar links quebrados. Caso não seja o autor, pode indicar o link onde o autor disponibiliza os conteúdos. Por favor não use links para sites como Rapidshare e afins.) Para submeter ficheiros, devem escolher uma categoria apropriada, seleccionar os ficheiros a enviar (ou indicar os links para os ficheiros), e fornecer a seguinte informação: Nome do Ficheiro (obrigatório) Deve permitir aos utilizadores ter uma ideia do conteúdo dos ficheiros, nomeadamente do tema a que dizem respeito (e.g., Exercícios de Java, Slides sobre Algoritmos de Ordenação, Apontamentos de Teoria de Números, Exercícios de Criptografia). Se forem materiais de uma cadeira, também têm que identificar pelo menos a instituição de ensino, e opcionalmente a cadeira, curso (podem usar acrónimos, para o nome não ficar demasiado grande). Versão do Ficheiro (opcional) Identifica a versão do ficheiro. No caso de bibliotecas/código pode ser a versão (e.g. 1.0, 2.1), e no caso de ficheiros como tutoriais, exercícios e afins, que não tenham versão, pode ser a data (e.g. 2011/12). Tags do Ficheiro (obrigatório) Palavras-chava que descrevem os conteúdos submetidos (e.g., c, pascal, bases de dados, algoritmos de ordenação). Change Log (opcional) Registo de alterações introduzidas numa nova versão. Descrição (obrigatório) Devem dar os detalhes dos conteúdos aqui. Deve conter, pelo menos, um pequeno parágrafo com um resumo dos conteúdos. Caso o conteúdo a submeter disponha de índice, também é conveniente colocá-lo aqui. Adicionalmente, nos casos de materiais de uma cadeira, também devem indicar a cadeira, curso e instituição. Caso estejam a submeter conteúdos que não são da vossa autoria, é também conveniente que indiquem o autor. Licença (opcional) Licença dos conteúdos. Se os conteúdos forem da vossa autoria, indiquem a licença que quiserem. Se não forem, devem respeitar a licença que o autor escolheu (se não a souberem, deixem em branco). Submetido pelo Autor (obrigatório) Indica se o utilizador que submeteu o ficheiro é o autor dos conteúdos. Website (opcional) Pode ser um website sobre os conteúdos (ou onde estes também possam ser descarregados), ou o website do autor, por exemplo. Sempre que possível, comprima os ficheiros antes de os enviar. Em particular no caso de submeter mais do que um ficheiro, deve juntá-los num único arquivo comprimido. Desta forma permite que se poupe espaço e largura de banda. (Caso não o faça, o staff reserva-se no direito de comprimir os ficheiros, sempre que tal pareça adequado.) Os ficheiros estão sujeitos a moderação, e só ficarão disponíveis publicamente depois de revistos pelo staff. Esta área está sujeita as regras do P@P, que promovem o respeito pelos direitos de autor. Contudo, nem sempre será possível obter informação precisa/correcta sobre os direitos de autor dos conteúdos. Assim, caso encontre no nosso portal conteúdos seus que não autoriza a que sejam disponibilizados, por favor use a link "Denunciar Ficheiro" para notificar o staff de tal situação. A moderação destina-se também a garantir que os conteúdos correspondem à descrição (embora tal não seja possível garantir totalmente para ficheiros externos), ou que a descrição fornece um nível de informação adequado, e também para normalizar a informação disponibilizada. Depois de o ficheiro ser submetido, será criado automaticamente um tópico no fórum, onde os conteúdos poderão ser discutidos. Na página do ficheiro irá existir um link para o tópico. (Caso já exista um tópico no fórum a abordar o conteúdo, por favor notifique o staff de tal situação, para evitar a duplicação de discussões.) O link "Denunciar Ficheiro" pode também ser usado para denunciar links quebrados, ou ficheiros que representem riscos para utilizadores (e.g., malware). O staff procurará analisar as denúncias o mais rapidamente possível. (Estas normas serão revistas regularmente, de modo a se adaptarem ao comportamento dos utilizadores. Recomenda-se a leitura regular das mesmas.)
  32. 5 points
  33. 4 points
    Eu também estou á espera do código do @derrerter Caro colega de profissão, deduzo eu. O senhor desculpe mas faz-me lembrar um tal Joe Berar** que manda nesta mer** toda, em tudo e todos, ainda por cima anda no "gozo" comigo... menos mal o Joe é com nós todos... Ora bem... lamento informar, mas não será com estas atitudes rudes da sua parte que lhe vou dar um único minuto da minha vida para o ajudar seja no que for. Por ultimo, registe isto: Eu nunca, nem a si nem a ninguem, lhe faltei uma unica vez ao respeito. Se é um voyer/cusco/copy-paste/programador de codigo alheio e nem referencia nada, a quem lhe deu de mão beijada esse código, que anda aqui a copiar código e vender á grande e á francesa aos seus clientes... lamento mas a mama acabou (pelo menos da minha parte) Quanto ao Juizo, vou deixar ao critério de um dos administradores atribuir o "juizo" a quem acharem que falta. Sinceramente, vou gostar mesmo de ver você a perder meses a desenvolver isto, e no fim QUERO VER o seu código fonte aqui no site. Nem que seja em MS-DOS. Volto a frisar, você é um bom colaborador deste site, todos aguardamos ansiosamente pelo código e brokers e gateways. Ah, quanto ao seu código, só mais uma coisinha..... Eu nao preciso de nem uma unica linha do seu source-code, ao contrário de si 😉caso contrário não me tinha pedido para lhe enviar. Vou sair um bocado deste site. Pá desculpem o desabafo, mas quem me conhece sabe que nao ando aqui a brincar, quanto mais para aturar malucos.
  34. 4 points
    @marioverdini, o @M6 mesmo repreendendo-te, e com toda a razão, não te deixou sem uma indicação relativa ao teu problema. O @M6 não necessita que o defendam, mas posso dizer que o vejo como uma pessoa correta e que procura ajudar o outras pessoas, já tu.... Assim, não tendo eu peso algum neste forum, ainda assim, proponho aos administradores removerem, bloquearem o @marioverdini para o bem estar deste forum. A resposta é completamente inadmissível!
  35. 4 points
    Relativamente a este assunto, ontem tivemos uma reunião com DIgitalSign ( empresa emissora de Certificados Digitais ), pois a Faturação Eletrónica vai obrigar a um Certificado por cada utilizador ( 125 € por ano e por cliente ) Na reunião informaram-nos que também estão com reuniões agendadas com as grandes Softwares-Houses pois na verdade ainda ninguém tem o sistema a funcionar ( muito embora algumas publicitem que sim ) Também nos informaram que a informação que tinha chegado até eles é de que seria utilizado o UBL 2.1 e não o UBL 2.0 como se tem falado aqui no Forum, mas também não tinham certezas de nada Como tal, a situação é: A Portaria que vai regular ainda não saiu …... A data de inicio já vai em Abril de 2019 …... As Empresas do Estado ainda não tem Software preparado para recolha das Faturas Eletrónicas …. e por ai fora ….. Vamos aguardando e juntando toda a informação que vai saindo, mas com toda a certeza a menos fiável é a publicada pelos jornalista, e que devemos descartar pois tem objetivos sensacionalistas e não profissionais
  36. 4 points
    ok, estás com problemas em representar o polinómio de grau 3 ? aqui tens a solução: int pol[3]; a razão de não fazer o código e amostrar a solução completa, é algo que te falta aprender
  37. 4 points
    É isso que eu não percebi. Eu vou a umas bombas atestar um bidão de gasóleo e peço uma fatura com o meu NIF (sou empresário, mas nem disso sou obrigado a informar). O que é que o comerciante tem de saber se eu vou ou não deduzir o IVA e em que percentagem? Ele faz-me a fatura do gasóleo com o respetivo IVA à taxa que tiver de ser. Eu pego na fatura e entrego ao meu CC. A obrigação do meu CC é perguntar-me o que eu vou fazer com o gasóleo: - abastecer o empilhador -> deduz 100% - abastecer o Mercedes -> deduz 50% - deitar pela sanita -> deduz 0% - etc. Não estou a ver o que é que isso influencia o SAFT de quem está a vender o gasóleo. Nem onde é que isso pode criar divergência. PS: "deitar pela sanita" não deduz IVA nem é custo fiscal porque não é uma despesa indispensável à obtenção dos rendimentos.
  38. 4 points
    Pessoal um Prospero Ano novo :-) Que o próximo Ano nos traga Menos Decretos e Mais paz de Espirito lol e já agora que todas as outras áreas se lembrem que os programadores, embora ás vezes não pareça, também são Pessoas e não máquinas lol :-)
  39. 4 points
    Pá um gajo fica sem vir ao site 2 dias e é só novidades lol ... Aqui na terrinha há alguns lol acho que há um revendedor do Porto de Hardware que os tava a colocar nos POS. Em todo o caso, e no dia da Liberdade Permitam-me dizer o seguinte, eu tenho pena e claro que se for um colega aqui do forum que me desculpe, mas a Ser verdade o que está está no site das Finanças http://info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyres/5AFBA461-CCBD-4244-83F7-1D8D5AEF4463/0/ComunicacaoIECR.pdf já vem tarde. Também não sei se é o caso, mas aqueles nossos "colegas" que fazem as belas ferramentas para alterar softwares, não só vão contra todo o propósito da Certificação e roubar o estado, como ainda por cima gozam com todos nós que andamos há 4 anos a esta parte a "arrancar cabelos" para ter os softwares todos de acordo com os requisitos. A ser verdade, é bom que se faça justiça !!!
  40. 4 points
    E já que aqui estamos "à vontade", quero dizer desde já que, para mim, o melhor projecto de programação de sempre, é sem dúvida o MAME (Multi Arcade Machine Emulator), que para além de ser uma obra prima de código, criou um movimento sem precedentes para guardar para a posteridade toda a indústria de jogos ARCADE que foram feitos... através do acesso ás ROMS originais das máquinas... (chamem-lhe pirataria, whatever!!! as gerações passadas, presentes e futuras agradecem...) o que é de louvar, pois aqui não há nada excepto a pura lógica e gráficos originais. Em meados da década de 90, escrevi isto (vai com erros ortográficos e tudo!) "Um programa que consegue reproduzir o comportamento exacto de um outro sistema ou chip, é obra! Mas eles existem... Se ainda não se apercebeu disso, não sabe o que está a perder... Em 1995 fiquei completamente alucinado ( sem exagero! ) por ter tido acesso a um emulador do Spectrum ( programado por um nosso vizinho espanhol ) que emulava o chip Z80 a 100%, bem como toda a ROM, no qual corriam quase todos os programas... Mas, em 1997, numa das minhas viagens pela net, deparei com algo ainda mais interessante: emuladores para todos os gostos! Claro está que muito desse software tem determinadas limitações, ou encontra-se ainda em fase prematura, principalmente os emuladores de sistemas muito complexos como as consolas de 32 bits. Mas não sejamos pessimistas... quando se tem á disposição emuladores de quase todos os sistemas conhecidos, que correm em PC, e cujo uso é livre, então estamos perante uma autêntica mina de ouro! Bem, depois de muitas noites em claro, e após ter experimentado muitos emuladores, alguns dos quais teimavam em não funcionar, deparei com algo que mudou a minha vida... Não acreditam? Concerteza que quando passavam por um salão de jogos gastavam sempre uns "trocos" nas máquinas, e se nasceram antes de meados da década de 70, de certeza que jogaram os autênticos Invaders, Pac-Man, Phoenix, Moon Cresta, Rally-X, Frogger, Dig-Dug, 1942, Commando, Bomb Jack, Ghosts'n'Goblins... e quantos mais! Quem não adorava aquelas máquinas? Jogos aditivos... cheios de originalidade. Ainda hoje dá jozo jogar... isto é... se os conseguir-mos encontrar... Naquela altura, tal como no tempo do spectrum, o hardware era muito limitado. Mesmo assim, e com o esforço dos programadores de empresas como a NAMCO, THEKAN, SEGA, ATARI, entre muitas outras, eram concebidos jogos com tamanha qualidade ( em todos os sentidos ) que muitos deles continuam imbativeis face ás ultimas novidades neste domínio. Tanto tempo passou, e mesmo hoje, quando me lembro, tenho vontade de ter uma daquelas máquinas em casa! Felizmente existem entre nós algumas pessoas que têm ideias tão sensacionais como juntar o código de alguns emuladores já existentes ( de chips como o Z80 ), efectuar algumas alterações importantes, e desenvolver uma obra prima de programação