Jump to content

GNU e GPL: utopia?


vbmaster

Recommended Posts

No meio de mais um dia de estudo para exame, dou a certa altura em que estava bastante atento ao que estava a fazer, e derivado de algumas discussões que já tive no IRC, a pensar no fundo, na possibilidade ou não de um projecto como o GNU reger toda a produção de software no mundo (portanto software com licença GPL).

Será que seria possível, na nossa sociedade, que todo o software fosse livre? Que, no fundo, o conhecimento fosse acessível para todos, sem qualquer custo directo? Se virmos bem, é o que o projecto GNU ambiciona, mas será que nós como programadores, que neste momento até podemos dizer que o Opensource é que rula, quando virmos as nossas criações, vamos conseguir pôr de parte o nosso próprio egóismo e torná-las gratuitas e passíveis de serem alteradas com a condição que o programa resultante se mantenha nos mesmos moldes?

Será que têm assim tanto cabimento não avaliar os programas como obras de arte que merecem ser pagas para serem usufruídas? É certo que é díficil de avaliar quem inventou o quê, e que um programa seja uma obra 100% original e não baseada noutros, mas ainda assim deu trabalho, e o trabalho merece ser recompensado.

Será que o sentimento de satisafação pessoal próprios de quando fazemos algo que sabemos ser o mais correcto (tipo boa-acção) ser o suficiente para "alimentar" um programador?

Será tudo isto uma utopia tipo comunista, que quando posta realmente em prática à larga escala não se verifica nada do que era planeado?

Se há empresas a sobreviverem sobre o opensource, porque não são todas assim?

Enfim, divaguem, mudem de assunto, que o de este post também não está claramente definido...

Dêem a vossa opinião e veremos até onde isto chega e que conclusões se tiram... 😉

Link to comment
Share on other sites

Na industria de software e como em tantas coisas na vida, o que e importante é equilibrio. Nao pode ser tudo open source é claro mas também nao têm de ser tudo closed-source.

Os projectos open-source, e quando me refiro a open-source refiro-me aos projectos da apache, sem dúvida um marco dentro do género, são uma espécie de voluntariado a que um bom programador se dedica nas horas vagas principalmente porque são mais interessantes do que o trabalho do dia-a-dia.

Claro que um bom programador tambem tem comer e alimetar a familia pelo que so trabalhar de graca nao da.

Surgem agora alguns modelos de negocios ate bastante viaveis dentro do genero, temos por exemplo a JBoss que gerou um negocio à volta do "Professional Open Source" e que em 5 anos levaram a companhia a valer 350 milhoes de dolares e roubavam mais de 800 milhoes em market-share a outros gigantes como a oracle, a ibm ou a BEA.

Na realidade para quem trabalha na area e ate bastante facil de fazer a distincao, um projecto open-source, normalmente é um projecto generico, que pode ser utilizado por muitas pessoas e em grande parte encaixam-se no meio de outras aplicacoes.

Agora se um cliente ou alguem vem pedir software especifico para resolver um determinado problema é claro que nao o vamos fazer porque nos da gozo fazemos porque tem de ser e queremos ser pagos por isso.

Link to comment
Share on other sites

No meio de mais um dia de estudo para exame, dou a certa altura em que estava bastante atento ao que estava a fazer, e derivado de algumas discussões que já tive no IRC, a pensar no fundo, na possibilidade ou não de um projecto como o GNU reger toda a produção de software no mundo (portanto software com licença GPL).

Será que seria possível, na nossa sociedade, que todo o software fosse livre? Que, no fundo, o conhecimento fosse acessível para todos, sem qualquer custo directo? Se virmos bem, é o que o projecto GNU ambiciona, mas será que nós como programadores, que neste momento até podemos dizer que o Opensource é que rula, quando virmos as nossas criações, vamos conseguir pôr de parte o nosso próprio egóismo e torná-las gratuitas e passíveis de serem alteradas com a condição que o programa resultante se mantenha nos mesmos moldes?

Não, o sw nunca será todo livre. As razões são várias, mas creio que as mais fortes se resumem a estas: existe sempre convivência entre várias soluções, sejam livres ou não e o OSS não ataca nichos de mercado, restringe-se ao sw mais usado, logo nesses quem "manda" é o sw proprietário não livre e bem pago.

O OSS actualmente não comanda como tu afirmas. A maior parte do sw instalado em todo o mundo é não livre e na sua maioria pago. O Windows é dono e senhor dos desktops e até nos browsers, creio que o projecto Mozilla é um dos maiores sucessos a nível de OSS, o IE domina com larga vantagem, as últimas estatísticas que vi rondava os 90%.

Por exemplo, se eu fizesse um sw para atacar um nicho de mercado pouco explorado nunca o faria libertando a source, faria um sw proprietário e bem pago. Já a estratégia seria diferente se fosse atacar uma área já explorada e com mais concorrência.

