Ir para o conteúdo
  • Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #60 da revista programar. Faz já o download aqui!

FDomingos

Lei portuguesa não obriga serviços de cloud computing a fazer backups

Mensagens Recomendadas

FDomingos
Amazon, Apple, Google, PT, Vodafone, Microsoft, ou Dropbox: nenhuma delas está obrigada a criar backups dos dados dos clientes de cloud computing. Em caso de conflito, os consumidores têm de provar em tribunal que as marcas são responsáveis pela perda de dados.

Fonte e mais info: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/internet/2013-11-22-lei-portuguesa-nao-obriga-servicos-de-cloud-computing-a-fazer-backups

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Virneto

Provavelmente todas elas terão nos seus termos e condições "We are not, by any means, responsible by data loss".

Da mesma forma que têm "Your data may be used for other purposes...." :D

Editado por Virneto

"Que inquieto desejo vos tortura, Seres elementares, força obscura? Em volta de que ideia gravitais?" >> Anthero de Quental

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Linuxando.com | ...

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos

Ainda bem que assim é... Senão com um pouco de sorte a maior parte dos serviços gratuitos deixavam de ser disponibilizados em Portugal. Quem quer serviços com garantias, só tem que contratar um fornecedor de serviços que ofereça tais garantias, e indemnizações em caso de incumprimento. Também há fornecedores de serviço assim, o preço é que pode não agradar a muita gente...

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Virneto

Ainda bem que assim é... Senão com um pouco de sorte a maior parte dos serviços gratuitos deixavam de ser disponibilizados em Portugal. Quem quer serviços com garantias, só tem que contratar um fornecedor de serviços que ofereça tais garantias, e indemnizações em caso de incumprimento. Também há fornecedores de serviço assim, o preço é que pode não agradar a muita gente...

Sim, @RuiCarlos eu já vi expores esta perspetiva e concordo, mas até certo ponto.

(Esqueçamos o facto de que todas estas empresas, salvo erro, terem planos pagos e também o facto de que o preço, como nós sabemos, nem sempre é sinónimo de garantias)

A ideia de que todos os serviços gratuitos têm que ter um reverso (entenda-se algo negativo) para o utilizador que delas usufrui, não é assim tão aceitável na minha perspetiva.

E por exemplo no caso dos gigantes, com franqueza, eu aceitaria com naturalidade o facto de eles partilharem os meus dados se eles dissessem claramente "Este Serviço não é gratuito! Nós disponibilizamo-lo em troca das suas informações pessoais. E vamos fazer com elas o que bem entendermos.."

Não crês, por exemplo, que um serviço possa ser disponibilizado gratuitamente, sem que uma empresa/entidade tenha segundas intenções? Porque se as houver, então não faz sentido que este serviço seja apelidado de gratuito?


"Que inquieto desejo vos tortura, Seres elementares, força obscura? Em volta de que ideia gravitais?" >> Anthero de Quental

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Linuxando.com | ...

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos

A ideia de que todos os serviços gratuitos têm que ter um reverso (entenda-se algo negativo) para o utilizador que delas usufrui, não é assim tão aceitável na minha perspetiva.

E por exemplo no caso dos gigantes, com franqueza, eu aceitaria com naturalidade o facto de eles partilharem os meus dados se eles dissessem claramente "Este Serviço não é gratuito! Nós disponibilizamo-lo em troca das suas informações pessoais. E vamos fazer com elas o que bem entendermos.."

Não crês, por exemplo, que um serviço possa ser disponibilizado gratuitamente, sem que uma empresa/entidade tenha segundas intenções? Porque se as houver, então não faz sentido que este serviço seja apelidado de gratuito?

Em primeiro, aquilo que eu acho é que os serviços têm custos, e quantas mais funcionalidades um serviço tem, mais custos terá também. No contexto do tópico, isso significa que um serviço mais fiável terá mais custos, e que pode não ser possível suportar esses custos num modelo sem pagamentos por parte do utilizador. Impor requisitos legais de fiabilidade, será equivalente a impor mais custos aos utilizadores (monetários ou outros).

Dito isto, o assunto que estás a abordar tem pouco ou nada a ver com o tópico. Sim, há serviços gratuitos sem segundas intenções. Mas em muitos casos isso não acontece, e devia ser de esperar que quando é uma empresa a disponibilizar o serviço haja segundas intenções. As empresas não são claras, da mesma forma que ninguém é claro se for a uma entrevista de emprego (ninguém enumera todos os defeitos possíveis e imaginários que tem).

