Ir para conteúdo


- - - - -

Estágio Profissional - O futuro de Portugal ?


  • Por favor inicie sessão para responder
8 respostas a este tópico

#1 Lukas S.

Lukas S.

    CRLF

  • Membro
  • PipPipPipPipPip
  • 579 mensagens

Publicado 02 de Julho de 2013 - 15:02

Hoje em dia já não se contrata jovens ... Metem-nos em estágio profissional durante um ano e depois rua ... será esta a solução para tapar os olhos a troika em relação ao desemprego ? Opiniões pessoal

#2 pikax

pikax

    Unsigned User

  • Membro
  • PipPipPipPipPipPip
  • 2500 mensagens

Publicado 02 de Julho de 2013 - 16:55

pelo o menos nesse ano estas a trabalhar... mal por mal, prefiro estar a trabalhar do que em casa.

Mas como isto esta' o melhor e' mesmo apostar no exterior.

#3 Rui Carlos

Rui Carlos

    Stack Overflow

  • Staff
  • 12240 mensagens

Publicado 02 de Julho de 2013 - 17:29

Mas do que estar a trabalhar, acho que os estágios são importantes para se ganhar experiência.

#4 NunoDinis

NunoDinis

    Unsigned User

  • Membro
  • PipPipPipPipPipPip
  • 1243 mensagens

Publicado 02 de Julho de 2013 - 22:02

Ver MensagemLukas S., em 02 de Julho de 2013 - 15:02, disse:

Hoje em dia já não se contrata jovens ..

Cada empresa tem a sua política de contratações relativamente à idade dos funcionários. Há quem opte por jovens, há quem opte por os mais velhos, e por consequência com mais experiência.. é muito relativo este ponto.

Ver MensagemLukas S., em 02 de Julho de 2013 - 15:02, disse:

Metem-nos em estágio profissional durante um ano e depois rua ... será esta a solução para tapar os olhos a troika em relação ao desemprego ? Opiniões pessoal

Se não te destacares, muito provavelmente o teu destino é a "rua", como dizes. Por outro lado, se te destacares, e a empresa tiver capacidade financeira para mais um colaborador, esse não é o teu destino.
Falo, como tu, por experiência própria. Realizei um estágio curricular(3 meses) na empresa em que estou atualmente a trabalhar, e ao fim de +/- 15 dias, com surpresa minha, tive proposta para fazer um estágio profissional de 9 meses. Nem hesitei quando me foi proposto, tendo apenas a condição de que teria que continuar a estudar(o que já estava nos meus planos). Já passaram os 9 meses, e já assinei contrato. Tenho também todas as facilidades para poder estudar e trabalhar em simultâneo, portanto, não me posso queixar de "desprezo" por parte da empresa, muito pelo contrário, não tenho nada a apontar.
Mas, cada caso é um caso, obviamente..

#5 bubulindo

bubulindo

    Unsigned User

  • Membro
  • PipPipPipPipPipPip
  • 2178 mensagens

Publicado 02 de Julho de 2013 - 22:33

Ver MensagemLukas S., em 02 de Julho de 2013 - 15:02, disse:

Hoje em dia já não se contrata jovens ... Metem-nos em estágio profissional durante um ano e depois rua ... será esta a solução para tapar os olhos a troika em relação ao desemprego ? Opiniões pessoal

Os empregadores vêm o estágio profissional como um mecanismo para se assegurarem que não vão contratar alguém que não dá o litro ou não tem conhecimentos e/ou experiência necessária para o que pretendem.

Isso acontece também com outros cargos sem serem estágios profissionais... o chamado período de experiência durante o qual é mais simples de terminar o contrato caso uma ou ambas as partes não estejam contentes.
Como existe o estágio, com regras mais soltas, as empresas preferem isso a empregar logo.

Mas a atitude a tomar é como o Nuno referiu e dar o nosso melhor. Mesmo sendo mal pago (ou à borla), não deixa de ser uma oportunidade de ganhar experiência e aprender algo que pode vir a ser útil.

#6 cLima

cLima

    void

  • Membro
  • PipPip
  • 54 mensagens

Publicado 18 de Setembro de 2013 - 14:00

É verdade, acho que cada vez mais, caminhamos para essa realidade..
Penso que quando contratam alguém, o trabalhador fica um mês à experiência e mais do que isso, é ilegal.

#7 Knitter

Knitter

    Stack Overflow

  • Membro
  • PipPipPipPipPipPipPip
  • 6135 mensagens

Publicado 18 de Setembro de 2013 - 22:34

Ver MensagemcLima, em 18 de Setembro de 2013 - 14:00, disse:

Penso que quando contratam alguém, o trabalhador fica um mês à experiência e mais do que isso, é ilegal.
Não, o período experimental é dependente do tipo e duração de contrato e pode variar entre 15 a 240 dias, podendo mesmo assim ser reduzido se as partes acordarem.

Acho que reduzir os estágios (profissionais ou curriculares) a "solução para tapar os olhos [d]a troika" não é muito justo para quem contrata nem para quem faz estágio. Iniciei-me no mercado de trabalho através de um estágio profissional patrocinado pelo IEFP e a empresa aproveitou o estágio para aumentar a força de trabalho e garantir mais recursos para depois contratar (não fiquei porque rejeitei a proposta). Na última empresa onde estive não se usavam estágios mas faziam-se contratos de 3 e 6 meses, que depois passavam para um ano se assim se justificasse, o resultado era o mesmo que num estágio e o esperado também: se o colaborador é uma mais valia para a empresa ou demonstra potencial para se tornar uma peça importante então fica, caso contrário os 3 meses são os únicos meses de trabalho que vê.

Devido a essa experiência não acho que a culpa seja dos estágios profissionais. Claro que há sempre empresas que se aproveitam, mas não acho que seja esse o resultado do grosso dos estágios. Pessoalmente, o que tenho assistido quer em empresas quer nos cursos é uma enorme imaturidade e falta de experiência (e muitas vezes de atitude) que o estágio ou um contrato de 3 a 6 meses ajudam a resolver. E é assim que vejo os estágios de que tenho conhecimento, períodos de teste e de formação que permitem ajudar o estagiário a perceber como o mercado de trabalho é diferente do meio académico e a empresa a perceber se o estagiário tem o que ela procura. Nem sempre é possível, e cada vez mais há concorrência que faz muitos estágios resultarem em despedimento porque a empresa espera encontrar alguém melhor.

#8 Devexz

Devexz

    Try-Catch User

  • Membro
  • PipPipPipPip
  • 476 mensagens

Publicado 18 de Setembro de 2013 - 23:23

mas existem empresas que aproveitam-se de estágios profissionais para obter uma ajuda do estado e também porque a mão obra sai mais barata.

#9 apocsantos

apocsantos

    Unsigned User

  • Staff
  • 4670 mensagens

Publicado 18 de Setembro de 2013 - 23:24

Boa noite,

Sinceramente acho que um contrato de 3, ou 6 meses vai dar ao mesmo que um estágio profissional, é apenas mais barato para nós contribuintes, porque o estágio profissional é comparticipado pelo IEFP que é financiado pela Lei do OE, que distribui os fundos publicos (do contribuinte).

Pessoalmente, depois de alguns anos a trabalhar por conta prória, o meu primeiro contrato foi precisamente de 3 meses... Acabou por ser renovado por mais um ano e eu por rescindir antes do terminus do contracto, por razões meramente profissionais. Na altura recordo-me de trabalhar com pessoal com contratos assim de 3 meses, 6 meses e por aí em diante. Muitos da minha idade, alguns mais novos que eu, mas na altura com mais maturidade e dedicação ao trabalho do que aquilo que vejo agora nos estágios quer sejam curriculares quer sejam profissionais.

Muito sinceramente, não concordo de forma alguma com os estágios profissionais, porque são parcialmente financiados pelo contribuinte, quando podiam perfeitamente ser subsituidos por 3 contratos de curta duração, que prefizessem o mesmo lapso temporal, e sem serem "patrocinados" pelo contribuinte. Os estágios curriculares, esses concordo com eles, mas creio que "pecam por ser curtos".

Lido de perto e nos ultimos dois anos, ainda mais de perto com estágios profissionais e curriculares. O unico mal que vejo nos estágios, são a duração ser, a meu ver, demasiado curta, para aquilo que é a qualidade do ensino e a realidade social.

O que mais vejo em estágios curriculares, é pessoal que "ou acha que sabe tudo e não quer aprender nada", mas infelizmente também não traz nada de novo, não mostra potêncial algum, nem acrescenta nada de bom, à entidade onde está a estagiar, ou pura e simplesmente é de uma imaturidade tal que nem é capaz de cumprir um horário... Para não falar na aparente incapacidade de se esforçar para aprender e produzir e no constante uso da força, ao invez da inteligência.

Nos estágios profissionais, acabo vendo "basicamente a mesma coisa", mas  ligeiramente mais disfarçada. Vejo pessoal que entra num estágio profissional, vindo de um curso profissional, licenciatura e até mestrado quee nem sequer sabe desenhar um modelo ER... Ou melhor, nem sabe o que isso é, tão pouco... Nem quer saber! Acha que sabe tudo e quer ganhar logo um bom salário... conta as horas, os dias, os minutos, para o "dia de S. Receber", e acha que é sempre pouco, mas não se esforça minimamente, para merecer sequer esse pouco.

Claro que existe o outro lado da moeda... Existem pessoas que vão para um estágio seja ele curricular, seja ele profissional, vindos dos mais diversos niveis do ensino publico ou privado e realmente sabem o que estão a fazer, ou demonstram grande potêncial, ou até estão acima do esperado e "são uma mais valia", mas esses são casos muito raros e os que conheço (apesar ter conhecido muitos estagiários nos ultimos dois anos, são poucos os que conheço assim), acabaram sendo contratados pela entidade onde fizeram estágio, ou tendo uma oferta de emprego bastante interessante, mal terminaram o estágio.

Não creio que o problema esteja nos estágios... Nem creio que esteja todo no ensino... Creio antes que o problema esteja na mentalidade das pessoas.

Termino dizendo que "mais vale um estagio a trabalhar, que o dia de a ver "passar os aviões", numa explanada qualquer, sem nada para fazer e pouco ou nada saber fazer!".

Cordiais cumprimentos,

Apocsantos