chamada EMULADOR ARCADE. Todos os jogos arcade que eu citei, para além de muitas dezenas de outros, podem ser executados num PC através de emuladores desenvolvidos por diversos autores. Alguns emulam apenas uma máquina, outros emulam várias. Como se consegue afinal a emulação de um sistema arcade? Mesmo tendo á disposição software de emulação para os principais chips usados nos sistemas mais antigos de arcade, é quase imperativo o uso de alguma electrónica da máquina original. Isto porque, pelo menos as ROM's (ver NOTA) com o código do jogo têm de ser lidas e os seus dados transferidos para uma outra plataforma, neste caso o PC. Uma vez no formato de ficheiro de dados, as ROM's são fácilmente transferidas entre plataformas e usadas pela grande parte dos emuladores. Já sabem o que isto significa... Imaginem o que é jogar no PC as versões ORIGINAIS de todos esses jogos, tal e qual o faziamos há muitos anos atrás nas máquinas de arcade! A sensação é indescritível. É pura adrenalina!" E já agora... as NOTAS! NOTAS "Quero agradecer a todos os autores que participam no desenvolvimento de emuladores, principalmente aos autores do projecto M.A.M.E. ( Multi Arcade Machine Emulator ), um dos melhores, senão o melhor emulador ARCADE existente. Lembro que este tipo de software tem a colaboração de muitos outros programadores, muitos deles pioneiros no desenvolvimento de software de emulação de CHIPS, que é agora usado na criação de emuladores de sistemas completos. Embora quase todo o software de emulação disponível seja de Domínio Público, e a sua utilização seja LIVRE, tanto dos executáveis como do próprio código fonte, o CÓDIGO DAS ROM's de qualquer jogo que possa ser utilizado por estes emuladores ESTÁ PROTEGIDO POR DIREITOS DE AUTOR. Os ficheiros das ROM's não podem ser copiados nem usados, a não ser que quem as use possua uma versão licenciada da referida ROM. Por outras palavras, usar uma dessas ROM's é um delito punido por lei, tal como a pirataria informática o é. Existem arquivos imensos de ROM's disponíveis na Net. O seu uso fica ao critério de cada um."
  41. 4 points
    Já testei e é impossível em delphi. A unica coisa que se consegue obter é as tais string se tiverem menos de 255 caractéres. Mesmo assim, se dividires a string em meia duzia de variáveis, depois ordenas de forma correcta. Também se consegue recuperar, é alguns DFM's, que é a parte visual do EXE, e por sua vêz, os parâmetros dos componetes, mas se os componetes forem programados em código (que é como faço), isso não há hipotese. Não se consegue ver código nenhum. Como sabes, as próprias unit's de uma simple DBGrid, tem melhoramentos, daí ter mais tamanhos. A compilação para iOS e Android, há truques para tornar a aplicação com metade do tamanho, faz um google sobre RTTI. O meu projecto tem perto de 2milhoes de linhas, usa Jedi, Zeus, Crystal, Rave DLL's de Mysql, e os respectivos themes, e coisinhas bonitas. Pesa perto de 38mb, mas estamos a falar em perto de 400 formulários. Não me preocupa o tamanho do EXE, honestamente, as máquinas hoje em dia são optimas para qualquer exe. Além disso, os delphi'ers sabem que ao colocar um componetezeco no form, para testar, se depois nao remover a unit, mesmo que apague o componente, o "peso" da unit vai no EXE...
  42. 4 points
    Mas depois há isto: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/civa_rep/iva39.htm
  43. 4 points
    Viva, Disponibilizo link para o novo certificado de testes, válido até 07/2013. https://dl.dropboxusercontent.com/u/11511484/FICHEIROS.zip Abraço
  44. 4 points
    Eu uso TeamViewer em quase todos os clientes. Se isso reduz os custos de deslocação é certo. Mas a Dor de Cabeça de ter que fazer esta xxxxx e ter que ser advogado / contabilista / programador / etc - o ano inteiro e ainda ouvir bocas do genero - isto está bom é para voces - nem tenho que te falar pois não ? Este ano quase não fiz mais nada do que trabalha para a AT - e se em Janeiro consegui faturar algo, em Julho e em Outubro é melhor nem falares - por causa dos meninos 'deixarem' a possibilidade de usar as versões antigas.