Quanto ao ser apelidado de gratuito... Eu também acho que não faz sentido falar em educação e saúde gratuita, pois são coisas pagas, mesmo que de forma indirecta. E isto de chamar gratuito a algo, leva frequentemente a ideias erradas sobre os produtos/serviços. Mas se não concordas com a definição de gratuito das pessoas/empresas, força, convence-as de que tens uma definição melhor.


Já agora, lembrei-me de uma discussão que tive no secundário sobre fontes de energia "inesgotáveis". Bem vistas as coisas, há alguma que o seja? Mais recentemente, também li uma discussão que explicava que a energia nuclear é tão inesgotável como outras aceites inesgotáveis.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
bubulindo

Bem vistas as coisas, há alguma que o seja?

Para nosso bem, espero que o Sol seja a excepção à regra.


include <ai se te avio>

Mãe () {

}

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Virneto

Eu percebo o raciocínio @RuiCarlos das implicações dos custos de um serviço. E até acho piada aí a esta comparação com os debates que referes onde sob uma determinada perspetiva, tudo é ou pode ser aceitável.

Não estou propriamente a argumentar contra isto. Estou sim a dizer que apesar de ser aceite, estas práticas não são aceitáveis. Na minha perspetiva e na perspetiva de, julgo eu, um cada vez maior número de utilizadores. Se eu decidir dar uma boleia ao @bubulindo, não fico com o direito de lhe ficar com a carteira alegando que o meu carro tem custos.

Mas sim, concordo quando colas estes argumentos num patamar mais utópico. porque acho que o é :confused: . Mas o que é utópico hoje (2013), amanhã não o será.

Acho mesmo que as empresas que frequentemente se vêm envolvidas nestas polémicas de uso "questionável" das informações dos seus utilizadores correm o risco de ter de vir a pagar um preço elevado, a cobrar pelos seus utilizadores. Não achas? Ou seja, num futuro de 10 ou menos anos, parece-me muito provavel que surja algum movimento de grande escala contra estas empresas.

É verdade que isto acaba por fugir um pouco ao contexto do tópico, mas também....dificilmente o quadro legal (sobretudo o português) influi sobre a linha de conduta destes gigantes. Não faltam leis sobre esta matéria, é só consultar a Comissão de Proteção de dados...

@bubulindo... sob a perspetiva do teu tempo de vida estimado....dos teus descendentes e mesmo toda a tua linhagem....o Sol é mesmo inesgotável. :P


"Que inquieto desejo vos tortura, Seres elementares, força obscura? Em volta de que ideia gravitais?" >> Anthero de Quental

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Linuxando.com | ...

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos

Para nosso bem, espero que o Sol seja a excepção à regra.

O Sol era precisamente o elemento em discussão, pois alguém se lembrou de referir que as estrelas morrem. (A questão, é que antes do Sol acabar, acaba a Terra, pelo que do nosso ponto de vista, o Sol é inesgotável.)

Se eu decidir dar uma boleia ao @bubulindo, não fico com o direito de lhe ficar com a carteira alegando que o meu carro tem custos.

O problema destas coisas é que o pagamento não é em dinheiro (carteiras). No caso da boleia, por exemplo, não vejo nada que impeça quem dá boleia de partilhar informação sobre o destino da pessoa (a menos que ambos acordem o contrário antes), ou divulgar outras informações que discutiram durante a viagem, ou até usar a conversa que tiveram para tentar impingir produtos em que ele ganhe comissão. Até podemos ir para situações mais inócuas, em que alguém diz que está a pensar um produto X durante a viagem, e o outro diz que tem um produto X para venda, que até é o que oferece a melhor relação qualidade/preço. (Ou seja, todos ficavam a ganhar com a situação, e esta é a história que vez frequentemente ser usada para justificar a publicidade personalizada.)

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
brunoais

Para nosso bem, espero que o Sol seja a excepção à regra.

Não é :D. Mesmo assim, é uma fonte de energia que vai sobreviver mais tempo que a raça humana se n sair deste planeta, por isso, é "inesgotável" (como o Rui Carlos afirma).


"[Os jovens da actual geração]não lêem porque não envolve um telecomando que dê para mirar e atirar, não falam porque a trapalhice é rainha e o calão é rei" autor: thoga31

Life is a genetically transmitted disease, induced by sex, with death rate of 100%.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!

Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.

Entrar Agora

×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Este site usa cookies para disponibilizar funcionalidades personalizadas. Para mais informações visite esta página.