Ir para o conteúdo
  • Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #60 da revista programar. Faz já o download aqui!

Quadrado

Os telemóveis estão a matar as abelhas?

Mensagens Recomendadas

Quadrado

Cientistas indianos acreditam que os telemóveis estão a contribuir para a morte em massa das abelhas.

Os telemóveis estão a matar as abelhas?

De acordo com o que vem publicado no jornal Telegraph, investigadores da Universidade de Punjab, Índia, decidiram investigar se o desaparecimento gradual das abelhas em algumas zonas do mundo está relacionado com a massificação dos telemóveis.

São vários os países que estão a verificar uma grande diminuição no número de abelhas. Os pesticidas e as mudanças no clima são apontados como os culpados. No entanto, os cientistas indianos quiseram comprovar se os telemóveis também estão a contribuir para o fenómeno. Por isso, efectuaram uma experiência. Usaram três colmeias. A primeira foi cercada de telemóveis a funcionar. A segunda, tinha telemóveis desligados. A terceira não tinha nada. Ao final de três meses, a primeira colmeia perdeu muita da sua população. A rainha produziu menos ovos e não havia qualquer pólen ou mel.

No relatório final, os cientistas afirmaram que começaram este estudo porque havia cada vez mais provas que os campos electromagnéticos estavam a provocar a quebra da população de abelhas. Estudos semelhantes já tinham sido feitos em colmeias situadas de baixo de cabos de alta tensão.

Os cientistas sugerem que as ondas electromagnéticas estão a confundir o sistema de navegação das abelhas e a impedi-las de regressar à colmeia.

Fonte: http://aeiou.exameinformatica.pt/os-telemoveis-estao-a-matar-as-abelhas=f1006273


Será? Porquê? O quê?   - Estudar Sempre -

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
vulcano

Eu não acredito muito neste tipo de estudos pouco coerentes. Afinal foi uma simples experiência. E para além do mais as abelhas também não andam assim tão perto de telemóveis...

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
IRX773

Eu não acredito muito neste tipo de estudos pouco coerentes. Afinal foi uma simples experiência. E para além do mais as abelhas também não andam assim tão perto de telemóveis...

Campos electromagnéticos é algo criado independentemente de as abelhas andarem nas auto-estradas delas ou não.

O facto é que elas estavam cá antes de nós e o facto de nós termos alterado o local onde elas vivem e ter-mos criado campos electromagneticos nesse local pode, muito facilmente, acabar com a sua existência. O que poderia ser a extinção do homem tal como um famoso disse: "Se as abelhas acabassem, o homem seguia-lhes o exemplo em 4 anos".

O mesmo acontece com o sonar dos golfinhos: o sonar dos navios e outros transportes aquáticos confunde-os imenso e faz com que, sejam muitas vezes encontrados mortos nas praias pois ficam "desnorteados".

Se nós humanos somos afectados com a radiação atómica, é simples imaginar que as abelhas (tão pequenas comparadas a nós) sejam afectadas por campos electromagnéticos, e, mais uma vez se pode fazer uma comparação: se a radiação provoca impotência e infertilidade nos homens pode-se perceber o porque de a "rainha" da colmeia também não consegue reproduzir-se.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
vulcano

Campos electromagnéticos é algo criado independentemente de as abelhas andarem nas auto-estradas delas ou não.

Por isso mesmo. Então para que fazem o estudo com telemóveis ao pé abelhas?

O facto é que elas estavam cá antes de nós e o facto de nós termos alterado o local onde elas vivem e ter-mos criado campos electromagneticos nesse local pode, muito facilmente, acabar com a sua existência. O que poderia ser a extinção do homem tal como um famoso disse: "Se as abelhas acabassem, o homem seguia-lhes o exemplo em 4 anos".

O mesmo acontece com o sonar dos golfinhos: o sonar dos navios e outros transportes aquáticos confunde-os imenso e faz com que, sejam muitas vezes encontrados mortos nas praias pois ficam "desnorteados".

Isso é muito relativo...

Se nós humanos somos afectados com a radiação atómica, é simples imaginar que as abelhas (tão pequenas comparadas a nós) sejam afectadas por campos electromagnéticos, e, mais uma vez se pode fazer uma comparação: se a radiação provoca impotência e infertilidade nos homens pode-se perceber o porque de a "rainha" da colmeia também não consegue reproduzir-se.

Não de podes guiar por tamanhos, mais uma vez digo que isso é relativo. A radiação provoca infertilidade e impotência dependendo da sua intensidade e duração. E para além do mais existem diversos tipos de radiações e umas mais nocivas que outras. Agora vamos ver pelo outro lado:

Já imaginas-te o tão  importante que certas radiações têm para o ser humano?

-Usamos para tratamento e diagnostico de doenças.

O ser humano precisa do campo electromagnético para a protecção da vida de outro tipo de radiações.

É mais provável extinguirem-se abelhas devido aos ácaros que invadem as suas colmeias.

Como já referi, estes estudos para mim são pouco coerentes e não mostram nada.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
IRX773

Por isso mesmo. Então para que fazem o estudo com telemóveis ao pé abelhas?

Porque é um pouco difícil fazer o teste no meio do nada, onde não há abelhas. ;)

Não de podes guiar por tamanhos, mais uma vez digo que isso é relativo. A radiação provoca infertilidade e impotência dependendo da sua intensidade e duração. E para além do mais existem diversos tipos de radiações e umas mais nocivas que outras.

Claro que não pode ser pelo tamanho, mas sim pode ser pela raça. Ao que li sobre o estudo este foi feito com uma espécie de abelhas existentes na índia e, como sabes, a resistência a certos tipos de radiações varia de raça para raça, e de espécie para espécie. Por exemplo, acredito que a raça menos vulnerável à radiação sejam  as abelhas-africanas ou "scutellata" pois está estudado como sendo umas abelhas com grande resistência, porem com défice de resistência ao "urbanismo" o que faz com que possam também serem as mais vulneráveis.

Já imaginas-te o importante que certas radiações têm para o ser humano?

-Usamos para tratamento e diagnostico de doenças.

O ser humano precisa do campo electromagnético para a protecção da vida de outro tipo de radiações.

Lá esta ... Certas radiações, o mesmo acontece com as abelhas. Elas provavelmente têm uma resistência ao espectro electromagnético diferente do nosso, o que faz com que possam morrer e serem afectadas apenas com os campos electromagnético dos telemóveis, que não são assim tão baixos: como podes ver naquela experiência dos telemóveis e da pipoca (sim ... podes dizer que é relativo aqui).

É mais provável extinguirem-se abelhas devido aos ácaros que invadem as suas colmeias.

E os séculos anteriores todos onde as abelhas vivam na sua paz e sem o problema acentuar-se tão rápido não contam?! Pode acontecer o facto do aquecimento global poder aumentar a área onde os ácaros conseguem "atacar" e tornar as colmeias numa área "acessível" aos ácaros mas, mais uma vez é a intervenção do homem que está em causa pois é evidente. A extinção natural das espécies não se dá de um dia para o outro e demora séculos ou milénios (senão milhões de anos) o que faz com que algo que os humanos estejam a fazer afecte as pobres coitadas das abelhas.

Como já referi, estes estudos para mim são pouco coerentes e não mostram nada.

Como tu a sociedade não tem ligado aos estudos ambientais sobre o impacto humano e isso tem feito com que isto piore de dia para dia, é pena haver um cepticismo tão grande nesta área pois quando "abrirem" os olhos será, deveras, tarde demais.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
yoda

Por exemplo, acredito que a raça menos vulnerável à radiação sejam as conhecidas pelo nome "abelhas assassinas" mais propriamente as abelhas-africanas (o nome de abelhas assassinas é uma banhada, é assim por causa do filme que não me recordo o ano

A abelha assassina, ou abelha africanizada, não é a mesma que a abelha africana .. A assassina é um híbrido entre as de áfrica e as europeias, se não me engano.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
Quadrado

É um híbrido:

Abelha africanizada

A abelha, no Brasil, é um híbrido das abelhas européias (Apis mellifera mellifera, Apis mellifera ligustica, Apis mellifera caucasica e Apis mellifera carnica) com a abelha africana  Apis mellifera scutellata.

A variabilidade genética dessas abelhas é muito grande, havendo uma predominância das características das abelhas européias no Sul do País, enquanto ao Norte predominam as características das abelhas africanas.

A abelha africanizada possui um comportamento muito semelhante ao da Apis mellifera scutellata, em razão da maior adaptabilidade dessa raça às condições climáticas do País. Muito agressivas, porém, menos que as africanas, a abelha do Brasil tem grande facilidade de enxamear, alta produtividade, tolerância a doenças e adapta-se a climas mais frios, continuando o trabalho em temperaturas baixas, enquanto as européias se recolhem nessas épocas.

Mais informações sobre abelhas http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Mel/SPMel/racas.htm


Será? Porquê? O quê?   - Estudar Sempre -

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
IRX773

LOL ... como não vi o filme nem sabia bem a que raça de abelhas era dado o nome ;) ... mas não altera muito o conteúdo do post.

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
vulcano

Porque é um pouco difícil fazer o teste no meio do nada, onde não há abelhas. :thumbsup:

Sem interesse algum. Até porque há imensas abelhas ao pé de telemóveis.

E os séculos anteriores todos onde as abelhas vivam na sua paz e sem o problema acentuar-se tão rápido não contam?! Pode acontecer o facto do aquecimento global poder aumentar a área onde os ácaros conseguem "atacar" e tornar as colmeias numa área "acessível" aos ácaros mas, mais uma vez é a intervenção do homem que está em causa pois é evidente. A extinção natural das espécies não se dá de um dia para o outro e demora séculos ou milénios (senão milhões de anos) o que faz com que algo que os humanos estejam a fazer afecte as pobres coitadas das abelhas.

O homem foi tendo uma evolução, tal qual como as abelhas. Seguindo esse discurso que mencionas-te, tínhamos parado no tempo.

Como tu a sociedade não tem ligado aos estudos ambientais sobre o impacto humano e isso tem feito com que isto piore de dia para dia, é pena haver um cepticismo tão grande nesta área pois quando "abrirem" os olhos será, deveras, tarde demais.

Eu ligo e estou atento a estudos, mas não deste tipo. Faz-me lembrar as notícias da "Maria" em versão científica. :D

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites
IRX773

Eu ligo e estou atento a estudos, mas não deste tipo. Faz-me lembrar as notícias da "Maria" em versão científica. :D

A versão mais correcta :thumbsup:

Partilhar esta mensagem


Ligação para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!

Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.

Entrar Agora

×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Este site usa cookies para disponibilizar funcionalidades personalizadas. Para mais informações visite esta página.