Jump to content
pv2013

SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

Recommended Posts

marcolopes
23 minutes ago, padrinho said:

Ja me fartei de ler e tentar perceber o artº5 e não entendo, pois remete para o artº 3º que nao diz nada de jeito... Porque raio eles não falam logo diretamente o que querem em vez de andar com estas lengalengas??

Edit: penso que sim, que a estrutura de dados entra em vigor a 1 de julho, pelo menos o anexo I é a estrutura de dados...

Não vejo aqui grande confusão...

O Artigo 5º diz que a portaria entra em vigor no dia 1 de Janeiro de 2017, EXCEPTO a adopção da NOVA estrutura SAFT, que só deverá entrar em vigor 1 Julho de 2017!

Aplicam-se os ARTIGOS que NÃO dependem da nova estrutura...  o Artigo 3º fala da emissão da NOVA estrutura, portanto, irrelevante, como tal, resta o Artigo 4.º
Taxonomias
O preenchimento dos campos relativos ao código de classificação da conta, na estrutura de dados do ficheiro a que se refere o n.º 1.º da Portaria n.º 321 -A/2007, de 26 de março, deve ser efetuado com referência às taxonomias constantes dos Anexos II e III à presente portaria, da qual fazem parte integrante, consoante o referencial de classificação de contas utilizado por cada entidade corresponda ao SNC Base ou Normas Internacionais de Contabilidade (Anexo II) ou ao SNC Microentidades (Anexo III), respetivamente.

Edited by marcolopes
  • Vote 1

The simplest explanation is usually the correct one

JAVA Utilities: https://github.com/marcolopes/dma

Share this post


Link to post
Share on other sites
nunopicado
16 horas atrás, CrominhO disse:

E esse tal ATCUD da documentação? o que acham?

eu ás 5 da manhã dá-me para pensar em ATCUD = AT Codigo Unico de Documento LOL ? :D  ... Um Id atribuido por eles e incrementado por nós para ver se há diferenças ? lol :D  

Ui, estás a dar ideias... 

Mas já não digo nada!

 

 

Ora, então, concretamente, o que entra em vigor já a 1 de Janeiro?


"A humanidade está a perder os seus génios... Aristóteles morreu, Newton já lá está, Einstein finou-se, e eu hoje não me estou a sentir bem!"

> Não esclareço dúvidas por PM: Indica a tua dúvida no quadro correcto do forum.

Share this post


Link to post
Share on other sites
CrominhO
11 horas atrás, marcolopes disse:

Não vejo aqui grande confusão...

Concordo com o Marco, a nova estrutura SAFT só entra em a 1 de Julho de 2017, de resto não faria sentido ser de outra maneira. A AT tem de criar validador, preparar o E-Factura e afins lol... vamos la ver se chega a entar em vigor nessa data lol. Já a portaria como é obvio entra a 1 de Janeiro de 2017. 

3 horas atrás, nunopicado disse:

Ora, então, concretamente, o que entra em vigor já a 1 de Janeiro?

Umas coisas que não interessam lol... Ainda não li aquilo com "olhos de ver" , mas acho que é só o Art. 4, o preenchimento dos campos relativos ao código de classificação da conta... e volto a concordar com o Marco lol IRRA lol

  • Vote 1

As mentes humanas são realmente um local estranho!

Share this post


Link to post
Share on other sites
migueldealmeida

Não estou a ver em que situação o unitprice fica a 0 e se introduz o novo campo taxbase?

Valor tributável unitário (TaxBase)

Valor tributável unitário que não concorre para o Total do documento sem impostos (NetTotal). Este valor é o que serve de base de cálculo dos impostos da linha.

Share this post


Link to post
Share on other sites
MAbrantes

Boa tarde,

Estou a tentar validar um ficheiro com o validador da AT, mas "rebenta" cada vez que vai validar as assinaturas.

O InvoiceNo tem qualquer coisa como "FT CFT_16/1". Sabem se o caracter _ é válido?

Não dá erros de estrutura, apenas rebenta a validar as chaves. Mas se for um único documento no SAFT, já valida..

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jose Lindo

Boa Noite.

 

Têm falado no ATCUD = AT Codigo Unico de Documento, mas ja alguem reparou num outro novo campo que vai dar muita dor de cabeça.

 

Estou a falar no N.Serie dos Artigos facturados. Campo obrigatorio

Nalguns casos até e facil e ja se usa, mas noutros casos é anedotico.

Imaginem uma casa de tintas que vende 10 latas de tinta. Cada lata tem de ter um numero de serie, assim como cada tijolo de uma palete de tijolos vendidos

Se uma factura tiver referenciado 100, 200, ... Itens de por exemplo canetas bic, implica que cada caneta tenha referenciado o seu numero de serie.

 

Digam-me por favor que de facto não é assim, digam-me que estou errado na minha analise.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
marcolopes
50 minutes ago, Jose Lindo said:

Boa Noite.

 

Têm falado no ATCUD = AT Codigo Unico de Documento, mas ja alguem reparou num outro novo campo que vai dar muita dor de cabeça.

 

Estou a falar no N.Serie dos Artigos facturados. Campo obrigatorio

Nalguns casos até e facil e ja se usa, mas noutros casos é anedotico.

Imaginem uma casa de tintas que vende 10 latas de tinta. Cada lata tem de ter um numero de serie, assim como cada tijolo de uma palete de tijolos vendidos

Se uma factura tiver referenciado 100, 200, ... Itens de por exemplo canetas bic, implica que cada caneta tenha referenciado o seu numero de serie.

Digam-me por favor que de facto não é assim, digam-me que estou errado na minha analise.

Era o que faltava! O ProductSerialNumber é obrigatório, mas não implica que a empresa tenha de inventar números de série!!

Se o artigo TIVER número de série, então será exportado, caso contrário, irá vazio (digo eu!)

Aliás, a descrição do campo diz: Deve incluir o número de série do produto que consta no documento. Ex.: VIN, IMEI, ISSN, ISAN.

Portanto, refere-se claramente a produtos que estão sujeitos a NÚMERO de SÉRIE de origem, como telemóveis, hardware, etc.

  • Vote 1

The simplest explanation is usually the correct one

JAVA Utilities: https://github.com/marcolopes/dma

Share this post


Link to post
Share on other sites
paulo brito

Yep, motherboards de computador tem numero de serie - mas se venderes uma grosa de pregos não tens que ter, lol. Não des ideias esquisitas aos burocratas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Jose Lindo

Eu acho que e absurdo a especificacao do n.s., mas entao pq obrigatorio. valor vazio nao deve funcionar.

Mesmo possuindo n.s. e se uma factura vender 1000 itens, sao logo mais 1000 por esta linha. isto de igual modo com as outras linhas por documento.

Deste modo vamos cair no problema de BIGs ficheiros. Vamos cair na mesma situacao aquando tinhamos de enviar a tabela total dos artigos, clientes, etc.

Ficheiros grandes, em que erra dificil de os ler

Alem disso a firma onde trabalho recebeu um documento da ordem de tecnicos de contabilidade com a analise do impacto de alteracoes, onde referiam este novo campo com um impacto muito significativo em termos de implementacao.

De facto estou sem saber o que concluir. Mas cheira.me que coisa boa nao sera.

Edited by Jose Lindo

Share this post


Link to post
Share on other sites
marcolopes
1 hour ago, Jose Lindo said:

Eu acho que e absurdo a especificacao do n.s., mas entao pq obrigatorio. valor vazio nao deve funcionar.

Mesmo possuindo n.s. e se uma factura vender 1000 itens, sao logo mais 1000 por esta linha. isto de igual modo com as outras linhas por documento.

Se a restrição do campo for pelo menos 1 caractere, metes 0 (ZERO!)

O diploma legal é bem explícito... e diz (volto a repetir): Deve incluir o número de série do produto que consta no documento. Ex.: VIN, IMEI, ISSN, ISAN. 

Não vejo aqui qualquer confusão. Ou é um artigo sujeito a NÚMERO de SÉRIE ou não! Ninguém vai inventar números de série :D


The simplest explanation is usually the correct one

JAVA Utilities: https://github.com/marcolopes/dma

Share this post


Link to post
Share on other sites
americob

Enquanto não houver um xsd com as regras bem definidas, não pego nisto.

Tentar adivinhar o que eles querem só o conteúdo da Portaria é andar a dar tiros no escuro a ver se acerto.

De qualquer das formas, só entra em vigor em 1 de Julho!

Mas, gostei da interpretação de, se tiver uma fatura com 1 linha de quantidade 1000 (por ex: pães), vou ter 1000 vezes o "SerialNumber" mesmo que seja vazio!

E isso veio da Ordem dos Contabilistas Certificados?

Eu sou CC e ainda não vi nenhuma interpretação da Portaria emitida pela Ordem

 

  • Vote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
chesser

Isto inicialmente parecia que não implicava grandes alterações, mas afinal parece que não será bem assim.

Basta ver que agora há muito mais documentos que têm de ser exportados nos WorkingDocuments. Entre outros, Notas de Encomenda, Orçamentos e Pró-forma. Mas afinal em que medida é que estes documentos são "documentos emitidos, independentemente da sua designação, suscetíveis de apresentação ao cliente para conferência de mercadorias ou de prestação de serviços".

Aliás, há um FAQ da portaria de certificação que, numa questão sobre quais os documentos que têm de ser assinados, diz "Não estão obrigados os documentos correspondentes, por exemplo, a orçamentos porque não dizem respeito, ainda, a uma evidência de transacção." E agora esses documentos vão ser exportados no SAF-T sem assinatura ou afinal têm mesmo de ser assinados, como estava previsto inicialmente, antes de virem com esse FAQ?

Ou seja, estes tais de WorkingDocuments que até agora serviam para pouco (ou pelo menos assim eu pensava) passaram agora a acolher tudo e mais alguma coisa!

Edited by chesser

Share this post


Link to post
Share on other sites
americob
12 horas atrás, Jose Lindo disse:

Anexo ficheiro da KPMG, sobre analise de alteracoes do saft

Alteracoes do SAFT

Obrigado pela partilha.

Bem me parecia que esse documento não seria da Ordem dos CC. É da KPMG, uma consultora multinacional bem conhecida no mercado.

A pressa é inimiga da perfeição. Não concordo com algumas das interpretações que fazem. Outras, são novidade para mim, será que têm acesso a informação privilegiada?

Como já disse, vou aguardar a publicação do XSD no local próprio, de preferência acompanhado de exemplos de aplicação dos novos campos.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
marcolopes
22 hours ago, chesser said:

Em relação ao Número de Série penso que não é bem como foi aqui referido anteriormente: o grupo 4.1.4.19.12. Número de série do produto (ProductSerialNumber) não é obrigatório (não tem o asterisco). Agora, existindo este grupo, então é obrigatório que exista o 4.1.4.19.12.1. * Número de série (SerialNumber), o que é compreensível.

Por aqui não vem nenhum mal ao mundo: não havendo números de série não colocamos o 4.1.4.19.12. Havendo números de série, temos o 4.1.4.19.12 e, dentro deste, colocamos tantos 4.1.4.19.12.1. quantos forem necessários.

Ora nem mais! Muito bem visto! Na altura até espreitei a estrutura para verificar como estavam classificadas os "headers" (grupos) das sub-estruturas, mas acabei por nem reparar no pormenor. Portanto, o grupo referente ao ProductSerialNumber NÃO é obrigatório... mas existindo SerialNumber de produto referênciado no documento de venda, ele deve ser exportado de qualquer das formas.

  • Vote 1

The simplest explanation is usually the correct one

JAVA Utilities: https://github.com/marcolopes/dma

Share this post


Link to post
Share on other sites
Daniel Vaz

Tendo em conta que vão ser exportados Números de Série (a existirem), alguém sabe se, no caso de a empresa trabalhar com Lotes, os mesmo também terão que ser exportados no mesmo campo? Julgo que não, mas gostava de ouvir a vossa opinião.

Share this post


Link to post
Share on other sites
americob
2 horas atrás, Daniel Vaz disse:

Tendo em conta que vão ser exportados Números de Série (a existirem), alguém sabe se, no caso de a empresa trabalhar com Lotes, os mesmo também terão que ser exportados no mesmo campo? Julgo que não, mas gostava de ouvir a vossa opinião.

Para já só fala em Numeros de Serie, mas vamos ver como interpretam isso.

Já nem me lembro como tenho isso feito, mas parece-me que uso o mesmo campo, e quando é Série uso Qt = 1. Se for só para Numero de Série, acho que me vai dar algum trabalho.

Também acho que tenho alguns clientes que usam esse campo para outras coisas ... vai ser lindo!

 

  • Vote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
CJCV
17 horas atrás, Daniel Vaz disse:

Tendo em conta que vão ser exportados Números de Série (a existirem), alguém sabe se, no caso de a empresa trabalhar com Lotes, os mesmo também terão que ser exportados no mesmo campo? Julgo que não, mas gostava de ouvir a vossa opinião.

não faria grande sentido , tendo em conta ( pelo menos no caso dos nossos clientes ) esse código de lote muitas vezes é interno, apenas para controlo haccp.

nunca vi nenhuma fatura de pão ( por ex. ) emitida a um consumidor final com o lote :cheesygrin:

  • Vote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
bugFree

Coloquei noutro tópico mas julgo ser este o mais indicado. Sorry :(

Boas,

É possível emitir FT e outros docs de venda, com País e TaxRegion diferentes de Portugal ?

Por exemplo, País Espanha e TaxRegion Espanha? --Campo TaxCountryRegion seria ES.

Os campos a exportar do SAFT serão os 4.1.4.18.13.*

O que colocar então no TaxCode?

Alguém pode dar uma ajuda? Obrigado.

 

Edited by bugFree

What's better: Coding solo or as part of a team?

A team means you have to fix someone else's bugs. Coding solo means you have to write all the bugs yourself.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.