Ir para o conteúdo
  • Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #60 da revista programar. Faz já o download aqui!

thoga31

[Debate] Pascal vs. Delphi

Mensagens Recomendadas

thoga31

Muitas coisas tenho ouvido sobre o Pascal, o Object Pascal e o Delphi.

Decidi dar voz aos "especialistas" desta(s) linguagem/ns, bem como aos novatos. :)

Este é um tópico de debate, uma experiência minha e por conta em risco.*

As regras são simples: debatam a questão dentro das Regras do Fórum. Off-topic é permitido, mas dentro dos limites do bom-senso. Não aceitarei, claro, por exemplo, falarem do Sócrates que foi estudar Filosofia para França a armar-se em Sócrates, o Grego... :)

Quero ver um debate saudável e produtivo. Gostei do último debate que criei sem intenção sobre a utilização do GoTo. Agora vamos debater o Pascal e as suas LPs derivadas, bem como os seguintes pontos:

  • Quais as vantagens do Pascal sobre o Delphi, e vice-versa?
  • É o Pascal uma linguagem fraca? E o Delphi?
  • Onde entra o Object Pascal? É o mesmo que Delphi? Porquê? Quais as diferenças?
  • Que suporte a BDs têm estas LPs? E a outras ferramentas externas?

Espero tirar daqui boas informações para actualizar o nosso Tutorial de Pascal na Wiki. Por isso, contribuam! ;)

Cumprimentos. ;)


* - Se correr bem, pensarei em dinamizar mais debates. eheh


Knowledge is free! | Occasional Fortnite player

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
thoga31

Na hora da pergunta, pára aqui o mundo e três quintas. Na hora de fazer algo mais diferente, e que tenho a certeza que se tornaria divertido, "'tá quieto ó mau"... :bag:

Minha gente! Where are you? Y u no speak? :dontgetit:


Knowledge is free! | Occasional Fortnite player

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
apocsantos

    Boa noite,

    A linguagem Pascal ser fraca... Muito sinceramente não concordo, usei vários anos pascal, nunca tive problemas, mesmo sem windows faziam-se bons ambientes gráficos bastante atractivos em Pascal (Turbo Pascal, com a unit graph da Borland) com resoluções a variar entre os 640x480 e os 1024x768px. Falo do compilador da Borland porque no tempo do DOS (Disk Operating System), era o compilador de Pascal que "dava cartas e ditava regras".

    O Delphi foi quase o "Turbo Pascal" para Windows, a tirar partido do Windows, inicialmente da versão 3.x e mais tarde do 95 e NT 4.0. Penso que até certo ponto foi uma evolução natural. Tem a desvantagem de a Borland ter "fechado" mais a implementação Delphi do Object-Pascal, e por consequência apenas termos Delphi em Windows, uma vez que o Kylix (Delphi para *nix) foi descontinuado na versão 3.

    Inicialmente os pontos fortes do Delphi eram mesmo a interface com Base de Dados, nomeadamente com Oracle, depois começou a melhorar noutros pontos e a interface com Interbase (que deu origem ao FireBird), tornou mais apetecível usar Delphi, ao invéz de outra implementação de Object-Pascal.

    Object-Pascal e Delphi não são sinonimos, Delphi é uma implementação de Object-Pascal, como Lazarus é outra, e existem mais algumas.

    Suporte a base de dados, Delphi inicialmente tinha como ponto forte o suporte a Oracle (Se queres falar com o Oraculo vai a Delphus), se precisas de comunicar com uma BD Oracle usa Delphi, e depois estendeu o suporte para outros SGBD's dos quais se destacam Paradox, Informix, InterBase e podia continuar, pois o IDE Delphi traz componentes para praticamente todos os motores de base de dados. (Mesmo tendo o Delphi um nome de origem Grega, não estudou filosofia, não é Português e não se formou na Independente) :)

    Existe muito ainda por dizer, mas de forma resumida Pascal será sempre Pascal e não creio que vá "desaparecer" ou "morrer" com uma IDE qualquer, uma vez que Pascal já sobreviveu a grandes falhanços e grandes sucessos no mundo da informática e ainda assim continua cá! Com muitas implementações diferentes, mas "vivo e de boa saúde". Para terminar podias ter mensionado que existe uma implementação de Object-Pascal para OS/2 o WDSibyl. :D

Cordiais cumprimentos,

Apocsantos


"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo

Essencialmente, o Pascal "simples" não tem vantagens sobre Delphi, uma vez que o próprio Delphi é uma implementação de todo o Pascal "simples" com bastantes acréscimos (a maioria dos quais foram informalmente considerados standard, visto que, como o apocsantos disse, na altura era o compilador da Borland que ditava as regras).

Quanto ao facto do Pascal ser uma linguagem fraca:

  • Stardard Pascal é uma linguagem severamente limitada. Mas temos que reconhecer que já ninguém usa isto.
  • Extended Pascal é uma linguagem perfeitamente capaz.
  • Dialectos Borland-like são igualmente capazes (surgiram antes do Extended Pascal para corrigir os defeitos do Standard Pascal)
  • Object Pascal (implementado também nos produtos da Borland, e com outras implementações por aí fora) é a adição de suporte para POO à linguagem

Ou seja, o Object Pascal não é o mesmo que Delphi (se formos fundalmentalistas). No entanto, o que se vê na prática é que na maioria dos casos onde se usa Object Pascal usa-se Delphi, e assim Delphi é, hoje em dia, quase um sinónimo de Pascal e Object Pascal.

Quanto à parte das bases de dados nunca tive a experiência de trabalhar muito com elas, mas do pouco que fiz, posso dizer que o Delphi facilitava imenso o trabalho.

De facto, era tão simples de usar que eu cheguei a perguntar-me o porquê das pessoas utilizarem o Access e não algo como o Delphi.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
thoga31

Há quem diga que o Delphi é uma linguagem para esquecer simplesmente pelo facto de não haver bons IDEs gratuitos disponíveis, e muitos dos que existem são mais caros que o AutoCAD. Só o Pascal e Object Pascal têm bons IDEs e gratuitos.

Concordam com esta opinião de muitos?


Knowledge is free! | Occasional Fortnite player

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
apocsantos

    Boa noite,

    Na altura era o compilador da Borland a ditar as regras porque era a Borland a fazer as melhorias mais significativas na linguagem Pascal, e algumas delas acabaram tornando-se Standard.

    O Standard Pascal já sofreu imensas alterações e algumas delas bem severas. Ainda assim continua a ser uma boa linguagem para quem está a iniciar-se na programação, e não a considero menos capaz que as restantes. Dentro de certos aspectos Pascal esteve muito à frente do seu tempo, e liderou o caminho.

    A Apple chegou a ter a sua própria versão de pascal e não podemos deixar de reconhecer que o MacPaint foi feito parte em Pascal e parte em Assembly, conforme se pode confirmar neste site: http://www.computerhistory.org/highlights/macpaint/ onde está disponível para download o código-fonte do MacPaint. Uma das vantagens do Pascal (linguagem) foi sempre a simplicidade com que interagia com Assembly.

    Ainda existem programas em uso comercial feitos em Pascal (compilados e dependentes do compilador da Borland, o Turbo-Pascal), que são mantidos, porque simplesmente não compensa refazer a aplicação numa outra linguagem.

    Podemos usar Lazarus como "substituto" do Delphi, apesar do Lazarus ainda ter um longo caminho a percorrer para atingir um nível "competitivamente produtivo" e infelizmente está a ficar cada vez mais para traz...

    Quanto ao suporte a BD's em Pascal tens pouco, mas existem boas units para suporte a base de dados. Claro que em object-pascal as coisas ficam facilitadas e existem muitas mais, mas lá está o Delphi destacou-se neste campo por causa da sua excelente interface com Oracle, o que não significa que seja apenas a implementação da Borland a ter bom suporte para base de dados. Da mesma forma que ter o nome Sócrates, não significa que se seja um bom filosofo, e muito menos grego! :D É tudo uma questão de implementação. Cada implementação de pascal tem as suas vantagens, sendo que o Delphi neste momento "lidera", mas a liderança acaba sendo relativa, e não passando disso, pois nada garante que um destes dias não aparece uma implementação de object-pascal claramente superior e mais produtiva.

Cordiais cumprimentos,

Apcosantos


"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
apocsantos

    Boa noite,

   

Há quem diga que o Delphi é uma linguagem para esquecer simplesmente pelo facto de não haver bons IDEs gratuitos disponíveis, e muitos dos que existem são mais caros que o AutoCAD. Só o Pascal e Object Pascal têm bons IDEs e gratuitos.

Concordam com esta opinião de muitos?

    As opiniões são exactamente opiniões, toda a gente tem uma e o direito de a exprimir. Pessoalmente acho essa ideia uma treta, uma ideia peregrina. A IDE Delphi é cara, realmente é, mas existe o Lazarus, que é semelhante, está a evoluir, e consegue-se produzir com ele, não tão rapidamente como com Delphi, mas a pratica faz o monge.

    O Autocad existe à muitos anos e continua a liderar o mercado. Tem graça que é realmente dispendioso, mas continua a vender, continua a haver procura das licenças do produto e de formação em Autocad e existem produtos mais baratos e até mesmo gratuitos e livres no mercado, mas a procura continua a ser Autocad da Autodesk.

    Delphi não vejo como uma linguagem para esquecer, vejo como uma ferramenta que já trocou de mãos demasiadas vezes num "mundo em convulsão", mas que continua a ter mercado, continua a ser detentora de uma boa fatia de mercado e futuramente as implementações open-source, um dia vão acabar por atingir um nível suficientemente bom para se tornarem apetecíveis, e o IDE + Compilador Delphi, vão acabar por perder tanta "importância".

    De qualquer das formas a minha discórdia dessa opinião é firme. Existem muitos programadores "fãs" de Delphi e não creio que todo o esforço feito em torno do Delphi acabe assim de "um momento para outro".

Cordiais cumprimentos,

Apocsantos


"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo
Na altura era o compilador da Borland a ditar as regras porque era a Borland a fazer as melhorias mais significativas na linguagem Pascal, e algumas delas acabaram tornando-se Standard.

O Standard Pascal já sofreu imensas alterações e algumas delas bem severas.

Quero apenas acrescentar que essas alterações constituem o Extended Pascal. O Standard permanece essencialmente igual, sem algumas coisas fundamentais (como por exemplo módulos).

Além disso, só existe um compilador que implementa todo o Extended Pascal actualmente (e só corre em windows).

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
apocsantos

    Bem visto.

    Aqui fica um link para um dos documentos do standard Pascal ISO 7185 http://www.standardpascal.com/The_Programming_Language_Pascal_1973.pdf

    Tens razão foi no standard extended-pascal, distracção minha. O BGI Borland Graphics Interface, foi uma das grandes inovações da implementação de Pascal da Borland, tal como a unit crt. :D

    Pascal é tão antigo e ainda dura, que é quase como "assembly" mas mais produtivo. :D

Cordiais cumprimentos,

Apocsantos


"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
nunopicado

Efectivamente, não se pode dizer que o Pascal per se tenha grandes vantagens sobre o Delphi. Eventualmente a velocidade em programas mais simples, mas além deste argumento ser discutível, é nesses programas simples que não se notam grandes diferenças de velocidade, pelo que a diferença é puramente académica.

Vantagens reais (serão ou não?) são baiscamente algumas units que existem para Pascal, e não existem para Delphi, mas isto levanta a questão:

- Units podem-se fazer ou não para qualquer um deles, Pascal ou Delphi, pelo que é um argumento falacioso... A questão aqui não é no Pascal vs Delphi (enquanto dialetos Pascal) mas sim no "Xpto Pascal" vs Delphi (enquanto compilador)

Agora, o que há é o problema, lá está, do compilador.

As pessoas muitas vezes confundem compilador com linguagem, e depois falam mal de uma linguagem porque o compilador que usam é basicamente... "coiso"! É o caso flagrante do PascalZim, que é apenas uma amostra de pascal, mas é o que se usa pelas escolas fora, por professores que depois dizem que o pascal é fraco, e os alunos assumem aquilo como grande verdade, porque o Tico e o Teco (50% da força trabalhadora do próprio cérebro) andam chateados com o Debi e o Loide (os outros 50%).

Ponham um compilador arcaico como o Turbo Pascal 5.5 ao pé do actual PascalZim, e os "putos" vão para o PZIM, pois já tem IDE em windows (ainda que os programas sejam em consola na mesma, mas isso é "porque a linguagem é fraca").

Mas digo eu, ponham o TP 5.5, arcaico e tudo, ao pé do PZIM, e... bem, não ponham, não há comparação possível!

Isto para dizer o quê? Pascal, não é nem de longe uma linguagem fraca. Fracos são os anormais que falam isto sem conhecer a linguagem (se a conhececem não diziam que era fraca).

E o Delphi? Bem, ponham-me o Delphi e o C++ lado a lado, e estou ainda para ver algo feito num que não seja possível fazer no outro! De maneiras diferentes? Sim, com certeza! Mas que dá, dá!

Object Pascal...

Programação orientada por objectos não é de agora. O TP 5.5 de 1989 foi a primeira (tanto quanto sei) implementação de Pascal que suportava isto. Simplesmente é um paradigma que só mais recentemente começou a ter mais adeptos. Na altura, poucos se importavam com isto (eu incluido). Ainda hoje, não é obrigatório, nem sequer melhor ou pior, trabalhar em POO. É uma maneira, como há tantas.

Como o resto da linguagem, e como todas as linguagens activas, foi sendo remodelado, extendido, modificado, de maneira a evoluir na direcção que se espera ser melhor, mas a base é a mesma.

Se é o mesmo que Delphi? Volto a dizer, TP 5.5 já tinha, e não é Delphi. FreePascal tem, e não é Delphi.

A questão é que o Delphi levantou de tal modo a fasquia, que a tendencia em todos os outros é procurar imitá-lo, e tentar compatibilizar-se cada vez mais com o Delphi (tal como o Turbo Pascal o tinha feito desde há 30 anos).

Quanto ao suporte a BD's...

O Delphi é uma das linguagens mais vocacionada para trabalhar com BD's (o proprio nome foi escolhido a pensar em BD's).

Houve uma altura em que se criou uma má fama que ainda hoje persiste. Não é preciso muito para houvir falar mal da famigerada BDE pela net fora.

Eu próprio já falei tanto mal dela. Afinal, quando resolvi passar uns softwares que tinha feito em Turbo Pascal para Windows, resolvi usar a BDE e... Erros por todo o lado!

É a BDE dizia eu!

Não, não era! Era eu que não sabia trabalhar com ela!

Hoje a BDE para mim é inutil, pois como não gosto de depender do ODBC do Windows, prefiro usar um componente externo, o ZeosLib, para comunicar com as bases de dados, e que usa acesso directo à BD através das DLL's do próprio motor de DB.

Mas os erros que me deu a BDE, este também deu, ao inicio. Depois aprendi a trabalhar com ele, e agora já não dá!

O que nos trás de volta ao tema de conversa:

Fraco só é para quem não sabe usar!

PS: Já agora, e como prova de que Pascal continua a ter aceitação temos o caso do Prism / Oxygene, imprementações puramente .NET mas baseadas em Pascal. A evolução continua, falta é acompanhá-la correctamente!


"A humanidade está a perder os seus génios... Aristóteles morreu, Newton já lá está, Einstein finou-se, e eu hoje não me estou a sentir bem!"

> Não esclareço dúvidas por PM: Indica a tua dúvida no quadro correcto do forum.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
apocsantos

    Boa noite,

    Tudo o que fazes com C++ consegues fazer com Pascal, de forma diferente mas consegues.

    Quando falas do "famigerado" BDE, eu até compreendo, aquela "coisa" era um bocado rudimentar e tinha alguns problemas com o Windows, mas a Borland quis suportar os formatos de base de dados do paradox e do dbase... e acabou fazendo uma coisa que iria fazer muitas coisas, mas fazia todas "da forma mais difícil".

    É um facto que se confunde muito IDE com Linguagem de Programação e isso é um grande defeito. Mas a culpa em parte é de quem ensina, que ensina erradamente, a outra parte é de quem aprende que não se esforça minimamente.

    Exemplo mais flagrante da qualidade do pascal como linguagem logo nos inícios da década de 80 é o MacPaint, que foi feito em Pascal e Assembly.

    Pessoalmente uso Delphi, tenho software feito em Delphi e não vou porta-lo para outra linguagem porque não me compensa, além de que tenho a licença do compilador, porta-lo era ficar com uma licença obsoleta, além do trabalho que iria dar.

    A implementação da Oxygene, infelizmente a actual Embarcadero, meteu-lhe as "unhas" em cima. Doutra forma creio que sairia uma excelente implementação de Pascal com um preço aceitável.

