Ir para o conteúdo
Imperador_Alien

Slackware no mercado de trabalho e empregadores

Mensagens Recomendadas

Imperador_Alien

Existe razão de aprender Slackware para conseguir emprego?

Qual é a opinião dos empregadores sobre Slackware?

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Imperador_Alien
2 horas atrás, Rui Carlos disse:

Não.

O Slackware está longe de ser uma distribuição empresarial comum.

Olá Rui Carlos,

Porque o Slackware está longe de ser uma distribuição empresarial comum?

Qual é a opinião dos empregadores sobre Slackware?

 

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos

Porque razão achas que o Slackware em particular, de entre todos os sistemas Unix existentes, devia ser usado a nível empresarial?  Que características do Slackware te parecem importantes para utilizações empresariais?

Grande parte dos empregadores ou nunca ouviu falar do Slackware, ou não quer saber do Slackware para nada (em Portugal suspeito que estes dois grupos incluem perto de 100% dos empregadores).  E isto aplica-se a muitos outros sistemas Unix.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Imperador_Alien
6 horas atrás, Rui Carlos disse:

Porque razão achas que o Slackware em particular, de entre todos os sistemas Unix existentes, devia ser usado a nível empresarial?  Que características do Slackware te parecem importantes para utilizações empresariais?

Grande parte dos empregadores ou nunca ouviu falar do Slackware, ou não quer saber do Slackware para nada (em Portugal suspeito que estes dois grupos incluem perto de 100% dos empregadores).  E isto aplica-se a muitos outros sistemas Unix.

Rui Carlos,

Eu não disse que eu acho que o Slackware em particular, de entre todos os sistemas Unix existentes, devia ser usado a nível empresarial, eu fiz as seguintes perguntas sobre o Slackware:

"Existe razão de aprender Slackware para conseguir emprego?

Qual é a opinião dos empregadores sobre Slackware?"

Eu fiz estas perguntas sobre o Slackware porque eu fiquei curioso por causa das seguintes informações que eu recebi sobre o Slackware:

"Existem opiniões distintas.

- Aqueles que usam o Slackware diariamente .

- Aqueles que conhecem o sistema mas não o usam diariamente.

- E aqueles que tem curiosidade e ficam com receio/dúvida de usá-lo.

Com isso nas postagem que sugirem no tópico vão apenas girar em torno do que acabo de citar.

Sugiro que instale e teste o sistema , para tirar conclusões e veja se adapta ao sistema.


A partir do momento que entender como o Slackware funciona , verá a mágica acontecer".

"Após 23 anos na Última Casa Amiga do GNU/Linux, também conhecida como Slackware, eu posso dizer uma coisa: Slackware não é para qualquer pessoa, ele é para pessoas alfabetizadas. Sim, estou chamando de analfabeto qualquer pessoa que responda "não" à pergunta "vale a pena usar o Slack?"

 Vamos aos meus pontos:

 - Slackware não tem gerenciador de serviços
 Afirmar isso é de um desconhecimento absurdo. O gerenciador de serviços do Slackware é o bom e velho BSD-like init system, que funciona desde seus primórdios como uma série de shell scripts. Pode não ser o mais rápido do planeta, mas é estável, seguro e fácil de gerenciar.

 - Slackware não tem gerenciador de pacotes
 Ignorância pura. Ele tem o pkgtool e o slackpkg nativos e uma série de gerenciadores de terceiros para a distro. A afirmação correta é "o Slack não gerencia nativamente dependências", e com isso eu concordo. Mas me diga uma coisa: quem usa aí uma distro com GNOME já tentou remover o Totem para ver como vai levar junto até pacotes do Xorg? A grande força e vantagem do Slackware é não ter um gerenciador de dependências, pois assim você instala só o que precisa e remove o que quer.

 - Slackware dá trabalho para manter
 Posso conceder que instalar e configurar um Slackware dá um trabalhinho maior do que de outras distros (mas em minha experiência pessoal só o Debian dá menos trabalho que o Slackware). Mas uma vez montado e configurado, você nunca mais precisa se preocupar com configuração e manutenção.

