Jump to content
FDomingos

Nokia não dá licenças à Apple

Recommended Posts

FDomingos
A questão da adoção de um formato Nano SIM continua a dar que falar: a Nokia recusa ceder patentes para utilização da Apple.

A Nokia continua a insistir que o formato da Apple não vai cumprir os requisitos estabelecidos pelo ETSI, organismo que tutela este segmento. Para aumentar a pressão, o fabricante finlandês anunciou ontem que não vai licenciar patentes que são cruciais para o formato Nano SIM, caso o ETSI decida a favor do modelo apresentado pela Apple, noticia o The Verge.

Recorde-se que estão em disputa o modelo da Apple contra o modelo proposto pela Nokia, RIM e Motorola. Pelo que se consegue perceber, a Nokia será mesmo a detentora legítima de tecnologias consideradas cruciais para o desenvolvimento de um Nano SIM, seja de que fabricante for.

Ler mais: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2012/03/29/nokia-nao-da-licencas-a-apple#ixzz1qVOprY6B

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Relativamente às propostas das 3 empresas, podem vê-las em

http://www.theverge.com/2012/3/26/2904153/apple-vs-nokia-4ff-nano-sim

O problema da Nokia é que, ceder à proposta da Apple significa que teria que disponibilizar as suas patentes a custo zero, o que implicaria que a Nokia iria perder uma fonte de rendimentos que não lhes dá trabalho nenhum. A minha dúvida é se existe alguma patente da Nokia relacionada com o nano-SIM que seja necessária à proposta da Apple e que não seja ainda standard essencial. A Nokia pode não querer (leia-se "impedir") que essas patentes se tornem standard essencial, bloqueando a decisão do ETSI e prolongando o processo de desenvolvimento do novo form factor.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Pelo que li, a Apple poucas (nenhumas?) patentes tem relacionadas com o nano-SIM, pelo que não lhe custa nada sugerir que quem tem patentes não receba pelas mesmas.  Parece-me normal a Nokia não as querer disponibilizar a custo zero, e também me parece perfeitamente aceitável, à luz da legislação actual (da qual a Apple se aproveitado), que a Nokia se recuse até a disponibilizá-las em termos FRAND.  Para a Nokia tanto faz que as patentes se tornem standard essencial ou não, pois, tanto quanto sei, mesmo que tal acontece, nada obriga a Nokia a disponibilizar as patentes em termos FRAND, pelo que aí o problema passará a ser de quem quer usar o standard...  Se bem que ainda não percebi se há algum compromisso da Nokia para o caso de ser a proposta deles a escolhida.

Esta é uma boa jogada por parte da Nokia, também a tirar partido da legislação de patentes actual.  Parece-me que qualquer que seja o resultado, a Nokia vai ficar sempre a ganhar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Pelo que li, a Apple poucas (nenhumas?) patentes tem relacionadas com o nano-SIM, pelo que não lhe custa nada sugerir que quem tem patentes não receba pelas mesmas.

Pah, tecnicamente a Nokia queixou-se de que a Apple teria patentes relacionadas com a própria proposta para o nano-SIM, antes da Apple propor não cobrar royalties sobre as mesmas caso ficasse aceite que as restantes empresas fariam o mesmo no que toca a outras patentes relacionadas com o nano-SIM.

Parece-me normal a Nokia não as querer disponibilizar a custo zero, e também me parece perfeitamente aceitável, à luz da legislação actual (da qual a Apple se aproveitado), que a Nokia se recuse até a disponibilizá-las em termos FRAND.  Para a Nokia tanto faz que as patentes se tornem standard essencial ou não, pois, tanto quanto sei, mesmo que tal acontece, nada obriga a Nokia a disponibilizar as patentes em termos FRAND, pelo que aí o problema passará a ser de quem quer usar o standard...  Se bem que ainda não percebi se há algum compromisso da Nokia para o caso de ser a proposta deles a escolhida.

Para que seja aceite como standard, a Nokia tem que aceitar os termos FRAND para todas as patentes obrigatórias para a implementação. A questão aqui é que se a ETSI votar na proposta da Apple, se a Nokia tiver patentes não-FRAND que sejam necessárias para que a proposta da Apple se torne standard, pode muito bem impedir que o processo seja concluído.

