Jump to content
jpaulino

Encerramento das Juntas de Freguesia

Concordam com o encerramento das Juntas de Freguesia?  

26 members have voted

  1. 1. Concordam com o encerramento das Juntas de Freguesia?

    • Sim
      13
    • Não
      9
    • Talvez (se as juntas concordarem)
      4


Recommended Posts

jpaulino

Gostava de saber qual a vossa opinião sobre o Encerramento das Juntas de Freguesia.

Este fim de semana (2/3 de Dezembro 2011) está a decorrer em Portimão o congresso da ANAFRE (Associação Nacional das Freguesias) onde se está a definir medidas de luta e acções contra esta medida do governo que, na opinião da mesma, é muito prejudicial para o País.

O que acham? Respondam também à votação. ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Warrior

Acho que já devia ter sido feito há bastante tempo, não só com algumas freguesias mas também com alguns concelhos.

Principalmente nas grandes cidades, as freguesias são demasiado pequenas para a percepção e necessidades da população.

Só duvido que se consigo qualquer poupança com isto, graças ao fantástico plano de mobilidade..

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

Nim!

Eventualmente pode haver alguma poupança com a extinção de algumas freguesias em algumas cidades. Mas isso é uma questão que tem que ser provada com estudos em cada um dos casos.

Não tem que depender das juntas a possibilidade de se ter permissão para fazer isso (na minha opinião). A permissão deve depender apenas da legalidade e da vontade popular (segundo um dos principais princípios da Constituição da República a soberania pertence ao povo). Mas isto não quer dizer que as freguesias não devam ser ouvidas.

Sou da opinião que deve haver um periodo de estudo um de consultas e depois referendos locais.

Há também outras soluções que hipoteticamente podem ser consideradas. Como por exemplo juntar serviços das freguesias e criar outras soluções de economia de escala.

Share this post


Link to post
Share on other sites
thoga31

Freguesias que estão todas na mesma cidade: porque não? Em vez de, por exemplo, Freguesia de Santa Maria, disto e daquilo na Covilhã (são umas 3 ou 4 que abrangem só e tão somente a cidade), ser só a Freguesia da Covilhã, concordo.

Agora andar a fazer corte e custura nas freguesias às cegas e algumas sem nexo, isso não.

Suspeito seriamente que este assunto vai dar pano para mangas... e camisolas... e cortinados... 🤔


Knowledge is free!

Share this post


Link to post
Share on other sites
jpaulino

Como presidente de uma pequena junta de freguesia e por saber o trabalho que se faz e a importância que esta tem para a população, só podia estar contra esta medida.

A juntas de freguesia fazem, na grande maioria, um trabalho muito para além das suas competências. Nós temos um posto público de internet, serviço de enfermagem gratuito, posto de ctt, pagamento de águas, luz, reformas aos idosos, etc, etc. É um serviço importante para a população e que se esta acabar, irá deixar de o fazer.

Além disso e caso não saibam, o valor total que é transferido para as juntas de freguesia representa 0,1% do orçamento de estado.

Há quem fale em tachos, em roubos, etc, mas não é por um caso isolado ou outro que se pode generalizar. Em todo o lado existem pessoas boas e más, mas é inegável o trabalho que as juntas de freguesia fazer e a sua importância.

Só posso concordar caso as próprias juntas de freguesia cheguem a acordo por considerarem que a junção possa ser uma mais valia para a população.

Share this post


Link to post
Share on other sites
progster

Boa noite.

Sou a favor do fecho das juntas de freguesia, mas só nas cidades, pois as juntas das aldeias são uma mais valia para a população, em especial as pessoas da terceira idade.

Cumprimentos.


Não resolvo dúvidas por PM.

Share this post


Link to post
Share on other sites
thoga31

@jpaulino, freguesias que estão na mesma cidade podem ser juntas numa só, ou não concordas mesmo nem nesse caso?

Como presidente de junta, saberás responder melhor a esta questão do que eu, mas confesso, desde já, que sempre me questionei o porquê de diversas freguesias exactamente na mesma localidade (cidade)... 🤔

EDIT: não falo de Lisboa ou Porto, uma só Junta seria absurdo. Mas em cidades mais pequenas é algo "exagerado", penso...