 - Slackware dá trabalho para instalar coisas
 Realmente, o repositório oficial é bem pequeno: ele se resume ao DVD de instalação e pronto. Qualquer outra coisa que você queira instalar é por compilação, e essa é a graça: você compila o pacote como quer, com as opções e dependências que desejar. Usar um pacote pré-compilado significa usar o programa como outras pessoas decidiram que você teria que usá-lo. Slackware é liberdade de ter o computador do seu jeito - nenhuma outra distro te dá esse nível de controle sobre o computador.

 E é no quesito liberdade que o Slackware se destaca. A principal razão, ao meu ver, para usar o Slack nos nossos dias continua sendo a mesma da época do surgimento da distro, em 1993: liberdade, simplicidade, estabilidade. Paga-se o preço na curva de aprendizado exigida para usar o Slack, mas repito: o Slackware não é para todos, ele é para pessoas alfabetizadas".

 

Porque grande parte dos empregadores ou nunca ouviu falar do Slackware, ou não quer saber do Slackware para nada?

O Slackware em particular, de entre todos os sistemas Unix existentes, deve ser usado a nível empresarial? 

Se não, porque?

O Slackware tem características que parecem importantes para utilizações empresariais?

Se não, porque?

Isto aplica-se a quais sistemas Unix?

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos

O meu objectivo era perceber se tinhas alguma razão para querer usar Slackware, pois eu pessoalmente não vejo nenhuma para preferir Slackware a Gentoo (no caso de querer ser eu a configurar e compilar tudo) ou Debian (no caso de querer tudo o mais automatizado e estável possível).

A nível empresarial CentOS/Red Hat e Debian/Ubuntu devem ser das distribuições mais usadas, pois são as que têm mais suporte de software de terceiros (sim, nas outras distribuições também podes habitualmente compilar o código fonte, o único problema é que a probabilidade de problemas é maior).  Adicionalmente, têm comunidades muito maiores do que o Slackware, o que significa que é mais fácil encontrar profissionais que conheçam a distribuição, é mais fácil encontrar soluções para os nossos problemas na net, e é mais provável que já alguém tenha passado por potenciais bugs (e consequentemente os mesmos já estejam corrigidos).

Citação

Sim, estou chamando de analfabeto qualquer pessoa que responda "não" à pergunta "vale a pena usar o Slack?"

Não é indicado para que propósito é que o autor acha que vale a pena usar Slack, mas diria que esta frase não abona muito a favor da racionalidade dos argumentos do autor.

Citação

Ignorância pura. Ele tem o pkgtool e o slackpkg nativos e uma série de gerenciadores de terceiros para a distro. A afirmação correta é "o Slack não gerencia nativamente dependências", e com isso eu concordo. Mas me diga uma coisa: quem usa aí uma distro com GNOME já tentou remover o Totem para ver como vai levar junto até pacotes do Xorg? A grande força e vantagem do Slackware é não ter um gerenciador de dependências, pois assim você instala só o que precisa e remove o que quer.

Achar que não ter gerenciador de dependências é a vantagem de uma distribuição parece-me um pouco parvo, até porque o Debian, por exemplo, também tem gerenciadores de pacotes que não gerem as dependências (e que podem ser usados em conjunto com os que gerem).

Para dar um exemplo muito simples dos problemas de não ter gestão de dependências, eu costumo instalar o Netatalk a partir do código fonte, para ter acesso à versão mais recente do software.  Para o mesmo funcionar com o macOS, há várias dependências que têm que estar instaladas, mas se não estiverem, a instalação funciona sem problemas, só depois não me consigo ligar ao serviço a partir do macOS.  Resultado, tive que andar a ler e reler a documentação (e tutoriais externos) para ver quais as dependências necessárias e quais os pacotes que as disponibilizam.  E isto por quê?  Porque queria só instalar as dependências que eu precisava, e não toda a lista de dependências do Netatalk.  Para quem não tem mais que fazer isto até pode ser divertido, mas para uma empresa não é nada divertido andar a pagar a administradores de sistemas para perderem tempo com isto.