A mim parece-me que é mais uma "birra" da Nokia que qualquer outra coisa. A Nokia está a queixar-se de um pormenor que já aconteceu na transição SIM -> Micro SIM. O SIM era um cartão de 25mm x 15mm e o Micro SIM é de 15mm x 12mm, existindo exactamente a mesma condição que diz existir na proposta actual da Apple (12mm x 9mm). De resto a proposta da Apple só trás vantagens relativamente aos da Nokia e da RIM, pois são mais fáceis de produzir, permite compatibilidade com dispositivos antigos, tal como o Micro-SIM e existem menores entraves na implementação dos conectores dos telemóveis, pois as áreas de contacto são claramente maiores que qualquer uma das outras propostas, não sendo necessária uma precisão superior à que existe actualmente.

Esta é uma boa jogada por parte da Nokia, também a tirar partido da legislação de patentes actual.  Parece-me que qualquer que seja o resultado, a Nokia vai ficar sempre a ganhar.

Até agora parece que sim. Mas o ETSI pode aceitar mais que um formato para standard, o que pode deixar a Nokia feliz. Mas duvido que isto seja o caso. Acredito que o objectivo da Nokia será mesmo que a proposta da Apple nunca se torne standard. Mas também acredito que se o ETSI aprovar ambas as propostas como standard, a Nokia irá ser mais pressionada a aceitar a opção do ETSI.

Claro que nada impede a que os operadores móveis decidam só fabricar os nano-SIMs da proposta da Apple deixando a Nokia enrascada.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

Estas guerras de patentes já ultrapassaram todos os limites razoáveis...

O problema da Nokia é que, ceder à proposta da Apple significa que teria que disponibilizar as suas patentes a custo zero, o que implicaria que a Nokia iria perder uma fonte de rendimentos que não lhes dá trabalho nenhum.

Um pouco como a Apple e a microsoft têm feito... Aliás têm feito ainda mais têm feito isso para reduzir a competição no mercado, a Apple tentanto a impedir a comercialização dos produtos concorrentes e a m$ aumentando-lhes os custos (para mais que o custo dos produtos da microsoft).

Para que o nano-sim se torne um standard, é preciso muito mais do que a Apple propôs (propôs não cobrar pelo licenciamento das patantes, o que não é mau, mas não chega), caso contrário, mesmo que consiga uma fraude inspirada na que a microsoft fez com o OOXML, teremos um outro falso standard, altamente prejudicial para a industria, para a concorrência e para a credibilidade dos corpos de standards.

Os standards para serem aceitáveis têm que ser construídos pela industria, para poderem ser um equilíbrio dos interesses de todos os players. Um pouco como acontece com as normas do W3C e outras (até mesmo de outras áreas) que são criadas por grupos de trabalho com elementos de diversas proveniências.

Esta é uma boa jogada por parte da Nokia, também a tirar partido da legislação de patentes actual.  Parece-me que qualquer que seja o resultado, a Nokia vai ficar sempre a ganhar.

E os consumidores e a sociedade em geral a perder com esta insanidade, ganância e hipocrisia.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Para que o nano-sim se torne um standard, é preciso muito mais do que a Apple propôs (propôs não cobrar pelo licenciamento das patantes, o que não é mau, mas não chega), caso contrário, mesmo que consiga uma fraude inspirada na que a m$ fez com o OOXML, teremos um outro falso standard, altamente prejudicial para a industria, para a concorrência e para a credibilidade dos corpos de standards.

Penso que o caso não tem comparação. Aqui estamos a falar de uma proposta que é razoável, pois é compatível com os sistemas anteriores, tem custos mais baixos, e é mais simples de implementar. A discordância da Nokia tem como argumento um pormenor que já sucedeu anteriormente e foi aprovado.

Para além disso, continua-me a parecer que a proposta da Apple nem precisa de ser tornada standard para que possa ser implementada.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos
A mim parece-me que é mais uma "birra" da Nokia que qualquer outra coisa. A Nokia está a queixar-se de um pormenor que já aconteceu na transição SIM -> Micro SIM. O SIM era um cartão de 25mm x 15mm e o Micro SIM é de 15mm x 12mm, existindo exactamente a mesma condição que diz existir na proposta actual da Apple (12mm x 9mm). De resto a proposta da Apple só trás vantagens relativamente aos da Nokia e da RIM, pois são mais fáceis de produzir, permite compatibilidade com dispositivos antigos, tal como o Micro-SIM e existem menores entraves na implementação dos conectores dos telemóveis, pois as áreas de contacto são claramente maiores que qualquer uma das outras propostas, não sendo necessária uma precisão superior à que existe actualmente.

Não estou assim tão certo que seja uma birra.  Também me parece que o formato que a Apple propôs é mais do mesmo, pelo que não fazia muito sentido estar a criar um novo standard.  Acho que este é um problema da tecnologia em geral, que tem tendência a ficar demasiado "presa ao passado".

Ainda não li grandes comentários sobre os formatos da Nokia e da RIM, mas parece-me que a proposta da Apple inova muito pouco para justificar uma mudança.

E os consumidores e a sociedade em geral a perder com esta insanidade, ganância e hipocrisia.

O meu ponto era mesmo realçar que a Nokia estava a dar uma boa resposta à Apple, e estava a usar a legislação de patentes para conseguir vantagens sobre a concorrência, tal como a Apple tem feito.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Não estou assim tão certo que seja uma birra.  Também me parece que o formato que a Apple propôs é mais do mesmo, pelo que não fazia muito sentido estar a criar um novo standard.  Acho que este é um problema da tecnologia em geral, que tem tendência a ficar demasiado "presa ao passado".

Ainda não li grandes comentários sobre os formatos da Nokia e da RIM, mas parece-me que a proposta da Apple inova muito pouco para justificar uma mudança.

No link que postei inicialmente tens lá os diagramas das 3 propostas feitas. A proposta da Apple é manter o actual formato do chip, que se tem mantido desde o SIM, passando pelo micro SIM. Se inova pouco, sim... de facto não inova nada, é apenas um SIM com o mínimo de cartão possível. Mas aquilo que se mantêm e que é a proposta da Apple é manter o posicionamento dos conectores, o que permite que tanto o fabrico dos cartões que mantenha praticamente inalterado, como não implica a alteração do processo de fabrico dos conectores dos novos telemóveis que, no caso das propostas da Nokia e da RIM, obrigariam a um posicionamento bastante mais preciso, por estarem todos concentrados na ponta do cartão (o C4 e o C8 na proposta da Nokia não estão, mas esses não são utilizados).

No fundo não se está a alterar nada em qualquer das propostas excepto o posicionamento dos conectores. A função do SIM continuará a ser exactamente a mesma.

A descrição do interface pode ser encontrada em:

http://www.interfacebus.com/Design_Connector_SmartCard.html

http://en.wikipedia.org/wiki/File:SmartCardPinout.svg

Eu acho que é uma questão de engenharia. A proposta da Apple, mesmo não sendo uma "inovação", não retira aquilo que bom que o actual posicionamento dos conectores tem. O que se está a discutir é apenas o posicionamento dos conectores e não a função dos mesmos. Essas vão continuar inalteradas.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Continuo a achar que para se escolher a proposta da Apple mais valia estarem quietos.  Ou se muda, ou... não se muda.  Andar a fazer de conta que se muda parece-me parece-me que só contribui para desperdício de recursos com trocas de cartões.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Não sei se já viste como são os cartões que algumas operadoras hoje dão. Como sempre são cartões do tamanho de cartões de crédito que permitem destacar o SIM. Os que têm o Micro SIM são também compatíveis com SIM por possuírem os dois destaques. Ou seja, nem precisas de pedir a troca do cartão. Basta pegar no mesmo e destacar o cartão mais pequeno.

Agora, a tua dúvida pode ser, "e se quiser poder utilizar o cartão num telemóvel antigo?". E a resposta é, arranjar um adaptador por trocos. De facto nem é um adaptador, é só uma caixa com o tamanho de um SIM normal que mantém o chip na posição certa e que encaixa nos antigos slots SIM.

Nem é como se isto fosse o objectivo da Apple, mas percebe-se perfeitamente porque é que a Apple prefere aquele layout. É bastante óbvio que se o telemóvel tem que ter um SIM (a Apple tentou mesmo convencer as operadoras a eliminar de vez o SIM), ao menos que este aproveite toda a dimensão do cartão. Acho que é bastante lógico...

Tanto a passagem do formato SIM do século passado, para o Micro SIM de 2004 como para um destes nano-SIMs, não há absolutamente nenhuma mudança na função do cartão. Só estamos a cortar plástico. O chip que lá está dentro é praticamente mesmo que existia no século passado e vai continuar a ser. A Nokia e a RIM querem é mudar a posição dos conectores... Só não os fazem desaparecer porque os carriers não querem e só não os querem fazer mais pequenos porque se pode tornar difícil para as pessoas os manusearem.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

A minha "dúvida" é mais, e se comprar um telemóvel novo?  E a resposta é, pedir um cartão novo.  E mesmo andar a comprar adaptadores, é algo que dispenso.

Depois, também há outras dúvidas, como o que é que se ganha com o "corte" adicional.  Assim à primeira vista, basicamente nada.  Andar a fazer de conta que se muda...  Pelo que tenho lido, os formatos alternativos permitirão ganhos mais significativos, por causa dos suportes dos cartões.  Mesmo assim, não sei se valerá a pena.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Todas as operadoras portuguesas fornecem ambos (SIM e Micro-SIM) no mesmo cartão. Já para não falar das múltiplas operadoras internacionais que o fazem. Mas, estando em Portugal:

Vodafone: http://promais.com/blog/2010/08/12/microsim-vodafone-para-o-iphone-4/

TMN: http://durao.net/2010/09/02/cartoes-micro-sim/

Optimus: http://e-heartphone.blogspot.pt/2010/07/cartao-micro-sim.html

Se comprares um telemóvel novo estás sempre sujeito a que seja SIM ou Micro-SIM e tu tenhas o outro cartão, logo estarás sempre em risco de ter que pedir um cartão caso não tenhas a alternativa (ou cortas se for maior, ou compras um adaptador se for menor). Esse problema já existe, não vai ser novo.

Independentemente de o chip poder ter mais ou menos ganhos, não é o que está em discussão pela Apple e pela Nokia. Isso, hoje em dia, já os fazem uma camada abaixo dos conectores, sendo independente do posicionamento dos mesmos.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco
Penso que o caso não tem comparação. Aqui estamos a falar de uma proposta que é razoável, pois é compatível com os sistemas anteriores, tem custos mais baixos, e é mais simples de implementar. A discordância da Nokia tem como argumento um pormenor que já sucedeu anteriormente e foi aprovado.

É claro que tem comparação...

É outra especificação feita apenas por uma empresa e por isso tem um contributo técnico muito mais limitado, que as normas feitas por um grupo de trabalho aberto.

E os termos necessários de licenciamento para que possa ser livremente adoptado por todos vão muito para além do custos de licenciamento, há termos de licenciamento que podem por exemplo tornar incompatível com Software Livre, ou qualquer outro tipo de licenciamento e impedir isso é totalmente inaceitável para um standard.

O motivo da discordância da Nokia, nem eu quero saber qual é...

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

É outra especificação feita apenas por uma empresa e por isso tem um contributo técnico muito mais limitado, que as normas feitas por um grupo de trabalho aberto.

A roda já é utilizada nos automóveis, por isso vou introduzir carros com rodas quadradas. Só para poder dar um contributo técnico, por mais ridículo que seja.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

A roda já é utilizada nos automóveis, por isso vou introduzir carros com rodas quadradas. Só para poder dar um contributo técnico, por mais ridículo que seja.

Desliga-te lá um pouco do colectico borg da apple e pensa um pouco por ti próprio.

O que está a eu estou a colocar em causa é que não é se o que a Apple propôs do ponto de vista técnico. O que eu estou a dizer que é que um standard, não pode servir apenas o interesse técnico, comercial e legal de uma empresa. E uma empresa não representa esses interesses todos, de todos os stake holders na industria e na sociedade. Representa a sua própria visão e cultura interna e representa os interesses comerciais do seu negócio e representa alguns dos interesses financeiros dos seus proprietários. E não estou a dizer que é errado as empresas representar isso, apenas que isso não chega para que algo que uma empresa faça isoladamente possa ser estabelecido como uma norma.

Mais ainda o contributo técnico, não é meramente adicionar funcionalidades, ou modificar funcionalidades. É também validar o que foi feito, quer do ponto de vista de requisitos, quer do ponto de vista de proposta  de soluções funcionais e técnicas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

A decisão de implementar o um novo form factor não é da Apple. Da Apple tens uma proposta para o form factor, tal como tens uma da Nokia e uma da RIM. Relativamente ao resto da implementação, já disse nos meus posts anteriores tudo o que é preciso dizer relativamente às propostas, pelo que não vejo necessidade de voltar a repetir.

