Ir para o conteúdo

Rankings


Conteúdo Popular

A mostrar o conteúdo com mais reputação desde 24-09-2017 em todas as áreas

  1. 2 votos
    A quem interessar (informação enviada pela ASSOFT):
  2. 2 votos
    Podes manter o mesmo ProductCode. No SAF-T colocas a cor, no campo Description (4.1.4.19.11.) Conforme FAQ:
  3. 2 votos
    Na fatura não mencionas IVA. Os valores têm o IVA incluído, mas não é descriminado. A fatura deverá conter a menção "Regime da margem de lucro – Bens em segunda mão". No SAF-T o TaxCode deverá ser "OUT", o TaxPercentage "0.00" e o Motivo M13 - Regime da margem de lucro – Bens em segunda mão.
  4. 1 voto
    Essa questão é recorrente, mas não tem uma resposta certa, tem sim é uma decisão que se toma de acordo com cada caso. Cada uma das estratégias tem vantagens e desvantagens. Se guardares na BD, ficas com todos os teus dados num só local. Acabas por engordar a base de dados e colocar-lhe mais trabalho/carga uma vez que para te ler uma imagem de, por exemplo 1MB, essa informação tem de passar desde "os bits que estão no disco" até à aplicação (seja desktop ou browser) e pelo caminho passam pelo sistema operativo, pela base de dados, pela rede, etc.. Se guardares no SO, ficas com a informação espalhada em dois tipos de repositório diferentes: base de dados e sistema de ficheiros. Servir um ficheiro que está ao nível do SO é mais "simples e rápido" uma vez que para passar "os bits que estão no disco" até à aplicação elimina-se toda a questão da base de dados e da sua comunicação com o SO e com a aplicação que vai receber o ficheiro. Eu prefiro guardar os ficheiros ao nível do SO e guardar na BD apenas as referências para o mesmos. Mas, como te disse, não há uma resposta certa para isto, há apenas uma escolha que se faz derivada de uma análise que é feita caso a caso.
  5. 1 voto
    Nada disso! Suponho que utilizas RDBMS. O teu objetivo para melhorares o desempenho da base de dados resume-se basicamente em indexar o máximo de campos possíveis. Guarda as fotos em pastas e passa por elas programas de compressão (imagemagick por exemplo) Cumprimentos, Gamemaster
  6. 1 voto
    O teu problema é muito simples, e a razão dele é porque ainda não estás habituado a abordar um problema na filosofia "divide to conquer". Olhando para a função que apresentas, o que vejo é uma função que faz tudo, e não uma função que faz somente uma única coisa : verificar se um número é primo. Se eu dividir o teu código como deve ser, achas que consegues completar o teu exercício ? unsigned int pedirUmValor() { unsigned int n; do { printf("Digite 1 numero:"); fflush(stdout); fflush(stdin); } while (!scanf(" %u", &n)); return n; } int validarPrimo(unsigned int n) { int div = 0; for(i = 1; i <= n; i++) { if(n % i ==0) div++; } return div > 2; } void main() { unsigned int u; u = pedirUmValor(); printf("O numero %d%se primo", u, validarPrimo(u) ? " " : " nao "); }
  7. 1 voto
    Boas, Não sei qual a melhor opção, e porque dizes que colocar a foto na base de dados faria cair muito o desempenho do programa? Eu pessoalmente prefiro trabalhar com as imagens na base de dados, nunca trabalhei com eles em pastas mas creio ser mais susceptível a erros ou falhas nos caminhos etc.. Eu prefiro te-las na base de dados, no entanto não sei se é a opção mais eficaz.
  8. 1 voto
    n.º 6 do artigo 36.º do CIVA "As guias ou notas de devolução e outros documentos retificativos de faturas devem conter, além da data e numeração sequencial, os elementos a que se refere a alínea a) do número anterior, bem como a referência à fatura a que respeitam e as menções desta que são objeto de alterações" E encontras essa directiva no Ofício circulado 30141/2013: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/NR/rdonlyres/B598C8EA-162D-43FC-88D8-887B71B9E188/0/30141_2013.pdf "[...] contenham os elementos a que se refere o n.º 6 do artigo 36.º, dos quais se realça a referência à fatura a que respeitam [...]"