Cordiais cumprimentos,

Apocsantos


"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
nunopicado

@apocsantos: Onde é que eu ponho um "Gosto"?  :D


"A humanidade está a perder os seus génios... Aristóteles morreu, Newton já lá está, Einstein finou-se, e eu hoje não me estou a sentir bem!"

> Não esclareço dúvidas por PM: Indica a tua dúvida no quadro correcto do forum.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo
a culpa em parte é de quem ensina, que ensina erradamente, a outra parte é de quem aprende que não se esforça minimamente

Exacto. Por exemplo, pegando no exemplo do PascalZIM, é actualmente inaceitável que isso seja utilizado nalgumas aulas.

Existem actualmente implementações livres de Pascal (como o Free Pascal) e há versões antigas do Turbo Pascal disponíveis para download no site da Embarcadero... é pura e simplesmente estúpido mostrar o PascalZIM aos estudantes.

Embora seja sempre didáctico começar por coisas mais simples, a mentalidade por trás de quem encoraja o uso do PascalZIM deve ser algo do tipo "ser fácil compilar e executar", o que é absurdo.

A minha opinião é que qualquer aluno que pretenda aprender a programar tem de saber compilar um programa sem depender de um IDE, e se tirarmos isso... o PascalZIM não é nada mais que um Pascal ao qual se cortaram dois braços e uma perna (metafóricos).

Já agora, quero aqui dizer uma vez mais que o PascalZIM não é sequer um compilador. Está mais que evidenciado no próprio site do programa que o PascalZIM é um interpretador para um subset da linguagem Pascal; os executáveis por ele criados são apenas uma concatenação do executável do interpretador com o código a interpretar.

(provavelmente o autor do PascalZIM apercebeu-se do mau uso que tem tido a sua criação e fez um esforço extra por referir isto claramente no site).

Quanto às diferenças Pascal / Delphi em termos de linguagem... o Delphi é claramente superior ao Standard Pascal (dificilmente não se é superior) e mesmo relativamente ao Extended Pascal (embora claramente diferente).

No que diz respeito às várias implementações disponíveis, Delphi continua a ser o melhor compilador por motivos óbvios, mas o Free Pascal está num bom caminho.

Comparar com C++ é algo interessante, visto que é considerada a melhor linguagem para muita coisa (o que é muito discutível). Pascal tem uma sintaxe extremamente mais legível (nem tem comparação), apesar de ser também uma sintaxe mais rígida (e por alguns tida como mais limitada, menos expressiva).

Não estou a par de como a linguagem evoluiu desde o Delphi 7, mas sei que suporta coisas como programação genérica, entre outras.

Free Pascal também está a progredir muito nesse caminho... o que significa que actualmente temos implementações (gratuitas e pagas) que nos permitem programar num estilo confortável, numa linguagem que está a par da actualidade no que diz respeito a funcionalidades. Não há desculpa para desacreditar o Pascal (só mesmo a ignorância).

Queria pedir a quem puder: silenciosamente instalem o Free Pascal nas escolas e apaguem o PascalZIM lool

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
joseley94

Desculpem interromper a conversa dos pros, o que penso do pascal:

Primeiro de tudo foi com o Pascal que eu tive a primeira vez com o ecra preto e branco.

Antes de saber que me ela trai com outras cores.lol

E foi a minha primeira linguagem e n tenho nada a reclamar porque para iniciantes que n faziam complexos projectos.

Se calahr com os projectos de hoje poderia ver a bengala roida do velho pascal.

Mas com a experiencia ue tenho é uma otima ferramenta pa iniciar a programar, ter as bases, faxer os algoritimos, lol, coisa que apreendemos mas ja n faz parte do procedimento.

Mas devia...

Bem esta é a minha impressão do pascal otimo pra iniciar e desenvolver pequenos projecto, pequenos em complexidade


Feliz Ano Novo Corrigam-me se estivem errado!!http://www.fairyshamo.xpg.com.br/

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo

joseley94,

Na realidade, há muitos programas complexos feitos em Pascal (ou Delphi), mas normalmente não se fala muito nisso.

Repara: os compiladores de Pascal (excepto o GNU Pascal, que é feito em C) são compilados com eles mesmos, o que implica serem feitos em Pascal. Fica assim confirmada a capacidade do Pascal para projectos complexos.

