• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

M6

Gestão de Projectos: Orçamentos

24 mensagens neste tópico

Tenho notado que há no fórum alguma procura de informação sobre como fazer um orçamento, quanto cobrar por um determinado desenvolvimento, etc..

Este tópico vem dar algumas respostas, embora não seja, nem pretenda ser, uma regra, disponibiliza alguma informação sobre como estas coisas costumam ser feitas nas TIse em regime freelance.


Ideia Geral

A ideia geral para efectuar um orçamento é bastante simples, bastando atribuir um valor por hora e multiplicar esse valor pelo número de horas que o projecto fechado, ou seja, chave-na-mão demora a fazer. O mesmo principio é aplicável a um projecto que não é fechado.

Para encontrar o número de horas que se vão usar há que fazer um planeamento ou, no mínimo, uma estimativa.

Orçamento

De forma simples, um orçamento costuma fazer-se da seguinte forma:

1. Planeamento ou estimativa de tempo (normalmente esta inclui uma margem de segurança, por exemplo, mais 10% do que o tempo estimado originalmente) dos tipos e números de recursos, tarefas e tempo de participação de cada recuros nas tarefas.

2. Cada tipo de recurso possui um valor por hora.

3. Para cada tipo de recurso multiplica-se as horas de participação no projecto pelo seu valor por hora.

TI

A forma de encontrar o valor por hora numa TI costuma ser bastante simples. Cada tipo de recurso possui um ordenado base, que dividido por 22 e depois por 8 permite encontrar o valor por hora.  Esse valor por hora é quanto a empresa paga, por hora, a esse recurso. De forma a ganhar lucro com o projecto, a empresa tem de vender a hora esse recurso por um valor superior.Essas contas permitem construir uma tabela de preços da empresa que passa a ser a referência para os orçamentos.

Por exemplo, em outsourcing é normal um recurso ser vendido a uma empresa por três vezes mais do que custa à empresa. Isto quer dizer que: se na empresa em que trabalham vocês estiverem num projecto com alguém que não pertence à vossa empresa mas que ganha o mesmo ordenado como vocês, a vossa empresa está a pagar à outra empresa três vezes o vosso ordenado.

Dado que durante o processo de negociação é normal o cliente negociar o preço, é necessário possui alguma flexibilidade de forma a conseguir baixar o preço final do projecto sem nunca comprometer o planeamento nem o lucro da empresa. Este tipo de "ginástica" é facilmente conseguido usando truques simples como cobrar o valor de um junior por um sénior ou reduzir o factor de multiplicação do valor por hora. Seja qual for a estratégia, o valor a cobrar por recurso nunca pode ser inferior ao valor que o mesmo custa à empresa, pois caso contrário a empresa perderá dinheiro. Normalmente não se cobra menos e uma vez e meia o valor do recuro, caso contrário corre-se o risco do projecto não ser lucrativo para a empresa. É que existem outros factores como o facto de, por exemplo, as pessoas que efectuam trabalho como o caso dos recursos humanos, não poderem ser vendidas a projectos, mas a empresa continua a ter de lhes pagar o ordenado e a única forma de isso acontecer é usando o dinheiro ganho nos projectos. Assim, o valor cobrado por cada recurso tem de pagar, não só o valor desse recurso, mas também uma pequena parte dos recursos da empresa que não podem ser vendidos. Só assim é possível pagar o ordenado a todas as pessoas e a empresa gerar lucro.

Ainda no capitulo negocial, por vezes a administração da empresa assume o prejuizo de um projecto, onde assumida e conscientemente o preço de venda do projecto é mais baixo do que o custo do mesmo. Este tipo de negócio prende-se com estratégias empresariais, por exemplo a empresa quer mesmo entrar numa determinada área de negócio ou quer pôr um pé num determinado cliente e então esta opção é vista como uma estratégia e um investimento, recuperando o dinheiro investido ao longo do tempo, através de outros futuros projectos ou através da manutenção e suporte do projecto em causa.

Freelance

Tudo o que foi dito para as TI é verdade para os freelancers. Só que neste caso é esperado que o preço seja mais baixo do que se o projecto fosse efectuado por uma TI. Isto deve-se a um conjunto de razões, umas mais válidas que outras, mas de onde se destaca um dos maiores receios: o de um freelancer "desaparecer" de um momento para o outro ou não ter interesse, ou disponibilidade, de fazer manutenção e suporte. Como tal, o cliente não está disposto a pagar a um freelancer o mesmo valor que leva uma empresa.