Eu também sou daquelas que selecciona praticamente todos os pacotes que instala à mão (e que vê as implicações de cada pacote em termos de dependências).  Mas não espero que uma empresa faça o mesmo.

Citação

 Posso conceder que instalar e configurar um Slackware dá um trabalhinho maior do que de outras distros (mas em minha experiência pessoal só o Debian dá menos trabalho que o Slackware). Mas uma vez montado e configurado, você nunca mais precisa se preocupar com configuração e manutenção.

A última frase tende a ser válida para qualquer sistema.  Depois de se automatizar tudo na configuração inicial, mais script, menos script, e a manutenção fica simples.  A diferença é que há distros em que a automatização é fácil de conseguir, e outras em que não é tão fácil.

Para dar mais um exemplo, até o Linux do meu router é fácil de manter.  Tive é que criar uma série de scripts para automatizar várias tarefas.

Citação

Slackware é liberdade de ter o computador do seu jeito - nenhuma outra distro te dá esse nível de controle sobre o computador.

Não conheço nenhuma distro que não permita a instalação do software por código fonte.  Por isso diria que a afirmação citada não é verdadeira (e do que me lembro de Slackware e Gentoo, o Gentoo dava ainda mais controlo sobre o computador do que o Slackware).  A diferença está no tempo que queremos perder a configurar o software, e a estabilidade que pretendemos.  Por norma o software pré-compilado foi mais testado, por isso será muito provavelmente mais estável.  Isto é um ponto essencial em software empresarial.

Se vamos mudar as configurações, significa depois perder tempo a testar os upgrades antes de os aplicar nos sistemas em produção.  Para upgrades de segurança isto facilmente dá asneira!  Isto é, facilmente te aparece um upgrade de segurança que não funciona com as tuas personalizações, o que obriga a atrasar a aplicação do upgrade, e a deixar o sistema inseguro.  E sim, isto pode acontecer mesmo que uses os pacotes dos repositórios oficiais, só é muito menos provável, pois há muito mais gente a testar e a corrigir bugs nos pacotes dos repositórios oficiais do que numa configuração que só tu usas.


Se a tua preocupação é o mercado de trabalho, esta troca de argumentos será muito provavelmente desnecessária.  Procura estatísticas na net.  Pessoalmente não me lembro de alguma vez ter ouvido algum conhecido referir a utilização do Slackware em empresas.  Não quero com isto dizer que o Slackware é mau, ou pior do que todos os outros.  Simplesmente na "amostra" que eu tenho ninguém usa Slackware.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Imperador_Alien
7 horas atrás, Rui Carlos disse:

O meu objectivo era perceber se tinhas alguma razão para querer usar Slackware, pois eu pessoalmente não vejo nenhuma para preferir Slackware a Gentoo (no caso de querer ser eu a configurar e compilar tudo) ou Debian (no caso de querer tudo o mais automatizado e estável possível).

A nível empresarial CentOS/Red Hat e Debian/Ubuntu devem ser das distribuições mais usadas, pois são as que têm mais suporte de software de terceiros (sim, nas outras distribuições também podes habitualmente compilar o código fonte, o único problema é que a probabilidade de problemas é maior).  Adicionalmente, têm comunidades muito maiores do que o Slackware, o que significa que é mais fácil encontrar profissionais que conheçam a distribuição, é mais fácil encontrar soluções para os nossos problemas na net, e é mais provável que já alguém tenha passado por potenciais bugs (e consequentemente os mesmos já estejam corrigidos).

Não é indicado para que propósito é que o autor acha que vale a pena usar Slack, mas diria que esta frase não abona muito a favor da racionalidade dos argumentos do autor.

