Rankings


Conteúdo Popular

A mostrar o conteúdo com mais reputação desde 27-03-2017 em todas as áreas

  1. 4 points
    A questão da licenciatura é cada vez menos relevante quanto mais experiência tens, uma vez que a experiência se sobrepõe aos conhecimentos académicos. O maior problema não é tanto a licenciatura mas sim a qualidade da mesma - o mercado sabe quais são as faculdades "certas". Acho que já trabalhei com quase todo o tipo de malta, licenciados, mestrados, doutorados, sem licenciatura, com licenciatura abandonada a meio, a meio da licenciatura, com licenciatura de áreas que nada têm a ver, e isto com portgueses, brasileiros, argentinos, espanhóis, indianos, e mais umas quantas nacionalidades.. Obviamente uma licenciatura tem um determinado peso, mas da minha experiência, nada disso é realmente um fator critico quando se tem experiência, uma vez que o teu trabalho se sobrepõe a tudo isso quando andas em entrevistas de trabalho. No entanto, alerto para o facto de que o vencimento pode não ser o que esperas/necessitas. Razão pela qual te aconselho a analisares bem a tua mudança para cá.
  2. 3 points
    Foi lançada a nova versão do Delphi, a 10.2. Entre as novidades, está a compilação para linux server, melhorias na VCL e FMX, suporte directo a MariaDB, etc. E a versão Starter, gratuita desde Setembro passado, mantém-se gratuita na nova versão: https://www.embarcadero.com/br/products/delphi/starter/promotional-download
  3. 3 points
    De modo geral, Python é mais usado como linguagem de scripting enquanto que Java é mais usado para projectos, especialmente situações onde OOP tem claras vantagens, como qualquer software com uma forte componente de bases de dados. Nunca gostei da abordagem de OOP do Python e acho que não sou o único. Java também é a linguagem de eleição para Android. Situações em que escolheria Python: computação cientifica, inteligência artificial, machine learning. Python tem excelentes bibliotecas nestas áreas (e.g., scikit-learn), embora Java também não esteja de todo mal servido (e.g., o universo Hadoop). Scripts que vão ser executados muito poucas vezes (por vezes 1). Ou seja, "código de escrever e deitar fora". Parsing de ficheiros, migração de dados. Qualquer operação no sistema operativo que seja difícil resolver usando somente bash. Exploração de dados, elaboração de gráficos, etc. Se as opções estiverem limitadas a Java ou Python, escolheria uma framework de Python para desenvolvimento web. Disclaimer: Isto é uma opinião pessoal e já não programo regularmente em Python há 5 anos. Tudo o que disse tem várias excepções, algumas bastante conhecidas. São duas linguagens maduras e generalistas, pelo que só num caso muito excepcional diria "essa linguagem não é uma boa escolha".
  4. 2 points
    Vi agora no SAFTDEMO.XML que está no Portal das Finanças e o exemplo que eles usam é para Imposto do Selo. No caso, um Banco a debitar o IS sobre um Imóvel (Empréstimo) sem debitar o próprio Imóvel porque nem sequer é o Banco que o está a vender.
  5. 2 points
    Enquanto alguém que esteve já no teu lugar, vou dar os meus 2 tostões: Antes disso, o Lazarus. Como já foi dito, dá perfeitamente. Dá, chega, sobra, cresce. Dá para isso e muito mais. Por aí, não antevejo problemas. Como disse o @apocsantos, já não te basta os conhecimentos de TP (o bom e saudoso). Precisas de aprofundar Object Pascal, que é o 'sabor' do momento (momento que dura há 20 anos ), e se tiveres tempo e disposição para isso, até recomendo. É uma (r)evolução interessante. Quanto ao caso concreto de facturação, não estou completamente de acordo com o @M6 sobre a possibilidade de um programador sozinho fazer e manter um software assim. E não concordo porque eu próprio, sozinho, no meu tempo livre (muitas vezes roubando ao meu tempo de família e de sono) fiz, certifiquei e mantenho um software assim. Mas o não concordar com o M6 sobre o ser ou não possível não me impede de concordar com ele em absoluto que é uma tarefa complexa, difícil de começar, difícil de manter, e extremamente problemática se um dia te cansares de lhe mexer, especialmente no teu caso, que pelo que entendi, nunca trabalhaste com programação em Windows, com objectos, etc. Não te bastará aprender o mundo que é a facturação, ainda terás de aprender o mundo que se tornou a programação. Por outras palavras, pondera bem se queres mesmo entrar nessa caminho, porque é realmente um trabalho hercúleo. Pelo menos até à estabilização (conta com no mínimo 2 anos), será trabalho diário. A partir daí, será trabalho regular, e de cada vez que haja uma actualização legal, terás de a desenvolver em tempo útil (muitas vezes, o tempo útil pode ser tão anedótico como 5 dias - mas já me aconteceu uma legislação sair com efeitos imediatos, e até uma legislação sair sem explicação formal de como implementar no terreno, e quando essa explicação aparece, já a lei entrou em vigor há tempos). Não é só a dificuldade de fazer que está em causa, é também a responsabilidade sobre o que foi feito que é importante perceber. Se algo correr mal numa agenda, podes perder uns números de telefone. Se algo correr mal num programa de facturação, podes em casos extremos ter milhares de euros em multas. Se os riscos existem para equipas inteiras com pessoas só dedicadas à análise de legislação e implementação das regras legais, para uma pessoa sozinha o trabalho de ter tudo isto em atenção é ainda maior. Às vezes parece que virei advogado, ou fiscalista, de tanta lei que fui obrigado a estudar. Se optares por tentar, não estabeleças já um prazo para estar tudo OK. Dá-te tempo de perceber se é algo que queiras mesmo dar continuidade. Testa várias áreas, vê como fazer o GUI, vê como gerar ficheiros XML, como lidar com a base de dados (MariaDB parece-me excelente opção - é a que uso ) e tudo o mais que te lembres. No que for possível, terás aqui no forum quem te ajude. Mas se queres saber a minha opinião, segue o conselho do M6. Adquire um software para o que é genérico (até há alguns de borla se quiseres tentar) e desenvolve só o que for específico ao vosso negócio. Dá-te menos trabalho, tens menos responsabilidade, e prende-te menos.
  6. 2 points
    Bem, o que vejo ai não é um desafio para o Lazarus, até o venhinho Turbo Pascal consegue fazer isso (embora haja, obviamente, ofertas muito melhores atualmente do que o TP :D). O verdadeiro desafio no que referes é outro e não tem nada a ver com o Lazarus. Só a parte da faturação é quase um mundo em si. Temos aqui no fórum várias discussões sobre o SAFT-PT, o que ilustra bem a complexidade e o trabalho envolvido. Já nem falo das restantes funcionalidades que referes, pois só a emissão de faturas é trabalho de sobra para uma equipa (baste veres que há empresas inteiras que têm como produto core do seu negócio o software de faturação). O que quero dizer com isto é que tenho dúvidas de que consigas fazer isso sozinho. Não é uma questão de capacidade tua (mesmo sendo amador), é uma questão de tempo e dedicação. Isso não é o tipo de software que possas fazer nas horas vagas sozinho nem que uma empresa deva adotar sem garantir que terá suporte no dia em que decidires ir-te embora/reformar-te. Admitindo que a empresa até te dá tempo e espaço para desenvolveres e que até adota o programa, cada alteração à lei vai forçar-te a parares o que estás a fazer na empresa para codificares as novas regras, qualquer engasganço no programa vai interromper as tuas férias de Natal, etc.. E isto apenas considerando a situação de emissão de faturas... Se realmente a empresa quer uma solução à medida, falem com ou várias empresas profissionais de forma a terem a real noção do que está aqui implicado. Eu diria que é mais rápido, barato e até seguro desenvolver apenas o que necessitam e que não existe no mercado e integrar com soluções que já existem. Por exemplo, usar um software de gestão de stocks, faturação, crm, etc. e integrar com um software à medida que, por exemplo, vos imprima etiquetas. (Este é só um exemplo para ilustrar a integração, não pretende ser uma solução para este caso concreto).
