Jump to content
FDomingos

Windows 8 poderá ter uma App Store

Recommended Posts

FDomingos
Citação
Com a disponibilização da primeira versão do Windows 8 para os RTM’s, começaram a surgir as primeiras imagens do que será o novo sistema operativo da Microsoft. Estas imagens, não oficiais mostram um sistema operativo que seguirá a continuidade do que o Windows 7 nos trouxe, mas também novidades que farão as delicias de todos os que o forem usar.

As últimas imagens que surgiram mostram que o Windows 8 poderá ter uma store incorporada e onde os utilizadores poderão aceder às aplicações que pretenderem. Ainda não existem muitas informações sobre que software esta store conterá e se apenas existirá software gratuito ou se existirá a possibilidade de os utilizadores adquirem aplicações.

O conceito de store dentro do sistema operativo não é novo, mas nos últimos tempos tem ganho uma importancia grande, com a disponibilização da Apple Store dentro do Mac OS e até com o Ubuntu Software Center.

[...]

Fonte: http://pplware.sapo.pt/informacao/windows-8-podera-ter-uma-app-store/

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

O conceito de store dentro do sistema operativo não é novo, mas nos últimos tempos tem ganho uma importancia grande, com a disponibilização da Apple Store dentro do Mac OS e até com o Ubuntu Software Center.

É um conceito derivado dos repositórios centralizados que existem à muito, muito tempo no mundo *nix...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Triton

É um conceito derivado dos repositórios centralizados que existem à muito, muito tempo no mundo *nix...

Não, não me parece que seja derivado dos repositórios. O conceito é parecido, mas parece-me que isto vem mais das app stores que existem nos telemóveis há algum tempo, e que ganharam mais popularidade com a App Store do iPhone e do Android.


<3 life

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Penso que aqui o que interessa é o conceito de Store (loja), e não repositório. Mas há um exemplo bastante antigo - o Steam - se bem que apenas serve para venda de jogos.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Desde que usem isso para disponibilizar o browser e outros adereços inúteis e intrusivos que veem com o Windows, na boa ..

Uma boa ideia (que por acaso também gostava de ver a Apple aplicar).

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco
Não, não me parece que seja derivado dos repositórios. O conceito é parecido, mas parece-me que isto vem mais das app stores que existem nos telemóveis há algum tempo, e que ganharam mais popularidade com a App Store do iPhone e do Android.

E de onde é que achas que vem o conceito das lojas de aplicações que se usam para telemóveis e para outros tipos de dispositivos móveis? *G*

Não estou a dizer que é o mesmo, mas é claramente um conceito que deriva de...

Penso que aqui o que interessa é o conceito de Store (loja), e não repositório.

E portante estás a dizer, que o conceito de loja electrónica de aplicações que se instalam utilizando um gestor de pacotes/instalador que é fornecido pelo fabricante do sistema e que recorre um repositório centralizado. Não é derivado do conceito de repositórios centralizados que eu referi?

Desde que usem isso para disponibilizar o browser e outros adereços inúteis e intrusivos que veem com o Windows, na boa ..

A m$ sempre recusou isso...

Uma boa ideia (que por acaso também gostava de ver a Apple aplicar).

Já o fez à muito tempo, só não o usa ainda nos computadores pessoais Mac (pelo menos ainda)... De resto a loja para o iPod, iPhone e iPad é precisamente isso...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Já o fez à muito tempo, só não o usa ainda nos computadores pessoais Mac (pelo menos ainda)... De resto a loja para o iPod, iPhone e iPad é precisamente isso...

Tanto quanto sei, nos iPhones e afins, o Safari, Mail, Calendar, etc. vem pré-instalado, e não os consegues apagar. Resumindo, continuas a ser obrigado a manter certas aplicações. (Também há aplicações da Apple para ser instaladas pela App Store. A única que me lembro, é o iBooks.)

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

E portante estás a dizer, que o conceito de loja electrónica de aplicações que se instalam utilizando um gestor de pacotes/instalador que é fornecido pelo fabricante do sistema e que recorre um repositório centralizado. Não é derivado do conceito de repositórios centralizados que eu referi?

Eu disse que o conceito de loja era diferente de repositório, nem referi nada acerca da origem do conceito. Para além disso, tudo é derivado de alguma coisa. Pelo teu ponto de vista, podemos dizer que a App Store é derivada do Big Bang.

Já o fez à muito tempo, só não o usa ainda nos computadores pessoais Mac (pelo menos ainda)... De resto a loja para o iPod, iPhone e iPad é precisamente isso...

Existe uma Mac App Store...

Tanto quanto sei, nos iPhones e afins, o Safari, Mail, Calendar, etc. vem pré-instalado, e não os consegues apagar. Resumindo, continuas a ser obrigado a manter certas aplicações. (Também há aplicações da Apple para ser instaladas pela App Store. A única que me lembro, é o iBooks.)

Não sei porquê. Nada de impede de agarrares no Mail e o deitares para o lixo, por exemplo. Na Mac App Store tens as aplicações dos pacotes iLife e iWork, o XCode 4, o Remote Desktop, o Aperture,...


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Não sei porquê. Nada de impede de agarrares no Mail e o deitares para o lixo, por exemplo. Na Mac App Store tens as aplicações dos pacotes iLife e iWork, o XCode 4, o Remote Desktop, o Aperture,...

Por acaso estava a falar de iPhones e afins.

Mas mesmo num mac, é um bocado diferente mandares algo para o lixo, ou nem chegares a instalar (no primeiro caso, é mais provável que fiques com lixo). Se não me engano, cheguei a apagar o Calendar e o iChat, e passado algum tempo havia ficheiros que era recriados automaticamente.

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

Eu disse que o conceito de loja era diferente de repositório, nem referi nada acerca da origem do conceito.

Eu desde inicio fale da origem do conceito ter por base outro conceito, nunca disse que era igual. Vocês simplesmente negaram...

Um disse claramente que não:

«Não, não me parece que seja derivado dos repositórios.»

E o outro apoiou a opinião....

Claro que aqui a característica principal é a centralização do fornecimento do software, é isso que permite haver o conceito de loja centralizada (porque é preciso haver centralização para haver uma loja centralizada), onde o fornecedor do sistema é o principal e/ou o único fornecedor de software (no caso das plataformas móveis da Apple é o único).

Tanto quanto sei, nos iPhones e afins, o Safari, Mail, Calendar, etc. vem pré-instalado, e não os consegues apagar.

Estava a falar de ter loja e não disso...

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Por acaso estava a falar de iPhones e afins.

Ya, só li metade da frase. My apologies ;)


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
KTachyon

Eu desde inicio fale da origem do conceito ter por base outro conceito, nunca disse que era igual. Vocês simplesmente negaram...

Um disse claramente que não:

«Não, não me parece que seja derivado dos repositórios.»

E o outro apoiou a opinião....

Claro que aqui a característica principal é a centralização do fornecimento do software, é isso que permite haver o conceito de loja centralizada (porque é preciso haver centralização para haver uma loja centralizada), onde o fornecedor do sistema é o principal e/ou o único fornecedor de software (no caso das plataformas móveis da Apple é o único).

Estava a falar de ter loja e não disso...

Pois, e eu não estava a falar da origem do conceito, como indiquei ;)

Não sou um dos "uns e outros" que opinaram acerca da origem, mas foi o meu comentário que escolheste comentar.

A diferença aqui é que são dois "conceitos" com objectivos distintos. Um é comercial, o outro não.


“There are two ways of constructing a software design: One way is to make it so simple that there are obviously no deficiencies, and the other way is to make it so complicated that there are no obvious deficiencies. The first method is far more difficult.”

-- Tony Hoare

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rui Carlos

Ainda dentro dos objectivos dos repositórios e das App Stores, como o KTachyon, o objectivo da App Store é comercial, é facilitar a compra de software (e no caso do iPhone, controlar o software que se pode instalar). Eu acrescentava que o objectivo dos repositórios era resolver as dificuldades de instalar certo software em Linux e afins, nomeadamente tratando das dependências.

Diria que a App Store é muito mais inspirada no iTunes do que nos repositórios do Linux e afins (aliás, até me admirou que a Apple tenha criado uma aplicação nova para a App Store).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Triton

Ainda dentro dos objectivos dos repositórios e das App Stores, como o KTachyon, o objectivo da App Store é comercial, é facilitar a compra de software (e no caso do iPhone, controlar o software que se pode instalar). Eu acrescentava que o objectivo dos repositórios era resolver as dificuldades de instalar certo software em Linux e afins, nomeadamente tratando das dependências.

Não só dependências como também poder desinstalar facilmente aplicações. Derivado da hierarquia tradicional de sistemas UNIX (OSX é diferente, felizmente) é difícil limpar todas os ficheiros das aplicações, que ficam em dezenas de pastas diferentes.


<3 life

Share this post


Link to post
Share on other sites
jviana

Acho isto absurdo, a Microsoft (Bill Gates) só copia da Apple, primeiro copiou a ideia do sistema operativo, depois as letras pormenorizadas e agora isto, a App Store, depois virá o ITunes, Garage Band, Numbers, Pages e Keynote. Acho isto um completo absurdo, a Microsoft iria ganhar muito mais se criasse as suas próprias ideias. Até os Gifts copiaram de app copiaram!

Cumps. J.Viana


Learning

  • VB.Net
  • HTML
  • C/C++

Share this post


Link to post
Share on other sites
Triton

Acho isto absurdo, a Microsoft (Bill Gates) só copia da Apple, primeiro copiou a ideia do sistema operativo, depois as letras pormenorizadas e agora isto, a App Store, depois virá o ITunes, Garage Band, Numbers, Pages e Keynote. Acho isto um completo absurdo, a Microsoft iria ganhar muito mais se criasse as suas próprias ideias. Até os Gifts copiaram de app copiaram!

Cumps. J.Viana

Lolololololol.


<3 life

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

Pois, e eu não estava a falar da origem do conceito, como indiquei ;)

Não sou um dos "uns e outros" que opinaram acerca da origem, mas foi o meu comentário que escolheste comentar.

Não indicaste... Ao responderes ao meu post nos seguintes termos:

Penso que aqui o que interessa é o conceito de Store (loja), e não repositório. Mas há um exemplo bastante antigo - o Steam - se bem que apenas serve para venda de jogos.

Estavas simplesmente a dizer que a utilização de um repositório centralizado, não é relevante para o conceito de app store que é utilizado actualmente. E que por tanto não haveria relação relevante entre o repositório centralizado e a app store.

A diferença aqui é que são dois "conceitos" com objectivos distintos. Um é comercial, o outro não.

São de facto conceitos distintos, mas não pelas razões que tu dizes. Vê lá tu que já houveram repositórios centralizados ao estilo dos que falei que tinham objectivos comerciais... A forma como as trocas comerciais ocorriam é que seguiam uma metodologia diferente. O repositório em linha, centralizado de software é agnóstico em relação à comercialização, ou falta dela... É por isso que ele é utilizado nas app stores e é utilizado em repositórios como o CPAN, ou os repositórios oficiais da Debian, etc...

Comentando ainda o seguinte "argumento":

Para além disso, tudo é derivado de alguma coisa. Pelo teu ponto de vista, podemos dizer que a App Store é derivada do Big Bang.

A relação entre o big bang e uma app store, é extremamente remota... Já a relação entre os repositórios centralizados e as app stores, é de uma, ou duas iterações evolutivas no conceito. Trata-se de uma relação próxima e óbvia. É preciso muito má vontade para não admitir tal coisa.

Ainda dentro dos objectivos dos repositórios e das App Stores, como o KTachyon, o objectivo da App Store é comercial, é facilitar a compra de software (e no caso do iPhone, controlar o software que se pode instalar)

Não falei de objectivos, falei de relação evolutiva entre conceitos...

Diria que a App Store é muito mais inspirada no iTunes do que nos repositórios do Linux e afins (aliás, até me admirou que a Apple tenha criado uma aplicação nova para a App Store).

Eu digo que é uma mistura evolutiva de ambos os conceitos.

Não só dependências como também poder desinstalar facilmente aplicações. Derivado da hierarquia tradicional de sistemas UNIX (OSX é diferente, felizmente) é difícil limpar todas os ficheiros das aplicações, que ficam em dezenas de pastas diferentes.

Os repositórios centralizados, não tinham esse objectivo... Estás a confundir duas coisas: o repositório centralizado e o gestor de pacotes...

O repositório de software tem o objectivo de facilitar a distribuição, apenas isso. Ele pode ser utilizado por um gestor de pacotes, ou por outro tipo de ferramentas (há conceitos diferentes que também implementam algumas das mesmas funcionalidades).

A facilidade instalação e remoção de software era já era (parcialmente) resolvida recorrendo a make files.

Quando são correctamente criados, os make files têm um target a que normalmente se atribui o nome de "clean" e que remove a instalação. Os gestores de pacotes acabaram por substituir parcialmente a função dos make files e esses, por esse motivo têm o objectivo de que mencionas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.