Ir para o conteúdo
lmalves

Aplicação com balanças industriais por RS232

Mensagens Recomendadas

lmalves

Boas tarde,

Estou a desenvolver um projecto onde pretendo ligar uma balança industrial com ligação RS232 a uma aplicação.

A aplicação é minha já está em funcionamento e pretendo apenas adicionar esta funcionalidade.

Nesta fase estou também encarregue da aquisição das balanças.

A minha questão é o modo de comunicação, já trabalhei anteriormente com porta COM mas não tenho ideia de como funcionará com a balança... Existe algum tipo standart de comunicação entre este tipo de dispositivos e PC ou cada fabricante tem o seu?

Resumindo, preciso de uma balança em que consiga "falar" com a minha aplicação. Basicamente a informação do peso a pedido.

Se alguém tiver experiência com alguma coisa similar agradeço umas dicas. Em relação as balanças tambem ainda não decidi qual o modelo

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
M6

Pela minha experiência com este tipo de dispositivos (não com balanças em particular) é que há fabricantes que um protocolo próprio e outros usam protocolos standard.

No caso do protocolo próprio este é muitas vezes uma variante de um protocolo standard.

Uma das coisas a obter antecipadamente do fabricante é precisamente a documentação técnica de forma a verificar que a comunicação é passível de ser feita, i.e. verificar que o fabricante mesmo tendo um protocolo próprio o disponibiliza para comunicação em vez de forçar a aquisição de um serviço adicional para implementação da comunicação.


10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
lmalves

Pela minha experiência com este tipo de dispositivos (não com balanças em particular) é que há fabricantes que um protocolo próprio e outros usam protocolos standard.

No caso do protocolo próprio este é muitas vezes uma variante de um protocolo standard.

Uma das coisas a obter antecipadamente do fabricante é precisamente a documentação técnica de forma a verificar que a comunicação é passível de ser feita, i.e. verificar que o fabricante mesmo tendo um protocolo próprio o disponibiliza para comunicação em vez de forçar a aquisição de um serviço adicional para implementação da comunicação.

Obrigado pela resposta M6

Já encontrei vários fabricantes e modelos que me agradam mas os protocolos normalmente eles não especificam muito mas já encontrei alguns, nomeadamente MT-SICS, CONtINU, CONtINU e DigiTOL no entanto estou a ter dificuldades em encontrar documentação ou exemplos.

Será muito difícil de "descobrir a linguagem" e criar as funções de leitura? Por exemplo ligando a balança a um PC com algum programa de comunicação com COM (ex putty). Eu não pretendo fazer configurações, apenas visualizar o peso a pedido.

É que o meu medo é comprar um equipamento e depois descobrir (por algum motivo) não me é possível fazer o que pretendo

Edit: para uma delas encontrei a seguinte informação:

COMMUNICATIONS PROTOCOL

The host computer sends requests to the scale in the form of single ASCII characters to perform various

tasks.  The scale sends responses back to the host computer as a string of ASCII numeric digits or as an

ASCII “?”  followed by a status byte. 

Assim sendo deverá ser fácil, enviar um determinado carácter ascii e ler a resposta.

Devem funcionar todas de forma semelhante certo?

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
M6

A minha experiencia diz-me que fazer reverse engeneering é uma hipótese, ajuda a compreender algumas situações mais mal documentas e é até bastante simples.

Basta usares um programa que leia da porta COM e te mostre os carateres ASCII que passam na porta e encontrar o padrão. Por vezes perde-se bastante tempo na configuração, paridade, etc..

Este caminho deve ser seguido apenas como último recurso.

Contacta os fabricantes e diz-lhes que estás a avaliar várias soluções e que para poderes fazer o teste necessitas da documentação técnicas da comunicação com a balança. Se eles não facultarem, bem, se calhar não querem fazer negócio contigo. :) Em especial, se não facultarem a documentação, não deves comprar uma dessas porque podes ficar agarrado.

Não conheço essas balanças, mas no limite, podes até perguntar se não há possibilidade de te emprestarem uma para testes. Se não for algo do tipo uma balança para pesar TIRs, por vezes é possível.


10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
lmalves

reverse engeneering era o termo que me faltava  :)

Já tenho alguma documentação técnica mas como é a primeira vez que trabalho com este tipo de equipamentos fico com algum medo..

A hipótese de pedir emprestado seria a ideal (é para pesar caixas entre poucos quilos até no máximo 100-150Kg), mas se não conseguir posso sempre tentar ir lá com o meu portátil fazer uns testes..

tnks

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
M6

De nada.

Tipicamente os fabricantes inteligentes costumam apoiar os potenciais clientes dando-lhes as melhores condições possíveis de forma a convencê-los a comprar a si e não à concorrência.


10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!

Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.

Entrar Agora

×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Este site usa cookies para disponibilizar funcionalidades personalizadas. Para mais informações visite esta página.