Ir para o conteúdo
CR_

Carta aberta: do CEO da Mandriva a Steve Ballmer

Mensagens Recomendadas

falco    33
falco
O facto de uma pessoa estar habituado a um produto X, o facto de uma pessoa ter medo do desconhecido, etc... não invalida que a pessoa tenha a possibilidade de escolha de mudar de produto.

Não impossibilita mas desincentiva. E se combinares isso com o vendor lock-in (esse impossibilita mesmo), então vais ver que isso faz com que não hajam condições justas e sustentaveis para que a mudança ocorra.

Incrivel, então o surgimento exponencial de novas empresas informáticas deve ser algo anormal. Porque se o mercado não é livre, é impossível para essas novas empresas fazerem qualquer coisa...

O facto de o mercado não ser livre não impossibilita que sejam criadas novas empresas. Apenas limita o que as empresas e os clientes podem fazer.

Aqui, já estás a entrar em especulação. Podes-me mostrar algum facto de que a M$ ameaçou de alguma maneira a Nigéria ou a empresa que estava encarregue de fazer o deployment?

Facto 1:

O cliente escolhe a Mandriva com base na superioridade da sua oferta;

Facto 2:

O cliente decide mudar para outra oferta que avaliou como inferior e que representa custos não só adicionais, como maiores. Sem que para isso tenha sido apresentada qualquer razão;

Facto 3:

O cliente volta atrás (volta para a Mandriva) depois de a situação se ter tornado pública;

Se acreditas que não aconteceu nada que não fosse pelo menos não-ético, então és um anjinho!!

E ainda não me responderam qual seria o método ético que a M$ deveria ter seguido...

A m$ não deveria ter feito nada a não ser procurado negócios diferentes, porque aquele já tinha perdido de forma legal e justa. Qualquer alteração a isso é obviamente tráfego de influências, mesmo que a lei não diga que é. Não tem nada que influenciar os governos de formas obscuras de forma a ganhar clientes que não tinha conseguido seguindo os procedimentos legais (concurso).

Isto não tem nada a ver com capitalismo. Porque o capitalismo é apenas um modelo económico, não se sobrepõem a coisas como estado de direito, o republicanismo, a democracia, etc... E mesmo no capitalismo há regras.

Como sociedade não podemos aceitar que o capital está a cima dos princípios.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Betovsky    2
Betovsky
O facto de uma pessoa estar habituado a um produto X, o facto de uma pessoa ter medo do desconhecido, etc... não invalida que a pessoa tenha a possibilidade de escolha de mudar de produto.

Não impossibilita mas desincentiva. E se combinares isso com o vendor lock-in (esse impossibilita mesmo), então vais ver que isso faz com que não hajam condições justas e sustentaveis para que a mudança ocorra.

No caso em que se estava a discutir, não há lock-in. Já que a escolhe era feita no momento de comprar a máquina, ou seja, lock-in está fora de hipóteses...

Se desincentiva? Claro que desincentiva, mas isso é o que significa fidelizar um cliente.... mas o cliente tem sempre a possibilidade de escolha.

Incrivel, então o surgimento exponencial de novas empresas informáticas deve ser algo anormal. Porque se o mercado não é livre, é impossível para essas novas empresas fazerem qualquer coisa...

O facto de o mercado não ser livre não impossibilita que sejam criadas novas empresas. Apenas limita o que as empresas e os clientes podem fazer.

Claro que não impossibilita que sejam criadas novas. Mas se o mercado não é livre, impossibilita que fosse exponencial. Aliás, ia ter um comportamento totalmente inverso...

Aqui, já estás a entrar em especulação. Podes-me mostrar algum facto de que a M$ ameaçou de alguma maneira a Nigéria ou a empresa que estava encarregue de fazer o deployment?

Facto 1:

O cliente escolhe a Mandriva com base na superioridade da sua oferta;

Facto 2:

O cliente decide mudar para outra oferta que avaliou como inferior e que representa custos não só adicionais, como maiores. Sem que para isso tenha sido apresentada qualquer razão;

Facto 3:

O cliente volta atrás (volta para a Mandriva) depois de a situação se ter tornado pública;

Se acreditas que não aconteceu nada que não fosse pelo menos não-ético, então és um anjinho!!

