• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

Guest tsenart

Ruby

Já tiveste alguma experiencia com Ruby?   35 membros votaram

  1. 1. Já tiveste alguma experiencia com Ruby?

    • Sim
      7
    • Não nem sei o que é...
      2
    • Não mas já ouvi falar.
      18
    • Não mas quero...
      9

Please inicie sessão ou registe-se para votar.

16 mensagens neste tópico

Já metias era virgulas na votação ;) Tive de ler duas vezes para perceber os "Não"s, loool

Nunca trabalhei, mas já ouvi falar. Principalmente no Ruby on rails :P

abraços, HecKel

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Se estas a referir-te ao ruby on rails ja ouvi falar mas nunca experimentei!

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Drone, ele está a referir-se mesmo ao ruby :D Ruby on rails é um framework que corre sobre Ruby se não estou em erro ;)

Eu já experimentei algumas coisas de Ruby on Rails mas nunca fui para a frente, e nem programei em Ruby por isso votei Não, mas já ouvi falar :P

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Sim, Ruby é uma linguagem de programação interpretada, como python, php, LUA, etc...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Ruby is the interpreted scripting language for quick and easy object-oriented programming. It has many features to process text files and to do system management tasks (as in Perl). It is simple, straight-forward, extensible, and portable.

Ruby is…

A dynamic, open source programming language with a focus on simplicity and productivity. It has an elegant syntax that is natural to read and easy to write.

Parece uma linguagem com muito futuro... no Japão já é mais usada do que Python. Tive a ler uns tutoriais e parece realmente fácil de aprender, já tenho um livro completo para ler. É totalmente orientada a objectos, o seu código é tão flexível que em muitas situações é possível escolher entre diversas possibilidades de, por exemplo, chamar uma função:

The following lines are all equivalent.

puts sayGoodnight "John-Boy"

puts sayGoodnight("John-Boy")

puts(sayGoodnight "John-Boy")

puts(sayGoodnight("John-Boy"))

No site da linguagem há muita documentação disponível, como o livro Programming Ruby - The Pragmatic Programmer's Guide, disponível em http://www.ruby-doc.org/docs/ProgrammingRuby/ .

Também útil é a secção Ruby from other languages, http://www.ruby-lang.org/en/documentation/ruby-from-other-languages/ , que disponibiliza um conjunto de diferenças entre Ruby e as linguagens mais populares. Além disso, a linguagem promete reduzir o número de linhas de código consideravelmente, e já se ouve falar em empresas que migraram para Ruby e reduziram o seu código nalguns MILHARES de linhas.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

boas

alguem me sabe dizer o q é q um serviço de hosting tem de ter para suportar ruby?

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Basta ter o interpretador de ruby instalado na máquina de alojamento.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

nunca achei piada em nenhuma linguagem o facto de haver diversas maneiras para se fazer algo (no caso daquela função descrita ali em cima), não vejo o propósito daquilo e só serve para confundir o pessoal que se está iniciar e tem poucos conhecimentos de programação. Na minha opinião, não deveriam existir diferentes sintaxes para fazer a mesma coisa, devia ser limitado a um tipo de sintaxe e pronto.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Embora existam várias formas, existe sempre uma mais usada, neste caso "puts função(argumento)"

Depois, esta diversidade ajuda um pouco no factor de a linguagem se adaptar mais o utilizador, e não tanto o contrário.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Depois, esta diversidade ajuda um pouco no factor de a linguagem se adaptar mais o utilizador, e não tanto o contrário.

Concordo. Além disso, para quem se inicia, saber que há diversas maneiras de fazer determinada tarefa faz com que o programador esteja mais à vontade, não tenha de estar sempre a verificar a sintaxe (especialmente quando ainda não tem a certeza) e se sinta mais confortável a programar. A ideia da linguagem adaptar-se ao utilizador e não o contrário torna a programação acessível a uma maior leque de utilizadores - não requer tanta minúcia no código e permite que o programador se foque na criação do algoritmo e da resolução do problema e não esteja tão preocupado com a linguagem.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora