Jump to content

Universal Declaration of Human Rights


herakty

Recommended Posts

isto é em forma de homenagem a este grande acontecimento que parece estar a ser esquecido por muita gente (não falo de pessoas do fórum como é óbvio... mas temos todos de nos revoltar contra este fenómeno de indiferença desde que não seja connosco... é que amanhã pode ser connosco...)

como se diz nos foruns internacionais... we need to raise awarness

não podemos abandonar estes princípios e começa logo em cada um de nós na forma de abordar as questões. eu sou como qualquer outro e esta mensagem é para mim também... é para a humanidade

como é que o abramovich compra clubes e ainda ai a exibir yates? em países ocidentais que assinaram esta declaração...

como é que se atacam paises para se mudar o seu rumo politico quando um dos princípios é o da auto-determinação? serão os de fora que sabem o que é melhor para os de casa?

porque não se actua no ruanda onde há genocidios e actua-se no iraque onde há petróleo e não era dos piores regimes? se criarmos uma escala de maldade de regimes o sadam não era assim tão mau... teriam de enforcar muitos antes para terem moral para enforcar alguém... e quando o pais forçou isso pratica crimes contra a humanidade e falo a vários níveis, como ambientais, económicos, intervenção dos serviços secretos e assassinatos, etc

como parece que cada vez tá mais esquecido este grande acontecimento faço aqui uma homenagem solene a este grande acontecimento e que nunca seja colocada para traz (neste momento está pelas potencias mundiais e não só)

isto aconteceu devido à segunda guerra mundial e quando as pessoas tinham sentido na pele o que é não se ter direitos... mas parece que hoje já ninguém tenta "reviver" estes acontecimentos para ter sempre constante estas bases e para que não seja preciso um guerra mundial para motivar a humanidade a ser humana

vejo hoje diversos destes direitos básicos serem "pisados".... são tantos e em tantas áreas que é difícil destacar algo... posso vos dizer que chorei (sim, não tenho vergonha de dizer que chorei bastante quando vi dois documentários sobre escravatura sexual... mulheres de leste, raptadas, espancadas, vendidas e abusadas no mundo ocidental... sim, quando se vai a uma casa de prostituição neste momento podemos estar a colaborar com os mais horrendos crimes).. ver uma mulher a chorar porque fora raptada duas vezes e na inglaterra apenas a mandam de volta para a russia e da russia mandam de volta como escrava... a policia inglesa diz não ter nada a ver (como é que alguma policia pode não ter nada a ver com um crime que é universal e de direitos humanos?) e na russia chegou a ir a tribunal e pena para o raptor foi de 6 meses pena suspensa

Universal Declaration of Human Rights

Adopted and proclaimed by General Assembly

resolution 217 A (III) of 10 December 1948

On December 10, 1948 the General Assembly of the United Nations adopted and proclaimed the Universal Declaration of Human Rights the full text of which appears in the following pages. Following this historic act the Assembly called upon all Member countries to publicize the text of the Declaration and "to cause it to be disseminated, displayed, read and expounded principally in schools and other educational institutions, without distinction based on the political status of countries or territories".

PREAMBLE

Whereas recognition of the inherent dignity and of the equal and inalienable rights of all members of the human family is the foundation of freedom, justice and peace in the world,

Whereas disregard and contempt for human rights have resulted in barbarous acts which have outraged the conscience of mankind, and the advent of a world in which human beings shall enjoy freedom of speech and belief and freedom from fear and want has been proclaimed as the highest aspiration of the common people,

Whereas it is essential, if man is not to be compelled to have recourse, as a last resort, to rebellion against tyranny and oppression, that human rights should be protected by the rule of law,

Whereas it is essential to promote the development of friendly relations between nations,

Whereas the peoples of the United Nations have in the Charter reaffirmed their faith in fundamental human rights, in the dignity and worth of the human person and in the equal rights of men and women and have determined to promote social progress and better standards of life in larger freedom,

Whereas Member States have pledged themselves to achieve, in co-operation with the United Nations, the promotion of universal respect for and observance of human rights and fundamental freedoms,

Whereas a common understanding of these rights and freedoms is of the greatest importance for the full realization of this pledge,

Now, Therefore THE GENERAL ASSEMBLY proclaims THIS UNIVERSAL DECLARATION OF HUMAN RIGHTS as a common standard of achievement for all peoples and all nations, to the end that every individual and every organ of society, keeping this Declaration constantly in mind, shall strive by teaching and education to promote respect for these rights and freedoms and by progressive measures, national and international, to secure their universal and effective recognition and observance, both among the peoples of Member States themselves and among the peoples of territories under their

só começando pelos primeiros artigos vemos o que foi guantanamo e a impunidade dos traficantes de sexo na nossa sociedade

Article 1.

All human beings are born free and equal in dignity and rights.They are endowed with reason and conscience and should act towards one another in a spirit of brotherhood.

Article 2.

Everyone is entitled to all the rights and freedoms set forth in this Declaration, without distinction of any kind, such as race, colour, sex, language, religion, political or other opinion, national or social origin, property, birth or other status. Furthermore, no distinction shall be made on the basis of the political, jurisdictional or international status of the country or territory to which a person belongs, whether it be independent, trust, non-self-governing or under any other limitation of sovereignty.

Article 3.

Everyone has the right to life, liberty and security of person.

Article 4.

No one shall be held in slavery or servitude; slavery and the slave trade shall be prohibited in all their forms.

MAIS AQUI:

http://www.hacktivismo.com/public/udhr.php

teckV

Link to comment
Share on other sites

Descordando de umas coisas e concordando com outras, digo apenas que esse link analisado a fundo tem aspectos interessantes... 🤔

nota que abordei o hactivismo mas neste conteúdo especifico está algo que é a coisa mais importante do nosso tempo... é como a bíblia de toda a humanidade... as regras de comportamento do planeta

a declaração feita depois da 2º guerra mundial que DEFINE os direitos que todo aquele que nasce humano, tem por base... só por nascer humano

e eu sou consumidor compulsivo de documentários e por todo o lado se vê estes direitos base serem PISADOS de uma forma que a mim me faz sentir humilhado e impotente.

os artigos são de um documento oficial assinado pelos participantes da primeira ONU e não algo especifico do hactivismo

mas em Portugal precisa-se de muita coisa... e o ppl técnico têm muito para dar. nada me chocou mais nesta vida que os documentários sobre a escravatura sexual. passou de todos os limites, até mais que ver o genocídio do ruanda (que comparação, é mesmo venha o diabo e escolha)

teckV

Link to comment
Share on other sites

Eu ainda nunca tinha lido o documento oficial, a parte que eu me referi que discordo não tem nada a ver com o conteúdo mas sim com a parte de que todos nos esquecemos a meu ver muitos nunca chegaram a tomar conhecimento, eu por exemplo conhecia, mas mesmo o documento original nunca tive oportunidade de ler li, artigos soltos e assim... mas esse link é muito bom... B)

Será? Porquê? O quê?   - Estudar Sempre -

Link to comment
Share on other sites

Eu ainda nunca tinha lido o documento oficial, a parte que eu me referi que discordo não tem nada a ver com o conteúdo mas sim com a parte de que todos nos esquecemos a meu ver muitos nunca chegaram a tomar conhecimento, eu por exemplo conhecia, mas mesmo o documento original nunca tive oportunidade de ler li, artigos soltos e assim... mas esse link é muito bom..

eu acho que grande parte das pessoas esqueceu e os governantes PISAM em cima dela

senão não havia guantanamo, guerras do iraque, fome provocada pelo comprar dos governantes africanos pelos lideres ocidentais para controlar os mercados prejudicando o povo africano e muitos outros

se virem muitos documentários, verem a TV PBS por exemplo, vão ver que por todo o lado há situação que eu considero não admissíveis nos nossos dias... fome, escravatura sexual e de trabalho, miséria, doença... pessoas a viverem com valores mensais que nem dão para uma refeição nos seus paises

a russia é uma tragédia e no entanto GRANDES criminosos exibem os seus yates nos nossos paises... como é que abromovich arranjou todo aquele guito se até ao fim dos anos 90 não havia bens privados na russia? num ano ou dois trabalhou tanto para ganhar tanto? não... foi crime... há um filme que é a auto-biografia de um traficante de armas russo... exibem-se em filme e tudo e admitem terem vendido armas que participaram em genocídios no ruanda e mais locais

mas a escravatura sexual é o que mais confusão me faz... nos dias de hoje é inadmissível mulheres serem raptadas, espancadas, presas em quartos de países ocidentais (os tais da declaração) e quando a policia as descobre a única coisa que faz é um ponta pé na peida... dizem não ter nada a ver...

mas os direitos são humanos (da humanidade toda) ou não?

teckV

Link to comment
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.