Jump to content
Rui Guimarães

Public money, Public code

Recommended Posts

Rui Guimarães

Olá, gostava de recolher algumas opiniões sobre uma das campanhas da FSFE, cujo relatório* apresenta o seguinte como iniciativa para 2017:

"We want public money to pay for public code, and only public code. Software used by public institutions is acquired, deployed and/or developed with taxpayers' money. Making it available under a Free license to all citizens is just the right thing to do"

É possível obrigar que todo o software feito à medida com dinheiro dos contribuintes seja acessível como software livre? Ainda que possível, é algo positivo? O dinheiro dos contribuintes paga o desenvolvimento de software em universidades, departamentos de saúde, justiça, etc. Deveria tudo isto ser partilhado? Teria algum impacto nas empresas de software que trabalham com departamentos do estado ou seria uma mudança pacífica?


* https://fsfe.org/news/2017/news-20170109-01.en.html

Share this post


Link to post
Share on other sites
jacreis

É possível obrigar que todo o software feito à medida com dinheiro dos contribuintes seja acessível como software livre?

Sim, é apenas uma questão de legislação. Por exemplo desde Agosto de 2016 que 20% dos softwares utilizados pelo Governo Federal dos USA devem ser OSS (ver). E há outros casos no mundo.
Agora se todo o software deve ser OSS, no sentido de ser tornado publico, isso é outra historia.

Ainda que possível, é algo positivo?

Em casos particulares, não vejo porque não. Até porque:
1. Contribui para a transparência do estado.
2. A poupança obtida poderia ser alocada a outros serviços do estado (ex.: segurança social)

Além disso consigo conceber algumas soluções do estado português que seriam muito melhoradas com recurso à partilha de código a custos bem mais baixos dos actuais.

O dinheiro dos contribuintes paga o desenvolvimento de software em universidades, departamentos de saúde, justiça, etc. Deveria tudo isto ser partilhado?

Não. Nem tudo tudo pode ser de acesso público. Por exemplo, hoje em dia quase todos os registos do cidadão português são guardados em formato digital (saúde, finanças, etc...), o acesso publico a esta informação seria catastrófico.

Teria algum impacto nas empresas de software que trabalham com departamentos do estado ou seria uma mudança pacífica?

Claro que teria e não acredito que seja uma mudança pacifica, mas faz sentido e acredito ser necessária. Uma vez que é incomportável para qualquer entidade assumir o crescimento exponencial dos custos com o software.

Por exemplo:
- em 2016 os USA gastavam por ano ~6 mil milhões de USD por ano em licenças de software.
- em 2014 um estudo da Univ. de Coimbra concluiu que o o estado português gastava mais de 100 milhões de euros em software.

Repara que redução de, digamos, 20% é muito dinheiro.


---
 

Share this post


Link to post
Share on other sites
M6

Esta discussão pode vir a ser interessante. No entanto,

10 hours ago, Rui Guimarães said:

"We want public money to pay for public code, and only public code. Software used by public institutions is acquired, deployed and/or developed with taxpayers' money. Making it available under a Free license to all citizens is just the right thing to do"

implica duas situações:

  1. Que se tivesse de desenvolver todo o software que as instituições públicas usam.
  2. Que todo o software desenvolvido fosse livre.

Quando vejo afirmações destas fico sempre com a sensação de que as mesmas não foram bem ponderadas. Fico sempre com a sensação de que só se pensa pela superfície. Neste caso parece-me que acham que a administração pública usa apenas o Windows, o Word, o Excel e o IE (ou lá como se chama agora).

 

1. Que se tivesse de desenvolver todo o software que as instituições públicas usam.

Isto implica que o que teríamos não era uma administração pública, era uma fábrica de software. Ou seja, a administração pública passaria o foco de administrar o bem público para fazer desenvolvimento e costumização de software de todos os organismos, instituições, etc. públicos.

Não é difícil de perceber que isto é simplesmente incomportável em tempo e dinheiro. Não estou a ver a administração pública a desenvolver um Google Maps, software de controlo de acessos/marcação de ponto, o firmware para um router, por exemplo

 

2. Que todo o software desenvolvido fosse livre.

Isto implica que, por exemplo, o software de "sorteio" das finanças para prestar esclarecimentos sobre as contas das empresas e das pessoas pudesse ser lido por todos, inclusive pela malta que quer fugir aos impostos. Implica, por exemplo, que o código do site das próprias finanças fosse disponível para todos. Até mesmo o software de controlo de acessos / marcação de ponto. Se isto pode parecer uma boa ideia aos que vêm com bons olhos a segurança feita sem ser pela obscuridade, todo o software militar que usamos também teria de ser disponível, todo o controlo automático com os passaportes eletrónicos, todo o sistema de registo civil, etc..

Não é difícil de perceber que isto é igualmente incomportável para qualquer nação. É simples de compreender que a exposição de tais sistemas torna o país vulnerável a inúmeros níveis.

 

<resumo>

Sinceramente, não me parece inteligente adotar essa media tal como descrita acima.

</resumo>

 


10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Virneto
11 horas atrás, Rui Guimarães disse:

É possível obrigar que todo o software feito à medida com dinheiro dos contribuintes seja acessível como software livre? Ainda que possível, é algo positivo?

 

Não sei se seria possível ou completamente positivo. Há questões de segurança e de vantagens que ficariam assim reveladas/anuladas.

Mas parece-me que estamos a misturar duas coisas:

1 - Mentalizar/exigir/obrigar à utilização de OSS levaria a uma poupança enorme e, não tenho dúvidas, em alguns casos, a uma melhoria das soluções utilizadas. Concordo! 

2 - Forçar a divulgação/abertura à comunidade do software desenvolvido não me parece seguro nem me parece que traga grandes vantagens, pelo menos no software desenvolvido para auxiliar o estado nas suas atribuições. Discordo, embora possa concordar se tal iniciativa se apresentar de forma clara e esclarecer que não resultaria em prejuízos.


"Que inquieto desejo vos tortura, Seres elementares, força obscura? Em volta de que ideia gravitais?" >> Anthero de Quental

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Linuxando.com | ...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.