  45. 4 points
    Bem, para além de que com o avançar do tempo estamos sempre a detetar novas situações, eu acho que existe aqui uma evidente falta de informação e esclarecimentos, por parte da AT. Esta, para além da pouca documentação disponibilizada, que claramente é ambígua, não responde às solicitações efetuadas, o que é grave pois ignora quem realmente implementa os requisitos que eles definem. De forma a demonstrarmos a nossa insatisfação, eu acho que deveriamos preparar e uniformizar um texto que, posteriormente, pudesse, por cada um de nós, ser enviado, por email, à AT. Nesse texto: Demonstrariamos o nosso desagrado, Reclamariamos por uma fonte de informação adequada, atempada e precisa, Enumeravamos uma série de pontos a esclarecer. Se fizermos lá chegar uns quantos emails pode ser que nos dêm a atenção devida e lancem uma FAQ com os esclarecimentos aos pontos enumerados. Caso contrário, meus amigos..., estaremos completamente entalados, quer pela AT, quer pelos nossos chefes e quer pelos nossos clientes. Duas semanas não dá margem para planear, desenvolver, testar e distribuir as nossas aplicações. A AT tem de perceber que por detrás de um software está todo um processo de engenharia que não pode/deve ser ignorado só porque são eles a definir os requisitos.
  46. 4 points
    Só uma pequena correcção: são milhares de milhão e não biliões. É um erro extremamente comum na tradução inglês-português. Em português nós temos a unidade milhar de milhão antes do bilião. Em inglês o bilião sucede-se de imediato ao milhão. Há, portanto, um desfasamento a partir do milhão entre as unidades portuguesas e inglesas. O nosso bilião é o trilião inglês.
  47. 4 points
    Não se trata de uma opinião ou não. Regras são regras, e não faz qualquer sentido criar uma secção cujo objectivo principal é explorar alguma área cinza na lei, ou até mesmo violar a mesma. Dado isto, dou este tópico como encerrado. Obrigado pela sugestão.
  48. 4 points
    Isso apenas acontece porque assim o mundo da programação o quer e acha que é uma linguagem fraca, IMO Muito eu aprendo aqui no P@P. Desconhecia por completo que, para programar, era preciso saber coisas como o facto da coalescência das orbitais pi num anel benzénico criar um tal impedimento estereoquímico que é impossível os halogenetos de felino sofrerem uma reacção do tipo SN2... ele há com cada uma...
  49. 4 points
    https://www.youtube.com/embed/FiRZwBX3wZo?feature=oembed
  50. 4 points
    Pode ser por isso, sim. Pode também ser pelo facto de quando sais da porta da tua casa, não controlares o ambiente à tua volta, nem o que vai acontecer. A probabilidade de te acontecer algo que não gostas ou que põe em risco a tua vida é conscientemente grande. E o medo da morte? Nem se fala .. mas tira o sono a muita gente! Ligas a televisão e é só problemas no mundo, vais ao café e não vês um sorriso que não seja de bebedeira ou futebol, abres a carteira e tens de te assegurar que aquilo chega para passares o dia na tua concepção de "descansado". Diferentes culturas, diferentes modos de viver e olhar para o dia-a-dia, mas uma coisa em comum : Medo. É o medo que origina a necessidade de ter tudo à nossa volta controlado dentro dos nossos próprios requisitos. É esse mesmo medo que manipula o nosso pensamento e faz parecer a ideia de ter alguém que nos criou e está sempre connosco para nos ajudar como algo lógico e aceitável. Não existe mais nenhuma entidade criada pelo homem com maior soberania e benevolência que Deus. Deus torna-se assim o objectivo de vida / preces de muita gente mundo. A maior parte das pessoas com que me cruzei na vida, quando lhes perguntei como reagiriam caso soubessem que iam morrer dentro de 6 meses era que iam aproveitar a vida ao máximo. Ora, se sabem que vão morrer num espaço de 100 anos, uns mais outros menos, porque não tentam aproveitar a vida ao máximo agora, e descartam da vossa vida tudo aquilo que não vos ajuda a fazer o que realmente querem ou a serem o que realmente são?
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.