Será que têm assim tanto cabimento não avaliar os programas como obras de arte que merecem ser pagas para serem usufruídas? É certo que é díficil de avaliar quem inventou o quê, e que um programa seja uma obra 100% original e não baseada noutros, mas ainda assim deu trabalho, e o trabalho merece ser recompensado.

O sw só é visto como arte entre os seus pares, ou seja, entre programadores. Para o comum dos mortais, e em particular para adquire uma solução, seja livre ou não, não está minimamente interessada em saber se aquilo por dentro é uma obra de arte ou um molho de bróculos embrulhado em esparguete. O que interessa é que funcione e seja a solução para o problema que tem em mãos. Esta é a dura realidade.

Será que o sentimento de satisafação pessoal próprios de quando fazemos algo que sabemos ser o mais correcto (tipo boa-acção) ser o suficiente para "alimentar" um programador?

Para uns sim, para outros não. Isso é intrinseco a cada pessoa, seja programador ou carpinteiro.

Será tudo isto uma utopia tipo comunista, que quando posta realmente em prática à larga escala não se verifica nada do que era planeado?

Sim, é. Não por falta de planeamento mas sim pelas razões que apontei acima.

Se há empresas a sobreviverem sobre o opensource, porque não são todas assim?

Pelas razões que apontei acima. Volto a referir que a estratégia para escolha de sw livre depende da tua posição no mercado e do que queres atacar.

Por exemplo, a MS tem uma enorme base instalada de SOs e Offices, esse pessoal estão numa posição de "customer lock-in", ou seja, estão "presos" a essas soluções e é difícil soltarem-se delas. Por isso a MS continua a vender SOs e Offices, não tendo qualquer necessidade de os libertar como OSS.

Enfim, divaguem, mudem de assunto, que o de este post também não está claramente definido...

Dêem a vossa opinião e veremos até onde isto chega e que conclusões se tiram... 😉

Para mim é simples: com a chegada a posições de tomada de decisão de pessoal que, como eu, acompanhou o nascimento e crescimento de coisas como o Linux, Mozilla, Open Office, etc. o panorama vai mudar um pouco, mas não radicalmente nem acredito que de forma significativa. As razões são simples e variadas mas creio que estas são as mais fortes: "customer lock-in", medo e resistência à mudança, forças de vendas (digamos que muito) persuasivas por parte das empresas que não acentam o seu negócio sobre OSS.

10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Link to comment
Share on other sites

Eu gostava que todo o software fosse livre, imaginem um mundo sem "pirataria" 😉 Optimo não ?

O problema ai é que a pirataria de software continua a existir, claro que se fosse tudo freeware e Open-Source de certeza que não iriamos ver a evolução que temos hoje em dia nos computadores 😛 Deixando o orgulho de parte quem impulsiona o fabrico de novos processadores e derivados é o OS e nesse aspecto em particular foi o Windows 🙂

Se fosse free concerteza que não teria tanta projecção 😛

Podem dizer que é devido às guerrinhas e bla bla bla mas chegado a um ponto as coisas não tinham necessidade de avançar mais 😛

Eu apoio o software pago porque pessoalmente sei o trabalho que um programador tem e sei que se um programador no fim da meta não encontrar o que quer (muitos dinheiro, alguns fama, etc...) desmotiva facilmente, e uma pessoa não pode ser sempre creativa 😛

Acho que era ridículo isto ser tudo dominado pelo Open-Source 😛

Eu gosto de equilibrio, poder escolher e só acho que se a distribuição dos sistemas operativos fosse:

45% Windows, 30% Mac e 25% Linux

Seriamos muito mais felizes 😄

Link to comment
Share on other sites

Bem e agora faço eu a pergunta: que motivação teríamos nós, enquanto informáticos, se todo o software fosse open source?

As diferenças a nível intelectual nesta área entre utilizadores de Windows e utilizadores de GNU/Linux não existiriam mais, visto que todos seriam users de OSS. Começaríamos certamente a defender um novo conceito revolucionário e teríamos novamente de iniciar uma grande luta entre comunidades e o resto dos utilizadores de um PC.

É esta luta que nos alimenta. Vencê-la seria perdê-la.  😉

Link to comment
Share on other sites

Sim, de certa forma.  A adesão de massas a um ideal só faria com que os verdadeiros objectivos e fundamentos do ideal se dispersassem. Já acontece um pouco isso: há gente que defende o software livre e software open source mas nem sequer conhecem as diferenças entre as nomenclaturas. Com a adesão em massa não só se perderiam os verdadeiros significados das nomenclaturas, como tambem se vulgarizaria a produção.

Acontece o mesmo com o termo "hacker", por exemplo. Com a revlução informática dada nos últimos anos, começou a utilizar-se o termo hacker para qualquer coisa que se faça de mal, quando o termo (o ideal) nas suas origens não está ligado ao mal. Foi por causa dessa vulgarização que se criaram comunidades semi-secretas que têm como objectivo manter as ideias iniciais. E isto é só um exemplo, porque se olharmos para a história, vemos que existem mesmo muitos exemplos deste género.

Link to comment
Share on other sites

pois é... eu estou totalmente de acordo com voces quando dizem que não podia ser tudo OSS. Yambem não sou totalmente contra o Software pago, um software como o Windows ou como o Ofice por exxemplo não se faz em 2 ou 3 meses, ha programadores e outras pessoas  proficionais envolvidas em projectos desse tipo, e issu não sai nada barato como sabemos.  Programas desse tipo OSS era quase o mesmo que mandarmos fazer uma casa e não pagarmos nada 😉 e digo quase porque não é bem assim como é obvio, temos o Linux que é um exelente S.O., na minha opinião(e na de muitos) é mt as mt melhor que o Win... e no entanto é OSS 😁

O que me "Mete Nojo" é que o software pago serve em muitos casos para alimentar a ganancia de muitoa gente. Podiam mt bem lançar os programas ao preço norrmal ate atingirem o preço que gastaram a desenvolvelo ou ate um pouco mais, e apartir dai não digo que fosse a borla mas poderiam baixar para um  preço que desse para os gastos de manutenção do software como actualizações, a distruboição.. etc.... mas pronto.. é apenas a minha opinião

cumps

Link to comment
Share on other sites

A meu ver o software poderia ser todo livre. Nos primeiros tempos da informatica o UNIX era distribuido, pago, com o codigo fonte. Como apenas programadores utilizavam computadores o sistema operativo evoluiu bastante. Tomemos o exemplo que hoje existe do windows e linux. Temos por exemplo o Subtitle Workshop, que nao tem rival. Tanto em Windows como em Linux nenhum editor de legendas lhe chega aos calcanhares. Agora o problema: sempre que quero traduzir sou forçado a ir a windows para usar o subtitle workshop. Se o programa fosse open-source (neste momento é freeware) ja haveria pelo menos uma versao para linux. Penso que so temos a ganhar com o open-source.

Agora a questao é: Será que o open-source deve continuar a ser gratis ou passara a ser pago, e com o software recebemos também o codigo fonte?

Link to comment
Share on other sites

a pensar no fundo, na possibilidade ou não de um projecto como o GNU reger toda a produção de software no mundo (portanto software com licença GPL).

O projecto GNU, é um projecto de desenvolvimento de software da Free Software Foundation.

A Free Software Foundation não quer reger toda a produção de software do mundo, nem que a GPL seja a única licença a ser usada, nem nada perto disso. Por isso básicamente, começaste a pensar em disparates... Mais valia teres estado a estudar.

Será que seria possível, na nossa sociedade, que todo o software fosse livre?

Sim!

Que, no fundo, o conhecimento fosse acessível para todos, sem qualquer custo directo?

O software ser livre não garante que todo o conhecimento seja acessível a todos, nem que não hajam custos directos.

Se virmos bem, é o que o projecto GNU ambiciona

O projecto GNU é um projecto de um sistema operativo 100% livre. Não confundas os objectivos de um projecto da FSF, com aquilo que pensas ser o objecto da FSF.

O objectivo da FSF é garantir liberdade na utilização de software a quem quisér.

mas será que nós como programadores, que neste momento até podemos dizer que o Opensource é que rula, quando virmos as nossas criações, vamos conseguir pôr de parte o nosso próprio egóismo e torná-las gratuitas e passíveis de serem alteradas com a condição que o programa resultante se mantenha nos mesmos moldes?

Falar da FSF,  GNU e Software Livre é uma coisa. Falar de Open Source Software é outra. São dois movimentos distintos, com motivações distintas. Emboram partilhem muita coisa em comum.

Software Livre e Open Source Software não é a mesma coisa que software gratuito. Há mesmo quem cobre bastante por Software Livre e por Open Source Software. Não confundam a não venda de licenças com a não venda de software.

Será que o sentimento de satisafação pessoal próprios de quando fazemos algo que sabemos ser o mais correcto (tipo boa-acção) ser o suficiente para "alimentar" um programador?

Obviamente que não! E também não é isso a que FSF defende. Alias a própria FSF emprega alguns programadores. E os principais developers dos principais projectos de Software Livre são pagos para trabalharem nesses projectos. Eu próprio fui contratado como especialista em Software Livre em mais que uma ocasião (inclusivé como programador).

Será tudo isto uma utopia tipo comunista, que quando posta realmente em prática à larga escala não se verifica nada do que era planeado?

Software Livre não é uma utopia. É uma realidade, o mundo entraria em colapso caso ele desaperece-se de um dia para o outro.

Se há empresas a sobreviverem sobre o opensource, porque não são todas assim?

Podes fazer a mesma pergunta em relação ao software proprietário. Porque é que as empresas de software proprietário vão à falência?

As respostas às duas perguntas são as mesmas na maior parte dos casos. Para além disso trabalhar com Software Livre e Open Source Software exige modelos de negócio diferentes e a maior parte das pessoas tem dificuldade em entender isso.

Na industria de software e como em tantas coisas na vida, o que e importante é equilibrio. Nao pode ser tudo open source é claro mas também nao têm de ser tudo closed-source.

Então porquê? Qual é a falta que o software proprietário te faz?

Software Livre é o equilibrio, o software proprietário é o desequilibrio.

Os projectos open-source, e quando me refiro a open-source refiro-me aos projectos da apache, sem dúvida um marco dentro do género, são uma espécie de voluntariado a que um bom programador se dedica nas horas vagas principalmente porque são mais interessantes do que o trabalho do dia-a-dia.

Há muita gente a trabalhar gratuitamente em projectos de Software Liver, mas olha que o nucleo fundamentál é pago, para além disso muitas das contribuições aparentemente gratuitas foram encomendadas por empresas que pagam aos seus funcionários para isso. Isso de ser tudo feito por voluntários já não é assim à alguns anos, embora ainda hajam muitos voluntários.

Agora se um cliente ou alguem vem pedir software especifico para resolver um determinado problema é claro que nao o vamos fazer porque nos da gozo fazemos porque tem de ser e queremos ser pagos por isso.

E com Software Livre podes ser pago. Nada te impede de seres pago pelo serviço de desenvolvimento e por outros, como o deployment, a formaçao, a manutenção, etc...

o OSS não ataca nichos de mercado, restringe-se ao sw mais usado, logo nesses quem "manda" é o sw proprietário não livre e bem pago.

Estás enganado o Software Livre e o Open Source Software, também vão aos nixos, ainda não a todos, porque são comunidades em crescimento, mas lá chegará.

creio que o projecto Mozilla é um dos maiores sucessos a nível de OSS

Os maiores sucesso do Software Livre e do Open Source Software são no lado do servidor, onde são lideres de mercado. A infra-estrutura da Internet depende do Software Livre, um exemplo é o Apache.

Bem e agora faço eu a pergunta: que motivação teríamos nós, enquanto informáticos, se todo o software fosse open source?

Precisamente as mesmas que tens agora. O desafio de resolver problemas, os ordenados, etc... Pelo menos são as que eu tenho e eu sou contratado por ser especialista em Software Livre.

A guerra do Software Livre e do Open Source Software  não é com o ser pago ou não. Isso é falso. É uma ideia errada propagada pela utilização de termos como software comercial e software pago por oposição ao Software Livre e ao Open Source Software.

Podes dar liberdade e ainda assim ser pago.

Podes desenvolver de forma aberta e ainda assim ser pago.

Existem exemplos reais que provam isto. Empresas com resultados milionários, freelancers, etc... Por isso quando se diz o contrário estamos a mentir, ou então estamos enganados.

Link to comment
Share on other sites

falco talvez a minha visão em relação a este assunto tenha uma vertente demasiado sentimental, no entanto vou tentar explicar o que pensei quando escrevi os posts anteriores.

Ao não haver software proprietário, numa época em que o mundo do software é dominado peo software livre, estávamos a inovar na história da humanidade. Nunca o ser humano conseguiu criar condições para que tudo fosse livre, respeitado e acessível a todos. Creio que irão sempre surgir problemas e haverá sempre alguém que se tentará aproveitar do que foi feito com objectivos comunitários. Mesmo com as vários licenças que temos no mercado, iria aparecer sempre alguém capaz de ludibriar as licenças e de tirar proveito do trabalho dos outros. Considero, portanto, uma utopia, a ideia de todo o software ser livre. E existe mais razões.

Não sei se acontece o mesmo convosco, mas quando defendo e tento promover o software livre ou o software código aberto (open source), seja na presença de amigos que não fazem parte de uma comunidade técnica, seja nos textos que escrevo para serem vistos por membros da comunidade técnica, tenho obrigatoriamente de meter um pouco de sentimentalismo na minha luta, um pouco de esperança de que a utopia de que estamos a falar realmente aconteça.

Se só existisse software livre a minha luta e a luta de tanta gente como eu e como tu falco acabaria, já que os nossos objectivos tinham sido atingido. Ora, imagina-te nesse momento, no momento em que o software livre bate o software proprietário. Certamente ficarias feliz, radiante e aos pulos. Mas  para o que é que ias lutar a seguir? Com o que é que ias preencher o vazio que tinha sido criado nessa hora?

Link to comment
Share on other sites

Eu gostava que todo o software fosse livre, imaginem um mundo sem "pirataria" 😛 Optimo não ?

Sim, óptimo mas utópico.

Mesmo se todo o sw fosse livre, isso não quer dizer que não houvesse "pirataria", uma vez que certas licenças poderiam ainda assim ser violadas.

O problema ai é que a pirataria de software continua a existir, claro que se fosse tudo freeware e Open-Source de certeza que não iriamos ver a evolução que temos hoje em dia nos computadores 🙂 Deixando o orgulho de parte quem impulsiona o fabrico de novos processadores e derivados é o OS e nesse aspecto em particular foi o Windows 😛

Se fosse free concerteza que não teria tanta projecção 😛

Podem dizer que é devido às guerrinhas e bla bla bla mas chegado a um ponto as coisas não tinham necessidade de avançar mais 😛

Não obrigatoriamente. Repara que excepto algumas grandes empresas, como a MS, Adobe, Oracle e algumas empresas que atacam nichos de mercado expecificos, ninguém no mundo das TIs ganha dinheiro a vender sw. O dinheiro vem com os serviços associados ao sw, é este o modelo de negócio das empresas baseadas em OSS. 😉

Eu apoio o software pago porque pessoalmente sei o trabalho que um programador tem e sei que se um programador no fim da meta não encontrar o que quer (muitos dinheiro, alguns fama, etc...) desmotiva facilmente, e uma pessoa não pode ser sempre creativa 😛

Como em qualquer profissão... Se não me pagam pelos desenvolvimentos que faço, então fico em casa a fazer outra coisa...

Acho que era ridículo isto ser tudo dominado pelo Open-Source 😄

Eu gosto de equilibrio, poder escolher e só acho que se a distribuição dos sistemas operativos fosse:

45% Windows, 30% Mac e 25% Linux

Seriamos muito mais felizes 🙂

Pessoalmente, essas quotas não me dizem nada. Actualmente a MS tem uma posição dominante, anteriormente detida pela IBM, e é provavel que no futuro esse dominio seja de uma Google ou algo assim.

Profissionalmente é-me indiferente a origem e licença do sw, desde que o mesmo seja a solução para um determinado problema e exista forma de o fazer evoluir, é-me indiferente se é OSS ou proprietário. Isso pode fazer diferença ao cliente que é quem paga, mas pessoalmente a nível técnico e tecnológico, modo geral é-me indiferente.

10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Link to comment
Share on other sites

Bem e agora faço eu a pergunta: que motivação teríamos nós, enquanto informáticos, se todo o software fosse open source?

A única motivação seria ter acesso a uma (virtualmente) infinita biblioteca de código o que aumentari a velocidade de desenvolimento de um produto.

As diferenças a nível intelectual nesta área entre utilizadores de Windows e utilizadores de GNU/Linux não existiriam mais, visto que todos seriam users de OSS. Começaríamos certamente a defender um novo conceito revolucionário e teríamos novamente de iniciar uma grande luta entre comunidades e o resto dos utilizadores de um PC.

As diferenças a nível intelectual continuariam a existir, mesmo dentro do Windows que é o SO mais usado do mundo, essa diferença existe. Não imaginas a quantidade de iliteracia e falta de cultura informática que existe...

É esta luta que nos alimenta. Vencê-la seria perdê-la.  😉

Não obrigatoriamente. Assim que a vencesses passariam a existir novos desafios e novas guerras...

10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Link to comment
Share on other sites

As diferenças a nível intelectual continuariam a existir, mesmo dentro do Windows que é o SO mais usado do mundo, essa diferença existe. Não imaginas a quantidade de iliteracia e falta de cultura informática que existe...

Contacto com isso diariamente, acredita. Sempre que tento espalhar o slogan "Firefox é melhor que IE" explicando todas as vantagens de utilizar o browser da Mozilla Foundation, vejo caras desconfiadas e ouço frases do género: "Que estupidez é essa?! Eu uso IE e nunca tive problemas!".

Depois há sempre aqueles que se recusam a experimentar uma distribuição Linux, pois dizer que os problemas de segurança em Windows estão relacionados com mitos informáticos de crackers que invadem sistemas e que tudo isso não passa de fábulas para contar aos meninos pequeninos antes de adormecer.

Esta é a realidade com que me deparo diariamente. Existe tambem a realidade do "pede-tudo" que é algo que me acontece no quotidiano. Pessoas que querem saber a que horas dá o filme X no cinema Y, ou quando é que são os jogos das meias-finais do mundial, ou algo do género...Será que não conhecem o Google? 😉

Não obrigatoriamente. Assim que a vencesses passariam a existir novos desafios e novas guerras...

Pois. Era aí que queria chegar: por onde passaria essa motivação? Voltaríamos a defender as ideias de software proprietário? O que iríamos nós arranjar para defender novamente? Será que nos habituaríamos ao modelo instituído e será que a reacção dos "líderes" do modelo de software livre agiriam da forma como estávamos á espera?

Link to comment
Share on other sites

pois é... eu estou totalmente de acordo com voces quando dizem que não podia ser tudo OSS. Yambem não sou totalmente contra o Software pago, um software como o Windows ou como o Ofice por exxemplo não se faz em 2 ou 3 meses, ha programadores e outras pessoas  proficionais envolvidas em projectos desse tipo, e issu não sai nada barato como sabemos.  Programas desse tipo OSS era quase o mesmo que mandarmos fazer uma casa e não pagarmos nada 😉 e digo quase porque não é bem assim como é obvio, temos o Linux que é um exelente S.O., na minha opinião(e na de muitos) é mt as mt melhor que o Win... e no entanto é OSS 😁

O esforço é o mesmo, ou pelo menos pode ser considerado identico, e não é necessário que o sw seja pago.

O exemplo do Linux/Windows, MS Office/OpenOffice, Outlook-IE/ Mozilla-FireFox-ThunderBird são disso exemplos.

Todas as soluções foram desenvolvidas por profissionais e nenhum desses projectos sai barato. O próprio OSS não é gratuíto, alguém o paga, quer seja através do tempo pessoal de quem o desenvolver quer seja através de uma empresa que paga e sustenta esses desenvolvimentos, como acontece com o Eclipse e o Open Office, por exemplo.

O sw tem uma particularidade que a maioria das pessoas ignora: é que só se constrói uma vez. Ao contrário de uma casa, cada construção de uma casa tem custos que têm de ser pagos. No sw esta regra não se aplica desta forma, uma vez construida uma aplicação a mesma não tem de ser construida para ser novamente usada por outros. Ou seja, se todos quizermos uma casa, esta tem de ser construída para cada um de nós, mas se todos quizermos um editor de texto, o mesmo só tem de ser construído uma vez.

O que me "Mete Nojo" é que o software pago serve em muitos casos para alimentar a ganancia de muitoa gente. Podiam mt bem lançar os programas ao preço norrmal ate atingirem o preço que gastaram a desenvolvelo ou ate um pouco mais, e apartir dai não digo que fosse a borla mas poderiam baixar para um  preço que desse para os gastos de manutenção do software como actualizações, a distruboição.. etc.... mas pronto.. é apenas a minha opinião

O sw pago serve para alimentar empresas, cujo objectivo último e único é o lucro, isso tem e deve ser visto com naturalidade. Como qualquer empresa, se pode/consegue vender o seu produto a 11 não o vai vender a 10 só porque "fica bem", nem sequer o vão dar de graça só porque já cobriram os seus custos deprodução e distribuição. Existem várias escolhas no mercado, quem decide deve escolher o melhor de acordo com o problema/solução que tem/necessita.

Além de que, os lucros permitem investir em novos projectos e novas versões, é a forma das empresas crescerem de forma sustentada e de terem fundos para aguentar tempos de crise e projectos que não vingam.

10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Link to comment
Share on other sites

A meu ver o software poderia ser todo livre. Nos primeiros tempos da informatica o UNIX era distribuido, pago, com o codigo fonte. Como apenas programadores utilizavam computadores o sistema operativo evoluiu bastante. Tomemos o exemplo que hoje existe do windows e linux. Temos por exemplo o Subtitle Workshop, que nao tem rival. Tanto em Windows como em Linux nenhum editor de legendas lhe chega aos calcanhares. Agora o problema: sempre que quero traduzir sou forçado a ir a windows para usar o subtitle workshop. Se o programa fosse open-source (neste momento é freeware) ja haveria pelo menos uma versao para linux. Penso que so temos a ganhar com o open-source.

Meu caro, acabaste de identificar uma oportunidade de negócio. Se fizeres uma aplicação melhor para Windows e/ou Linux que seja paga, vais ganhar dinheiro com isso.

O problema não está no facto dessa aplicação ser, ou não, OSS, tem a ver com uma estratégia para essa aplicação, uma vez a maioria das pessoas que usa, conhece e reconhece o Subtitle Workshop como sendo o melhor, se essa aplicação passar a ser paga a mesma vai gerar bons lucros (esta estratégia é comum, por exemplo o CVD Easy usou-a). As coisas têm de ser vistas assim: se não há uma versão para Linux é porque não há interesse (número de pessoas significativo) ou então é uma área não explorada em que quem chegar primeiro é rei.

Agora a questao é: Será que o open-source deve continuar a ser gratis ou passara a ser pago, e com o software recebemos também o codigo fonte?

O OSS não é grátis, essa é uma ilusão. Um produto é vendido de uma certa forma, quem está de acordo compra quem não está compre outro.

Quando faço uma aplicação posso, ou não, disponibilizar o código fonte, depende do contracto

Estás a confundir OSS com sw gratuíto, isso é um erro enorme.

10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Link to comment
Share on other sites

Em 25/06/2006 às 15:43, deathseeker25 disse:

Contacto com isso diariamente, acredita. Sempre que tento espalhar o slogan "Firefox é melhor que IE" explicando todas as vantagens de utilizar o browser da Mozilla Foundation, vejo caras desconfiadas e ouço frases do género: "Que estupidez é essa?! Eu uso IE e nunca tive problemas!".

Com isso nem me chateio. Se o pessoal quer usar o IE e acha que o aparecimento de tabs é o suprasumo resumo-me a dar uma gargalhada e a dizer "vives no passado, o teu presente é o meu passado à mais de 6 anos"! 😛

As "guerras que tenho" são mais duras, prendem-se com a adaptação de linguagens como Python (tenho uma experiencia pessoal que ilustra bem esta guerra) usar o Linux, CVS, Apache, Eventum e outras aplicações OSS que são excelentes, criam valor e baixam os custos para o cliente.

Se um utilizador gosta de usar o Outlook, o IE e de instalar o XP a cada 3 meses porque o sistema berrou ou ficou lento, então continue a ser assim, porque come, gosta e pede mais do mesmo... Com pessoal desse nem perco tempo...

Citação

Depois há sempre aqueles que se recusam a experimentar uma distribuição Linux, pois dizer que os problemas de segurança em Windows estão relacionados com mitos informáticos de crackers que invadem sistemas e que tudo isso não passa de fábulas para contar aos meninos pequeninos antes de adormecer.

Com esses também não perco tempo... Esse pessoal acha que cada nova versão do MS Office é melhor que a anterior quando na realidade a única que mudou foi a localização de certas opções nos menus e o aparecimento, ou desaparecimento, do estúpido do clip...

Já tive um Open Office instalado num cliente que nunca que queixou do mesmo, até que apareceu um WIMP cujas "plataformas informáticas" que conhece são largas e variadas, desde "Windows 95, 98, 2K até ao XP" (nem o NT conheceu) e desinstalou aquilo para meter uma cópia do MS Office, disse que aquele não era bom, quando lhe perguntei porquê, não me soube responder, patinou e disse apenas que era "diferente". Esta falta de cultura informática é o nosso dia-a-dia, ele nem sequer soube dizer porque é que um era melhor que o outro, nem sequer conhecia os dois, a tomada de decisão da substituição do OO pelo MS Office foi totalmente absurda, mal tomada, infundada e burra uma vez que não trouxe qualquer mais valia ao cliente... Este é o tipo de pessoal que acha que o Panda e o Symantec são o melhor que há...

Com pessoal deste não perco o meu tempo...

Citação

Esta é a realidade com que me deparo diariamente. Existe tambem a realidade do "pede-tudo" que é algo que me acontece no quotidiano. Pessoas que querem saber a que horas dá o filme X no cinema Y, ou quando é que são os jogos das meias-finais do mundial, ou algo do género...Será que não conhecem o Google? 😉

É tudo uma questão de €. Respondo muitas vezes "isso faz-se, quer investir num projecto desses?" e a resposta é invariavelmente "não".

Mais uma vez, não perco o meu tempo com cenas destas...

Citação

Pois. Era aí que queria chegar: por onde passaria essa motivação? Voltaríamos a defender as ideias de software proprietário? O que iríamos nós arranjar para defender novamente? Será que nos habituaríamos ao modelo instituído e será que a reacção dos "líderes" do modelo de software livre agiriam da forma como estávamos á espera?

A motivação seria a mesma: criação de novas aplicações, de melhores aplicações, de ser o melhor, de ganhar mais dinheiro, etc. isso não mudaria.

Repara, o Eclipse e o Open Office são aplicações que são desenvolvidas por empresas, o mais provavel seria, por exemplo, o MS Office, o Visual Studio, as ferramentas da Borland, etc., sendo também OSS, entrarem em competição, como referi, o dinheiro não está só no sw, mas nos serviços...

A guerra seria aí: nos serviços.

10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Link to comment
Share on other sites

Muito bem... então se as empresas conseguem ganhar dinheiro por outro lado sem ser na venda do software e se o podem manter livre (o que ok, não quer dizer gratuito, mas quem é que é totalmente livre quando tem de pagar para que algo lhe seja fornecido?) porque não o fazem todas?

Aliás até porque software livre pago não tem muito sentido, qualquer um poderia modificá-lo numa ninharia de código qualquer e distríbui-lo gratuitamente, sem as empresas que o produziam tomarem o controlo da situação, ou não?

Um mundo de softwarte livre seria bonito... motivações?

GNOME vs. KDE por exemplo...

Motivações não faltariam... e penso que um mundo de software livre só tornaria esta industria ainda mais competitva e evoluída graças ao conceito opensource.

Claro que a literacia informática não iria aumentar por causa disso, apenas haveriam os que se mantinham pelo ambiente gráfico sem inventar muito, e os que exploravam o seu SO a fundo. Existem distribuições para cada uma dessas pessoas pelo que necessariamente a situação mundial seria a mesma... 😉

Link to comment
Share on other sites

[move]Aviso à leitura, post longo e sem adição de conteúdo, podem passar à frente 😉[/move]

O meu sonho seria estarmos num mundo onde que precisa manda desenvolver (ou desenvolve) e distribui, retendo o código fonte caso se revela-se necessário. Gostaria também de viver num mundo onde quem lucra-se directamente (as empresas) tivessem que pagar o que o software vale mensalmente. Ninguém deveria ser  obrigado a nada, apenas a ter a consciência daquilo que faz. Este sim é um mundo utópico...

Penso que existindo só soluções opensource (por exemplo) nunca se chegaria a uma acalmia, penso que eu em vez de fazer o programa X de raiz para competir com o teu Y, me pudesse basear e lançar algo realmente bom. Na 'seguinte rodada' seria a tua vez de verificares o que eu fiz bem e melhorar. Mas isto é também uma utopia porque nós somos 'maus competitivos' por natureza, a lei do mais forte está sempre presente.

Muitos de nós somos defensores de opensource, open software, freware, etc... Mas que fizemos nós por isso? Aconselhamos os amigos a mudar? Para quê... só vêm com questões patéticas do tipo "epáh não me habituo a usar as tabs" e no mês seguinte aparece um ie com tabs vêm todos contentes "há e tal tabs é que rula, esse que usas têm tabs como o novissimo e mais seguro ie?" Eu já deixei de aconselhar, ou recomendar por livre vontade, se precisam experimentem, se não precisam continuem com a sua vidinha. Eu estou melhor, o meu pc corresponde às minhas medidas, se o deles não temos pena. Outro erro que eu reparei é que as minhas necessidades, um pc estável e seguro não são as de outrêm que precisam do pc para ir ao hi5 e jogar jogos...

Já me alonguei demais, e nada acrescentei ao tópico, é apenas um desabafo. Já agora, www.opensource.globalfree.net , não deixem morrer um bom projecto.

Cumps 8)

Link to comment
Share on other sites

Muito bem... então se as empresas conseguem ganhar dinheiro por outro lado sem ser na venda do software e se o podem manter livre (o que ok, não quer dizer gratuito, mas quem é que é totalmente livre quando tem de pagar para que algo lhe seja fornecido?) porque não o fazem todas?

Simples: porque se eu libertar o sw como OSS estou a dar de mão beijada a minha mais-valia/competitividade à concorrência.

Ou seja, se onde eu realmente faço dinheiro é nos serviços e esses servição são acentes no sw que eu desenvolvi, se o liberto como OSS, a concorrência vai usar o meu sw contra mim, o que eu obviamente não quero!

Aliás até porque software livre pago não tem muito sentido, qualquer um poderia modificá-lo numa ninharia de código qualquer e distríbui-lo gratuitamente, sem as empresas que o produziam tomarem o controlo da situação, ou não?

Exacto. Como expliquei acima, libertar o sw é dar de mão beijada a galinha dos ovos de ouro para ser mujida pela concorrência.

Um mundo de softwarte livre seria bonito... motivações?

GNOME vs. KDE por exemplo...

Isso seria uma luta/guerra ridicula... Eu escolho o meu desktop de acordo com as minhas preferências e necessidade. Acho o Gnome mais bonito mas acho o KDE mais funcional e a partir daqui seria uma "birra" do tipo "o meu desktop é melhor do que o teu"...

Motivações não faltariam... e penso que um mundo de software livre só tornaria esta industria ainda mais competitva e evoluída graças ao conceito opensource.

Posso advogar o contrário. Fazendo o papel de advogado do diabo, posso dizer que a melhor maneira de fazer isso é através de sw proprietario e patenteado. Se uma coisa está patenteada quem quizer agarrar o mercado onde essa patente é liver vai  ter de se esforçar imenso para arranjar uma coisa muito melhor e arrumar com a concorrência, aumentando a competitividade. Se fosse OSS, bastaria agarrar no que já está desenvolvido e integrar tal como está ou fazer umas melhorias e pronto...

O qure quero dizer com isto é que ambos os lados têm argumentos que me parecem válidos.

Reparem no caso das patentes, os EUA vivem e convivem com isso diariamente à décadas e é de lá que sai a maioria dos "break throughs" para a indústria.

Claro que a literacia informática não iria aumentar por causa disso, apenas haveriam os que se mantinham pelo ambiente gráfico sem inventar muito, e os que exploravam o seu SO a fundo. Existem distribuições para cada uma dessas pessoas pelo que necessariamente a situação mundial seria a mesma... 😉

Isso já acontece actualmente, ou seja, o panorama não iria mudar muito...

10 REM Generation 48K!
20 INPUT "URL:", A$
30 IF A$(1 TO 4) = "HTTP" THEN PRINT "400 Bad Request": GOTO 50
40 PRINT "404 Not Found"
50 PRINT "./M6 @ Portugal a Programar."

 

Link to comment
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.