Okey..

Primeiro os factos que destes não revela em lado nenhum que a M$ ameaçou alguém...

Para além disso o facto 3 está incorrecto, já que quem trouxe a público foi o próprio cliente.

E ainda não me responderam qual seria o método ético que a M$ deveria ter seguido...

A m$ não deveria ter feito nada a não ser procurado negócios diferentes, porque aquele já tinha perdido de forma legal e justa. Qualquer alteração a isso é obviamente tráfego de influências, mesmo que a lei não diga que é. Não tem nada que influenciar os governos de formas obscuras de forma a ganhar clientes que não tinha conseguido seguindo os procedimentos legais (concurso).

Então estás a dizer que depois de ter acabado o concurso ninguém pode tocar no cliente? Sim senhor, rica ideia de mercado livre que tens...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
CR_    0
CR_

Facto 1:

O cliente escolhe a Mandriva com base na superioridade da sua oferta;

Facto 2:

O cliente decide mudar para outra oferta que avaliou como inferior e que representa custos não só adicionais, como maiores. Sem que para isso tenha sido apresentada qualquer razão;

Facto 3:

O cliente volta atrás (volta para a Mandriva) depois de a situação se ter tornado pública;

Se acreditas que não aconteceu nada que não fosse pelo menos não-ético, então és um anjinho!!

Okey..

Primeiro os factos que destes não revela em lado nenhum que a M$ ameaçou alguém...

Para além disso o facto 3 está incorrecto, já que quem trouxe a público foi o próprio cliente.

Não foi o cliente. Foi o CEO da mandriva que o tornou público.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Betovsky    2
Betovsky
[..] But on Wednesday, Mandriva's partner in Nigeria, Microbyte International, received an e-mail saying that the news release was inaccurate because the deal had fallen through.

The e-mail came from an official with the Technology Support Center (TSC), a company that is helping the Nigerian government deploy the laptops, said Dele Ajisomo, who owns Microbyte International. The e-mail, shared with IDG News Service, says that TSC, which is deploying the PCs, had reached an understanding with Microsoft to convert the Classmate PCs to Windows XP. [..]

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
falco    33
falco
Se desincentiva? Claro que desincentiva, mas isso é o que significa fidelizar um cliente.... mas o cliente tem sempre a possibilidade de escolha.

Não! Não é!

Aqui não se trata de fidelizar clientes!

Fideliza-se clientes com a qualidade dos serviços que se presta. PONTO!!!

Aqui o desincentivo é às empresas e instituções estatais da Nigéria. A m$ sai com uma vantagem competitiva que é ter o mercado todo pronto para utilizar os seus produtos e não o dos concorrentes. Sendo que a m$ tem poderes exclusivos para prestar alguns serviços em relação aos seus produtos e para escolher quem pode prestar outros serviços.

No caso em que se estava a discutir, não há lock-in. Já que a escolhe era feita no momento de comprar a máquina, ou seja, lock-in está fora de hipóteses...

O lock-in a que me referia não é neste caso.

Claro que não impossibilita que sejam criadas novas. Mas se o mercado não é livre, impossibilita que fosse exponencial. Aliás, ia ter um comportamento totalmente inverso...

Errado!

O que impede é o que as empresas podem fazer. E isso é diferente.

Okey..

Primeiro os factos que destes não revela em lado nenhum que a M$ ameaçou alguém...

Para além disso o facto 3 está incorrecto, já que quem trouxe a público foi o próprio cliente.

O que releva é que ouve movimentações nada transparentes e está provado que a m$ recorre frequentemente a violações da lei repetidamente, por isso a suspeita de violação da lei por parte da m$ é perfeitamente sustentada com base no comportamento típico da empresa.

O ponto 3 não está incorrecto!

A reviravolta a favor da Mandriva só aconteceu devido à denuncia pública.

Então estás a dizer que depois de ter acabado o concurso ninguém pode tocar no cliente? Sim senhor, rica ideia de mercado livre que tens...

O que estou a dizer é que relativamente ao negócio em causa não se poderia fazer nada desde que a Mandriva cumprisse a sua parte do acordo!

Após ter ganho o concurso é legitimo que a Mandriva e o povo da Nigéria esperassem que fosse o vencedor do concurso com o qual foi assinado o contrato para ser o fornecedor da solução a ser de facto o fornecedor, e não o concorrente que perdeu. Isso é muito obviamente uma perversão do concurso e do objectivo do concurso e dos princípios que deram origem ao concurso.

Se não fosse assim não se teria realizado o concurso, ou o vencedor teria sido a m$.

Não se pode fazer um concurso e depois não cumprir as expectativas do vencedor do concurso e nos negócios nem tudo o que se ganha é dinheiro. Não utilizar a solução da Mandriva poderia ser gravemente prejudicial à Mandriva. E simplesmente pagar à Mandriva o que ficou contratado pelo fornecimento da solução não chega. Porque a Mandriva certamente tinha a expectativa legitima de que este negócio lança-se outros negócios. A não operacionalização do negócio prejudicaria a capacidade da Mandriva para aproveitar este negócio.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
spec    0
spec

Pela carta não tiram grande coisa... a Mandriva ganhou um concurso Computador + Software ao governo da Nigeria, e como dizia o contrato vendeu os computadores à Nigéria (até aqui tudo bem) depois a Nigéria fez saber que ia colocar windows nesses computadores

pelo que percebi foi isso que aconteceu, e se o contrato Mandriva-Nigéria não impõe restrições ao uso dos computadores nem ao uso do software a Nigéria é livre legalmente de alterar o SO.

Éticamente não é correcto, porque de certeza que deve ir buscar uns subsídios á ONU ou a outros sítios tipo Unesco para utilização de software livre e aumento da educação no país, a Nigéria usou a Mandriva apenas para comprar hardware barato.

O papel da Microsoft no meio disto tudo, não é claro, não há nada que nos prove que houve corrupção, só podemos fazer suposições...

O principal culpado nisto tudo é o governo da Nigéria. O CEO da Mandriva foi esperto em fazer a carta aberta á microsoft, se fizesse carta aberta á Nigéria nunca teria o mesmo impacto, para mim foi apenas isso, jogo sujo da Nigéria...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
falco    33
falco
e se o contrato Mandriva-Nigéria não impõe restrições ao uso dos computadores nem ao uso do software a Nigéria é livre legalmente de alterar o SO.

As coisas não são assim tão lineares!

Quando uma se assinam contratos, criam-se legitimamente determinadas expectativas, e nem todas têm que estar no contrato. Para além disso, se legalmente era necessário realizar um concurso para a aquisição dos meios em causa, essa necessidade deveria como é lógico manter-se...

Já agora UNESCO (United Nations Educational, Scientific, and Cultural Organization) é uma das organizações que compõem a ONU.

A Nigeria é a principal vítima. É óbvio que a Nigéria foi vítima de maus lideres e de uma organização para-criminosa que vende software, se a m$ não tivesse tentado fazer este negócio desta forma obscura, nada disto teria acontecido. Felizmente a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa permitiram a denuncia deste "malabarismo", o que forçou a uma regressão da posição do organismo estatal em causa, para o um cumprimento de facto do contrato com a Mandriva e para o abandono da ideia da substituição do sistema operativo.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
spec    0
spec

A Nigéria fez o tal concurso de Hardware + Software onde a solução da Mandriva foi escolhida como a melhor opção, depois de receber os computadores, queriam colocar outro SO (foi isto que encontrei na net, logo, para mim foi uma manobra da Nigéria para arranjar Hardware barato)

A Mandriva processou a Nigéria por incumprimento do contrato? A Mandriva processou a microsoft?