Por outro lado, um freelancer não tem a seu cargo coisas como um departamento de recursos humanos, o que lhe permite apresentar um orçamento mais baixo mas mesmo assim muito interessante para o seu lado.

É muito provavel que o trabalho não possa ser totalmente executado pelo freelancer e que este tenha de recorrer a serviços de terceiros, por exemplo fazer tuning a uma BD ou encomendar o design de um site.

Pode também acontecer que existam algumas coisas no projecto para as quais o freelancer não possui conhecimento ou competência necessária e vai ter de optar por comprar esse conhecimento a terceiros ou então adquirir esse conhecimento. Se optar por comprar o conhecimento, então está a recorrer a um serviço de terceiros e estamos perante o caso acima, já se optar por adquirir esse conhecimento, então é justo que a aquisição do conhecimento seja paga pelo freelancer, dado que é um investimento, e que haja um ajuste no preço por hora para as tarefas que envolvam aquisição de conhecimento. É também justo que o cliente não tenha de pagar esse investimento com tempo, ou seja, o investimento é do freelancer e não deve penalizar o projecto com mais carga relativa ao tempo que ele vai necessitar para aprender essa nova competência.

Outro factor que tem influencia no orçamento é a possibilidade do preço por hora variar consoante a especialização, ou o grau de conhecimento.

Tudo isto são custos que o freelancer deve ter em conta quando efectua um orçamento.

Exemplo

Vou apresentar um exemplo de forma a clarificar e a consolidar o que expliquei acima. É de referir que os valores são totalmente aleatórios e servem o único propósito de ilustração.

Imaginemos que o projecto em causa é uma loja virtual simples. Para construir a loja virtual vai ser necessário, de forma simples:

- levantamento de requisitos

- modelação e arquitectura

- design da base de dados

- design do site

- programação

- testes

Após o planeamento, ou estimativa, conclui-se que:

  • Levantamento de requisitos: 56 horas
  • Modelação e arquitectura: 120 horas
  • Design gráfico: 40 horas
  • Programação: 160 horas
  • Design da Base de Dados: 32 horas
  • Testes: 40 horas
  • Gestão, Controlo e Reporting: 40 horas

Se for uma TI a fazer o projecto,a mesma identificaria os papeis necessários para cada tarefa e, consultando a sua tabela de preços, faz as seguintes contas:

  • Consultor de negócio (56 horas de levantamento de requisitos): 56 horas x 14€ = 784€
  • Analista Programador Junior (70 horas de modelação e arquitectura e 100 horas de programação): 17 horas x 12€ = 204€
  • Lider Técnico Sénior (50 horas de modelação e arquitectura, 60 horas de programação, 12 horas de design de base de dados, 15 horas de gestão, controlo e reporting):  137 horas x 15€ = 2055€
  • Web designer (40 horas de design gráfico): 40 horas x 11€ = 440€
  • DBA (20 horas de base de dados): 20 horas x 15€ = 300€
  • QA (40 horas de testes): 40 horas x 12.5€ = 500€
  • Gestor de projecto: (25 horas de gestão, controlo e reporting) 25 horas x 15€ = 375€

Somando tudo dá: 4658€

Se for um freelancer, dado que ele faz todos os papeis, excepto os que compra a terceiros, e partindo do principio de tem um preço fixo por hora de 6€, poderá fazer as seguintes contas:

  • Design Gráfico (comprado a uma empresa de web design por preço fixo): 300€
  • DBA (dado que tem de aprender a mexer em MySQL, vai efectuar um desconto de 50% no preço por hora): 32 horas x 3€ = 96€
  • Gestão, Controlo e Reporting (concluiu que necessita apenas de 25 horas uma vez que só faz gestão, controlo e reporting para o cliente e não necessita de controlar as equipas envolvidas por estas não existirem): 25 horas x 6€ = 150€
  • Tudo o resto (dado que já tem competências nas áreas envolvidas): 433 horas * 6€ = 2598€

Ora somando tudo dá: 3144€

Conclusão

A nível de orçamento, a opção freelancer sai 1514€ mais barato.

Mas há que ter em conta que certas tarefas podem ocorrer em paralelo quando feitas por uma TI, por exemplo, a parte da arquitectura do sistema pode ocorrer em paralelo com a parte de design da base de dados, o que faz com que a TI possua um tempo de resposta mais rápido. No entanto, o freelancer pode também fazer este jogo: recorrendo ao outsourcing, pode efectuar apenas a gestão do projecto, ficando liberto para fazer a gestão de vários projectos ao mesmo tempo. Por outro lado, a TI também pode recorrer a outsourcing.

Em conclusão, a diferença entre TI e freelancer é que o freelancer é uma empresa de uma pessoa só que consegue fazer preços mais competitivos embora possa ter um tempo de resposta mais lento.

Informação Relacionada:

- The Mythical Man-Month, um livro de referência para a gestão que infelizmente muito pouca gente leu.

- Wikipedia: The Mythical Man-Month, pequeno resumo do livro.

- Eric Sink on the Business of Softwar, um bom livro para iniciados nestas andanças com exemplos práticos de ISVs, micro ISVs e shareware.

- Joel on Software, site com ensaios e artigos de opinião de um dos fundadores de uma ISV e que aborda várias temáticas desde problemas e escolhas técnicas até gestão e recrutamento.

- Joel on Software, livro com a compilação de alguns dos melhores artigos do site e que aborda temas como a gestão e o preço dos produtos.

1

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Axo que deve-se levar em conta estes factores tb ! :)

"Tudo certo ?  Não , esta faltando os custos fixos que você tem com água , luz , telefone , combustível , etc.."

"Então chegamos ao valor final do seu custo operacional ? Não , ainda esta faltando um detalhe.  Você deve acrescentar a este valor a margem de lucro que você deseja ganhar. Esta margem de lucro refere-se a investimentos que você com certeza terá que fazer em equipamentos, cursos , propaganda ,etc. Para definir o percentual sonde o seu mercado de trabalho mas creio que uma valor entre 10% e 20% seja razoável."

"Para terminar lembre-se de fazer um contrato estipulando todos os prazos e valores considerando também os acréscimos em decorrência do atraso na entrega do projeto devido a mudanças de última hora nas regras de negócios. Se não fizer isto pode estar trabalhando de graça.

Valorize o seu serviço e lembre-se : "Quem não quer pagar por um bom serviço com certeza não terá um bom serviço." " José Carlos Macoratti

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Axo que deve-se levar em conta estes factores tb ! :thumbsup:

"Tudo certo ?  Não , esta faltando os custos fixos que você tem com água , luz , telefone , combustível , etc.."

"Então chegamos ao valor final do seu custo operacional ? Não , ainda esta faltando um detalhe.  Você deve acrescentar a este valor a margem de lucro que você deseja ganhar. Esta margem de lucro refere-se a investimentos que você com certeza terá que fazer em equipamentos, cursos , propaganda ,etc. Para definir o percentual sonde o seu mercado de trabalho mas creio que uma valor entre 10% e 20% seja razoável."

"Para terminar lembre-se de fazer um contrato estipulando todos os prazos e valores considerando também os acréscimos em decorrência do atraso na entrega do projeto devido a mudanças de última hora nas regras de negócios. Se não fizer isto pode estar trabalhando de graça.

Valorize o seu serviço e lembre-se : "Quem não quer pagar por um bom serviço com certeza não terá um bom serviço." " José Carlos Macoratti

Sim e não. Modo geral concordo, mas há alguns pontos que carecem alguma explicação. O cliente não tem nada que estar a pagar os gastos, por exemplo, de água que em nada fazem parte/falta ao projecto que ele está a comprar. Mas a verdade é que é necessário pagarem as vossas contas de água, luz, etc., pelo que alguns desses valores estão já diluidos no preço de cada colaborador ou então são custos acrescidos ao projecto, como o caso das deslocações.

Tudo isto é flexivel, independetemente do projecto ser "chave na mão" ou "time and material".

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

"Tudo certo ?  Não , esta faltando os custos fixos que você tem com água , luz , telefone , combustível , etc.."

Realmente tens razão mas tb a frase não é minh a :thumbsup:

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

O preço dos programadores por exemplo já deve conter alem do dinheiro que vais realmente pagar ao programador, tambem deve conter todos os custos que tens com ele: electricidade, agua, etc...até o arrendamento.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Vou acrescentar algumas notas a tudo o que já foi dito:

* As empresas também se podem desinteressar pelos clientes e/ou produtos e serviços e até podem falir e estas coisas acontecem bastante, até porque no mercado há muito mais empresas que freelancers;

* Quando um free-lancer não consegue fazer tudo sozinho, há mais alternativas do que as aqui mencionadas, por exemplo pode-se contratar outro prestador de serviços para colaborar com o freelancer (é diferente de ser o freelancer a tratar disso porque pode ter custos diferentes). Não cabe necessariamente ao freelancer fazer a gestão do projecto.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Na prática o maior problema é estimar correctamente o tempo necessário para efectuar as tarefas. Requer experiência, métricas, infelizmente não há nenhum algoritmo para o calcular, nem a uma margem de erro. Excepto em trabalhos muito "chapa 5", infelizmente há problemas parvos imprevistos que nos podem roubar uma série de tempo.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Exacto...

Por exemplo, suponhamos o caso em que duas entidades precisam de ter duas BDs com dados iguais e que se combina a utilização de um formato de ficheiros para trocar o dump dos dados originais de uma entidade para a outra.

Se o dump no formato tiver que tiver estabelecido reflectir o modelo de dados da BD para onde vai ser importado, então, podemos supor que a importação de uma BD para a outra é algo que pode ser facilmente feito. Certo?

E seria, se não surgisse um imprevisto, como por exemplo, a falta de integridade dos dados exportados... Nesse caso tens um problema entre mãos que te vai demorar muito tempo, muito mais tempo do que o previsto.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não costumo fazer projectos inteiros, mas no último que fiz efectuei uma "work break-down structure" detalhada e, apesar de ter sido apenas a 1ª experiência com este método, acho que é um método com potencial. Ajuda essencialmente em 3 aspectos:

1) Definir e registar as tarefas que é necessário fazer

2) Estimar o esforço/tempo de cada tarefa (tarefa mais pequena => mais fácil estimar)

3) Estimar o valor do projecto (depois de 2) é fácil, é multiplicar as horas pelo preço/hora)

Deixo aqui um excerto da WBS desse projecto:

wbsyx0.png

Repare-se que começa-se por definir as tarefas de alto nível, e depois é que se vai refinando, subdividindo-as até ficarmos com tarefas simples que sejam fáceis de estimar. Ao mesmo tempo este método permite-nos "parar" no nível de detalhe que quisermos, sendo que quanto menor for a profundidade maior será o erro da estimativa e menor tempo levará a fazê-la, e vice-versa. Quando não quisermos/pudermos aprofundar mais então atribuímos uma estimativa de esforço a cada tarefa e o preço do projecto é a soma das horas multiplicada pelo preço/hora. Isto é tudo muito fácil de fazer se registarmos isto numa folha de cálculo; é só adicionar à direita uma coluna para o esforço e depois somar tudo por aí abaixo e calcular o preço.

Note-se ainda que isto só é feito depois da análise... sem se fazer a análise é impossível sequer fazer uma estimativa, excepto em casos simples ou "chapa 5"...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Para as WBS podes usar o Microsoft Project que está preparado para gerir estruturas desse tipo. Se estiveres na faculdade deves ter acesso gratuito.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Pois, não conheço bem o Project, mas pelo menos até há uns anitos aquilo tinha um grande mal: demasiado complexo (além de ser pago). Alguém conhece o "Joel on software"? Eu lembrei-me de um artigo, este aqui. Agora fui lá da ruma olhadela e vi que ele mudou de teoria o ano passado e escreveu um novo artigo, tal como diz logo no inicio do antigo. Ainda não li este último mas certamente será interessante como muitos outros que ele tem.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não ponham imagens tão grandes aqui... Que ainda há malta a navegar com acessos lentos e isso é pesado. Metam links para as imagens, assim, quem quiser vai ver.

Existem muitos softwares de gestão de projectos que são Software Livre/Open Source Software e que podem ser obtidos gratuitamente. Usar Project, implica ter que utilizar window$.

Eu tenho utilizado o Planner, para mim tem funcionalidade QB (para as minhas necessidades) e está disponível em diversas plataformas, mas há mais, alguns até baseados em web como o eGroupWare, Pootle, outros não como o kfocus (gestor bem leve), TaskJuggler, etc...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Sim e não. Modo geral concordo, mas há alguns pontos que carecem alguma explicação. O cliente não tem nada que estar a pagar os gastos, por exemplo, de água que em nada fazem parte/falta ao projecto que ele está a comprar. Mas a verdade é que é necessário pagarem as vossas contas de água, luz, etc., pelo que alguns desses valores estão já diluídos no preço de cada colaborador ou então são custos acrescidos ao projecto, como o caso das deslocações.

Tudo isto é flexível, independentemente do projecto ser "chave na mão" ou "time and material".

Efectivamente, é necessário ter esses valores em conta. Fazem parte dos custos de trabalho. PCs consomem energia, é necessário discos para armazenar dados e backups, precisas de vez em quando comer qq coisa e até ir À casa de banho :). São custos de trabalho, porque são coisas que são precisas para trabalhar. O aluguer de um escritório é custo de trabalho.