Knowledge is free!

Share this post


Link to post
Share on other sites
jpaulino

Como presidente de junta, saberás responder melhor a esta questão do que eu, mas confesso, desde já, que sempre me questionei o porquê de diversas freguesias exactamente na mesma localidade (cidade)... 🤔

Isso tem tudo a ver com a dimensão.

Uma cidade só com uma junta de freguesia acabava por não conseguir responder à população. Primeiro porque se precisares de te dirigir à junta poderás ter de te deslocar kms, mas o pior é que uma junta de freguesia apenas não tem capacidade para responder às inúmeras tarefas que tem: apoio às escolas, movimento associativo, pequenas obras, conservação de mobiliário urbano, parques infantis, jardins, etc, etc. As pessoas não têm a noção do trabalho que as juntas de freguesia fazem e assim acabava por perder um factor muito importante: proximidade com a população e resposta rápida.

Algumas tarefas são da responsabilidade das câmaras municipais, mas se uma junta for responsável pela cidade toda, não vale a pena existir junta. Por exemplo Setúbal tem cerca de 90.000 habitantes, Coimbra mas de 100.000, e agora repara quantas escolas existem, quantas associações, comissões de moradores, etc, etc.

Em alguns casos até posso concordar que se podiam juntar, mas no geral não.

Share this post


Link to post
Share on other sites
taviroquai

É mais uma medida anti-social em prol da suposta recuperação económica. Mais uma para encher a barriga de alguns engravatados... o Zé Povinho é que paga...

Vou-me fartar de rir (ou chorar) quando o euro deixar de ser moeda única... depois quero ver a quem vão pedir contas!

Share this post


Link to post
Share on other sites
thoga31

Não sei a quem vão pedir contas... ah, espera, já sei... deixa ver se adivinho... a função pública? Ah pois é, tem sido sempre assim, segundo dita a História de Portugal pós-1975, não é? :cheesygrin:


Knowledge is free!

Share this post


Link to post
Share on other sites
pedrotuga

Wowowow pára tudo!

Um dos adminitradores do nosso fórum é presidente da junta! WIN! O nosso fórum pwona  😎

Eu só estaria de acordo se fosse fora deste contexto de cortar tudo o que é despesa sem qualquer critério. As despesas de quem se anda a encher de guito à custa de impostos nesas não conseguem tocar. Em boa verdade o dinheiro circula pelas camaras municipais, não é pelas freguesias.

As freguesias de coimbra e de aveiro que são as que eu conheço são antigas e os locais identificam-se com elas. No caso de coimbra até já se justificava mais uma freguesia para uma parte nova da cidade. Eu sinceramente não estou a ver um Aveirense Cagaréu a dizer que é Ceboleiro. Nem uns nem outros vão gostar.

Tendo em conta que é só 0.1% do orçamento de estado (um milésimo) não posso deixar de pensar que me cheira a querer destruir tudo e não tocar no que realmente faz diferença. Um milésimo, isso vai resolver coisa alguma?

Não sou necessariamente contra, e nem vou neguer que há taxos envolvidos, mas nesta do "temos que fechar para poupar, é urgente", vão gozar com a vossa tia.

EDIT: não tinha visto os três ultimos posts. O jpaulino acabou por dar o exemplo de coimbra tal como eu :cheesygrin:

Share this post


Link to post
Share on other sites
jpaulino

Wowowow pára tudo!

Um dos adminitradores do nosso fórum é presidente da junta! WIN! O nosso fórum pwona  😎

É preciso fazer pela vida :cheesygrin:


Já agora lembrar ainda que de todas as juntas de freguesia, grande parte não tem um presidente a tempo inteiro ou a tempo parcial (como é o meu caso) e não existe um salário para o presidente (apenas uma compensação para despesas).

Share this post


Link to post
Share on other sites
bubulindo

É mais uma medida anti-social em prol da suposta recuperação económica. Mais uma para encher a barriga de alguns engravatados... o Zé Povinho é que paga...

Vou-me fartar de rir (ou chorar) quando o euro deixar de ser moeda única... depois quero ver a quem vão pedir contas!

Fechar completamente não concordo pelos motivos referidos pelo jpaulino, mas é preciso ter lá aquilo de portas abertas o ano todo?

Não seria melhor abrir um telecentro e tratar as coisas por telefone e correio (depois, claro, de eliminar a burocracia desnecessária). Na Noruega a população está muito mais dispersa e no entanto, eles não têm juntas por tudo quando é sítio. Tudo é possível de ser tratado por telefone ou por email.

Mas ok, Portugal tem uma realidade diferente e eu compreendo que no meio do Alentejo ou para Trás os montes ainda haja quem não tenha telefone como tal, porque não abrir a junta dois dias por semana e reduzir no pessoal que trabalha lá?


include <ai se te avio>

Mãe () {

}

Share this post


Link to post
Share on other sites
jpaulino

Fechar completamente não concordo pelos motivos referidos pelo jpaulino, mas é preciso ter lá aquilo de portas abertas o ano todo?

Então e tens funcionários que pagas apenas dois dias por semana? Querias trabalhar nessas condições? A "minha" junta é pequena e tem apenas 3 funcionários durante todo o ano e mais 3/4 durante o verão, mas existem juntas com 8,10 ou mais funcionários.

É que há trabalho para todos os dias, principalmente nas juntas que têm vários serviços e actividades. É que isto de fechar juntas vai aumentar ainda mais o desemprego ... espero que não.

Concordo sim com regiões, mas com regras, responsabilidades e €€€ bem distribuídos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
bubulindo

Não, os funcionários acumulariam funções. Naqueles dois dias trabalhavam na junta, nos restantes dias, trabalhavam noutro serviço dentro do mesmo município.


include <ai se te avio>

Mãe () {

}

Share this post


Link to post
Share on other sites
Warrior

Eu não compreendo é porque motivo assumem que fundir freguesias é o mesmo que deixar de prestar os mesmos serviços à população.

Acho que um grupo de 10 pessoas bem organizado consegue ser mais eficiente do que dois grupos de 5 pessoas bem organizadas.

E acho que se consegue oferecer o mesmo serviço com menos dinheiro, ou um melhor serviço com o mesmo.

Modo geral, nas grandes cidades, dado o número de vezes que as pessoas vão à freguesia, não faz grande diferença encerrar metade dos edifícios. Estamos a falar de zonas com bons acessos, apanha-se o metro ou o autocarro e em 5 minutos estamos na nova junta..

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

A juntas de freguesia fazem, na grande maioria, um trabalho muito para além das suas competências.

Então, não o deviam fazer...Promoviam a alteração legal das suas competências e depois poderiam fazer. Assim há uma falta de enquadramento legal e até de legitimidade democrática.

Nós temos um posto público de internet, serviço de enfermagem gratuito, posto de ctt, pagamento de águas, luz, reformas aos idosos, etc, etc. É um serviço importante para a população e que se esta acabar, irá deixar de o fazer.

Eu concordo totalmente com alguns desses serviços, serem serviços de grande mérito. Mas as juntas não devem fazer tudo isso, embora algumas dessas coisas devam ser feitas pelas juntas, mas com a devida qualidade de serviço (o que com grande frequência não é possível porque as juntas já estão a esforçar-se mais do que conseguem produzir).

Além disso e caso não saibam, o valor total que é transferido para as juntas de freguesia representa 0,1% do orçamento de estado.

Por acaso não sabia. Mas sei no entanto que algumas juntas de freguesia têm tido iniciativas geniais para melhorarem ainda mais a sua condição financeira. O que é de saudar e promover.

Eu acho que a situação das juntas, não é tanto a despesa que representam, mas sim a falta de enquadramento de muitas das suas actividades e poder haver um retorno de investimento ainda maior.

Só posso concordar caso as próprias juntas de freguesia cheguem a acordo por considerarem que a junção possa ser uma mais valia para a população.

Eu acho que do ponto de vista dos princípios constitucionais isso é errado, e do ponto de vista democrático não há executivos de junta com legitimidade para tal. Eticamente também acho errado que sejam elas a decidir isso. Afinal de contas quem lá está por vezes recebe benefícios disso (e não digo que não o devem fazer desde que dentro da lei) e como tal há aqui um conflito de interesses. Ora como a soberania reside no povo e não nos seus eleitos e esta é uma decisão estrutural a respeito do estado, acho que o poder de decisão deve ser dado directamente ao povo.

EDIT: não falo de Lisboa ou Porto, uma só Junta seria absurdo. Mas em cidades mais pequenas é algo "exagerado", penso...

Haver só um presidente da junta é. Haver apenas uma estrutura de junta, talvez não...

em cidades como Lisboa e Porto é fácil criar economias de escala. Pelo menos muito mais que nas pequenas cidades e no interior. São claramente realidades diferentes e que devem por isso ser tratadas tendo isso em conta.

Na minha opinião em grandes cidades é possível reduzir as junta de freguesia (instituição), os presidentes de junta (cargo). Reduzir não quer dizer haver só uma. Também acho que é importante haver mais associativismo ao nível de moradores dos vários bairros e de envolver através de protocolos essas associações na gestão e prestação de serviços às comunidades.

Uma cidade só com uma junta de freguesia acabava por não conseguir responder à população. Primeiro porque se precisares de te dirigir à junta poderás ter de te deslocar kms, mas o pior é que uma junta de freguesia apenas não tem capacidade para responder às inúmeras tarefas que tem: apoio às escolas, movimento associativo, pequenas obras, conservação de mobiliário urbano, parques infantis, jardins, etc, etc. As pessoas não têm a noção do trabalho que as juntas de freguesia fazem e assim acabava por perder um factor muito importante: proximidade com a população e resposta rápida.

Concordo. Mas também é preciso dizer que para haver proximidade, não é necessário que haja toda a estrutura da Junta de Freguesia. Até uma certa escala é possível simplesmente haver uma junta de freguesia com vários serviços de atendimento ao público em diferentes locais e/ou com protocolos com associações/comissões (que cumpram alguns desses serviços que não sejam da competência exclusiva da junta de freguesia).

Se não considerarmos o quadro constitucional e legal actual (que poderiam ser modificados para fazer uma verdadeira reforma):

Se calhar é possível:

* criar um serviço conjunto de junta de freguesia que serve várias juntas de freguesia. Nos quais parte dos serviços de várias juntas de freguesia são partilhados (não dá para todos porque se não acabaria a característica mais importante que é a proximidade).

* que esse serviço conjunto não incluísse freguesias de um só município, mas todas as que por motivos geográficos o justificassem.

É mais uma medida anti-social em prol da suposta recuperação económica. Mais uma para encher a barriga de alguns engravatados... o Zé Povinho é que paga...

Não há qualquer recuperação económica com esta medida.

Fechar completamente não concordo pelos motivos referidos pelo jpaulino, mas é preciso ter lá aquilo de portas abertas o ano todo?

É!

E é pena que não estejam abertas mais tempo.

Com o tipo de vida que temos é cada vez mais importante que os serviços estejam abertos mais tempo.

Deixa-me dar-te um exemplo simples pela qual é preciso que estejam sempre abertos: é nas juntas de freguesia que os desempregados têm que fazer as apresentações mensais. E os dias em que cada um deles têm que se apresentar variam.

Não seria melhor abrir um telecentro e tratar as coisas por telefone e correio (depois, claro, de eliminar a burocracia desnecessária).

Não sei se já ouviste falar de algumas coisas chamadas computadores e de outra chamada Internet?

Não sei se já desempenhaste algum cargo directivo de alguma associação. Mas eu já. E sei que a gestão de agenda depende não só de quem desempenha esse cargo. Mas também das pessoas com quem tem que reunir. Isto faz com que as necessidades de disponibilidade para utilizar as instalações e recursos das instituições sejam impossíveis de limitar dessa forma.

Na Noruega a população está muito mais dispersa e no entanto, eles não têm juntas por tudo quando é sítio. Tudo é possível de ser tratado por telefone ou por email.

Queres mesmo comparar a população da Noruega com a nossa?

A Noruega tem uma população que em número é menos de metade da de Portugal.

A população da Noruega não tem o mesmo nível de literacia que a de Portugal.

Os noruegueses mais velhos não têm certamente a mesma quantidade de iliterados que infelizmente existem em Portugal.

A saúde dos cidadãos mais velhos da Noruega é também muito melhor que a da população portuguesa.

A Noruega, ao contrário de Portugal, não tem alternativa que não fazer isso.

Tudo isto são motivos para que as realidades de um país e de outro, sejam diferentes.

Acho que um grupo de 10 pessoas bem organizado consegue ser mais eficiente do que dois grupos de 5 pessoas bem organizadas.

Depende dos casos. Há casos em que a proximidade física é mesmo relevante...

Share this post


Link to post
Share on other sites
jpaulino

Eu não compreendo é porque motivo assumem que fundir freguesias é o mesmo que deixar de prestar os mesmos serviços à população.

Acho que um grupo de 10 pessoas bem organizado consegue ser mais eficiente do que dois grupos de 5 pessoas bem organizadas.

E acho que se consegue oferecer o mesmo serviço com menos dinheiro, ou um melhor serviço com o mesmo.

Modo geral, nas grandes cidades, dado o número de vezes que as pessoas vão à freguesia, não faz grande diferença encerrar metade dos edifícios. Estamos a falar de zonas com bons acessos, apanha-se o metro ou o autocarro e em 5 minutos estamos na nova junta..

Sabes quanto pessoas no executivo onde estou têm tempo atribuído/pago para tratar de assuntos da freguesia? Zero

Sabes quanto pessoas numa junta com mais de 1.000 eleitores e menos de 10.000 têm tempo atribuído/pago para tratar de assuntos da freguesia ? Uma pessoa meio dia (meio tempo)

E sabes quantas pessoas numa junta com mais 10.000 eleitores  têm tempo atribuído/pago para tratar de assuntos da freguesia ? Uma pessoa a tempo inteiro.

Tudo o resto que faz parte do executivo é no seu tempo livre que faz qualquer coisa.

Achas que uma pessoa resolve ou faz qualquer coisa numa freguesia com 100.000 habitantes? É que é isso que vai acontecer ... reduzem-se juntas, as pessoas são as mesmas e desenrasquem-se.

Então, não o deviam fazer...Promoviam a alteração legal das suas competências e depois poderiam fazer. Assim há uma falta de enquadramento legal e até de legitimidade democrática.

Eu concordo totalmente com alguns desses serviços, serem serviços de grande mérito. Mas as juntas não devem fazer tudo isso, embora algumas dessas coisas devam ser feitas pelas juntas, mas com a devida qualidade de serviço (o que com grande frequência não é possível porque as juntas já estão a esforçar-se mais do que conseguem produzir).

A população que eu represento (cerca de 1300 pessoas) é maioritariamente idosa, ou seja, dizeres e essas pessoas para fazerem os seus pagamentos pela internet ou mesmo por multibanco é irreal. São pessoas que precisam de apoio pois para se deslocarem à freguesia mais próxima, têm de o fazer de autocarro e não existem muitas carreiras.

Depois para qualquer serviço de enfermagem têm de madrugar para conseguir uma vaga no centro de saúde mais próximo.

Estes são apenas alguns dos exemplos e neste caso a junta de freguesia é a loja do cidadão para essas pessoas mas para tratar de assuntos do dia a dia (pagar água, luz, enviar uma carta, receber uma encomenda, etc, etc).

O que acontece se a junta acabar? Isto acaba e acabam também estes serviços super importantes para a população.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Warrior

Achas que uma pessoa resolve ou faz qualquer coisa numa freguesia com 100.000 habitantes? É que é isso que vai acontecer ... reduzem-se juntas, as pessoas são as mesmas e desenrasquem-se.

Estás a assumir que se vão extinguir juntas de freguesia, não fundir.

Share this post


Link to post
Share on other sites
jpaulino

Estás a assumir que se vão extinguir juntas de freguesia, não fundir.

Não, estou a assumir fundir. Se em freguesias grandes o papel do presidente já é MUITO complicado, se as freguesias ficarem ainda maiores, passa a impossível.

Perde-se o factor proximidade e deixa de existir preocupação em muitas coisas que são importantes e por isso a junta foi criada. É importante lembrar que as juntas de freguesia nascem da vontade da população pois acham que a sua zona necessita de mais atenção/trabalho.

EDIT: É que para fazer essa fusão, mais vale acabar com todas e passar a responsabilidade para as Câmaras Municipais. Porque não avançam com as regiões? Isso sim era uma medida interessante e que vem na constituição (mas não lhes interessa).

Share this post


Link to post
Share on other sites
pedrotuga

Eu tambem não sou a favor de regiões. Nem é por motivos borucráticos, é mais por motivos de unidade nacional. Nós não somos espanha, espanha em última análise só é um país no papel, a identidade regional é em muitos casos superior à nacional, tantos espanhóis que respondem "sou catalão, sou galego, sou basco, etc." quando lhes perguntam de que país são. Por a espanha ter sido feita assim de forma um pouco duvidosa é que é uma sociedade tão dividida. Nós fomos os únicos que afincámos pé e só para dar um exemplo, não sei até que ponto é que os galegos se identificam mais com os restantes espanhóis do que com os portugueses.

A europa está numa crise social (a económica é outra história) estão a começar a haver autenticas batalhas campais de europeus nativos contra grupos de imigrantes porque se andou a dizer que toda a gente podia viver na boa e integrar-se mas está-se a chegar à conclusão que isso não é bem assim. Em Malmo, Londres, Amsterdao, Bruxelas, etc. os suecos, ingleses, holandeses, belgas já são uma minoria. Isto tem dado batatada porque o pessoal está completamente segregado.

Em portugal, a unidade nacional, apesar de tudo ainda está mais ou menos em bom estado. Se se começa a entrar por esta lógica de cada um para um lado então é que destruimos mesmo o pouco que temos. Eu acho que o país  se deve manter coeso pelo menos para já até ver no que estas experiências todas dão.

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco
Eu tambem não sou a favor de regiões. Nem é por motivos borucráticos, é mais por motivos de unidade nacional.

Regiões não têm que ser políticas (mas essas nós já temos). Há várias formas de regionalização, em algumas nem têm que ser criadas entidades políticas.

É claro que não é uma reforma ao nível das freguesias que vai fazer diferença relevante. Já ao nível dos municípios a coisa é diferente. Também há a pouca vergonha nas compras públicas, a falta de políticas integradas, a falta de procura de economias de escala nas organizações do estado. O assumir-se compromissos sociais que não podem ser pagos, porque não temos receitas para os pagar (infelizmente). Isto sim são alguns dos problemas graves estruturais que temos e que provocam o défice.

Share this post


Link to post
Share on other sites
bioshock

Se não me falha a memória, Portugal tem uma das maiores taxas de população idosa na Europa. Extinguir as freguesias seria não um transtorno, mas um desespero para essas pessoas. Elas já tem imensa dificuldade em aceder à sua freguesia local, quanto mais ter que se deslocar a outra mais longe.

Share this post


Link to post
Share on other sites
pedrotuga

Se não me falha a memória, Portugal tem uma das maiores taxas de população idosa na Europa. Extinguir as freguesias seria não um transtorno, mas um desespero para essas pessoas. Elas já tem imensa dificuldade em aceder à sua freguesia local, quanto mais ter que se deslocar a outra mais longe.

Para quem não ache que isto é um problema, posso testemunhar que aqui na suécia se foi pelo caminho de facher tudo, centralizar tudo e tem sido desastroso para os idosos.

Por 0.1% do orçamento não vamos dar dignidade a quem já trabalhou uma vida inteira? É um caminho muito mau, se há coisa boa na sociedade portuguesa é que ainda é muito humanizada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.