Jump to content
  1. alguem me ajuda

    Ralado
    By Ralado,

    como faço para habilitar e desabilitar um botao que esta em outro form dentro de um panel?

    • 0 replies
  2. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    americob
    By americob,
    21 minutos atrás, desconfiado disse:

    Fantástico! A AT no seu melhor.

    Conclusão, alguém manda nisto? Faz-se como?

    Eu também tenho ideia de ter lido num oficio circulado ou coisa do género que a forma correcta era através da emissão de uma Nota de crédito mas me consigo lembrar onde li isso.

    Sim a AT mandava fazer NC, mas agora saiu uma Informação Vinculativa a dizer que não pode ser por NC porque se lembraram que um dia as Taxas do IVA vão mudar e vai dar barraca.

    Do que se lê desta IV, a fazer-se NC nunca será sobre a 1ª Fatura (do adiantamento), mas sobre a Fatura final em que se faturou tudo indevidamente. Assim, a NC terá de ser feita sobre a Fatura final e seguir o tramites normais de ser assinada pelo cliente ou outro meio de prova de que ele teve conhecimento dela.

     

    • 6,414 replies
  3. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    desconfiado
    By desconfiado,
    15 minutos atrás, americob disse:

    Também estive nessa formação.

    Deu para ver a divisão da AT em "quintinhas" e a aplicação da maxima "na minha quinta mando deu".

    Ou seja, o formador da AT disse algo do género: O código do IVA manda assim, se os programas não deixam fazer, deviam deixar.

    Quando o questionaram sobre os programas para serem certificados não podem deixar faturar a negativo, ele respondeu algo do género: Isso é com a secção de certificação de programas e eu sou da secção do IVA.

     

    Fantástico! A AT no seu melhor.

    Conclusão, alguém manda nisto? Faz-se como?

    Eu também tenho ideia de ter lido num oficio circulado ou coisa do género que a forma correcta era através da emissão de uma Nota de crédito mas me consigo lembrar onde li isso.

    • 6,414 replies
  4. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    americob
    By americob,
    4 minutos atrás, CFreitas disse:

    No caso dos adiantamentos, pelo menos que eu saiba, a AT tem aceite linhas negativas.

    No entanto, na minha opinião, no exemplo que apresentas, seria obrigatório emitir nota de crédito (porque o IVA liquidado tem de ser corrigido), estornando na totalidade a fatura do adiantamento, e emitir uma nova fatura pela valor total. O valor em dívida seria os ditos 1190, mas isso é uma mera questão de conta corrente. O despacho não atrapalha nada neste caso.

     

    Não posso concordar que o cliente só deva 1190.

    Vê o PDF que o desconfiado postou.

    De acordo com o código do IVA, o cliente já pagou 1230, 1000 de mercadoria, e 230 de IVA que foram entregues ao Estado á taxa em vigor na data que ele pagou. Contabilisticamente, na conta dele fica a crédito 1000 de mercadoria.

    Na fatura final ele tem de pagar o IVA sobre a mercadoria que ainda deve. Se a taxa do IVA mudou, não é problema dele, até pode ter subido e ser agora 25%, os primeiros 1000 estão pagos, só tem de pagar IVA á taxa atual pelo que falta pagar, no caso de 25%, 1250. Não tem nada que ser obrigado a pagar mais IVA na parte que já está paga só porque a taxa subiu. Assim como não pode ser beneficiado se a taxa descer.

    • 6,414 replies
  5. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    desconfiado
    By desconfiado,
    46 minutos atrás, americob disse:

    O problema é que o Despacho interpretado á letra não permite cumprir o código do IVA. Senão vejamos:

    momento 1 - No dia 1 de Dezembro do ano N, o cliente encomenda um produto que custava 2000 + IVA, adianta 1000 + IVA 23% = 1230 em que a taxa de IVA em vigor era 23%.

    momento 2 - No dia 31 de Janeiro do ano N+1, o produto é entregue ao cliente, mas a nova taxa de IVA é agora de 21%. De acordo com o código do IVA, o cliente só pode ficar a dever 1000 + 210 = 1210 em que a taxa de IVA é 21%.

    Não podemos faturar 2000 + 420 = 2420 e fazer Nota de crédito de 1230 porque assim só ia ficar a dever 1190.

    Não podemos faturar o produto por 1000 + 210 porque o nosso controlo de gestão fica todo baralhado em termos de margens de lucro, etc.

    A única solução é mesmo, faturar o produto por 2000, subtrair os 1000 do adiantamento e liquidar IVA só sobre os 1000, desrespeitando o Despacho.

    A questão é se estamos mesmo a desrespeitar o Despacho. Como se aprende em Direito, se tentarmos interpretar o espirito do legislador, de facto, os 1000 do adiantamento a negativo é uma anulação de parte dos 2000 do produto que já consta da própria fatura.

    Depois coloca-se outra questão: Como é que a Software-House vai garantir que o Utilizador só vai utilizar a faculdade de faturar a negativo nesta situação?

    Essa questão não se coloca porque ao creditar uma factura com IVA à taxa de 23%, o crédito tem que ser feito à mesma taxa da factura independentemente se a taxa actual de IVA é igual ou não.

    • 6,414 replies
  6. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    CFreitas
    By CFreitas,
    25 minutes ago, americob said:

    O problema é que o Despacho interpretado á letra não permite cumprir o código do IVA. Senão vejamos:

    momento 1 - No dia 1 de Dezembro do ano N, o cliente encomenda um produto que custava 2000 + IVA, adianta 1000 + IVA 23% = 1230 em que a taxa de IVA em vigor era 23%.

    momento 2 - No dia 31 de Janeiro do ano N+1, o produto é entregue ao cliente, mas a nova taxa de IVA é agora de 21%. De acordo com o código do IVA, o cliente só pode ficar a dever 1000 + 210 = 1210 em que a taxa de IVA é 21%.

    Não podemos faturar 2000 + 420 = 2420 e fazer Nota de crédito de 1230 porque assim só ia ficar a dever 1190.

    Não podemos faturar o produto por 1000 + 210 porque o nosso controlo de gestão fica todo baralhado em termos de margens de lucro, etc.

    A única solução é mesmo, faturar o produto por 2000, subtrair os 1000 do adiantamento e liquidar IVA só sobre os 1000, desrespeitando o Despacho.

    A questão é se estamos mesmo a desrespeitar o Despacho. Como se aprende em Direito, se tentarmos interpretar o espirito do legislador, de facto, os 1000 do adiantamento a negativo é uma anulação de parte dos 2000 do produto que já consta da própria fatura.

    Depois coloca-se outra questão: Como é que a Software-House vai garantir que o Utilizador só vai utilizar a faculdade de faturar a negativo nesta situação?

    No caso dos adiantamentos, pelo menos que eu saiba, a AT tem aceite linhas negativas.

    No entanto, na minha opinião, no exemplo que apresentas, seria obrigatório emitir nota de crédito (porque o IVA liquidado tem de ser corrigido), estornando na totalidade a fatura do adiantamento, e emitir uma nova fatura pela valor total. O valor em dívida seria os ditos 1190, mas isso é uma mera questão de conta corrente. O despacho não atrapalha nada neste caso.

     

    • 6,414 replies
  7. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    americob
    By americob,
    2 horas atrás, desconfiado disse:

    A questão é que a própria AT fez uma sessão de esclarecimento e uma das questões que eles alertaram foi a dos adiantamentos e a forma como se deve proceder. E aparentemente quem faz NC está a fazer de forma errada. Como podem verificar no link abaixo.

    PDF Auditoria Tributaria

    Também estive nessa formação.

    Deu para ver a divisão da AT em "quintinhas" e a aplicação da maxima "na minha quinta mando deu".

    Ou seja, o formador da AT disse algo do género: O código do IVA manda assim, se os programas não deixam fazer, deviam deixar.

    Quando o questionaram sobre os programas para serem certificados não podem deixar faturar a negativo, ele respondeu algo do género: Isso é com a secção de certificação de programas e eu sou da secção do IVA.

     

    • 6,414 replies
  8. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    americob
    By americob,

    O problema é que o Despacho interpretado á letra não permite cumprir o código do IVA. Senão vejamos:

    momento 1 - No dia 1 de Dezembro do ano N, o cliente encomenda um produto que custava 2000 + IVA, adianta 1000 + IVA 23% = 1230 em que a taxa de IVA em vigor era 23%.

    momento 2 - No dia 31 de Janeiro do ano N+1, o produto é entregue ao cliente, mas a nova taxa de IVA é agora de 21%. De acordo com o código do IVA, o cliente só pode ficar a dever 1000 + 210 = 1210 em que a taxa de IVA é 21%.

    Não podemos faturar 2000 + 420 = 2420 e fazer Nota de crédito de 1230 porque assim só ia ficar a dever 1190.

    Não podemos faturar o produto por 1000 + 210 porque o nosso controlo de gestão fica todo baralhado em termos de margens de lucro, etc.

    A única solução é mesmo, faturar o produto por 2000, subtrair os 1000 do adiantamento e liquidar IVA só sobre os 1000, desrespeitando o Despacho.

    A questão é se estamos mesmo a desrespeitar o Despacho. Como se aprende em Direito, se tentarmos interpretar o espirito do legislador, de facto, os 1000 do adiantamento a negativo é uma anulação de parte dos 2000 do produto que já consta da própria fatura.

    Depois coloca-se outra questão: Como é que a Software-House vai garantir que o Utilizador só vai utilizar a faculdade de faturar a negativo nesta situação?

    • 6,414 replies
  9. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    CFreitas
    By CFreitas,
    1 hour ago, desconfiado said:

    A questão é que a própria AT fez uma sessão de esclarecimento e uma das questões que eles alertaram foi a dos adiantamentos e a forma como se deve proceder. E aparentemente quem faz NC está a fazer de forma errada. Como podem verificar no link abaixo.

    PDF Auditoria Tributaria

    Os documentos só podem conter linhas negativas nas situações previstas no ponto 2.2.6. do despacho 8632/2014 da AT:

    Quote

    2.2.6 - Os documentos impressos pelo programa de faturação não devem conter valores negativos. Quando necessário, serão utilizados documentos retificativos de faturas (notas de débito e notas de crédito, nos termos do n.º 7 do artigo 29.º do CIVA), como documentos de correção de operações de compra e venda, cuja forma, conteúdo e finalidade devem ser respeitados. Os valores negativos apenas poderão ser impressos nos casos de anulação de registos que já integram o documento ou para acerto de estimativas nas prestações de serviços continuadas. O valor negativo nunca poderá ser superior ao valor positivo da mesma rubrica ou serviço em cada fatura. Caso o acerto, por rubrica, seja superior ao valor positivo, estamos perante uma regularização que obriga a emissão da respetiva nota de crédito.

    A situação dos adiantamentos, embora não prevista no despacho, está prevista algures num ofício circulado antigo sobre o tema dos adiantamentos.

    • 6,414 replies
  10. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    Vitor Pereira
    By Vitor Pereira,
    31 minutos atrás, iznougudpt disse:

    Sempre que lá fui certificar softwares nunca aceitaram faturas com valores negativos, seja na quantidade ou no preço. O máximo que aceitavam era descontos de 100%.

    Ao validar não vai dar problemas estar o valor a positivo no DebitAmount, agora se se pode/deve fazer isso já não sei.

     

     

    Não é permitido por lei ( mas tecnicamente é ) fazer lançamentos de linha com Quantidades negativas referentes a Produtos ou Serviços ( para isso existem as Nªs de Credito, pois tem de ser assinadas confirmando a sua receção  )

    Mas se o ARTIGO na linha estiver configurado como:  Outros, Impostos/Taxas ou Impostos Especiais, sim já podem lançar as linhas negativas alterando a quantidade para positiva assim como os valores,  e apenas trocando  o CreditAmout por DebitAmout e Vice versa ( conforme seja um Documento a Crédito ou a Débito ). 

     

    • 6,414 replies
  11. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    desconfiado
    By desconfiado,
    37 minutos atrás, iznougudpt disse:

    Sempre que lá fui certificar softwares nunca aceitaram faturas com valores negativos, seja na quantidade ou no preço. O máximo que aceitavam era descontos de 100%.

    Ao validar não vai dar problemas estar o valor a positivo no DebitAmount, agora se se pode/deve fazer isso já não sei.

     

    A questão é que a própria AT fez uma sessão de esclarecimento e uma das questões que eles alertaram foi a dos adiantamentos e a forma como se deve proceder. E aparentemente quem faz NC está a fazer de forma errada. Como podem verificar no link abaixo.

    PDF Auditoria Tributaria

    • 6,414 replies
  12. Re: SAFT-PT: debate de dúvidas e ideias

    iznougudpt
    By iznougudpt,
    Em 17/10/2019 às 10:12, desconfiado disse:

    Bom dia,

     

    Alguém me sabe dizer como é que se geram linhas de facturas no SAF-T com valores negativos?

    Coloca-se o valor no campo DEBIT AMOUNT a positivo? Isto é correcto? Alguém está a fazer isto? Não dá problemas?

     

    Sempre que lá fui certificar softwares nunca aceitaram faturas com valores negativos, seja na quantidade ou no preço. O máximo que aceitavam era descontos de 100%.

    Ao validar não vai dar problemas estar o valor a positivo no DebitAmount, agora se se pode/deve fazer isso já não sei.

     

    • 6,414 replies
  1. Load more activity
×
×
  • Create New...

Important Information

By using this site you accept our Terms of Use and Privacy Policy. We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.