Tal como disseste, o standard tem que servir mais do que uma empresa, e é por isso é que vai a votos.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco
A decisão de implementar o um novo form factor não é da Apple. Da Apple tens uma proposta para o form factor, tal como tens uma da Nokia e uma da RIM. Relativamente ao resto da implementação, já disse nos meus posts anteriores tudo o que é preciso dizer relativamente às propostas, pelo que não vejo necessidade de voltar a repetir.

Tal como disseste, o standard tem que servir mais do que uma empresa, e é por isso é que vai a votos.

Ok já vi que não percebes nada sobre o que deve ser uma norma...

Só por acidente é que uma especificação feita apenas uma parte interessada poderá resultar numa norma que seja suficientemente boa para servir o interesse geral (e é para isso que as normas servem).

O mesmo que digo em relação à proposta da Apple digo em relação à propostas de todos as outras empresas. Só uma especificação proposta por um corpo de desenvolvimento de normas, com um grupo de trabalho em que todos participam, é que tem mérito para ser uma norma.

Como é sum fan boy, o que é claro pela tua constante atitude de defesa da Apple e até mesmo pela assinatura que usas... Só um fan boy é que pode ter uma assinatura dessas.

Sendo um fan boy que faz parte do colectivo borg, não vais conseguir entender, ou aceitar, a necessidade do equilíbrio de interesses e que isso não pode acontecer se a proposta vier apenas de uma das partes interessadas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Ou seja, a instituição que aprova ou não o standard está a fazer uma coisa que não pode fazer, é isso que queres dizer?

E, como é óbvio a minha argumentação é inválida. Só que ninguém apresentou contra-argumentos.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Ok já vi que não percebes nada sobre o que deve ser uma norma...

Só por acidente é que uma especificação feita apenas uma parte interessada poderá resultar numa norma que seja suficientemente boa para servir o interesse geral (e é para isso que as normas servem).

Na verdade as normas servem em primeiro lugar definir de forma claro o que é que se pode esperar de um determinado produto ou similar, de modo a que quem quiser implementar o produto, e criar algo que interajam com o produto, saiba com o que contar.  (E se servir outros propósitos melhor.)

Como é sum fan boy, o que é claro pela tua constante atitude de defesa da Apple e até mesmo pela assinatura que usas... Só um fan boy é que pode ter uma assinatura dessas.

Há também a hipótese de ser alguém que se interessa sobre mercados.  Mas isto é uma hipótese que certo tipo de pessoas também não consegue ver.

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco
Ou seja, a instituição que aprova ou não o standard está a fazer uma coisa que não pode fazer, é isso que queres dizer?

Que eu saiba, não é por algo ser apresentado a um corpo de standards, que ele o vai de facto ter em conta...

Em segundo lugar se o tiver em conta, está a fazer algo errado, não conheço as regras desse corpo de standards europeu, mas de qualquer forma mesmo que possa, é uma má prática.

E, como é óbvio a minha argumentação é inválida. Só que ninguém apresentou contra-argumentos.

Isso é de um grande autismo... Várias pessoas o fizeram...

Há também a hipótese de ser alguém que se interessa sobre mercados.  Mas isto é uma hipótese que certo tipo de pessoas também não consegue ver.

Uma pessoa que se interessa por mercados, não publica esse tipo de informação sobre apenas uma empresa, principalmente não o faz exclusivamente a respeito de uma empresa do qual usa e que defende fanaticamente. Nem o faz numa assinatura... Essa tua afirmação é tão disparatada como facciosa.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Isso é de um grande autismo... Várias pessoas o fizeram...

Não. O que foi dito foi que a introdução de um novo formato do cartão não parece fazer sentido, ninguém comentou implicações práticas de cada uma das propostas apresentadas.

Uma pessoa que se interessa por mercados, não publica esse tipo de informação sobre apenas uma empresa, principalmente não o faz exclusivamente a respeito de uma empresa do qual usa e que defende fanaticamente. Nem o faz numa assinatura... Essa tua afirmação é tão disparatada como facciosa.