  7. 2 points
    removi a parte do "prototype". A função requestAnimationFrame() é chamada recursivamente e inclui o render do screen e do player. A variável keyboarder faz parte da classe Player.
  8. 2 points
    eu diria que não terás sorte na tua pesquisa, isto devido ao modelo como uma aplicação funciona. até um certo ponto, uma aplicação é sempre possivel "descompilar" porque esta tem de funcionar dentro das regras do sistema computacional e o sistema operativo que lhe dá suporte. o que quero dizer é que após a compilação para um determinado sistema (x86, ARM, etc ...) o que lá existe não são mais que opcodes que facilmente se convertem em assembly. e que por sua vez se consegue interpretar e criar código que, apesar de diferente do original, devido a processos de otimização do compilador, resulta em algo que é essencialmente a mesma coisa que o código fonte que lhe deu origem. a diferença está em mapear a aplicação binária em estruturas da linguagem para qual pretendes descompilar isto porque estas podem ser realmente complexas e/ou com vários modelos de conversão por parte do compilador. mas nisso já náo te posso dizer qual é a mais complicada, no entanto, estou convicto que náo terás muita sorte. as linguagens que referes, são por ventura, as piores no que toca a esconder o código fonte original, a ignorar obviamente as linguagens interpretadas porque nessas, a aplicação é o proprio código fonte.
  9. 1 point
    Pessoal , primeiro oi, segundo : eu gostaria de criar um servidor tipo youtube , sapo videos , e isso... so que nao sei nada , que linguagem usar , nada mesmo agradecia ajuda , por onde começar ou ate um topico , como este forum tem muita qualidade acredito que alguem me ajude
  10. 1 point
    o que vejo é o problema de sempre : leitura correcta de dados formatados (onde se encaixa a limpeza do buffer) vamos ver se respondes bem a esta questão : para que caracter do ficheiro fica o ponteiro interno da tua stream após ler o número do aluno ?
  11. 1 point
    LHI: Talent shortage is acute in the IT and data science ecosystem in India with a survey claiming that 95% of engineers in the country are not fit to take up software development jobs. [Continua...] In Gadgets Now, 20 de Abril de 2017.
  12. 1 point
  13. 1 point
    https://developer.xamarin.com/recipes/android/data/files/selecting_a_gallery_image/
  14. 1 point
    Sinceramente, não sei! Eles usaram o exemplo do IS, mas o mesmo poderia ser aplicado ao IVA, no caso que exemplifiquei anteriormente. A questão é se querem mesmo, ou se o fizermos vão dizer que está mal porque não era para isso que estava previsto. Como não há nenhum manual de implementação, com exceção das pequenas notas que constam da portaria, parece-me que fica ao livre arbítrio de cada um decidir o que faz com cada campo. Desde que o validador não se queixe e que o ficheiro gerado não seja rejeitado numa "entrevista" de certificação do programa, acho que nunca vão verificar o que está a ser feito. O que eu posso dizer, porque me passam muitos SAFT's de muitas software-houses pela mão, pois são usados para lançar as vendas nos meu programa de contabilidade em diversos gabinetes de contabilidade, é que há muitos que fazem mal os cálculos, nomeadamente, a soma das diversas linhas ser diferente do total em mais de 1 cêntimo, os totais do Invoices ser o valor com IVA em vez de sem IVA, etc. Até ver, parece-me que a AT ainda não fez nada em relação a isso.