Edit:

para este caso nao interessa nada os problemas judiciais da microsoft no passado, estamos perante um problema ético, onde a Nigéria é a principal culpada

A microsoft se conseguiu fazer o que fez sem que nenhuma organização ou empresa movesse uma acção judicial contra ela é porque legalmente não tem ponta por onde se pegue, um representante da Nigéria veio dizer que "a Nigéria reserva-se ao direito de alterar o sistema operativo dos computadores da forma que bem entender, mas por enquanto fica mandriva" (ou seja o mais certo é não terminar por aqui)

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
CR_    0
CR_

A Nigéria fez o tal concurso de Hardware + Software onde a solução da Mandriva foi escolhida como a melhor opção, depois de receber os computadores, queriam colocar outro SO (foi isto que encontrei na net, logo, para mim foi uma manobra da Nigéria para arranjar Hardware barato)

E tu acreditas que pagar hardware+suporte fica mais barato do que comprar apenas hardware?

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
_JR_    4
_JR_

A Nigéria fez o tal concurso de Hardware + Software onde a solução da Mandriva foi escolhida como a melhor opção, depois de receber os computadores, queriam colocar outro SO (foi isto que encontrei na net, logo, para mim foi uma manobra da Nigéria para arranjar Hardware barato)

A Mandriva processou a Nigéria por incumprimento do contrato?

Falco tens alguma prova que queiras partilhar sobre o envolvimento da microsoft no caso, ou pressupões a culpa deles pelas acções deles no passado?

Comprar o hardware se viesse com o Windows ficava mais barato do que comprar o hardware e depois comprar o Windows?  :hmm:

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
spec    0
spec

JR achas que o windows para a Nigéria é comprado? windows ou é oferecido ou a microsoft ainda paga para eles usarem windows

não faço ideia do preço total, a mandriva ganhou o concurso porque teve a melhor proposta, os computadores foram entregues com o SO da mandriva e software educativo, depois o governo da Nigéria veio dizer que ia colocar windows, ou seja, de tudo o que compraram só quiseram o hardware, foi para isso que a Nigéria usou a mandriva... se é mais barato comprar hardware com Linux ou com outra coisa qualquer não sei... o preço não é linear, não estou por dentro dos apoios das organizações para a adopção do software livre, das isenções fiscais ou dos subsídios, mas acredito que existam...

O ponto importante da questão... não há violação do contrato senão a mandriva tinha agido legalmente como é óbvio, eticamente é um acto condenável, é falta de ética da microsoft, mas a principal culpa é sempre da Nigéria que se permitiu a isso

(apenas a minha opinião)

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
falco    33
falco
os computadores foram entregues com o SO da mandriva e software educativo

Ainda não foram entregues...

depois o governo da Nigéria veio dizer que ia colocar windows, ou seja, de tudo o que compraram só quiseram o hardware, foi para isso que a Nigéria usou a mandriva...

Errado!

O pedido do governo foi para uma solução completa de hardware + software. Nem a Mandriva se metia nisso se fosse apenas hardware, porque não é esse o negócio da Mandriva é apenas o da Intel e a Intel não quer saber se tá a vender computadores com window$, ou com mandriva.

Há culpa nas pessoas da empresa pública que permitiram isto? CLARO QUE SIM! Mas também há igual culpa do lado da m$, que tomou a iniciativa que abordar as pessoas para realizar o negócio. Porque o que a m$ fez, foi chegar à empresa pública que gere as TI do estado nigeriano e ofereceu $400,000, para a empresa realizar actividades de marketing, se convertesse aqueles computadores para window$. Ora nada disto tem a ver com eventuais méritos do software da m$. Aliás a mim parece-me tráfego de influências entre a m$ e a tal empresa pública, que deturpa um contrato de fornecimento de tecnologia ao governo (pois era suposto ser baseado num concurso e não em negociatas e normalmente isto é um requisito legal), e se for tráfego de influências (não posso no entanto garantir que seja), pelo menos em Portugal o tráfego de influências é um crime.

Para além da falta de ética da m$, isto demonstra que a m$ mente discaradamente, quando diz que acredita na competição com base no mérito dos produto e serviços. E isto mesmo que não seja crime.

Felizmente a organização governamental que encomendou a solução à empresa pública, não aceitou a mudança para m$, porque acha que neste caso o melhor é a Mandriva tal como foi o resultado do concurso.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
_JR_    4
_JR_

JR achas que o windows para a Nigéria é comprado? windows ou é oferecido ou a microsoft ainda paga para eles usarem windows

Aínda mais escandaloso...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!

Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.

Entrar Agora


×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade