Jump to content
  • Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #60 da revista programar. Faz já o download aqui!

Sign in to follow this  
nunojota

PHP em Ubuntu

Recommended Posts

nunojota

Boas

Sou novo no mundo do ubuntu, mas sempre tive curiosidade de conhecer este SO.

Gostaria, se souberem, qual o melhor programa que posso usar neste ambiente.

Neste momento tenho o Netbean, em ambiente windows usava o dreamweaver, mas gostaria de saber a vossa opinião

Obrigado

Share this post


Link to post
Share on other sites
pwseo

Eu aconselhava-te a instalares um editor de texto "genérico" e aprenderes a escrever código sem o dreamweaver. Nunca utilizei o netbeans, mas quase de certeza que é mais pesado que um simples editor de texto...

De qualquer modo, aconselhar-te-ia o Vim (o meu preferido) ou o Emacs. Ambos são incrivelmente personalizáveis e dão para tudo e mais alguma coisa.

No entanto, visto que ainda és novo nestas coisas, instala o gedit (que tem plugins porreiros para algumas coisas). Ainda assim, se calhar não perdes nada em dar uma olhadela ao Vim ou Emacs nos entretantos ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Caya

Eu uso o Aptana. É freeware, tem os principais utilitário para programar PHP (e outras línguas) e mais alguns e plugins que nunca mais acaba.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Mayron

também da pra usar o Gedit ele tem uma gama de plugins que dão muita flexibilidade... auto complete, abrir arquivos, ftp e por ai vai...

mais é aquele negócio, é questão de gosto ;)


Para que se preocupar se o problema é um JAR???

Share this post


Link to post
Share on other sites
falco

Eu gosto e uso essencialmente o VIM. O VIM, não é um mero editor de texto, não pelo menos da forma que os utilizadores de window$ vêm um editor de texto. Não são é muito configurável (a uma escala enorme), como integra-se com muitas ferramentas comuns em sistemas *nix (devido à sua simplicidade e a algumas features) tem a sua própria linguagem de scripting (para além de suportar também (Perl, Python, Ruby, TCL e outras linguagens) que podes utilizar para extender ainda mais as suas funcionalidades e tem todas aquelas coisas a que estás acostumado para programar (syntax highlight, code indentation, code completion, integração com compiladores). Tem ainda coisas como suportar várias janelas e vários modelos de UI, folding de texto e de código, expressões regulares, edição de ficheiros comprimidos, suporte para edição em rede (com plugins), spell checking, tem outliner, etc...

Aliás se fores ver a comparação da wikipedia ( http://en.wikipedia.org/wiki/Comparison_of_text_editors ) vais ver que o Vim é dos que suporta mais features e as que não suporta é provável que não vás nunca precisar, ou provavelmente podes tu adicionar.

Netbeans e outros da mesma gama, são exageradamente complicados e complexos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
anagrama

Tanto o vi(m) como o emacs são herdados do Unix  e digamos "antagónicos": quem gostava e utilizava um, achava defeitos, dificuldades e complexidade no outro. Se o nível de execução do Ubuntu for de em modo gráfico, creio que te carrega o gedit.  É simples e dá para a maioria das coisas que se pretende efectuar. O vim e o emacs foram pensados para maximizar o desempenho no sentido de permitir ao utilizador poder fazer o máximo de tarefas possiveis, pressionando o menor número de teclas possíveis.  Por conseguinte, são complexos, "chatos" de usar e de aprender. Porém, quem se habitua  e gosta de um destes editores (são bem mais), não quer outra coisa, independentemente da maior ou menor dimensão e/ou da complexidade que tem pela frente.

Share this post


Link to post
Share on other sites
pwseo
Não são é muito configurável (a uma escala enorme)

De certeza que ali era "Não só é" ;)

Tudo o que o falco disse é verdade e é por isso que também devo dizer que gosto e utilizo apenas o VIM.

@anagrama:

o emacs em particular não foi muito pensado com "o menor número possível de teclas" em mente... daí a piada do Esc-Meta-Alt-Ctrl-Shift ;p

Além disso, estes editores não são chatos de usar. Muito pelo contrário, eu sinto-me espectacularmente bem a usar o VIM, e irrita-me profundamente quando outros editores não são tão simples. Aprender a usar é outra história, mas eu não considerei isso chato... Foi um pouco difícil, mas recompensador, sem dúvida.

Share this post


Link to post
Share on other sites
anagrama

oi!

o "chato", é que não se está habituado ou a contar com um editor que recorre a combinação de teclas

para se poderem ter acesso a um vasto leque de opções. É desafiante, mas quem não tenha lidado com editores em Linux, Dos, etc, ou seja em modo texto e que recorriam a combinação de teclas para executar os comandos, é possivel que tenha uma primeira reacção de pura desistência e de abandono. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

×

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.