• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

Ridelight

Internet “inspirou” jovens na construção de bombas

6 mensagens neste tópico

Dois engenhos explosivos artesanais foram construídos por jovens, após pesquisas na Internet. A experiência correu mal na Covilhã e provocou um ferido. Na Figueira da Foz por pouco também não fez vítimas. A Polícia Judiciária de Coimbra encerrou as investigações e alerta para os perigos

As investigações começaram em Junho e Outubro do ano passado e a Polícia Judiciária (PJ) de Coimbra procedeu à identificação de seis jovens, com idades entre os 15 e os 17 anos, autores de dois engenhos explosivos. Uma situação preocupante, que se repete com algum significado, de acordo com aquela polícia de investigação, e para a qual convém sensibilizar pais, professores, educadores e também comerciantes. A curiosidade fomenta a procura de informação, a Internet tem um manancial disponível e basta juntar alguns ingredientes, fáceis de adquirir, para se conseguir uma mistura explosiva. Foi isso mesmo que aconteceu nestes dois casos. Um na Figueira da Foz, outro na Covilhã. Entre ambos não há qualquer relação, a não ser o facto de serem protagonizados por adolescentes, que usaram informação recolhida na Internet e construíram uma bomba artesanal.

O caso mais grave verificou-

-se na Covilhã, no dia 31 de Outubro do ano passado, na Escola Secundária Frei Heitor Pinto. Dois jovens construíram um “engenho explosivo improvisado”, como lhe chamam os investigadores da PJ, misturando ácido clorídrico e alumínio numa simples garrafa de plástico, de 1,5 litros, usada num vulgar refrigerante. A reacção provoca uma explosão numa questão de poucos minutos. Não será a explosão em si que será o mais preocupante. As preocupações centram-se, si, no facto desta explosão implicar a projecção de ácidos, que podem atingir terceiros e provocar ferimentos de grande gravidade, como alerta fonte ligada à investigação. Os elementos reagentes funcionam de per si e o controlo do tempo é quase impossível, facto que pode tão pouco dar tempo aos “criadores” de colocarem o engenho num qualquer local, explodindo-lhes mesmo nas mãos, alerta ainda, chamando a atenção para o carácter «altamente corrosível dos ácidos».

Na escola da Covilhã o engenho foi construído e colocado dentro de um contentor do lixo, colocado no recreio da escola, junto a um banco. Uma colega dos jovens sentou-se e minutos depois deu-se a explosão. A jovem «não apanhou com a projecção dos ácidos», explicou-nos fonte ligada ao processo, mas sofreu o impacto directo da explosão, que lhe perfurou um tímpano. Foi transportada ao Hospital da Covilhã e posteriormente transferida para os Hospitais da Universidade de Coimbra.

Vizinha quase foi atingida

Na Figueira da Foz a situação investigada pela Polícia Judiciária remonta ao dia 30 de Junho do ano passado. Quatro jovens juntaram-se em casa de um deles, um bairro residencial da zona de Tavarede e o engenho foi construído e depois atirado por uma janela. Por pouco não fez vítimas. Uma vizinha que acabava de dobrar a esquina ficou a “um passo” de apanhar com a projecção dos ácidos. Uma situação de perigo que, felizmente, não teve consequências de maior.

A Polícia Judiciária já tinha procedido à identificação dos seis jovens, dois na Covilhã e quatro na Figueira da Foz, há algum tempo, mas os processos foram agora concluídos e remetidos aos respectivos tribunais.

Para além destas investigações concluídas, fonte da Directoria de Coimbra da PJ adiantou que «ocorrem muitas situações desta natureza». «Temos conhecimento de cerca de uma dezenas de casos e, a nível nacional, serão mais de cinco dezenas», disse. A mesma fonte sublinha a necessidade de alertar os jovens para a situação e gravidade do que pode acontecer perante esta curiosidade e engenho dos jovens alimentados por informações colhidas via Internet. E estende este alerta aos pais, educadores e professores, no sentido de «sensibilizarem os filhos e educandos para os riscos que podem correr ou fazer correr a terceiros», bem como aos comerciantes que, em drogarias ou lojas de ferragens vendem, a jovens, os produtos que isoladamente não provocam qualquer dano, mas conjugados se transformam em misturas explosivas, verdadeiras bombas que podem deixar sequelas muito graves.

Os quatro suspeitos maiores de 16 anos aguardam o desenvolvimento dos processos sujeitos a termo de identidade e residência, sendo os restantes considerados inimputáveis.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

lol

A internet tem muita informação e depois há aqueles morcões que não a sabem usar devidamente. :thumbsup:

Na escola da Covilhã o engenho foi construído e colocado dentro de um contentor do lixo, colocado no recreio da escola, junto a um banco. Uma colega dos jovens sentou-se e minutos depois deu-se a explosão. A jovem «não apanhou com a projecção dos ácidos», explicou-nos fonte ligada ao processo, mas sofreu o impacto directo da explosão, que lhe perfurou um tímpano.

Pobre moça...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Carago... raio de maçaricos. Poe-se a fazer brincadeiras só por parvoice sem qualquer conhecimento cientifico. E agora... a rapariga perdeu parde da sua capacidade auditiva por causa da estupidez dos colegas. E se alguem abria o contentor e aquilo rebentava? ia projectaracido para todo o lado. Que coisa mais estupida.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

A Internet não tem info a mais ! As pessoas é que não sabem como a usar, se podemos aprender a fazer bombas com a net isso não passa de informação que até um dia pode vir a ser útil o problema é as pessoas que não tem cabeça para ter esse tipo de informação.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Fiquei tao chateado com a estupidez de algumas pessoas que nem me lembrei de fazer um comentario como o black magician.

Mas subscrevo sem mudar uma virgula.

Infelizmente, num país em que o analfabetismo tecnologico ainda impera, ainda se olha para a internet como uma coisa má que tem mais coisas más do que boas. Se o gajo tivesse visto isso numa cassete de vídeo iam por os fabricantes de Leitores Videos na guilhotina?

A chave para a evolução é precisamente não ter medo das mudanças boas.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

black magician LOL

Mas estou totalmente de acordo, pela "estupidez" de alguns é automaticamente colocada em causa uma coisa que para além de ser um sinal de evolução é uma mais valia para o desenvolvimento pessoal e global.

Agora cada um deve é saber como usar esse conhecimento, eu uma vez encontrei um livro de ensinamento e treino de Snipers do Exercito Americano e não foi por isso que comecei por ai aos tiros feito doido lolol :P

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora