Jump to content

Leaderboard

  1. CrominhO

    CrominhO

    Member


    • Points

      10

    • Content Count

      1,505


  2. desconfiado

    desconfiado

    Member


    • Points

      8

    • Content Count

      371


  3. marcolopes

    marcolopes

    Member


    • Points

      7

    • Content Count

      1,640


  4. hferreira

    hferreira

    Member


    • Points

      5

    • Content Count

      29


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 05/21/2021 in all areas

  1. Já resolvi todos os meus problemas com esta primeira integração com a AT (deixo os meus comentários para que futuros programadores não tenham de passar pelo mesmo): - Fiz testes em ambiente real (anulando posteriormente os documentos), pelo que li em muitos comentários deste post já longo, este é o modo operandis, pois o ambiente de testes é tudo menos um ambiente, que embora até consiga funcionar de vez em quando para alguns dos serviços, não funciona para muitos outros; - Borrifei-me para a v2 que altera da data encriptada para a data em aberto com a adição de uma nova chave encrip
    5 points
  2. Pessoal deixem-me só dizer duas coisas; 1º tanto quanto sei, a menos que tenha alterado alguma coisa desde 2012 nesse sentido, não é possível uma Software House ser Broker, ou melhor é possível, não pode é ser Broker do seu próprio software... Portanto não se levanta a questão de "Broker dentro de Portas"... Tentamos isso em 2012 ou 2013 para um cliente nosso, e foi-nos negado... isto na FE claro. 2º tenho ouvido muita gente a falar de ligações ás toneladas de Brokers. Portanto nós que já cá andamos há 5, 10, 15 anos, vamos mais uma vez competir entre nós, chamando a nós a responsa
    4 points
  3. Olá Ana, O ctime retorna um ponteiro para uma string static, nome precisa de ser char *. Mas aconselho-te já a evitares usar o ctime neste exemplo: Não tens controlo do formato que é sempre: "Www Mmm dd hh:mm:ss yyyy\n" Os carateres ':' e '\n' são proibidos em filenames em windows (':' em mac), mas mesmo em linux que suporta ambos, é mau gosto usares o '\n'. Aconselho-te vivamente a usares strftime, por poderes controlar o formato que melhor desejares. Tens aqui um exemplo de como obter a mesma informação com esta função: time_t ddh = time(NULL); struct tm * tm = l
    2 points
  4. @Sergio.desculpa lá, mas não consigo perceber. E não é as questões que o @marcolopes ou o @desconfiado levantaram, é mesmo a questão que tu levantaste. Ainda há 2 dias escrevi (lá em cima) que em 2012 já tinha clientes com o EDI. E ando perdido, como imagino que maior parte dos colegas aqui no fórum. Ora tu chegas e dizes (e bem.... Não vou discutir tecnicidades) que existem integradores EDI que entregam em qualquer local, só temos de facultar os dados dos nossos clientes, que portanto não nos devemos preocupar com o facto de fazer ligações a N brokers, mas depois não defines, nã
    2 points
  5. Exactamente! um programa de 3 meses... Espero que seja para repetir... porque caso contrário será um desperdício...
    2 points
  6. Tal como tu eu também desenvolvi, e está a funcionar, um sistema por chamada através de command-line com argumentos. Mas estive a pensar (faço muito isso) e cheguei á conclusão que talvez seja mais eficaz um sistema centralizado. Enumero as vantagens que considero: Logs centralizados sem BDs. Programa de comunicação instalado em apenas 1 posto. Independência total da aplicação de facturação. Desvantagens: Questão da assinatura se necessitarem do PDF assinado para enviar directamente via email. Mas isto também pode ser feito pelo programa de comunicação. Eventu
    2 points
  7. Fazer o XML formato UBL 2.1, schematron CIUS-PT, é um facto incontornável e a usa exigencia é uma questão de tempo. Do meu lado já está feito, e validado com o validador da espap. Fazer a comunicação com este ou aquele broker parece-me tempo perdido, pelo menos por enquanto, porque pode até nunca vir a ser exigido. Com a espap, ainda estou a ponderar. O prazo está a encurtar, mas como já é hábito, nos ultimos dias voltam a adiar, e por vezes com alterações que mudam todo o panorama. Eu, por mim, vou aguardar mais uns dias.
