Jump to content

Ajuda a aceder ao Root e no comando Install


booser

Recommended Posts

Boas caros colegas,

Primeiro que tudo a distro que tou a usar é OpenSuse 11.1

Para instalar programas tomei conhecimento que devem ter "se possível" a extenção .rpm. ou .tar.gz

Bem, eu quando abro a consola no ambiente de trabalho , tudo normal, está logo com a directora do AdT , de seguida escro o comando para mudar para admin , ou seja, "su root" e ele pede a password .

O que não me deixa escrever absulotamente nada, Qual será o problema?

Agora para instalar como é que faço "install [nome do programa]". Ele diz que a instrução está errada pois falta parametros.

Eu já consultei o help e não sei qual utilizar.

Para extrair ficheiros a unica maneira que sei fazer é clique direito "Extrair", porque com comandos à sites que dizem uma coisa outros dizem outra.

Fiquem bem

Link to comment
Share on other sites

Mas a password nao dá mesmo para escrever, e o problema não acontece só comigo.

Um colega meu também está com o OpenSuse e diz que também não consegue meter a password

Ya é estranho mas é o que está acontecer, nem aparece os caracteres encriptados nem nada, simplesmente não escreve.

Equanto ao instalar, não entendeste bem, os .rpm consigo instalar, meto para abrir com instalador de pacotes e ele corre na boa.

O problema é que para o comando install funcionar não basta por "install [nome]", parece que tenho que por uns parametos quaisquer, do genero "install -zwf [nome] " e depois do nome se não me engano também tenho de meteer uns quantos parametros.

Link to comment
Share on other sites

"Utilização: install [OPÇÃO]... [-T] ORIGEM DESTINO

  ou:      install [OPÇÃO]... ORIGEM... PASTA

  ou:      install [OPÇÃO]... -t PASTA ORIGEM...

  ou:      install [OPÇÃO]... -d PASTA...

Nas primeiras 3 formas, copiar ORIGEM para DESTINO ou múltiplas ORIGEM(ns)

para a PASTA existente, e também definir modos de permissão e dono/grupo.

Na quarta forma, criar todos os componentes da(s) PASTA(s) dada(s).

Argumentos mandatórios para opções longas são mandatórios para opções curtas também.

      --backup[=CONTROLO]  salvaguardar cada ficheiro de destino existente

  -b                  como --backup mas não aceita um argumento

  -c                  (ignorado)

  -d, --directory    tratar todos os argumentos como pastas: criar todos os

                        componentes das pastas especificadas

  -D                  criar todos os componentes iniciais de DESTINO excepto

                        o último e depois copiar ORIGEM para DESTINO

  -g, --group=GRUPO  alterar grupo de posse, não o actual grupo do processo

  -m, --mode=MODO    alterar permissões (como em chmod), não rwxr-xr-x

  -o, --owner=DONO    alterar dono (apenas superutilizador)

  -p, --preserve-timestamps  aplicar tempos de acesso/modif. de ORIGEM(ens)

                        para ficheiros de destino correspondentes

  -s, --strip        remover tabelas de símbolos

  -S, --suffix=SUFIXO  redefinir o sufixo de salvaguarda habitual

  -t, --target-directory=PASTA  copiar todos os argumentos ORIGEM para PASTA

  -T, --no-target-directory  tratar DESTINO como um ficheiro normal

  -v, --verbose      mostrar o nome de cada pasta assim que criadas

      --preserve-context  preservar contexto de segurança SELinux

  -Z, --context=CONTEXTO  alterar cont. de segurança SELinux de fich. e pastas

      --help    exibir esta ajuda e sair

      --version  mostrar a informação de versão e sair

O sufixo de salvaguarda é '~', a não ser com --suffix ou SIMPLE_BACKUP_SUFFIX.

O método de controlo de versão pode ser escolhido com --backup ou com a

variável de ambiente VERSION_CONTROL. Eis os valores:

  none, off      nunca efectuar salvaguardas (mesmo se usado com --backup)

  numbered, t    efectuar salvaguardas numeradas

  existing, nil  numeradas se existirem salvaguardas numeradas, senão simples

  simple, never  efectuar sempre salvaguardas simples"

Está aqui o install --help, agradeço a ajuda.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

o install não é suposto ser usado directamente pelo utilizador...

os rpm's, como já mencionaste, podem ser abertos com o Instalador de Pacotes.

Aconselho a pesquisar por software em http://software.opensuse.org/search e usar o 1-click install.

Para software distribuido em código fonte, normalmente com a extensão .tgz ou .tar.gz, a maneira mais directa é fazer os seguintes comandos:

tar xzvf nomedoarquivo.tar.gz

cd pastacriada_que_normalmente_tem_o_mesmo_nome_que_o_arquivo/
./configure
make
sudo make install

o primeiro extrai o arquivo (opções: x para extract, z para desgunzipar, v para mostrar informação e f para dizer que tens um filename de arquivo)

o segundo muda para a pasta criada

o terceiro corre o script configure que em 99% dos casos vem fornecido. ele diz que dependências te faltam instalar primeiro

o quarto compila o software, e o quinto instala-o nas localizações correctas. aqui vai te pedir a password de root. Escreve-a e carrega em enter. (ele não vai mostrar nada no ecrã)

Tharis Fan ClubMay Tharis bless you
Link to comment
Share on other sites

sempre que for distribuições de código estes comandos aplicam-se quase sempre, mudando apenas o primeiro de descompressão conforme o tipo de arquivo:

unzip nome.zip

bunzip2 nome.bz2

tar jvfz nome.tar.bz2

7z x nome.7z

Quando não existir  ./configure, o que às vezes acontece, experimenta só o make e o make install. Se não der procura tipo um install.sh. Normalmente o README tem quais os passos para instalar o software.

Tharis Fan ClubMay Tharis bless you
Link to comment
Share on other sites

Coisas como as flag help dos comandos, não mostram exemplos. Não é esse o seu propósito. As flags help, servem para ajudar a conhecer as sintax dos parametros. Para mais que isso deve-se utilizar as páginas do manual (man comando), ou então as páginas info (info comando).

Ya, obrigadão.

Eu só tinha duvidas a partir do ./configure.

Esse código usa-se para todas as extensões (excepto rpm) ou há outro método diferente que deva saber?

Isto não é código!

São comandos para programas de linha de comandos.

rpm e deb, são pacotes binários. O mais semelhante que há em outros sistemas são os msi para window$ e penso que os app para mac.

tar.gz, tar.bz e outros, são apenas uma colecção de ficheiros agregados e compactados. Normalmente é com esses ficheiros que se distribui software em código fonte. Utilizadores como tu, sem experiência não devem instalar software a partir do código fonte. Pois não têm conhecimento suficiente para ter a noção do seu impacto. É que embora na maior parte dos casos as coisas não causem problemas, é relativamente fácil que eles aconteçam.

Também não recomendo que instales nada do que quer que seja fora dos repositórios oficiais da tua distribuição.

Link to comment
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.