Jump to content
APinto

C malloc

Recommended Posts

APinto

bom dia,

alguém me sabe explicar como é que isto funciona?? =\

int main(int argc, char** argv) {

        int* vec;
        vec = (int*) malloc(0);

        vec[0] = 243335345;
        vec[1] = 998348534;

        printf("vec[0]: %d\n", vec[0]);
        printf("vec[1]: %d\n", vec[1]);
}

output:

vec[0]: 243335345

vec[1]: 998348534

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Basicamente escreve os valores de vec[0] e vec[1], que estão num espaço de memória que foi alocado com espaço zero. Ou seja, estás a colocar valores em memória que não foi alocada e corres o risco de isso correr mal. O facto de o malloc te devolver um ponteiro é só para garantir que ao fazeres o free(var) não ocorre um erro.

Para o código ficar correcto:

vec = (int*) malloc(sizeof(int)*2);


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
APinto

eu sei que está mal e sei como se faz, só não sei como isto pode funcionar...

outro exemplo...

int main(int argc, char** argv) {

        int* vec = NULL;
        vec = (int*) malloc(sizeof(int));

        vec[0] = 243335345;
        vec[1] = 998348534;

        printf("vec[0]: %d\n", vec[0]);
        printf("vec[1]: %d\n", vec[1]);
}

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Basicamente, o que estás a fazer é um overflow. Essa memória existe dentro do programa, mas não está atribuída (ou está atribuída a outros dados). Basicamente, o que estás a fazer é mexer em dados que não alocaste. Isso pode fazer com que alteres dados de outras variáveis que apontam para essas zonas de memória.

Se fores suficientemente longe, podes estar a aceder a memória que nem faz parte do teu programa (fazendo parte de outros) e, o kernel do sistema mata-te o processo.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.