De facto, só não existem muitos projectos complexos feitos em Pascal porque há muita gente que desde pequenina é ensinada que "Pascal só dá para coisas pequenas e simples" e quando chega a altura de fazer algo complicado partem para novas linguagens.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
joseley94

pedro-kun

Concordo completamente "Pascal só dá para coisas pequenas e simples" sempre ouvi os mais experientes, gente grandinha, a falar esta frase, não exactamente assim.

Pela complexidade de projectos, com certeza estava a falar sem saber, mas, penso que a associação de pascal a fraco, está em ser fácil de apreender as coisas mais básicas e ser uma linguagem com semelhanças a outras mais famosas.

Se calhar ao tentar fazer o mesmo que fazemos numa linguagem famosa e em pascal, pascal teria um código mais complexo em convergência as facilidade das "coisas básicas" e em outra linguagem teria mais facilidades.

Mas a complexidade do código na maioria das vezes tem pouco a ver com facilidade de escrever codigo, mas, sim com a performance da linguagem na maquina.

A diferença de performance de linguagens é visível em grandes operações.

O poder da linguagem n esta so n sua capacidades de funções ou facilidade de escrita, mas sim na hora da execução e na possibilidade de trabalhar com níveis perto da maquina.

Então a velha historia de que pascal é fraco em relação a outras linguagens é devido a programadores preguiçosos ? lol


Feliz Ano Novo Corrigam-me se estivem errado!!http://www.fairyshamo.xpg.com.br/

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo
O poder da linguagem n esta so n sua capacidades de funções ou facilidade de escrita, mas sim na hora da execução e na possibilidade de trabalhar com níveis perto da maquina.

Pascal (como implementado em Delphi, Free Pascal) é perfeitamente capaz de trabalhar tão "perto da máquina" quanto tu queiras, e permite-te escrever assembly dentro do programa se for preciso descer a tal ponto (tal como C).

Se calhar ao tentar fazer o mesmo que fazemos numa linguagem famosa e em pascal, pascal teria um código mais complexo em convergência as facilidade das "coisas básicas" e em outra linguagem teria mais facilidades.

Depende muito da tarefa em questão. No caso de C/C++ vs Pascal isto só é verdade se estivermos a falar de coisas para as quais já existem libraries pré-feitas, como por exemplo motores 3D para jogos, etc. Mas isso não é um problema da linguagem.

Se pegarmos num exemplo mais básico (e relacionado com a linguagem), como por exemplo a definição de tipos de dados por enumeração, conjuntos, e mesmo a criação de programas com múltiplos ficheiros de código... as implementações actuais de Pascal fazem muito mais sentido que C/C++.

Então a velha historia de que pascal é fraco em relação a outras linguagens é devido a programadores preguiçosos? lol

Sim, isso e muita falta de informação.

Já disse isso a outros membros aqui do fórum, mas repito-o para que fiques a saber: quem aprende Pascal numa escola nunca aprende Pascal decentemente, porque regra geral, todas as escolas ensinam Pascal mal.

Só as pessoas que aprendem Pascal por si próprias (e que estranham as críticas aparentemente infundadas) chegam a descobrir que afinal há muita mentira por aí fora.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
nunopicado

A minha opinião é que qualquer aluno que pretenda aprender a programar tem de saber compilar um programa sem depender de um IDE, e se tirarmos isso... o PascalZIM não é nada mais que um Pascal ao qual se cortaram dois braços e uma perna (metafóricos).

... e mais qualquer coisa!  :D ;)

Bem esta é a minha impressão do pascal otimo pra iniciar e desenvolver pequenos projecto, pequenos em complexidade

Então a velha historia de que pascal é fraco em relação a outras linguagens é devido a programadores preguiçosos ? lol

Não diria tanto programadores preguiçosos...

Há aqui algumas situações que convergem para que isto aconteça:

1. Professores... como direi... BURROS e ignorantes, que ensinam algo que não conhecem

2. Ministério da educação... como direi... INCOMPETENTE que mete professores BURROS a ensinar algo que não conhecem

3. Alunos que se estão... como direi... marimbando para as aulas e para a matéria que nela é ensinada. Não têm cabeça para pensar por si mesmos e analisar o que está bem ou mal. Como pensar dá muito trabalho, optam por aceitar como certo tudo o que ouvem, ou melhor, tudo o que retêm da atenção que dão ou não às aulas.

4. Stigmata:

Os três primeiros pontos são o motor de um ciclo infinito, ciclo esse que é constituido por um estigma originado pelo objectivo inicial do Pascal.

Quando foi desenvolvido, o Pascal foi feito para mostrar a estudantes os principios básicos da programação.

O agora chamado Standard Pascal era realmente muito limitado nas suas capacidades, mas extremamente avançado na sua estrutura, tanto assim que cedo foi expandido (Extended Pascal), derivado (Modula, Oberon, Object Pascal, Delphi, Oxygene/Prism, etc).

Uma das grandes vantagens consideradas dos compiladores Pascal, especialmente a partir do Turbo Pascal, foi exactamente a sua velocidade de execução, que se equiparava a linguagens de mais baixo nível.

No entanto a sua origem académica, e as suas limitações iniciais mantiveram um estigma de fraco, mesmo quando todas as limitações iniciais já foram corrigidas, e quando os mais recentes paradigmas de programação já foram previsto nas implementações actuais da linguagem.

Muito contribuiu para isto um artigo do americano Ed Post, dizendo que programadores a sério não usam Pascal (aqui) .

No entanto, quem continua a citar e pensar segundo este artigo, ainda não deve ter lido a data: 7 de Julho de 1983, quase 5 meses antes de ser lançado o Turbo Pascal, o compilador que começou a ®evolução do Pascal para aquilo que é hoje (20 de Novembro de 1983).

A juntar a isto está a própria facilidade de aprendizagem da linguagem, que não caiu bem no estômago de programadores de outras linguagens (talvez com medo que a concorrência começasse a aumentar na profissão).

Este estigma tem um equivalente numa outra área, a fotografia.

São comuns as vozes que dizem que os profissionais só fotografam em modo Manual, e que o automático é para totós. É normal até que quem não percebe (mas acha que sim e/ou acha de quer perceber) pensar que tem de usar o modo Manual para tirar boas fotografias.

E depois agarram e metem a camara em modo manual para tirar melhores fotos, mas para acertarem na exposição usam aquele "graficozinho" que aparece lá dentro, que é como quem diz, usam o fotómetro da camara, que é como quem diz, fazem exactamente o mesmo que a camara em modo automático, com a diferença de que há maior probabilidade de erro.

Um fotógrafo a sério (profissional ou não), usa a ferramente que precisa para um determinado trabalho, no modo que melhor faça o trabalho, dentro do seu conhecimento e das limitações que o proprio trabalho impõe.

Um fotografo a sério não tem problemas em usar o modo auto, se for esse que melhor o ajude a fazer o trabalho.

Do mesmo modo, um programador a sério não se deixa levar em preconceitos sobre esta ou aquela linguagem.

Usa a que melhor faça o trabalho, dentro dos seus conhecimentos e do que o trabalho impõe.


"A humanidade está a perder os seus génios... Aristóteles morreu, Newton já lá está, Einstein finou-se, e eu hoje não me estou a sentir bem!"

> Não esclareço dúvidas por PM: Indica a tua dúvida no quadro correcto do forum.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
thoga31

@joseley94, aprimora aí mais o teu português, e evita as abreviaturas "n" e assim.


Não vou fazer quotes, mas vou dar umas achegas da minha opinião.

Também tinha a infeliz ideia de que "Pascal é para coisas simples e fracas", e por isso parti para VB.NET muito cedo. Comecei a abordar POO nessa linguagem já que ela funciona melhor com código reutilizável.

Até que, recentemente, abordei o POO... em Pascal! E descobri que é estupidamente mais simples do que o VB.NET, e isto é algo surpreendente visto que VB foi uma linguagem que, praticamente de origem, foi feita para trabalhar com base no POO e Pascal não.

Pascal não mudou a sintaxe, apenas acrescentou umas palavras reservadas. E o problema é que começaram a dar nomes diferentes a "Pascal", como por exemplo "Delphi", criando a impressão que Pascal é rudimentar e isto implica, misteriosamente, uma ignorância para as suas derivadas.

Lanço, daqui, uma pergunta: Porque é que se deu tantos nomes a cada derivado do Pascal? Nem são bem derivados! Outras linguagem evoluíram drasticamente e ainda mantêm os seus nomes originais, mantendo a "boa imagem" da linguagem, e Pascal perdeu, em parta, à conta de tanto nome.


Knowledge is free! | Occasional Fortnite player

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo
Lanço, daqui, uma pergunta: Porque é que se deu tantos nomes a cada derivado do Pascal? Nem são bem derivados! Outras linguagem evoluíram drasticamente e ainda mantêm os seus nomes originais, mantendo a "boa imagem" da linguagem, e Pascal perdeu, em parta, à conta de tanto nome.

Essencialmente porque o Pascal propriamente dito é um standard, e as linguagens dele derivadas não :)

Repara que o Extended Pascal é consideravelmente diferente do Pascal usado em Delphi ou Free Pascal.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
apocsantos

    Boa noite,

    Não precisas de procurar muito para perceber que C Sharp (Dó Sustenido), é diferente de C em muita coisa, da mesma forma que Basic é bastante diferente de Visual Basic. Até o Java, chegou a ter "derivados", mas que foram "terminados" rapidamente.

    Pascal é uma linguagem que é vista como o "parente rasca do C", na realidade o que fazes em C fazes em Pascal. A linguagem Pascal teve tantos nomes diferentes, porque cada fabricante de compiladores dava-lhe o nome que queria, mas não só ao compilador, mas ao conjunto de ferramentas (compilador + bibliotecas + editor). A ideia generalizada do Pascal é um erro, ainda assim, perdura e não lhe vejo um fim.

Cordiais cumprimentos,

Apocsantos


"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo

Quero apenas acrescentar algo ao que o apocsantos disse.

O facto do Delphi se chamar Delphi e não Pascal XPTO é até muito benéfico, visto que muita gente poderia nem sequer considerar o Delphi uma opção se soubesse que a linguagem subjacente é Pascal (graças à má fama).

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
thoga31

Do BASIC há muitos derivados, e eu conheço essecialmente dois: VB e TI-Basic.

Pascal também evoluiu muito, e compreendo a mudança de nomes. Mas houve algo que fez crer às pessoas (aka profissinais nalguns e infelizes casos) que Pascal parou no tempo, enquanto que noutras, como BASIC, tal não aconteceu. O que é este "algo"?

Quero apenas acrescentar algo ao que o apocsantos disse.

O facto do Delphi se chamar Delphi e não Pascal XPTO é até muito benéfico, visto que muita gente poderia nem sequer considerar o Delphi uma opção se soubesse que a linguagem subjacente é Pascal (graças à má fama).

Mas antes de ver esta "benece", há que ver de onde vem a má fama do Pascal. ;)

Vou ser muito directo: acho problemático programadores de Pascal e derivados verem antes do problema, a benece da solução...


Knowledge is free! | Occasional Fortnite player

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
pwseo

Não estás a perceber. Pascal evoluiu muito, é verdade, mas aquilo que tu consideras Pascal é um derivado do Pascal e, portanto, com direito a outro nome.

Existe um standard para o Pascal e é incorrecto considerar as outras linguagens como sendo Pascal. São derivados de Pascal... não consegues pegar num programa Delphi e compilar com GNU Pascal porque a própria sintaxe é bastante diferente (não estou a considerar as units em falta porque isso não é relativo à linguagem mas sim à plataforma).

Quanto ao "algo" a que te referes, uma das respostas é o marketing. De quem é o VB? lol.

E repara que a má fama do Pascal é irreparável (não em teoria, mas em termos práticos), por isso mais vale salvar-se quem puder.

E se o Delphi é algo por si só bastante melhor que o Pascal standard, porque não dar-lhe outro nome? isto em termos de marketing (mais uma vez) importa muito.

Pascal: linguagem educacional

Delphi: linguagem muito boa para BD

C/C++:  o que a indústria costuma gostar

Preconceitos destes justificam em parte um nome diferente :)

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
joseley94

Eu de Delphi sei muito pouco, alias, só sei o nome.

Ouvi dizer que foi em Delphi que se fez o Windows? É uma duvida.

E sei que é uma linguagem, mas, tem algo mais em especifico?

E o que tem a mais do que o Pascal, o pioneiro?

Alguém me explica o que é "benece"? Não encontrei significado.


Feliz Ano Novo Corrigam-me se estivem errado!!http://www.fairyshamo.xpg.com.br/

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!

Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.

Entrar Agora

×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Este site usa cookies para disponibilizar funcionalidades personalizadas. Para mais informações visite esta página.