Jump to content
herakty

Comissário Europeu mandou calar responsáveis portugueses

Recommended Posts

herakty

logo.png

Mandar calar o Presidente da Republica... sei que para mts de vocês (não todos) não se interessa se há pais, planeta, se estão vivos ou mortos... para vocês basta terem um  PC à frente... entendo e já fui assim, até que me apercebi que para isso preciso de um Planeta e um pais com condições... para poder ter a coca-cola, o café e a pisa ao lado...

na Agência Financeira (devem perceber de finanças não?)

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/opiniao-comentario-judite-franca/1246240-4058.html

Tiramos do sério o aprumadinho Olli Rehn. O comissário europeu de Durão Barroso, que nunca na vida terá partido um prato, sentiu-se na obrigação de responder ao Presidente da República do nosso país, que foi à Hungria pedir - imagine-se! - «imaginação» à Europa para tratar do nosso crónico endividamento, e ao ministro das Finanças demissionário, que num momento de «cansaço», como justificou a sua colega de partido Ana Gomes, afirmou peremptório que o Governo não iria discutir medidas de austeridade com a oposição - Bruxelas que o fizesse, se quisesse.

E Olli Rehn mandou-nos calar. Repito: mandou-nos calar. Perceberam? Disse a Cavaco que muita imaginação já tinha Bruxelas para nos aturar e a Teixeira dos Santos e ao PS que cantava hossanas no congresso de Matosinhos que atinassem e deixassem de fazer declarações na praça pública sobre as medidas que custam à Europa e ao FMI 80 mil milhões de euros. Os tal mil milhões que nós precisamos e pedimos de mão estendida.

Dois dias depois deste episódio que se passou num fim-de-semana ensolarado e que por isso muitos portugueses tiveram a sorte de não assistir, desembarca em Portugal o FMI, o BCE e a Comissão Europeia. Não discuto a necessidade da intervenção do FMI em Portugal - quem o faz não sabe fazer contas: é a única explicação para o que se viveu nos últimos seis meses com taxas de juro inacreditáveis e declarações surreais, e quase mais um submarino que mandamos ao fundo a pagar juros asfixiantes de uma dívida galopante. Num ano, são quase mais 500 milhões de euros: B3, submarino ao fundo; seria giro se fosse batalha naval. Mas não é.

Lia ontem a imprensa e perguntava-me se me custava realmente ser intervencionada por um dinamarquês, que não sabe que somos o país mais velho da Europa e que desconhece os grandiosos marcos da nossa História. Custa. Custa no tal orgulho pátrio. Custa vê-los sair da Portela directos às contas do país, apontar de dedo em riste, sem diplomacia, o nosso desgoverno: custa-me que nos digam que sozinhos vocês não se safam, precisam aqui da malta da verdadeira Europa central, daquela Europa sobranceira sobre os países morenos e trigueiros que ficam na ponta. Mas custa mais que um comissário europeu, do qual não temos razões de queixa, perca a paciência e nos mande calar. Isto sim, é o grau zero da soberania nacional. Talvez para quem, como eu, nasceu perto da década de 80, não faça sangrar o coração - desde cedo nos habituamos ao chapéu da Europa, a ouvir dizer que éramos o «bom aluno», os mansos que perdiam quotas e recebiam para não produzir.

Pois a mim, custa-me. Custa-me que Portugal ande na boca do mundo como os ingovernáveis que desbaratam dinheiro e que agora precisam de ajuda para comer. A mim, custa-me que estejamos tão longe do que aprendi nas aulas de História sobre a Armada Invencível, sobre D. João II, sobre a mítica padeira de Aljubarrota. A mim, custa-me.

Mas nestas alturas eu lembro-me dos Monty Phyton, presos na cruz, cantando «always look at the bright side of life». E penso que, no meio de tanta humilhação, devo agarrar-me ao que verdadeiramente é importante: agora, sim, sabemos que vamos sobreviver; vai doer, vai custar, mas agora sabemos que não teremos de pôr este pedaço de terra à venda para conseguir pagar as nossas dívidas. Só agora sabemos disso. E sem ajuda externa, o fim era o que nos restava. Engolimos o orgulho, como escreveu o «Times». Engolimos sim. Mas voltaremos de cabeça erguida, daqui a uns anos, como fizemos noutros momentos da história. Há dúvidas?