Muitas vezes, são investimentos (por exemplo mobília, literatura, e software) que são precisos diluir ao longo do tempo ou entre projectos.  Mas são custos que terás para trabalhar. E que tem de ser pago por alguém, normalmente o cliente. São despesas. O teu vencimento/lucro é uma despesa para o cliente, naturalmente, e o resto também há de ser, e que tanto pode ser explicitamente (declarar no orçamento , por exemplo um termo "despesas administrativas" ou algo do género), ou diluído no teu custo do serviço.

Algo que gosto de efectuar num orçamento é um preço de serviço / mês, especialmente se o projecto prevê-se prolongado. Demasiados imprevistos acontecem para eu considerar um preço/hora, e até de prever número de horas. Também permite facilitar o processo de diluição do custo de exercício de funções (rendas, contas, materiais, etc) porque temos melhor noção do que temos de despesa num período de um mês do que numa semana ou num dia... Também deve ser considerado que vão acontecer imprevistos (ninguém é perfeito, muito menos os clientes que mudam de ideias ou pedem mais "coisinhas") pelo que deve acrescentar sempre à previsão esse montante, mais se for um projecto longo. Penso que o cliente n ficará muito aflito se pedir mais qualquer coisa e não cobrares mais (explicitamente) por isso. É preciso é saber quando começam exagerar e dizer que é necessário acrescentar qq coisa para poder implementar.

E é sempre bom ver uns livros acerca de gestão de projectos de software, que geralmente explicam bem os problemas no desenvolvimento. Tou a gostar do The Mythical Man-Month.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Se gostaste to Mythical Man-Month, aconselho-te o livro do Joel "Joel on Software" (também tem um blog) e do Eric Sink "The business of software".

Acho que vais gostar de ambos.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Thanks,

Esta é uma área que todos os cursos deviam ter, especialmente orientado à área, mas infelizmente nenhum tem. Ainda há uma ou outra cadeira, tipo Gestão de Empresas, mas acho que uma cadeira especialmente orientada ao nosso mercado e à área tecnológica seria importante. Infelizmente, saimos com boas capacidades técnicas, mas nenhuma ou muito medíocres capacidades de compreender o mercado em que vamos cair. ... enfim.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Vou entrar na conversa um pouco mais tarde, a ultima resposta foi a 3 anos espero conseguir uma resposta. Estive a ler o artigo atentamente porque hoje pela primeira vez ofereceram-me a opção de poder trabalhar nas ferias como freelancer apenas a criar uma pagina web. Ora bem, o que eu tenho duvidas é de quanto levar a hora.

Sou finalista do curso de Eng. Informática, minha experiência em paginas web e aplicações web é apenas universitário tirando a minha página pessoal e algumas coisas que faço em localhost mesmo para experiência. Já explorei várias CMS's e prefiro sem duvida o Wordpress. Como trabalho de programação em desktop já tenho alguns, mas web não...

Uma opinião

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Muitas vezes, são investimentos (por exemplo mobília, literatura, e software) que são precisos diluir ao longo do tempo ou entre projectos. Mas são custos que terás para trabalhar. E que tem de ser pago por alguém, normalmente o cliente. São despesas. O teu vencimento/lucro é uma despesa para o cliente, naturalmente, e o resto também há de ser, e que tanto pode ser explicitamente (declarar no orçamento , por exemplo um termo "despesas administrativas" ou algo do género), ou diluído no teu custo do serviço.

Isso não são custos administrativos, embora sejam custos de vários tipos.

E isso não deve constar no orçamento de um projecto, excepto se for adquirido especificamente para uso exclusivo do projecto.

Coisas como os custos fixos das empresas, não devem ter uma rubrica descriminada no orçamento dos projectos, devem ter rubricas no orçamento da empresa, o que é diferente. As margens do projecto é que devem ser utilizadas para amortizar esse tipo de coisas.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Se for um freelancer, dado que ele faz todos os papeis, excepto os que compra a terceiros, e partindo do principio de tem um preço fixo por hora de 6€, poderá fazer as seguintes contas:
  • Design Gráfico (comprado a uma empresa de web design por preço fixo): 300€
  • DBA (dado que tem de aprender a mexer em MySQL, vai efectuar um desconto de 50% no preço por hora): 32 horas x 3€ = 96€
  • Gestão, Controlo e Reporting (concluiu que necessita apenas de 25 horas uma vez que só faz gestão, controlo e reporting para o cliente e não necessita de controlar as equipas envolvidas por estas não existirem): 25 horas x 6€ = 150€
  • Tudo o resto (dado que já tem competências nas áreas envolvidas): 433 horas * 6€ = 2598€

Ora somando tudo dá: 3144€

Bem 6€/h leva a minha mulher a dias :P e mesmo os preços da TI estão um bocado fora pois se levarem esses valores estão no prejuízo, no entanto não deixei de reparar uma coisa, o número de horas é enorme, um freelancer que se meta num projecto com essa duração pode encontrar vários problemas, ou então o projecto nem é assim tão grande e em vez de se levar um preço mais justo hora, aumenta-se o número de horas para compensar pq se formos a ver bem, 3144€ - 300€ = 2844€ uma quantia destas pode ser complicado de cobrar depois, para além de que se as horas forem exactamente aquelas significam 3 meses de trabalho, que dividindo por 3 dá 948€, que é um valor bastante baixo para um trabalho tão arriscado, um gajo das obras leva no mínimo uns 9€/h, um gajo de gás leva o couro e o cabelo à hora mais material, um desentupidor leva no mínimo 150€ para te desentupir uma canalização e leva cerca de 2h ou menos se o caso for complicado, LOL um programador freelancer leva 6 euritos à hora

Se for uma TI a fazer o projecto,a mesma identificaria os papeis necessários para cada tarefa e, consultando a sua tabela de preços, faz as seguintes contas:
  • Consultor de negócio (56 horas de levantamento de requisitos): 56 horas x 14€ = 784€
  • Analista Programador Junior (70 horas de modelação e arquitectura e 100 horas de programação): 17 horas x 12€ = 204€
  • Lider Técnico Sénior (50 horas de modelação e arquitectura, 60 horas de programação, 12 horas de design de base de dados, 15 horas de gestão, controlo e reporting): 137 horas x 15€ = 2055€
  • Web designer (40 horas de design gráfico): 40 horas x 11€ = 440€
  • DBA (20 horas de base de dados): 20 horas x 15€ = 300€
  • QA (40 horas de testes): 40 horas x 12.5€ = 500€
  • Gestor de projecto: (25 horas de gestão, controlo e reporting) 25 horas x 15€ = 375€

Somando tudo dá: 4658€

Bem, aqui os preços vão dos 11€ a 15€, vejamos as pessoas envolvidas num projecto destes são consultores que em média ganham 1200€ limpos mês, então fazendo algumas contas 1200 + 11% SS + 23.5% SS + 10% IRS = 1734€/mês, como se recebe 14 meses então por ano temos 24276€, mas como só se trabalha 11 meses temos 2206€/mês isto sem contar com outras despesas que podem variar muito e não vou colocar nos cálculos, ora em média temos 4 semanas com 40h de trabalho, sendo que o valor hora para uma consultora é +- 13,79€, aproximadamente 14€, LOL perdem dinheiro, mas há formas de dar a volta, contrata-se consultores Júnior a 900 a recibos verdes, ou então mesmo Seniores a recibos verdes, ai devem conseguir ganhar algum dinheiro, mas pouco e a qualidade de trabalho é aquilo que se paga, vamos então colocar a equipa toda a receber os mesmos 1200€ mas a recibos verdes, o preço cai para 7,5€ mas lá está não esperem bom trabalho, apenas levam aquilo que pagam, em Portugal infelizmente acontece muito isto :( Outra questão é a questão do recebimento que é sabido que por vezes há grandes calotes entre empresas e aqui tem um risco enorme de acontecer, aliás os próprios clientes arranjam pormenores de propósito para não pagar ou então arranjarem um desconto.

Voltando à questão, 6€ para freelancer é pouco, no entanto para quem demorar mais tempo convém fazer uns descontos no final pois vai-se andar um bocado aos papeis, 15€ para empresas tb é pouco só se usarem pessoal barato e mal pago, multipliquem por 2. ;) outra coisa é ver até onde os vossos clientes estão dispostos a pagar e estabeleçam um tecto para o trabalho, pois mesmo que seja pouco, se não tiverem mais nada para fazer é melhor ganhar pouco do que não ganhar nada.

Lembrem-se sempre o que uma mulher a dias, pedreiro, electricista, etc ... ganham e pensem bem pq devemos cobrar tão pouco.

Editado por undercover
0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Lembrem-se sempre o que uma mulher a dias, pedreiro, electricista, etc ... ganham e pensem bem pq devemos cobrar tão pouco.

Ganham os que arranjam trabalho. A razão para cobrar tão pouco pode ser não arranjares quem te pague mais.

Apesar do texto já ser de 2006, e por isso alguns dos valores podem já estar desactualizados, dependendo da experiência que se tem, 6€ pode não ser assim tão pouco quanto isso para um freelancer. E 1200€ também não é para qualquer um hoje em dia (quer dizer, talvez em Lisboa).

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Em 2006 ganhava-se mais do que hj, pelo menos em TI, logo os valores deviam até ser um pouco superiores do que são agora, no caso de um freelancer, reitero aquilo que disse

ver até onde os vossos clientes estão dispostos a pagar e estabeleçam um tecto para o trabalho
pois assim têm noção do que podem entregar pelo valor e não deixam o cliente fugir facilmente, é tudo uma questão de dinamismo, o cliente não pode/quer pagar tanto, entreguem o que é mais essencial e ponto, do tipo para fazer o que vc quer são 12 * 100h = 1200€, ahhhh mas eu não quero pagar tanto, estava a pensar em 600€, e vcs dizem OK então faço o trabalho por esse preço mas sem isto, isto , e isto, ie, corta-se nos extras que muitas das vezes o cliente nem vai precisar, no caso de uma pessoa inexperiente reitero outra vez o que disse e vai ao encontro do que disseste
6€ para freelancer é pouco, no entanto para quem demorar mais tempo convém fazer uns descontos no final pois vai-se andar um bocado aos papeis
logo os 12€ com 50% desconto dá o valor hora que se fala ;)
E 1200€ também não é para qualquer um hoje em dia (quer dizer, talvez em Lisboa).
Sim é possível que em Lisboa os salários sejam mais altos, no entanto também se gasta mais, mas conheço consultores que ganham bem mais do que isso, lá está, a experiência conta muito e numa altura destas não convém andar a saltar muito. Mesmo em Lisboa hj em dia não se consegue saltar a ganhar mais, muitas das vezes é por menos. Mas lá está uma empresa que paga pouco e dá poucas condições para conseguir ganhar pelo preço, no final faz um trabalho péssimo.

O valor hora nem é tão importante, o mais importante é o factor tempo ...

  • Procurem as soluções mais simples e mais práticas que possam encontrar.
  • Se querem actuar numa determinada área procurem ferramentas que cortem o tempo de execução.
  • Pratiquem e especializem-se só em determinadas áreas, se forem muito bons em áreas especificas serão sempre bons, e souberem muita coisa mal e em muitas áreas serão sempre maus a tudo.
  • Vocês não vão precisar do que estão a fazer para terceiros, a maior parte das funcionalidades para suportar novas funcionalidades no futuro nunca vão ser usadas, acrescentam complexidade e consomem tempo para as projectar, não quer dizer que façam mau código, o OOP deve estar sempre presente, se me aparecem com um ficheiro de código com 100000 linhas levam um tau tau, mas sim o menor código possível e mais rápido de escrever para o máximo de funcionalidades pedidas.
  • As funcionalidades pedidas são apenas as funcionalidades que devem fazer e ponto, lembrem-se que não vão precisar do que estão a fazer.
  • O cliente é que vai precisar e esse sim deve ser informado pontualmente e disponibilizadas demos da aplicação em desenvolvimento para que este expresse a sua opinião.
  • Só façam o que o cliente pedir, se ele disser ai mas aqui devia ter um coiso assim assim assim, vc's dizem que fizeram o k lhes foi pedido e que o coiso assim assim assim não estava planeado, mas que podem sempre adicionar essas novas funcionalidades ao projecto e avisem que os custos vão aumentar devido a esses novos pedidos, 1º o cliente ficou com a noção que vc's fizeram um bom trabalho pois fizeram o k foi pedido, e vai evitar no futuro de pedir novas coisas pq sabe k lhe vai sair do bolso, para além de ficar a saber que não andam a brincar aos bites e bytes.
  • Façam um pré-trabalhinho que é perceber o que o cliente quer, se o cliente quer uma chave de fendas e vc's não se deram ao trabalho de tentar perceber o que ele quer e depois no final entregam uma chave inglesa o cliente não vai ficar nada contente, isto metaforicamente falando claro.
  • Façam um contracto e obriguem o cliente a comprometer-se, atenção, não quer dizer que façam mesmo um contracto, pode ser por exemplo um email a dizer Caro Sr. ... O projecto vai ter os seguintes requisitos, e as seguintes funcionalidades .... Espero que esteja tudo a ir de encontro ao seu pedido ... Espero atenciosamente pela sua confirmação ... e esperam pela confirmação dele para que não haja dúvidas, incluam também os preços e o tempo de entrega.
  • Vocês podem não precisar do que vão fazer mas façam o que cliente pediu apenas, mas com muito boa qualidade, eu sei que parece uma contradição ao que disse antes, alias é apenas parecença pq nunca disse para cortar na qualidade atenção, mas menos é mais e só pediram N funcionalidades não façam N+ M para impressionar, façam N exactamente com muito boa qualidade, assim a vossa imagem vai ser de rectidão e qualidade, não há artifícios.
  • Dividam as fases de trabalho em porções de tempo limitadas e sempre da mesma duração, tipo uma semana, definam funcionalidades com o cliente para cada semana e reúnam-se com ele ou comuniquem com ele uma ou mais vezes durante cada fase.
  • Algumas destas noções vêm do Agile, que é uma forma de gerir projectos http://en.wikipedia....are_development não quer dizer que é o Santo Graal mas são um conjunto de noções que podem pôr em prática para simplificar um projecto.
  • Se tiverem um colega será melhor para realizar os projectos, é o chamado pair programming, não se esqueçam que duas cabeças pensam melhor que uma. http://en.wikipedia....air_programming e um puxa pelo outro, temos muito mais responsabilidade num dado projecto se outra pessoa também depender desse projecto.
  • Ultima, projectem o tempo de duração com uma muito boa margem de manobra, é melhor dizer que demoram 2 meses e acabam num mês e dizem que correu bem, e caso aconteça algum imprevisto têm espaço de manobra, no final mesmo que derrape um bocado vão ter sempre uma boa imagem pq entregaram a tempo e horas, isto é muito melhor do que dizerem que demora 2 semanas e demora um mês, tiveram uma boa impressão inicial pq deram um tempo de entrega muito bom, no entanto o cliente vai ficar com uma má imagem vossa, e atenção demoraram o mesmo tempo, é claro que isto para projectos taxados à hora é um bocado complicado, resulta melhor com trabalhos em empreitada, ou então à hora baixem a margem de manobra mas não ao ponto de não conseguirem reagir a um imprevisto.

E pronto penso que é tudo ...

Editado por undercover
0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não se esqueçam que tem que ter qualidade e que a solução tem que ser mantida.

Não sei se estão famialiarizados com o conceito de dívida técnológica (technical debt: https://en.wikipedia.org/wiki/Technical_debt), mas a minha experiência como consultor e como programador diz-me que é um problema sério e muito comum.

Não façam mau código, não façam código que não escale, excepto se for uma necessidade técnica inerente a um requisito técnico, ou a um requisito funcional.

o OOP deve estar sempre presente

Não, não deve!

O(s) paradigmas de programação a utilizar devem ser os que se adequarem mais à solução e às tecnologias a utilizar. É frequente que o OOP seja útil (eu uso-a bastante), mas não quer dizer que seja sempre útil, ou que seja sempre a melhor solução.

Convém não esquecer que existem outros paradigmas como por exemplo a programação funcional, que podem ser utilizados em combinação, ou como alternativa (dependendo do que se pretende).

Por exemplo quando estamos a automatizar tarefas sequênciais, em que o código consegue configurar todo o procedimento automáticamente (ou seja, a API pode ser muito limitada) e em que cada passo é bastante auto-contido, então, nem sempre o OOP é relevante. Podemos mais facil e rapidamente utilizar programação funcional para permitir a re-utilização... Claro que a OOP aqui também pode ser utilizada, mas não quer dizer que vá ser particularmente útil/produtiva em relação a outras metodologias.

Note-se que não estou a dizer para não usarem OOP, ou a defender que a programação funcional é que a solução para todos os males do mundo. Longe disso, apenas que devemos procurar utilizar as metodologias mais adequadas e a nossa escolha de ferramentas deve reflectir isso.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Boas pessoal,

eu estou a tratar de desenvolver um site para um stand de automóveis. Sou programador e estou a pensar usar MVC3 ou MonoRail com base de dados..

Eu na minha empresa apenas me limito a programar, não estou por dentro de preços.

Gostaria que me dessem umas ideias mais ou menos de preços que acham que o site pode valer.

Quero comprar um carro e obter um desconto no preço com a criação do site.

Cumps,

legd1991

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

eu estou a tratar de desenvolver um site para um stand de automóveis. Sou programador e estou a pensar usar MVC3 ou MonoRail com base de dados..

Eu na minha empresa apenas me limito a programar, não estou por dentro de preços.

Gostaria que me dessem umas ideias mais ou menos de preços que acham que o site pode valer.

É muito complicado alguém de fora indicar-te um valor, pois cada caso é um caso. Pensa em quanto é que ganhas por hora, e em quanto tempo vais despender na construção do website.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora