Jump to content

Bento XVI proíbe casamento entre católicos e não católicos


esquiso

Recommended Posts

Acabei de ver isto.

Baptizados ou não baptizados, todos vão ser afectados pela decisão papal ontem tornada pública. Bento XVI comunicou à comunidade católica que os casamentos entre católicos e não católicos não são considerados válidos. O Santíssimo Padre decidiu alterar o Código de Direito Canónico e apertou o cerco aos menos ortodoxos dentro da Igreja Católica. Mas não foi apenas o sacramento do casamento que sofreu alterações. No documento papal, Bento XVI altera ainda os artigos 1008 e 1009, impedindo os diáconos - homens ao serviço da Igreja, alguns deles casados - de substituir o padre nas suas funções.

O alterado artigo 1124 estabelece que "é inválido o matrimónio entre duas pessoas, uma das quais baptizada pela Igreja Católica ou nela integrada e outra que não seja baptizada". Ou seja, católicos e não católicos deixam de poder casar-se pela Igreja. Fica por esclarecer se os casamentos celebrados antes desta alteração são abrangidos pelas novas regras - ou seja, se deixam de ser reconhecidos todos os matrimónios celebrados entre baptizados e não baptizados ou com pessoas de outras religiões. Também os baptizados que hoje professem outros credos são afectados pela alteração. O casamento "entre duas pessoas baptizadas, uma das quais baptizada pela Igreja Católica ou nela acolhida através do baptismo, e a outra integrada numa comunidade eclesiástica que não está em plena comunhão com a Igreja Católica não pode celebrar-se sem a autorização expressa de uma autoridade competente", lê-se no documento papal.

No que respeita aos diáconos, vão deixar de poder presidir a uma paróquia. Até agora, e na ausência do padre, os diáconos eram capacitados para substituir os sacerdotes em determinadas tarefas. Segundo as modificações impostas por Bento XVI, os padres ou bispos são os únicos a receber a missão e a faculdade de actuar em nome de Cristo

Os oficiais do Vaticano explicam que estas mudanças ao Código de Direito Canónico se justificam pelas dificuldades levantadas na prática do sacerdócio desde 1983, ano em que o código entrou em vigor.

A comunidade eclesiástica portuguesa, contactada pelo i, prefere não comentar estas alterações antes da leitura do documento papal. D. Manuel Morujão, secretário da Conferência Episcopal Português, diz que "é preciso ver os erres e os esses" antes de apreciar a decisão de Bento XVI. Mas não deixa de achar insensata a decisão relativa ao casamento. "Se uma pessoa decidiu casar-se pela Igreja é porque aceitou as leis católicas."

@ I

lol.

Link to comment
Share on other sites

Mais um título enganador, não defendendo ou rejeitando qualquer posição neste assunto, a união só será inválida se não for aprovada, como no próprio texto indica, ora não podemos considerar uma proibição quando no mesmo ponto damos permissão.

Enfim, uma notícia inflacionada, para um papa que nunca o devia ter sido...

Link to comment
Share on other sites

Mais um título enganador

Gostaria só de esclarecer que o título é o mesmo da notícia, não sendo essa da minha autoria.

a união só será inválida se não for aprovada

Pelo que eu percebi (o meu latim está enferrujado, por isso baseio-me na notícia), a união só é válida se for aprovada. Ou seja, por defeito, não é possível uma pessoa católica casar-se com uma não-católica pela Igreja.

ora não podemos considerar uma proibição quando no mesmo ponto damos permissão.

As permissões são especiais. Por defeito, este tipo de uniões estão proibidas.

Link to comment
Share on other sites

Já agora.

O i-online dá notícia da proibição, pelo Papa Bento XVI, do casamento entre católicos e não católicos.O pretexto da notícia é uma tradução, parcial e não oficial, emespanhol de uma tradução em italiano do texto original em Latim.Na parte respeitante ao casamento, anotícia é falsa. O Papa não proibiu coisa nenhuma (nem proibiu nada quenão fosse já proibido). O Código de Direito Canónico (CIC) previa ocasamento entre católicos e o casamento entre um católico e um nãocatólico (casamento misto), sujeitando-os, porém, a ritos e requisitosalgo diversos. E continua a prever depois da decisão papal que fundamenta a notícia. A alteração do texto de várias normas, como se explica no texto papal(que, nesta parte, não aparece na tradução espanhola usada pelo i),visou apenas clarificar o regime aplicável aos casamentos em queintervenha alguém baptizado, mas que se tenha afastado da Igreja(relativamente aos quais havia dúvidas sobre se deveria, ser tratadoscomo católicos ou como não católicos, para efeitos da determinação dorito e requisitos aplicáveis).

Os jornalistas não têm de saber latim,mas não custava muito, por exemplo, consultar o texto anterior dasnormas do CIC, para perceber o disparate do título.

@ http://blasfemias.net/2009/12/16/como-se-cria-um-boato/

Link to comment
Share on other sites

Castiço.... Eu sou catolico, casado, a minha esposa não é nem nunca foi católica, e casei pelo civil 1 ano antes de casar pela igreja! 😛

Agora vem o "Pápa que nunca devia ter sido" dizer isto..... Bem mais uma razão para fazer o que fazia quando era fedelho... entrava pela porta da frente para a velhota ver, e saia de fininho pela da sacristia, para ir jogar à bola!.... Agora como não jogo à bola.... nem na missa apareço! Enquanto os casamentos pelo civil forem validos, os casamentos pela igreja "cada um só o faz se bem quizer".

Cumprimentos

"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Link to comment
Share on other sites

Mais um brilhante trabalho jornalístico. Digno mesmo de um prémio TVI.

Por estas e por outras é que por vezes se arranjam problemas bem graves...B)

Como se lê num (brilhante) comentário no blasfemias.net:

Os jornalistas não têm de saber latim nem porra nenhuma. Antigamente eram apenas ignorantes, agora também têm que ser estúpidos e não me perguntem exemplos… A única coisa que precisam de saber é abanar a cauda e ladrar à volta de quem lhe dá uns ossitos.

Acho que diz tudo...

Link to comment
Share on other sites

Uma tomada de posição de uma instituição que só trouxe mal ao mundo, imho! Uma no meio de tantas outras. Não vejo qual o espanto. E depois admiram-se de ano após ano perderem seguidores.

ps. só para esclarecer, atenção que estou a falar da igreja como instituição e não da religião católica em si (ou de outra religião qualquer, diga-se de passagem)!

R. Tape Loading Error

Link to comment
Share on other sites

Uma tomada de posição de uma instituição que só trouxe mal ao mundo, imho! Uma no meio de tantas outras. Não vejo qual o espanto. E depois admiram-se de ano após ano perderem seguidores.

ps. só para esclarecer, atenção que estou a falar da igreja como instituição e não da religião católica em si (ou de outra religião qualquer, diga-se de passagem)!

Concordo. A Igreja Católica enquanto instiuição fez borrada atraz de borrada, em tantos seculos de existencia. Até podem ter boas intenções, mas o "Diabo" exporta boas intenções porque tem o inferno cheio delas!

Sinceramente não defendo instituição religiosa nenhuma, dada a sua similaridade com as instituições ligadas à politica e o comportamento dos seus lideres ser similar ao de alguns politicos menos dignos.

Cumprimentos

"A paciência é uma das coisas que se aprendeu na era do 48k" O respeito é como a escrita de código, uma vez perdido, dificilmente se retoma o habito"

Link to comment
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.