  9. 1 voto
    Tens de usar MDI. Vê aqui: http://www.macoratti.net/09/08/c_mdi1.htm
  10. 1 voto
    O que queres dizer por "recriar o windows server"? É que se é para recriares o sistema operativo então o teu problema é o código. Se é para recriares o gui o teu problema continua a ser o código porque isso não é tão simples quando parece inicialmente. Mas sim, fazes com panels, picture box e botões.
  11. 1 voto
    Creio que então o melhor será não misturares as coisas. Ou seja, o que tens para as máquinas, histórico, controlo, etc. deixa estar como está e cria outra estrutura para controlar esse material novo. Com as coisas separadas torna-se mais fácil de gerir cada tipo de item e não tens de te preocupar com o impacto de alterações futuras, uma vez que "cada macaco fica no seu galho". Posto isto, para a "nova situação do material", a abordagem que referi continua totalmente válida (e acredito que até seja a melhor). A dificuldade que estás a ter na criação da interface (pelo menos em parte) provém precisamente do facto de não teres um modelo claro, simples e compreensível. Ou seja, a complexidade que estás a criar pelo facto de tentares colocar itens individuais como um conjunto está a ser transmitida para a interface. Repara que se tiveres itens individuais, como expliquei na minha abordagem, até te simplifica a interface. Se queres trocar 5 réguas de alumínio de um local para outro, basta teres uma lista com checkbox (eventualmente com botões de "select all"/"deselect all" e uma ação de "mover para" onde escolhes o local. É simples aplicares a atualização aos registos escolhidos. Ficas sempre com a informação atualizada ao nível individual e até te permite criares um histórico.
  12. 1 voto
    O GDG DevFest Lisboa'17 é um evento promovido pela Google Developers Group e Women Techmakers Lisboa, que decorrerá nos dias 10 e 11 de Novembro, no Fórum Telecom, em Picoas. Esta conferência Google, enquadra-se na DevFest Season, que ocorre de 1 de a Agosto a 30 de Novembro, em mais de 100 países. No entanto, cada DevFest é único - adapta-se à comunidade local ou nacional, podendo ter os mais variados formados. Pretendendo acolher 300 participantes, o primeiro dia (10) irá contar com um debate sobre Inteligência Artificial (IA), ao qual convidamos um painel de diversos especialistas para discutir o que realmente a IA é capaz, o presente e o futuro, e que implicações está a ter na sociedade. Numa época em que se fala de uma nova revolução de IA, onde até a Google refere que deixará de ser falado no termo “Mobile First” mas de “Artificial Intelligence First”, será debatido o impacto que tem e terá na nossa sociedade. O segundo dia (11) irá adoptar o formato de conferência - iremos contar com workshops, espaço de networking, sorteios e talks sobre os mais variados temas, com Google Developers Experts e oradores nacionais e internacionais, distribuídos em 2 tracks em simultâneo - Desenvolvimento e Non-Tech / Business - desde Android, Web, Design. O DevFest’17 dará também ênfase a temas como a diversidade e inclusão na tecnologia, procurando ser um evento promotor da igualdade de género, pretendendo também contribuir para a mudança de mentalidades e efectivação do mainstreaming de género. O bilhete desta conferência terá um valor simbólico, que será inteiramente doado à Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres. Mais Informação Site/Tickets: devfest.gdglisbon.xyz Facebook: /GDGLisbon | /WTMLisboa Twitter: @GDGLisbon Meetup (eventos): /GDGLisboa Email: lisbon.gdg@gmail.com