  15. 1 point
    1º - se tirares o {ProductSold.ConfigID} = Previous({ProductSold.ConfigID}) do section expert ficas com 8 registos ? 4 vezes cada um dos supostos dois registos? aparecem todos? 2º - a query esta ok? devolve os 2 registos ? 3º - tenta inserir mais algum registo e verifica qual o comportamento , verifica se aparecem 2 e fica a faltar o ultimo ou se continua a aparecer um a um... começa a ficar estranho....
  16. 1 point
    Boa tarde, Bem, o Lazarus tem as capacidades para isso e a licença permite o desenvolvimento de software comercial, algo que pode ser considerado uma vantagem, o suporte de SGBD's é razoável, e em termos práticos é possível desenvolver aplicações com qualidade utilizando o Lazarus. Por outro lado ele não é tão semelhante assim com o Turbo Pascal. É bastante mais semelhante ao Object-Pascal (Delphi), do que ao Turbo Pascal, na altura desenvolvido para DOS, pela Borland. Uma outra alternativa, também relativamente fácil de dominar e que poderia ser considerável, seria o Mono com GTK#, uma vez que tem bastante suporte para Windows, e pelo "aspecto" continuará a ter suporte por parte da Microsoft. No entanto a linguagem de programação será C#. Bastante simples de aprender, mas irá requerer alguma aprendizagem. Cordiais cumprimentos, Apocsantos
  17. 1 point
    Estas a utilizar uma sintaxe incorrecta na query que pretendes realizar, consulta o seguinte link: https://dev.mysql.com/doc/refman/5.7/en/update.html Coloca também uma restrição aos registos que pretendes fazer o update, clausula where, caso contrario todos os registos vão sofrer alterações.
  18. 1 point
    @bubulindo & @apocsantos, creio que urge uma explicação da minha parte uma vez que me parece que não me expliquei bem (e o tema do ensino é algo que me toca por gosto, embora não tenha qualquer ambição a ser pedagogo). Antes de mais, a minha expressão "formar malta para as fábricas" tem uma enorme componente de caricatura, não é para ser entendido de forma literal. O sistema de ensino no meu tempo (e já tenho idade suficiente para poder dizer "no meu tempo" :D), tinha como foco dar formação suficiente para que uma pessoa pudesse trabalhar seguindo ordens, não questionando, não analisando, apenas cumprindo ordens como Charlot tão bem caricaturizou em Tempos Modernos. Muita da formação que ainda hoje vejo continua com este foco, apenas rompido (e infelizmente não em todo o lado) no ensino superior, onde somos efetivamente levados a questionar. Para além da componente genérica e heterogénea da educação, que é necessária por um conjunto de razões, mais não seja para garantir que há uma base comum que podemos assumir que todos sabemos e que fomos expostos a diferentes áreas de educação, há áreas em que o ensino não toca. Não me vou alongar uma vez que o tema é político e ainda corro o risco de parecer um tipo com a mania da teoria da conspiração, mas é interessante questionar-mo-nos porque temos disciplinas como educação musical, cidadania, religião e moral (não sei se ainda se chama assim), madeiras, etc. mas não temos uma disciplina de educação financeira. Quem fica a ganhar com o facto de formarmos cidadão que tocam muito bem flauta mas são financeiramente iletrados? (Nota: isto não é uma competição nem representa desprezo pela música.) É muito triste ver um "doutor que não pode sujar as mãos" não saber o que é uma TAEG nem que impacto isso tem na sua vida compra decide pedir dinheiro emprestado para fazer uma compra... Mais, isto, para mim, devia ser parte do curriculum obrigatório do secundário (nota: está previsto mas ninguém fala disto, de novo, porque será?). Isto é, para mim, uma forma de continuarmos a ter um sistema de ensino que continua a limitar o ensino de uma forma a que os cidadãos continuem a ser seguidores sem opinião. Quanto aos CEFs, Novas Oportunidades e afins... Acho que na larga maioria é para facilitar o "canudinho"... Poucas são as pessoas que realmente saem com qualidade na formação e isso vai muito de cada um. Trabalho (e trabalhei) com imensa gente com graus de formação diferente. Desde a ausência de formação superior a doutorados. E, de novo, o profissional faz-se a si mesmo, embora a formação nunca seja de descurar. Quem me segue nestes tópicos da educação sabe que sou a favor da formação, e sabe também que me farto de afirmar que o ensino superior não tem nada que uma pessoa não possa aprender fora desse ambiente.
  19. 1 point
    Deves pretender que depois de inserir uma fatura, ja nao seja possivel alterar os dados da mesma, poderias fazar o seguinte : no evento "OnCurrent", em porugues "noActual" do formulario : If not Me.NewRecord Then Me.Control1.Enabled = false Me.Control2.Enabled = false ' e por ai fora end if ou entao fechar o formulario na totalidade : Me.Form.AllowEdits = False se pretendes a checkbox, podes colocar o codigo no evento depois de actualizar da mesma if me.nomeDaCheckBox = -1 then ' aqui colocarias o codigo para desativar end if
  20. 1 point
    Se já tens a certeza do que queres realmente seguir, eu seguiria o conselho do apocsantos. Eu segui o antigo cientifico-natural e depois entrei para engenharia electrotecnica e reparei que a única coisa que tirei do cientifico-natural (em comparação a um curso profissional) foi um pouco mais de à vontade com matemática e certas partes de física/quimica. No entanto, a maior parte dos meus colegas que entraram com curso profissional eram bastante mais experientes e capazes nas partes especificas do curso (electricidade, Electronica, programação) o que lhes dava um pouco mais de vantagem. Com um curso superior podes também ter acesso a um emprego que te permita financiar os estudos e, com sorte, conjugar matérias que vais falar no curso da Universidade em ambiente profissional dando-te assim outra pequena vantagem. Finalmente, se estiveres a trabalhar numa área relacionada aos teus estudos, podes sempre ter algum apoio dos teus colegas de trabalho com algumas dúvidas sobre trabalhos, tecnologias, etc... Eu já ajudei colegas meus a terminar o curso deles, bem como vi colegas meus a aproveitar o mundo em que trabalhavam para aprender mais e fazer valer esse conhecimento no mundo académico. Há apenas uma coisa a ter em conta que é o facto de em muitas Universidades (ou pelo menos em electrotécnia era assim) o ensino das partes mais "soft" de engenharia serem feitas sob uma perspectiva ideal e que, infelizmente, nunca ou raramente é usada por empresas em Portugal. Aí, será preciso teres algum distanciamento para veres a utilidade do que te é dito na Universidade versus o que acontece no mundo empresarial. Boa sorte para o teu futuro.
  21. 1 point
    o código tem alguns problemas com a scope e o tick. fiz um codepen com umas correções
  22. 1 point
    Precisas de duas listas por compreensão, não apenas uma: Uma lista com as raízes quadradas: [sqrt(a) for a in range(i)] Se reparares, aqui tens um range que deverá ser definido na segunda lista por compreensão. Uma lista que gira o número de raízes necessária: [(element) for i in range(1,10)] E aqui temos o nosso contador i do range da primeira lista. A cada iteração da lista 2, terás um range crescente na lista 1, gerando precisamente o que precisas (retirei os sqrt para simplificar a leitura): [[1], [1,2], [1,2,3], [1,2,3,4], ...] Para que isto sejam somas, usamos a função sum. Na lista 2, (element) é, nada mais nada menos, do que o somatório da lista 1! Logo: from math import sqrt l = [sum([sqrt(a) for a in range(i)]) for i in range(1,10)] Cumprimentos.
  23. 1 point
    o tutorial está errrado. o verdo por defeito do método $.ajax é o GET e não o POST. ou alteras o ajax.php para esperar a informação no $_GET, ou alteras o jquery para dizer que deverás enviar por POST (seja por argumento ou usar o $.post)
  24. 1 point
    Certeza, não tenho. Mas, deixei aqui uma possível explicação:
  25. 1 point
    Explicar-te não sei, mas posso dar-te a (triste) consolação de que pelo menos não és o único na dúvida... É coisa que não consegui ainda perceber para que serve...
  26. 1 point
    Primeiro é preciso saber o que é a compilação. Por mais que tentes proteger o teu código irá sempre haver maneiras de dar a volta. Podes é dificultar, mas só isso.
  27. 1 point
    em resumo ... se tens a preocupação em ninguem ver o código original, estás a colocar a procupação no local errado. no que toca a uma interface gráfica, deve existir bibliotecas para o fazer praticamente para todas as linguagens existentes ... agora, qual a melhor para o que pretendes fazer, depende do que pretendes fazer, certo ?
  28. 1 point
    Interface gráfica não é problema nem para Delphi nem para C++, que também creio não ser muito má. O "estilo de compilação", chamemos-lhe assim, do Delphi e do C++ é muito semelhante. Em última análise, é como diz o @HappyHippyHippo, nem que seja para Assembly todas vão dar. Só umas são mais fáceis que outras.
  29. 1 point
    Considere o cálculo da media de quatro algarismos. Apresente: a) O algoritmo simples em Fluxograma; b) O algoritmo simples em Pseudo-código;
  30. 1 point
    Sem ser grande conhecedor na matéria de descompilação, eu diria que com nenhuma dessas duas te safas. Pelo que sei, ambas permitem alguma facilidade de descompilar. Das que conheço mais complicadas de o fazer (não garanto que seja impossível) é o Delphi / Pascal. Existem descompiladores para Delphi, mas ao que sei, conseguem extrair pouco mais que umas strings.
  31. 1 point
    Introdução Numa esmagadora maioria dos circuitos usados em IoT e em automação de uma forma geral, como o caso do Arduino/Genuino, existem algumas limitações em termos de pinos analógicos, que nos podem complicar a tarefa de ligar sensores. Por exemplo, no Arduino/Genuino Uno, apenas são disponibilizados 6 pinos analógicos que vão de A0 a A5, respetivamente. Ler mais…
  32. 1 point
    O link para o jar já não funciona. Encontrei o projeto no github: https://github.com/jeszy75/schema-validators.
  33. 1 point
  34. 1 point
    Se tens tipo Nome | Dia | Horas 1-Joao 5 7 2-Pedro 6 5 3-Joao 8 2 4- Rita 15 8 E o que tu pretendes é por exemplo somar as horas por pessoa e listar por pesso tipo Joao | Pedro | Rita 9 5 8 Mas amanha pode haver mais pessoas e queres que automaticamente liste também as novas pessoas DECLARE @Nomes AS NVARCHAR(MAX) Declare @query AS NVARCHAR(MAX) select @Nomes = STUFF((SELECT distinct ',' + QUOTENAME(Nomes) from dbo.PessoasHoras FOR XML PATH(''), TYPE ).value('.', 'NVARCHAR(MAX)') ,1,1,'') set @query = 'select * from ( select Nomes, Horas from PessoasHoras ) x1 pivot ( sum(Horas) for Nomes in ('+ @Nomes +') ) b' exec(@query)
  35. 1 point
    Adriana, os certificados estão disponíveis em https://faturas.portaldasfinancas.gov.pt/testarLigacaoWebService.action
  36. 1 point
    eu tenho uma pergunta mais pertinente : porque o uso de iframe ?
  37. 1 point
    O teu site estará vulnerável a postback requests e callbacks não autorizados ao ter EnableEventValidation desativada! Poderás resolver o problema sem usar isso uma possível solução é: Moveres todo teu código de Page_Load para Page_Prerender
  38. 1 point
    colocando <%@ Page EnableEventValidation="false" [..] %> resolveu a minha situação
  39. 1 point
    Olá!, no teu ficheiro asp adiciona o seguinte: Não recomendo fazer isto! <%@ Page EnableEventValidation="false" [..] %> se o erro persistir consulta esta pagina poderá te ajudar! http://stackoverflow.com/posts/15714437/revisions
  40. 1 point
    Obrigado pela dica, mas já encontrei o código, e neste caso em vez de procurar o nº da linha, procura o valor pretendido (na coluna d), encaminhando-se de imediato para a célula correspondente. Sub teste() For vlin = 5 To Cells(Rows.Count, "a").End(xlUp).Row If Cells(vlin, "d").Value = Cells(1, "j") Then Cells(vlin, "a").Select 'Rows(vLin).Select ActiveSheet.Unprotect End If Next vlin ActiveSheet.Protect DrawingObjects:=False, Contents:=True, Scenarios:= _ False, AllowFormattingCells:=True End Sub
  41. 1 point
    Boas, encontrei este código: Sub test() Dim WhereToGo As String Dim i As Long WhereToGo = Sheets(1).Range("F7") i = InStr(1, WhereToGo, "!") Application.Goto Reference:=Worksheets(Left(WhereToGo, i - 1)).Range(Right(WhereToGo, Len(WhereToGo) - i)) End Sub Neste site: https://www.mrexcel.com/forum/excel-questions/364183-macro-go-specific-cell-different-sheet.html Basicamente ele atribui o valor da célula a uma string (caminho completo com folha e célula) depois procura o ! (ponto exclamação) nessa string e diz que a folha se encontra à esquerda e que a célula está à direita. Caso as tuas células estejam todas na mesma folha podes colocar qualquer coisa como: Application.Goto Reference:=Worksheets(Folha1).Range(WhereToGo) ou seja sem testar ficaria algo como: Sub test() Dim WhereToGo As String WhereToGo = Sheets(1).Range("F7") Application.Goto Reference:=Worksheets(Folha1).Range(WhereToGo) End Sub Experimenta e boa sorte.
  42. 1 point
    As guias não têm de ser exportadas no SAF-T mensal, apenas no SAF-T de auditoria (completo) . O ATcodeID apenas é necessário quando o destinatário tem morada de entrega nacional. Para exportação para outros países, as guias não têm código. As situações em que as guias são ou não valorizadas dependem da necessidade do negócio ou dos clientes que utilizam o software. A legislação não obriga a que os artigos sejam valorizados nas guias.
  43. 1 point
    Existe mais do que capacidade tecnica em Portugal para fazer seja o que for... Basta ver empresas como a LusoSpace que estao ha mais de dez anos a realizar projectos para a industria espacial. Eu acho que aqui a questao prende-se com o custo do desenvolvimento e a procura das mesmas... tu andas agora a procura, mas quantas mais pessoas andam a procura? Depois tens os custos de desenvolvimento e teste que nunca sao baratos para algo que apesar de parecer simples e algo complexo. Assim de repente diria que os mecanismos de "mexer" com os produtos para fora da maquina serao carotes... e possivelmente desenvolvidos de proposito. Nao sei como funcionam os sensores para moedas/notas, mas suspeito que sejam carotes tambem. E convem nao esquecer que a maquina tem tambem de ser robusta a pancada e a nao abrir facilmente. Aquilo afinal de contas faz uma funcao de cofre... Tudo isso faz certamente com que o preco seja elevado.
  44. 1 point
    Se ajudar a ter uma base, embora seja numa vertente diferente, podes ver o que tinha para um projecto de gestão de oficinas de automóveis em https://github.com/Knitter/jautoinvoice/blob/master/documents/database/structure.mysql.sql O projecto não tem implementação que ajude, mas a estrutura da BD será semelhante (Não terá fornecedores nem tabelas de IVA nem coisas referentes a pagamentos e notificações).
  45. 1 point
    Há plataformas que requer pouco ou nenhum conhecimento em linguagens de programação, por isso penso que não é por ai... Não te esqueças tambem de analisar os custos que isso pode gerar.