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/opiniao-comentario-judite-franca/1246240-4058.html

teckV

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Que eu saiba, não somos o país mais velho da europa...

E sim, é tudo o que tenho a tirar do tópico. xD


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
bubulindo

Que eu saiba, não somos o país mais velho da europa...

E sim, é tudo o que tenho a tirar do tópico. xD

E tomando o teu comentário em consideração, será que devemos confiar em alguém que não sabe como o nosso país foi criado e como tal, comete um erro destes?

Eu acho que não.

Além de que, ela insultou o povo nórdico que tem tanta história marítima como nós. E ao contrário de nós, mantiveram o seu conhecimento naval e hoje dominam o mundo da navegação enquanto que em Portugal existe pouca gente que saiba construir um navio.

Ela sente-se ofendida? Eu sinto-me enojado com os políticos Portugueses... e no entanto, não a vejo criticá-los.

E tu, herakty? Primeiro estás contra os políticos... agora estás contra quem, e muito bem, comenta a sua incapacidade para tomarem conta do destino político dum país.

Não vês aqui uma certa hipocrisia?

Enquanto estamos mal, os políticos são isto e aquilo... depois se alguém diz a verdade acerca das suas capacidades, tu já estás do lado dos políticos.

Por favor, dá mostras da idade que tens e vê se te decides sobre quem apoiar.

Pois a mim, custa-me.

Já agora, o artigo não pode ser considerado uma notícia credível, uma vez que a jornalista está a mostrar o seu ponto de vista... por isso, das duas uma, ou é uma opinião pessoal ou ela não sabe o que está a fazer.

Seja como for, dá-lhe a credibilidade que quiseres dar. Eu não lhe dou nenhuma.


include <ai se te avio>

Mãe () {

}

Share this post


Link to post
Share on other sites
asworm

Que o país está de pernas para o ar está, mas de quem é a culpa?

Não existe ninguém mais culpado que o povo português... por isso sim.... há que comer bem o orgulho, mastigar em condições e ir buscar fé ao que fomos no passado...

O povo português é masoquista e só olha para o umbigo, por isso é que estamos como estamos. se alguém foge aos impostos os que ficam a olhar, em vez de condenarem tal acto, vão fazer o mesmo fugir também... Não há milagres, as coisas são como são, e se querem que o país vá para a frente há que fazer por isso, todos em uníssono, metam na cabeça que se eles estão cá é porque as coisas não estão a ser bem geridas, por isso há que dar a mão há palmatória, e fazer com que as coisas andem.


Got it?

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

asworm, esse comentário foi muito filosófico, mas tem pouco de realidade. :)

Não é por haverem fugas aos impostos que estamos na situação em que estamos, porque fuga aos impostos há em todo o lado, não é exclusivo a Portugal. Nós estamos nesta crise porque foram decididos mais investimentos que aquilo que devia ter sido feito. Os investimentos até estariam bem encaixados se o mercado não tivesse umas crises de vez em quando. Essas crises pioram as condições de financiamento, o que faz com que o que consegue ser pago não é suficiente para baixar a nossa dívida (ou seja, estamos a pagar os juros da dívida, ou nem isso).

O problema é que isto é uma bola de neve. O governo aumenta os impostos e baixa os salários da função pública para conseguir pagar as dívidas, mas, por outro lado, o aumento de impostos sem uma subida de salários implica que as pessoas comprem menos, baixando a quantidade de dinheiro que viria de impostos. :)

Estamos completamente dependentes do dinheiro que entra no nosso país, seja pelas exportações e fornecimento de serviços, aumentando os salários dos funcionários das empresas com sucesso neste campo, o que lhes permite pagar mais impostos para o estado poder pagar a dívida. Como muitos outros países que são "nossos clientes" também não estão propriamente ricos, não fará com que nos venham comprar muito mais...

Portanto, que comecem a pensar em "negócios da China" B)


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
bubulindo

asworm, esse comentário foi muito filosófico, mas tem pouco de realidade. :)

Não é por haverem fugas aos impostos que estamos na situação em que estamos, porque fuga aos impostos há em todo o lado, não é exclusivo a Portugal. Nós estamos nesta crise porque foram decididos mais investimentos que aquilo que devia ter sido feito. Os investimentos até estariam bem encaixados se o mercado não tivesse umas crises de vez em quando. Essas crises pioram as condições de financiamento, o que faz com que o que consegue ser pago não é suficiente para baixar a nossa dívida (ou seja, estamos a pagar os juros da dívida, ou nem isso).

O problema é que isto é uma bola de neve. O governo aumenta os impostos e baixa os salários da função pública para conseguir pagar as dívidas, mas, por outro lado, o aumento de impostos sem uma subida de salários implica que as pessoas comprem menos, baixando a quantidade de dinheiro que viria de impostos. :)

Estamos completamente dependentes do dinheiro que entra no nosso país, seja pelas exportações e fornecimento de serviços, aumentando os salários dos funcionários das empresas com sucesso neste campo, o que lhes permite pagar mais impostos para o estado poder pagar a dívida. Como muitos outros países que são "nossos clientes" também não estão propriamente ricos, não fará com que nos venham comprar muito mais...

Portanto, que comecem a pensar em "negócios da China" B)

Existem uns certos pormenores nisto... se aumentas demasiado os impostos às empresas com sucesso, elas fogem daqui.

E, tivessem sido criadas ferramentas para evitar a fuga aos impostos e certamente que não estaríamos bem onde estamos hoje. O problema de fuga aos impostos, é acumulado sobre o tempo... o que, ao fim de umas décadas, se torna algo bem problemático. Vê o dinheiro que que proviria dessas fugas, adiciona-lhe juros e vais ver que o valor é bem interessante. E fosse bem administrado, serviria de almofada para as crises pontuais que os mercados atravessam.


include <ai se te avio>

Mãe () {

}

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Pois, mas se tivessem sido criadas ferramentas contra a fuga de impostos, em todos os países, todos teriam tido mais dinheiro para emprestar, todos tinham pedido mais dinheiro emprestado, e, no final de contas, ficava tudo no mesmo sítio :)


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
yoda

Mandar calar o Presidente da Republica... sei que para mts de vocês (não todos) não se interessa se há pais, planeta, se estão vivos ou mortos... para vocês basta terem um  PC à frente... entendo e já fui assim, até que me apercebi que para isso preciso de um Planeta e um pais com condições... para poder ter a coca-cola, o café e a pisa ao lado...

Andas a passar das marcas não? Não é a primeira vez que vens com insinuações desnecessárias. Não achas isto desnecessário? Ou achas moralmente correcto ser partidário / discrimidador?

Share this post


Link to post
Share on other sites
bubulindo

para poder ter a coca-cola, o café e a pisa ao lado...

O teu conceito de lado é bem mais abrangente que o meu... pisa, fica em Itália. LOL


include <ai se te avio>

Mãe () {

}

Share this post


Link to post
Share on other sites
thoga31

Eh pah, tenho de concordar com o yoda. Então mas chega-se aqui e manda-se o bitaite de que nos basta um PC à frente e bla bla bla... ??? :nono:

Citação
entendo e já fui assim, até que me apercebi que para isso preciso de um Planeta e um pais com condições... para poder ter a coca-cola, o café e a pisa ao lado...

Passaste por esta fase? Parabéns! Eu não.

Nunca comentei nenhum tópico deste utilizador. Mas caramba, já chega! Uma coisa são notícias, outra é fanatismo, montes de CAPS LOCK SEM DÓ NEM PIEDADE* e mais mil e uma trampas...


* - caps lock utilizado por mera exemplificação.


Knowledge is free!

Share this post


Link to post
Share on other sites
asworm

asworm, esse comentário foi muito filosófico, mas tem pouco de realidade. ;)

Não é por haverem fugas aos impostos que estamos na situação em que estamos, porque fuga aos impostos há em todo o lado, não é exclusivo a Portugal. Nós estamos nesta crise porque foram decididos mais investimentos que aquilo que devia ter sido feito. Os investimentos até estariam bem encaixados se o mercado não tivesse umas crises de vez em quando. Essas crises pioram as condições de financiamento, o que faz com que o que consegue ser pago não é suficiente para baixar a nossa dívida (ou seja, estamos a pagar os juros da dívida, ou nem isso).

O problema é que isto é uma bola de neve. O governo aumenta os impostos e baixa os salários da função pública para conseguir pagar as dívidas, mas, por outro lado, o aumento de impostos sem uma subida de salários implica que as pessoas comprem menos, baixando a quantidade de dinheiro que viria de impostos. :)

Estamos completamente dependentes do dinheiro que entra no nosso país, seja pelas exportações e fornecimento de serviços, aumentando os salários dos funcionários das empresas com sucesso neste campo, o que lhes permite pagar mais impostos para o estado poder pagar a dívida. Como muitos outros países que são "nossos clientes" também não estão propriamente ricos, não fará com que nos venham comprar muito mais...

Portanto, que comecem a pensar em "negócios da China" B)

Estás a olhar só cá para dentro... tudo o que eu disse são factos... Não é por mero acaso que os países nórdicos não estão com problemas... lá as pessoas sabem que se todos pagarem impostos é tudo muito mais fácil... e quando eu falo em pagar os impostos não estou a falar só de nós classe média/baixa até porque isso significaria muito pouco, mas sim da classe mais alta... tenho conhecimento de vários casos da região de Leiria em que os maridos oferecem altos carrões(e quando digo altos carrões não falo de mercedes de 70000€, falo de porches BMW e Mercedes de valor superior aos 130000€) aos filhos e respectivas mulheres, com veleiros e yates atracádos na nazaré, e os filhos têm direito a subsidio... e eu classe média/baixa, não tenho direito nem a abono de família. Estás a ver onde quero chegar?

Contra factos não há argumentos!


Got it?

Share this post


Link to post
Share on other sites
asworm

sei que para mts de vocês (não todos) não se interessa se há pais, planeta, se estão vivos ou mortos... para vocês basta terem um  PC à frente... entendo e já fui assim, até que me apercebi que para isso preciso de um Planeta e um pais com condições... para poder ter a coca-cola, o café e a pisa ao lado...

Também não percebi qual é a intenção da provocação, até porque não conheces as pessoas que estão há tua volta, e se calhar as pessoas desta comunidade têm mais vida social que aquilo que pensas.

Estão a ver mais um ponto a meu favor com esta hipocrisia é óbvio que as coisas não mudam... queixão-se de os outros fazerem isto e aquilo mas se for preciso fazem-no também...


Got it?

Share this post


Link to post
Share on other sites
yoda

Que o país está de pernas para o ar está, mas de quem é a culpa?

Não existe ninguém mais culpado que o povo português... por isso sim.... há que comer bem o orgulho, mastigar em condições e ir buscar fé ao que fomos no passado...

O povo português é masoquista e só olha para o umbigo, por isso é que estamos como estamos. se alguém foge aos impostos os que ficam a olhar, em vez de condenarem tal acto, vão fazer o mesmo fugir também... Não há milagres, as coisas são como são, e se querem que o país vá para a frente há que fazer por isso, todos em uníssono, metam na cabeça que se eles estão cá é porque as coisas não estão a ser bem geridas, por isso há que dar a mão há palmatória, e fazer com que as coisas andem.

É preciso passarem 3 anos para ler alguma coisa de jeito no p@p ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Epah... independentemente disso, tal como eu tinha dito, quem tem muito dinheiro, mais razões tem para investir. Se Portugal tivesse um controlo absoluto sobre a evasão fiscal e conseguisse espremer 3 mil milhões de euros de impostos extra num ano, este valor equivale a cerca de 1,5% da dívida portuguesa, ou 3,75% do valor de resgate que deverá ser atribuído a Portugal.

Não há nenhum país que não tenha evasão aos impostos. De facto, tens dezenas países onde a percentagem estimada de evasão aos impostos é superior a 50%. Um deles é a Russia, que só por acaso até está nos G8 ;)


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
yoda

Se Portugal tivesse um controlo absoluto sobre a evasão fiscal e conseguisse espremer 3 mil milhões de euros de impostos extra num ano, este valor equivale a cerca de 1,5% da dívida portuguesa, ou 3,75% do valor de resgate que deverá ser atribuído a Portugal.

Isso sim é uma utopia. Enquanto houver intenções contrárias, vai sempre haver fuga ao fisco .. sempre. Não há sistemas perfeitos, porque não há pessoas sem intenções partidárias.

Já parece menos utópica a ideia de mudar a consciencia do povo português agora? ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
asworm

controlo absoluto

Tal como o yoda disse não existe nada que consiga controlar totalmente a evasão físcal.No máximo 80% dos impostos se os comunistas fossem para o poder, mas acredita que nesses 20% era a fatia correspondente aos da classe de luxo, nem é a classe alta é mesmo a classe de luxo. Foram eles que "Governaram" este país até agora atravéz de prestação de "serviços" dos supostos governantes a troco de umas notas grandes e de valor avultado. São bem conhecidos alguns casos, outros nem por isso nomeadamente a aposta de portugal nas energias renováveis, em que o estado gastou kkk € nas ventoinhas eólicas, e que se tu fores a ver algumas estão paradas e as que estão a trabalhar nem sequer são usadas para produzir energia nalguns casos, quem administrou ou subadministrou esta empresa foi um senhor qualquer que tinha grandes cargos no parlamento, e que antes de se reformar foi administrar por 4 ou 5 anos esta dita empresa... vai-se lá saber porquê...


Got it?

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Eu coloquei uma suposição, apenas como exemplo para contradizer o que disseste aqui:

Estás a olhar só cá para dentro... tudo o que eu disse são factos... Não é por mero acaso que os países nórdicos não estão com problemas... lá as pessoas sabem que se todos pagarem impostos é tudo muito mais fácil... e quando eu falo em pagar os impostos não estou a falar só de nós classe média/baixa até porque isso significaria muito pouco, mas sim da classe mais alta... tenho conhecimento de vários casos da região de Leiria em que os maridos oferecem altos carrões(e quando digo altos carrões não falo de mercedes de 70000€, falo de porches BMW e Mercedes de valor superior aos 130000€) aos filhos e respectivas mulheres, com veleiros e yates atracádos na nazaré, e os filhos têm direito a subsidio... e eu classe média/baixa, não tenho direito nem a abono de família. Estás a ver onde quero chegar?

Contra factos não há argumentos!

Não foi de todo uma tentativa de aplicar à realidade. E, 3 mil milhões não são uma fatia assim tão grande. Não corresponde nem a 20%...


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
bubulindo

Estás a olhar só cá para dentro... tudo o que eu disse são factos... Não é por mero acaso que os países nórdicos não estão com problemas... lá as pessoas sabem que se todos pagarem impostos é tudo muito mais fácil... e quando eu falo em pagar os impostos não estou a falar só de nós classe média/baixa até porque isso significaria muito pouco, mas sim da classe mais alta... tenho conhecimento de vários casos da região de Leiria em que os maridos oferecem altos carrões(e quando digo altos carrões não falo de mercedes de 70000€, falo de porches BMW e Mercedes de valor superior aos 130000€) aos filhos e respectivas mulheres, com veleiros e yates atracádos na nazaré, e os filhos têm direito a subsidio... e eu classe média/baixa, não tenho direito nem a abono de família. Estás a ver onde quero chegar?

Contra factos não há argumentos!

Permite-me discordar sobre isto... os povos nórdicos pensam da mesma forma que nós... tu não vais concordar, mas eu vivi na Noruega durante um ano e trabalho diariamente com Noruegueses, Suecos e Dinamarqueses e todos, havendo possibilidade fogem aos impostos.

A diferenca está que eles não se evadem, apenas evitam os impostos da melhor maneira possível e legal.

Logo a diferenca não está completamente no povo, mas também no Governo que tem todas as ferramentas possíveis para diminuir consideravelmente a evasão. Claro que, como já foi dito por mim, o Governo é o povo e como tal, os povos nórdicos ao eleger um Governo decente, evitam todos estes problemas... mas que eles pensam e procuram todas as maneiras possíveis para pagar menos impostos, lá isso procuram.

Posso também, puxar à brasa um certo aspecto interessante acerca dos povos nórdicos... eles juntamente com os Portugueses foram os primeiros a aventurarem-se pelos mares. No entanto, hoje em dia enquanto a indústria naval dá imenso dinheiro e cria empregos nos países nórdicos, em Portugal não existe onde construir um navio... Triste, não?


include <ai se te avio>

Mãe () {

}

Share this post


Link to post
Share on other sites
asworm

Eu coloquei uma suposição, apenas como exemplo para contradizer o que disseste aqui:

Não foi de todo uma tentativa de aplicar à realidade. E, 3 mil milhões não são uma fatia assim tão grande. Não corresponde nem a 20%...

ok 3kkkk € não corresponde mas não te esqueças que a má gestão não é de agora... arrasta-se desde o 25 de abril, e se fores a juntar toda a fuga que ouve (e continua a haver)"de forma ilegal (esta é para o bubulindo)" se calhar o buraco não era tão grande nem lá perto, se juntasses o dinheiro que veio da europa para Portugal deixar de produzir tanto(dinheiro este que serviria para criar novas empresas e que serviu para encher os bolsos a gente corrupta), mais o dinheiro daquilo que se deixou de produzir, se calhar estavamos um bocadiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinho grande melhor, não?

Bubulindo em muitos países nórdicos os deputados vivem em apartamentos T1/T0 com condições mais baixas que a nossa ex classe média... classe esta que entretanto deixou de existir... vai-se lá saber porquê.

Permite-me discordar sobre isto... os povos nórdicos pensam da mesma forma que nós... tu não vais concordar, mas eu vivi na Noruega durante um ano e trabalho diariamente com Noruegueses, Suecos e Dinamarqueses e todos, havendo possibilidade fogem aos impostos.

A diferenca está que eles não se evadem, apenas evitam os impostos da melhor maneira possível e legal.

Logo a diferenca não está completamente no povo, mas também no Governo que tem todas as ferramentas possíveis para diminuir consideravelmente a evasão. Claro que, como já foi dito por mim, o Governo é o povo e como tal, os povos nórdicos ao eleger um Governo decente, evitam todos estes problemas... mas que eles pensam e procuram todas as maneiras possíveis para pagar menos impostos, lá isso procuram.

Quem é que não procura??? mas ao menos fazem-no de forma legal, nunca fui aos países nórdicos, apenas convivi com umas finlandesas na Républica Checa (Lindas de morrer, super simpáticas (casava-me com uma)),mas não preciso de conviver com as pessoas para saber a situação económica dos países, "tenho um amigo que faz por menos" (Não, não tenho contracto com a Radio Popular) http://www.google.pt

Posso também, puxar à brasa um certo aspecto interessante acerca dos povos nórdicos... eles juntamente com os Portugueses foram os primeiros a aventurarem-se pelos mares. No entanto, hoje em dia enquanto a indústria naval dá imenso dinheiro e cria empregos nos países nórdicos, em Portugal não existe onde construir um navio... Triste, não?

Atenção que há paises nórdicos que quase vivem unica e exclusivamente da exploração marítima, e essa é a razão pela qual portugal têm taxas muito rigorosas em relação há pesca, como referi acima, a Europa controla tudo, e nós fazendo parte dela temos de aceitar o que ela exige, eu sei é triste, mas a Europa tirou-nos as coisas em troca de dinheiro (como referi acima), "nós" é que não o soubemos investir.


Got it?

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

ok 3kkkk € não corresponde mas não te esqueças que a má gestão não é de agora... arrasta-se desde o 25 de abril, e se fores a juntar toda a fuga que ouve (e continua a haver)"de forma ilegal (esta é para o bubulindo)" se calhar o buraco não era tão grande nem lá perto,

Por acaso são 3kkk €. A questão é que não são 3 mil milhões vezes 36 anos (o que daria 1/2 da nossa dívida). Por exemplo, em 2008, a evasão aos impostos não teve prejuízo maior de um par de centenas de milhões de euros. O país nem tinha resultados de impostos tão avultados como hoje em dia. Nem perto ;)


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.