    2 points
  8. Como é obvio Sérgio, estamos cerca de 3.000 empresa a competir uns com os outros, para poupar trabalho a cerca de 20 brokers de não competirem entre eles, quando o nosso dever era informar os clientes do que se está a passar, para que eles (nossos clientes) pressionassem os Brokers. Mas vivemos em Portugal, e sabemos que é assim. Não vês que há um ano alguém falou nisso (já não me lembro quem) e ninguém respondeu, nem eu próprio. Entretanto há uma semana falei sobre isso e apenas tu respondeste.... Portanto o mais certo, é continuar tudo igual, andarmos a competir entre nós, ver qual é o
    2 points
  9. Gatunos é o nome que se dá a esta gente. Mas o povo gosta é disto. Eu sei isto não é assunto para aqui mas a verdade é para ser dita.
    2 points
  10. Boas pessoal, Estava a ter problemas com os certificados. Só queria dizer a todos que consegui obter os certificados através da seguinte pesquisa: https://sitfiscal.portaldasfinancas.gov.pt/geral/search?query=testes&appName=pfapp e fui ao separador "Informação" e procurei o item "Certificado_testes". Usando os certificados que aparecem nessa página, já consegui estabelecer ligação ao endpoint de testes. Link direto para obter os certificados: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/apoio_contribuinte/Documents/Certificado_testes.zip (para conseguirem descarregar não podem carregar n
    2 points
  11. Não existe um "comando" que faça a percentagem de votos. Isso é calculado matematicamente, cuja fórmula terás de traduzir para código. Dados n candidatos, onde cada candidato teve v votos, a percentagem de votos de cada candidato é dada por v / n * 100. function percentagem(votos, n : integer) : real; begin percentagem := votos / n * 100; end; Cumprimentos.
    1 point
  12. Pessoal, já por diversas vezes foi dito aqui no canal que o ambiente de testes tem estado com problemas. Imagino, que a preocupação da AT e com razão, seja sempre a produção como prioridade. Não estou a dizer que seja o v/ caso, mas como falam em ambiente de testes, é sempre de desconfiar. E se for esse o caso, no meu caso (passo a redundância), é muito simples. Desenvolvo em Testes, Aponto para Produção com um documento já emitido. Se ele me devolver "Documento já introduzido", é porque o Erro é do ambiente de Testes, o que já aconteceu dezenas de vezes para não dizer mais. BTW, s
    1 point
  13. Viva, Pelo que percebi, os ciclos nos delays executam até o COUNT ser 256 (ou 0 depois do overflow de 8-bit), o que ainda não percebi, foi a relação da quantidade de loops por cada delay: DELAY20: 223 a 256, 33 loops DELAY9: 240 a 256, 16 loops DELAY3: 249 a 256, 7 loops Quando perceberes essa relação, diria que tens a solução Entretanto, também podes considerar usar o DECFSZ (em vez do INCFSZ) para não teres de trabalhar com números negativos (ou overflows de 8bits, two's complement) btw, estou a escrever no telemóvel, pode não estar o mais be
    1 point
  14. Lendo a Portaria n.º 119/2021 (de 7 de Junho) surgiu-me uma pequena dúvida: a duração do programa IVAucher é só até 31 de Dezembro de 2021? Ou seja, tanta festa, tanta publicidade, um contrato de 5.623.560 euros e depois só entram as despesas de 3 meses (Junho a Agosto) cujo crédito tem de ser utilizado entre Outubro e Dezembro? É isto o IVAucher ou percebi mal?
    1 point
  15. O meu pensamento também... pelo menos aguardar até novas movimentações no panorama das "comunicações" automáticas.
    1 point
  16. Peço desculpa a todos e em especial ao @marcolopes e ao @desconfiado ,li mal, expressei-me mal 😕 e induzi em erro, tudo junto 😕 ... Muito trabalho amigos, muito trabalho. Se o Cliente enviar o XML e o PDF em separado. O mesmo não pode ir assinado (XML). (Como é obvio, porque senão depois não podem anexar o PDF porque o XML está "truncado"), se o XML não vier assinado, é possível enviar em separado. (e penso, não me é dito, que eles, "embrulhem" o PDF em B64 dentro do XML e depois assinem). Primeira coisa a fazer quando erro, pedir desculpa e corrigir, não foi a primeira, e e
    1 point
  17. Boa Tarde, Esta assunto tem merecido da minha parte uma leitura assídua. Acho que alguém já falou no que vou falar com outra abordagem, mas ... A nossa obrigação como empresa de software não é desenvolver o "ficheiro" XML de acordo com as novas normas? Os clientes em que nós trabalhamos com EDI não temos as questões de envio. Colocamos os dados numa pasta que a empresa/"broker" do EDI trata do resto. Não vejo nem entendo porque a questão do XML não deve ser feita da mesma forma. Até podia entender se houvesse uma só forma de comunicar como é o caso das guias de transpo
    1 point
  18. A mim não me disseram nada em relação a assinatura do PDF. Mas o facto de o XML ser assinado não significa que não possa ser extraído o PDF e alterado por alguém. PS: A verdade em relação á Saphety é que, apesar de já ter desenvolvido a comunicação com eles, não gosto muito da forma de trabalharem. Primeiro disseram-me que comunicavam com todos, depois já não comunicavam com todos, finalmente vieram com a história que afinal têm 2 soluções, a solução SIN que neste momento não comunica com ninguém (preveem comunicar mais para o final do ano(?)) e a solução SaphetyDoc (esta nem
    1 point
  19. A inclusão do anexo apesar de não ser obrigatório na norma, penso que será obrigatório na comunicação com o broker e clientes finais.
    1 point
  20. https://www.ivaucher.pt/Landing/Terms https://www.base.gov.pt/Base4/pt/detalhe/?type=contratos&id=7639564 Data do contrato 27-04-2021 Preço contratual 5.623.560,00 € Prazo de execução 250 dias https://www.youtube.com/watch?v=oASyy_lgV84&ab_channel=SaltPayPortugal Qualquer comentário sobre o preço de adjudicação é IMEDIATAMENTE REMOVIDO deste video promocional! 😄
    1 point
  21. Já pensaste talvez em perguntar ao teu professor por orientações? Eles por norma tentam ajudar quando ajuda é requisitada. Também sem código não te podemos ajudar eu, bem como outros membros da comunidade, não vão fazer o trabalho por ti. Isto dito deixo aqui alguns links para ajudar Stack implementation using array, push, pop and display in C Stack in C/C++ – Master the LIFO Concepts in Less Than 4 Mins LIFO (Last-In-First-Out) approach in Programming
    1 point
  22. Acontece-me exatamente o mesmo, quando tento validar o mesmo é validado, e quando tento enviar pelo site funciona tudo bem. Também já verifiquei e confirmei os PT no NIF tanto da empresa emissora como do cliente.
    1 point
  23. https://eco.sapo.pt/2021/05/29/isto-e-tudo-o-que-precisa-saber-sobre-o-ivaucher/ EM resumo, A AT pensou bem... quer passar o processo para o lado dos operadores de PAGAMENTOS! O operador de PAGAMENTOS: - Credita 100% do valor da compra na conta do comerciante - Debita 50% do valor da compra na conta do cliente - Debita 50% do valor da compra na conta do estado! TOP! Caso a SIBS adira (e vai ter de aderir, senão será o caos!) não haverá necessidade de alteração de software... Se a SIBS não aderir então o sistema vai ser um FLOP TOTAL! (nesse caso, ou o
    1 point
  24. É verdade que nós os informáticos nem sempre estamos de acordo, apesar do que alguns possam pensar eu pessoalmente acho isso muito importante, pois é da diferencia que sai as melhoras soluções. O comentário do @CrominhOnão só faz todo o sentido como acho que devia ser sempre desta forma....infelizmente não existe nem sindicato nem organismo que nos defenda....em tempos falou-se na ASSOFT, mas basta ver a composição dos seus accionistas para entender que não será por ai. Acho que a maioria das pequenas e medias empresas ( as grandes já usam EDI à muito tempo) ainda não entenderam o q
    1 point
  25. Mas a ideia é a seguinte: Pagar por pagar, porque não usar um broker para tudo?? Há grandes empresas a fazer exactamente isso! Não estão a implementar um sistema de CONTRATO de FE, e posteriormente uma gestão de envio de documentos com ASSINATURA + PROVA de ENTREGA, e ainda o ARQUIVO documental (tudo de acordo com a lei - não é só enviar um EMAIL ao cliente...) A ideia é usar o mesmo broker para FE e FE-AP... o broker trata de tudo! Assina o PDF embebido no CIUS-PT (que será sempre o modelo de comunicação com o broker), envia o email aos clientes, trata de gravar a PROVA de ENTREGA (
    1 point
  26. Comecei a ler o contrato que me enviaram, parei na 3ª cláusula: Ri durante uns minutos, fechei o documento e nunca mais pensei nisso
    1 point
  27. Imagino a "luta", porque eu li toda a documentação técnica e sinceramente, não vale a pena! Aliás, eu desafio a AMA a "mostrar" uma implementação "client" para provar o conceito!!!
    1 point
  28. Sim, é isso. Aliás, há quem seja de opinião que, como os webservices só dão para comunicar Faturas e DT's, por causa dos restantes documentos: Recibos, Faturas-Proforma, Orçamentos, Consultas de Mesa, etc. o SAF-T deve ser entregue na mesma, sempre que houver algum deles.
    1 point
  29. Como diz o @M6 são ficheiros de texto, e neles irás sempre ter as variáveis legíveis. Agora existem algumas maneiras de usares variáveis e não serem conhecidas para outros programadores, no entanto sem o contexto da tua necessidade de esconder o ficheiro não é fácil aconselhar, mas ficam as dicas Se tens acesso ao webserver (desenvolvimento local) podes passar variáveis de ambiente # Exemplo no Apache SetEnv ENV_PASSWD Password!1 Neste caso terás depois de carregar a variável com $passwd = getenv('ENV_PASSWD'); Pod
    1 point
  30. https://we.tl/t-67SHHNGE6Y
    1 point
  31. Boas @snsz Aqui está um CIUS-PT válido para uma fatura com desconto global: E aqui uma fatura com desconto na linha de um artigo: Se mais alguém tiver dúvidas com este formato, apitem
    1 point
  32. Partilho abaixo o código completo para comunicar com os serviços Saphety para quem precisar. A documentação é publica por isso não deve haver problema e com certeza muito pessoal agradece. Visto que existem vários brokers, para já estou a desenvolver para 2, saphety e espap, eu optei por criar uma interface com o essencial e derivar a partir dai para qualquer broker. No entanto quem quiser pode retirar a interface e usar apenas a classe. using System; using System.Collections.Generic; using System.Diagnostics; using System.Globalization; using System.IO; using System.Linq; using Syste
    1 point
  33. Já estive a analisar os requisitos e alguns não me agradam: - a ideia de o utilizador ter de fazer o login no programa com o Cartão do Cidadão ou Chave móvel, mesmo que não vá fazer faturas ??? falta esclarecer ... - o programa fica sujeito a uma verificação (tipo certificação) antes de poder usar ...
    1 point
  34. Os webservices e endpoints utilizados pela espap podem ser consultados através do swagger aqui Swagger UI . São públicos mas para testar é necessário ter credenciais. Pelo menos dá para consultar os webservices utilizados. O manual de comunicação também é publico (penso eu) e pode ser obtido aqui Guia Transmissao Documentos Eletronicos Solucao FE-AP. Claro que para conseguir desenvolver têm que ter um cliente, fornecedor de alguma entidade publica, que faça o registo na eSpap e forneça as credenciais. Aqui é que a eSpap falha. Deveria ser possivel ás software-house
    1 point
  35. De um modo geral, recomendo sistemas Unix para programação. É claro que tudo depende da área (por exemplo, .Net em Unix provavelmente não é boa ideia, assim como Swift/iOS/Mac em Window ou Linux também não funciona lá muito bem). Mas há um enorme conjunto de ferramentas de linha de comando e software de servidores que são mais fáceis de usar em sistemas Unix (idealmente Linux), e que evitam que se encontrem certos corner cases que nos fazem perder horas no Google há procura da configuração/permissão que é preciso ajustar para que as coisas funcionem (nisto diria que se tem Window < MacOS
    1 point
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.