Achar que não ter gerenciador de dependências é a vantagem de uma distribuição parece-me um pouco parvo, até porque o Debian, por exemplo, também tem gerenciadores de pacotes que não gerem as dependências (e que podem ser usados em conjunto com os que gerem).

Para dar um exemplo muito simples dos problemas de não ter gestão de dependências, eu costumo instalar o Netatalk a partir do código fonte, para ter acesso à versão mais recente do software.  Para o mesmo funcionar com o macOS, há várias dependências que têm que estar instaladas, mas se não estiverem, a instalação funciona sem problemas, só depois não me consigo ligar ao serviço a partir do macOS.  Resultado, tive que andar a ler e reler a documentação (e tutoriais externos) para ver quais as dependências necessárias e quais os pacotes que as disponibilizam.  E isto por quê?  Porque queria só instalar as dependências que eu precisava, e não toda a lista de dependências do Netatalk.  Para quem não tem mais que fazer isto até pode ser divertido, mas para uma empresa não é nada divertido andar a pagar a administradores de sistemas para perderem tempo com isto.

Eu também sou daquelas que selecciona praticamente todos os pacotes que instala à mão (e que vê as implicações de cada pacote em termos de dependências).  Mas não espero que uma empresa faça o mesmo.

A última frase tende a ser válida para qualquer sistema.  Depois de se automatizar tudo na configuração inicial, mais script, menos script, e a manutenção fica simples.  A diferença é que há distros em que a automatização é fácil de conseguir, e outras em que não é tão fácil.

Para dar mais um exemplo, até o Linux do meu router é fácil de manter.  Tive é que criar uma série de scripts para automatizar várias tarefas.

Não conheço nenhuma distro que não permita a instalação do software por código fonte.  Por isso diria que a afirmação citada não é verdadeira (e do que me lembro de Slackware e Gentoo, o Gentoo dava ainda mais controlo sobre o computador do que o Slackware).  A diferença está no tempo que queremos perder a configurar o software, e a estabilidade que pretendemos.  Por norma o software pré-compilado foi mais testado, por isso será muito provavelmente mais estável.  Isto é um ponto essencial em software empresarial.

Se vamos mudar as configurações, significa depois perder tempo a testar os upgrades antes de os aplicar nos sistemas em produção.  Para upgrades de segurança isto facilmente dá asneira!  Isto é, facilmente te aparece um upgrade de segurança que não funciona com as tuas personalizações, o que obriga a atrasar a aplicação do upgrade, e a deixar o sistema inseguro.  E sim, isto pode acontecer mesmo que uses os pacotes dos repositórios oficiais, só é muito menos provável, pois há muito mais gente a testar e a corrigir bugs nos pacotes dos repositórios oficiais do que numa configuração que só tu usas.

 


 

Se a tua preocupação é o mercado de trabalho, esta troca de argumentos será muito provavelmente desnecessária.  Procura estatísticas na net.  Pessoalmente não me lembro de alguma vez ter ouvido algum conhecido referir a utilização do Slackware em empresas.  Não quero com isto dizer que o Slackware é mau, ou pior do que todos os outros.  Simplesmente na "amostra" que eu tenho ninguém usa Slackware.

Eu tentei fazer citações para colocar a minha resposta anterior, mas eu não consegui.

Eu quis dizer que eu fiz perguntas sobre o Slackware porque eu fiquei curioso por causa de informações que eu recebi sobre o Slackware e eu citei aqui neste tópico estas informações, eu não disse que estão corretas estas informações que eu recebi sobre o Slackware.

Editado por Imperador_Alien

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo

Ok, então vamos lá novamente à pergunta colocada inicialmente: a resposta é «não, a maioria das empresas não utiliza Slackware, e não é preciso aprender a utilizá-lo para se conseguir emprego, de longe!».

Não só não é comum falar-se de Slackware no ambiente empresarial como nem sequer faz sentido falar-se de Slackware no ambiente empresarial precisamente pelas características que a distro apresenta. É um sistema pensado para o utilizador singular que quer personalizar o seu sistema na sua máquina para si e apenas para si. Exige muito tempo e trabalho em termos de configuração e não é completamente claro se a relação custo/benefício é favorável a longo prazo.

 

Posto isto, há muitas razões para utilizar Slackware noutros contextos, nem que seja para aprender um pouco mais sobre «as entranhas» de um dos GNU/Linux mais antigos ainda utilizados.

  • Voto 1

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Imperador_Alien
4 horas atrás, pwseo disse:

Ok, então vamos lá novamente à pergunta colocada inicialmente: a resposta é «não, a maioria das empresas não utiliza Slackware, e não é preciso aprender a utilizá-lo para se conseguir emprego, de longe!».

Não só não é comum falar-se de Slackware no ambiente empresarial como nem sequer faz sentido falar-se de Slackware no ambiente empresarial precisamente pelas características que a distro apresenta. É um sistema pensado para o utilizador singular que quer personalizar o seu sistema na sua máquina para si e apenas para si. Exige muito tempo e trabalho em termos de configuração e não é completamente claro se a relação custo/benefício é favorável a longo prazo.

 

Posto isto, há muitas razões para utilizar Slackware noutros contextos, nem que seja para aprender um pouco mais sobre «as entranhas» de um dos GNU/Linux mais antigos ainda utilizados.

Olá pwseo,

Você disse que a maioria das empresas não utiliza Slackware e não é preciso aprender a utilizá-lo para se conseguir emprego, de longe!

Você também disse que não só não é comum falar-se de Slackware no ambiente empresarial como nem sequer faz sentido falar-se de Slackware no ambiente empresarial precisamente pelas características que a distro apresenta.

Se é verdade que nem sequer faz sentido falar-se de Slackware no ambiente empresarial precisamente pelas características que a distro apresenta, porque a minoria das empresas utiliza Slackware?

Se é verdade que não é preciso aprender a utilizá-lo para se conseguir emprego, de longe, porque a minoria das empresas utiliza Slackware?

Você disse que exige muito tempo e trabalho em termos de configuração e não é completamente claro se a relação custo/benefício é favorável a longo prazo.

Porque não é completamente claro se a relação custo/benefício é favorável a longo prazo?

Você disse que há muitas razões para utilizar Slackware noutros contextos, nem que seja para aprender um pouco mais sobre «as entranhas» de um dos GNU/Linux mais antigos ainda utilizados.

Quais são as outras razões para utilizar Slackware noutros contextos?

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo

@Imperador_Alien,

As questões colocadas no último post fazem pouco sentido no contexto do ponto em que este tópico se encontra. "Porque a minoria das empresas utiliza Slackware?" é uma não pergunta, visto que as respostas já foram dadas anteriormente pelo @Rui Carlos. O mesmo para a relação custo/benefício desfavorável e para «as razões para utilizar Slackware noutros contextos» (aprender a utilizar GNU/Linux com menos artifícios, configurar o computador à medida com uma distribuição possivelmente mais leve).

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
M6

Bem, este post mais parece uma defesa de causas perdidas do que uma situação em que se quer mesmo saber se o Slackware tem adoção no ambiente empresarial/profissional.

A questão já foi respondida várias vezes, e é única: não tem adoção no ambiente empresarial/profissional. Mesmo alguns profissionais da área de IT que usam Linux desconhecem Slackware ou já ouviram falar mas nem fazem ideia em que se distingue das outras distribuições. O Slackware é meio "obscuro", quase como o LFS (Linux From Scratch)...

Uma das maiores razões passa pelo suporte (ou a falta dele). As empresas tendem, por razões óbvias, a confiar em distribuições onde conseguem ter contratos de manutenção (preferencialmente com um representante local) e onde seja fácil encontrar profissionais. Reza a lenda de que o Slackware é "one man show", e isso cria um risco muito grande para uma empresa e havendo imensas outras opções, o Slackware dificilmente será uma primeira escolha no mundo empresarial.


10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
KTachyon

Faço do primeiro parágrafo do M6 as minhas palavras, pois foi isso que me pareceu ao ler os primeiros posts do OP.

Não me vou restringir a Portugal, visto que os skills de que se falam neste fórum são aplicáveis a nível global.

Muitos empregadores por esse mundo fora não se interessam pelas preferências de SO dos funcionários. Desses empregadores, um subset não restringe o SO que o funcionário opta por utilizar, desde que seja eficiente no seu trabalho.

Ou seja, se consegues arranjar emprego que te permite utilizar Slackware? Definitivamente. Se tens que procurar muito? É possível. Se vais ser eficiente a realizar o teu trabalho? Cabe-te a ti mostrar que consegues fazê-lo. Isto depois de conseguires arranjar emprego.

Acho que não há muito mais a dizer sobre isto :)

Editado por KTachyon

“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Imperador_Alien
Em 10/06/2018 às 16:06, pwseo disse:

Ok, então vamos lá novamente à pergunta colocada inicialmente: a resposta é «não, a maioria das empresas não utiliza Slackware, e não é preciso aprender a utilizá-lo para se conseguir emprego, de longe!».

Não só não é comum falar-se de Slackware no ambiente empresarial como nem sequer faz sentido falar-se de Slackware no ambiente empresarial precisamente pelas características que a distro apresenta. É um sistema pensado para o utilizador singular que quer personalizar o seu sistema na sua máquina para si e apenas para si. Exige muito tempo e trabalho em termos de configuração e não é completamente claro se a relação custo/benefício é favorável a longo prazo.

 

Posto isto, há muitas razões para utilizar Slackware noutros contextos, nem que seja para aprender um pouco mais sobre «as entranhas» de um dos GNU/Linux mais antigos ainda utilizados.

@KTachyon,   

O Rui Carlos disse neste tópico que o Slackware está longe de ser uma distribuição empresarial comum.

O pwseo disse neste tópico que a maioria das empresas não utiliza Slackware, e não é preciso aprender a utilizá-lo para se conseguir emprego, de longe!

O pwseo também disse neste tópico que:

"Não só não é comum falar-se de Slackware no ambiente empresarial como nem sequer faz sentido falar-se de Slackware no ambiente empresarial precisamente pelas características que a distro apresenta. É um sistema pensado para o utilizador singular que quer personalizar o seu sistema na sua máquina para si e apenas para si. Exige muito tempo e trabalho em termos de configuração e não é completamente claro se a relação custo/benefício é favorável a longo prazo".

O M6 disse que o Slackware não tem adoção no ambiente empresarial/profissional.

@KTachyon, você diz que definitivamente se consegue arranjar emprego que se permite utilizar Slackware.

Existe ou não existe razão de aprender usar Slackware para conseguir emprego?

@KTachyon,

Eu estou curioso sobre como o Rui Carlos, o pwseo e o M6 lhe responderiam a resposta que você postou neste tópico.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
KTachyon

Eu acho que estás a confundir um bocado. Eu não estou a discordar daquilo que o Rui Carlos, o pwseo ou o M6 disseram. Só estou a expor aquilo que podes contar no mercado de trabalho e que muito do que podes contar só depende da tua capacidade.

Por exemplo, podes ser o maior do mundo a usar Slackware, mas se só estiveres à procura de trabalho em Portugal (porque, por exemplo, não dominas a língua inglesa), então a resposta à pergunta do emprego pode passar de “É possível” para “É como encontrar uma agulha num palheiro”.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
M6

No mercado empresarial valoriza-se, essencialmente, Red Hat, Suse e Debian. Obviamente saber Slackware é significativamente melhor do que nem saber o que é o Linux no que toca a conhecimentos profissionais, até porque a passagem entre uns e outros não é assim tão complexo.


10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!

Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.

Entrar Agora

×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Este site usa cookies para disponibilizar funcionalidades personalizadas. Para mais informações visite esta página.