Tenho um portfolio com várias empresas, das quais a Apple está no topo há muitos anos. Está escrito em vários sítios que sou bullish na Apple e na IBM. Mas porquê? Fere-te a visão? Queres que passe a colocar os resultados da RedHat?

De qualquer forma, aquilo que acho é que como não tinhas mais nada, tiveste que ir buscar qualquer coisa que te satisfizesse o ego. A minha assinatura aparece em qualquer tópico em que eu escreva, daí que tens a oportunidade de utilizar esse comentário onde quiseres.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

Não. O que foi dito foi que a introdução de um novo formato do cartão não parece fazer sentido, ninguém comentou implicações práticas de cada uma das propostas apresentadas.

Não, não foi só isso que se disse... E por acaso comentou-se isso... Quer o ponto de vista da inovação, quer do ponto de vista da normalização.

Tenho um portfolio com várias empresas, das quais a Apple está no topo há muitos anos. Está escrito em vários sítios que sou bullish na Apple e na IBM. Mas porquê? Fere-te a visão? Queres que passe a colocar os resultados da RedHat?

De qualquer forma, aquilo que acho é que como não tinhas mais nada, tiveste que ir buscar qualquer coisa que te satisfizesse o ego. A minha assinatura aparece em qualquer tópico em que eu escreva, daí que tens a oportunidade de utilizar esse comentário onde quiseres.

Não, o que eu demonstrei, é que és um fanboy... Eu tou-me a cagar para qualquer empresa, não sou accionista de nenhuma e por mais que façam produtos de que eu goste eu não tenho relações afectivas com empresas, a minha relação com as empresas ou é comercial, ou laboral... E o meu comentário sobre seres fan boy, não tem nada a ver comigo, mas sim contigo, estou a adjectivar-te e não a mim. Acho é ridículo dizeres que não és, se achas que a Apple é tão boa e faz produtos tão bons, devias assumir essa tua opinião de forma aberta, devias sair do armário...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Não, o que eu demonstrei, é que és um fanboy... Eu tou-me a cagar para qualquer empresa, não sou accionista de nenhuma e por mais que façam produtos de que eu goste eu não tenho relações afectivas com empresas, a minha relação com as empresas ou é comercial, ou laboral... E o meu comentário sobre seres fan boy, não tem nada a ver comigo, mas sim contigo, estou a adjectivar-te e não a mim. Acho é ridículo dizeres que não és, se achas que a Apple é tão boa e faz produtos tão bons, devias assumir essa tua opinião de forma aberta, devias sair do armário...

Pois, o teu problema é só te preocupas com o que tem a ver com os outros.  Devias começar também a dedicar algum tempo a, por exemplo, com as relação afectivas com "organizações" que tu tens, ou adjectivares-te a ti próprio.

E a adjectivação é um recurso frequente de quem não tem argumentos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Eu sou aberto relativamente à Apple. Gosto dos produtos que faz e das abordagens de negócio que leva. Não quer dizer que esteja sempre de acordo com tudo. Exemplos disto são a descontinuação do segmento de servidores e de alguns produtos pro-level que já desenvolveu. Mas também percebo que eles têm uma visão de mercado que nenhum de nós tem e a prova disso já vêm desde o milénio passado.

Não sei se tens ideia, mas o nano-SIM não foi uma coisa que apareceu agora. Já há mais de um ano que se fala disto, e vem da necessidade de reduzir o espaço das componentes no interior dos telemóveis. A Apple propôs a eliminação do SIM por completo, permitindo que os utilizadores seleccionassem o operador e o serviço que pretendam directamente a partir do telemóvel, sem necessidade do cartão, mas os operadores móveis negaram essa possibilidade.

Já expliquei qual é o problema de tornar o SIM demasiado pequeno, e já expliquei porque é que acho que manter os conectores da mesma forma que os dos SIMs actuais é a melhor abordagem de entre as apresentadas. Por acaso essa proposta até é da Apple, o que te permitu arranjares um argumento "fantástico" para dizeres que a proposta é má. Mas repara que eu também posso responder a isso com o oposto:

"Haters gonna hate"

Agora que já tiramos isso do caminho, já podes dizer quais é que são os verdadeiros argumentos para a proposta da Apple ser pior que a da RIM ou a da Nokia?


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.