  13. 1 voto
    Para mim, as alterações de morada, nome ou qualquer outra informação aplicam-se apenas à ficha de cliente. No entanto, ao exportar o SAF-T, não exporto o que está na ficha do cliente, mas sim a informação que ele tinha à data da transacção. Por outras palavras, faço uma espécie de snapshop da info do cliente a cada documento emitido. Ocupa mais na DB, mas é garantido que cada documento tem sempre os dados correctos.
  14. 1 voto
    Boas. Se cada unidade é única, então a quantidade é, na verdade, algo fictício. Passo a explicar. Ou tens um produto que é todo igual e tens quantidades deles, ou tens vários produtos que, embora podendo ser da mesma família, são todos diferentes. Posto isto, parece-me que tens vários produtos que são todos diferentes. Para resolveres esta questão, creio que a melhor forma é teres o clássico "família de produto" e "produto" em que cada produto é único e pertence a uma família e a "quantidade de produtos" é determinada pela quantidade de produtos que existe em cada família. Exemplo: Famílias: Chave de Parafusos, Martelo Produto: Chave de Parafusos A, pertence à família Chave de Parafusos Produto: Chave de Parafusos B, pertence à família Chave de Parafusos Produto: Martelo, pertence à família Martelo Produto: Chave de Parafusos C, pertence à família Chave de Parafusos Neste exemplo tens 1 Martelo e 3 Chaves de Parafusos, mas todas diferentes/únicas entre si. No teu caso particular, creio que antes das "Máquinas e Equipamentos" devias ter "Família" (ou o titulo que entenderes) e depois as "Máquinas e Equipamentos" seriam os produtos.
  15. 1 voto
    Fizeste quase tudo bem... Mas: O 555555555.cer que a AT te mandou é só é apenas para gerares o PFX. Uma vez criado, só precisas do novo 555555555.pfx e do ChavePublicaAT.cer. Não substituas este pelo 555555555.cer, pois nunca irá funcionar.
  16. 1 voto
    Foi o @abrito que disponibilizou em tempos esse ficheiro. Eu não o tenho. De qualquer forma, também já me livrei da CapiCOM entretanto. Se quiseres podes consultar o código aqui: https://github.com/nunopicado/AtWS
  17. 1 voto
    Um Bem Aja miglaranjeira Acabei por resolver a situação com "butSair.PerformClick()" pelo menos não tem aparecido o erro Private Sub DataGridView1_CellDoubleClick(sender As Object, e As DataGridViewCellEventArgs) Handles DataGridView1.CellDoubleClick Dim msg As String Dim title As String Dim style As MsgBoxStyle Dim response As MsgBoxResult msg = "Pretende Alterar Algum Valor da Linha" ' Define message. style = MsgBoxStyle.DefaultButton2 Or _ MsgBoxStyle.Critical Or MsgBoxStyle.YesNo title = "Alterar Algum Valor da Linha" ' Define title. ' Display message. response = MsgBox(msg, style, title) If response = MsgBoxResult.Yes Then 'Obtem o valor de Id e coloca-o no Form1 BuscaTexto ' Form1.Label6.Text = (DataGridView1.Rows(e.RowIndex).Cells(0).Value) Form1.BuscaTexto.Text = (DataGridView1.Rows(e.RowIndex).Cells(0).Value.ToString) End If butSair.PerformClick() End Sub
  18. 1 voto
    Boa tarde! Já tentou remover o replace? Ficando assim.: txtChange.Text = Format((Val(txtCash.Text) - Val(txtTA.Text)), "0.00")
  19. 1 voto
    txtChange.Text = Format(Val(txtCash.Text.Replace(",", ".")) - Val(txtTA.Text.Replace(",", ".")), "0.00")
  20. 1 voto
    AT Validator is BUGGY :\ You get what you see. About the errors on the XSD, AT uses XSD 1.1, and if you're using a 1.0 version EDITOR / COMPILER / ETC, you will have errors. I can give you my EDITED XSD that has no errors and it's compatible with XSD 1.0 spec: https://www.dropbox.com/s/4zv2cq97aox2k7e/SAFTPT1.04_01_XSD1.0.rar?dl=1
  21. 1 voto
    Boas tardes, Como a informação ainda está fresca, pois certifiquei um software de facturação em setembro último, podemos ver no Despacho n.º 8632/2014 o seguinte Adianto ainda que a AT está a estudar um método para que a séries sejam registadas no seu site (AT) antes de poderem ser usadas, e uma vez registadas terão de aparecer nos SAFTs. Parece que há por aí uns quantos que andam a apagar séries inteiras...Aparentemente será para isso que serve o ATCUD. Mas isto é apenas um zum-zum e ainda não se sabe o que vai sair dali. Mas vai doer...Mudar de série não será tão fácil....
  22. 1 voto
    se é para fazer trabalhos académicos, ficas bem servido com o CLion
  23. 1 voto
    Boas, Claro que tem, Basta entrar com os seus dados pessoais de acesso ao portal e para validar dá perfeitamente, submeter é que não como é óbvio. Já validei muitos com o meu nif.
  24. 1 voto
    O valor do IVA no SAF-T da faturação é zero. Daí termos de indicar o motivo da "isenção".
  25. 1 voto
    O IVA dos bens em segunda mão é cobrado sobre a margem. Por exemplo. Compro um carro por 1000. Vendo por 1500. O IVA está incluído na margem de 500, será 500-500/1.23=94.5. O valor do IVA no regime da margem é "oculto". O cliente nunca fica a saber quanto foi a margem. Este IVA nunca é dedutível pelo cliente. O valor do IVA é apurado na contabilidade. O comerciante, por cada produto, deve manter um registo dos custos de aquisição e preparação para a venda (reparações, etc), de modo a poder apurar a margem. Se a margem for negativa ou nula, nem sequer há IVA.
  26. 1 voto
    Boas Procuro grupo ou pessoa interessada em começar um projeto de um Jogo 2D. Trata se de um MMORPG on-line pvp. Será com base em um jogo existente (Rucoy) é um jogo pequeno mas complexo em termos de programação. Serão utilizadas Sprites existente na Unitystore para a criação do mapa, itens e monstros, assim como efeitos. A interface do jogo será bem simples, hp bar e mana bar a esquerda (opções potions) e 2 magias do lado direito ( interfaces transparentes apenas com símbolo da magia) Opções na parte superior como definições, informações de personagens, BP etc. O mapa também será pequeno. Máximo 18 respawns de monstros 5 casas e 5 npcs Seria ideal para um programador que já tivesse uma certa "experiência" em jogos de RPG Poderei pagar pelo projecto feito chave na mão ou se preferir em parcelas conforme a criançao.
  27. 1 voto
    Bom dia, A aplicação foi desenvolvida por mim em C++. Infelizmente não posso disponibilizar o código, pois foi feita para ume entidade empregadora e o contracto é claro, não posso em momento algum publicar, utilizar, ou de outra forma tornar acessivel, o código desenvolvido. Sei como o fazer novamente, sem utilizar codigo do que já fiz, pois nem sequer guardei cópia para mim e posso dar alguma ajuda a fazer uma aplicação semelhante, preferencialmente open-source. Infelizmente o tempo não me abunda de momento, pelo que apenas poderei dar alguma ajuda e não fazer tudo, pelo menos para já. A questão do auth é simples: obter um cartão de telemóvel com o mesmo numero de telemóvel de outro cartão, não é impossivel, é uma questão de "engenho e arte", por isso na implementação que fiz, ele autentica pelo numero e por uma string de caracteres (auth) que só é conhecida pelo servidor e pela pessoa que o controla. Cordiais cumprimentos, Apocsantos
  28. 1 voto

    Versão

    2956 downloads

    Universidade do Minho Programação Orientada aos Objectos Autor: Professor F. Mário Martins Conteúdo O Paradigma da Programação por Objectos JAVA: Tecnologia e Introdução à Linguagem Classes e Instâncias Blue J Hierarquia de Classes e Herança Classes Abstractas Interfaces Colecções e Tipos Parametrizados
×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade