• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

Platonic

Encriptar HTML, será possivel?

32 mensagens neste tópico

Ola pessoal, antes de mais queria dizer que o forum é o melhor que alguma vÊs vi sobre programação, eu sou novato nestas andanças, ainda estou apenas a aprender no HTML, eu queria saber se é possivel encriptar o HTML, ouvi dizer que sim, a partir de programas, se é possivel por favor digam-me qual o programa e como o usar que eu estou desesperado  :wallbash:

Para criar topicos eu sei que é preciso ter um certo numero de posts, mas eu sou muito novato e responder a duvidas etc, não ia valer a pena, já que sou mesmo um novato...

Cumps...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Podes encriptar HTML como podes encriptar qualquer outro ficheiro de texto.

Mas crio que o que queres fazer é impedir que alguém veja o teu código HTML, se é isso que pretendes esquece pois tal não é possível, nem vale a pena perderes tempo com isso.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Encriptar o HTML é um impossível, uma vez que o browser do cliente, tem que o ler a o código fonte.

Contudo existem técnicas para dificultar a leitura do do próprio código em sí aos humanos, sendo assim faz uma rápida pesquisa pelo google por "html obfuscator".

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Penso que não perceberam, ou eu não me expliquei, o que pretendo é fazer login em html, e eu queria saber se isso é possivel...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Penso que não perceberam, ou eu não me expliquei, o que pretendo é fazer login em html, e eu queria saber se isso é possivel...

Fazer login em HTML???

Realmente não te explicaste bem e continuas a não fazê-lo...

Em HTML especificas o layou, isto é, o aspecto da página, não especificas nenhum login.

O login não é algo que se faz num sistema e não numa linguagem ou em HTML (o HTML não é uma linguagem de programação).

O que podes fazer em HTML é desenhar o formulário de login, mas isso nada mais faz do que mostrar ao utilizador os campos de texto para ele colocar o username, a password e os botões tipo OK...

Talvez o melhor seja explicares o que pretendes fazer a ver se percebemos para te poder ajudar.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Penso que já estou a perceber, fazer o formulário etc eu sei fazer, eu queria mesmo é que todos os useres podessem ter uma conta no meu site, e isso não é possivel com o HTMl não é?

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Para isso tens de usar uma linguagem de scripting como o PHP.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Ois

Tb o pode fazer usando javascript.

Quando o user se regista escreve o nick e a pass num ficheiro depois eh so ler de la,

mas isto nao eh nada seguro.

Aconselhava mm era a usar PHP e SQL.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Já começo a perceber o que pretendes fazer.

O melhor que tens a fazer é aprender uma linguagem tipo PHP, ASPX ou semelhante (embora não seja apologista da filosofia destas linguagens, mas isso é outra história) e aprenderes a trabalhar com bases de dados.

E por "aprender a trabalhar com bases de dados" não quero dizer criar tabelas e faszer queries em MySQL mas sim aprender o modelo relacional e SQL, que te dá bases para trabalhares em qualquer base de dados relacional.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

... (embora não seja apologista da filosofia destas linguagens, mas isso é outra história) ...

Só por curiosidade M6. Quando dizes que não és apologista da filosofia destas linguagens referes-te a quê em concreto. Qual preferes ou utilizas. (Newbie asking... be gentle... :P )

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

È possivel encrepitar o html e o browser conseguir interpretálo, clarop que não é uma encrepitação mesmo impercéptivel, mas...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

... (embora não seja apologista da filosofia destas linguagens, mas isso é outra história) ...

Só por curiosidade M6. Quando dizes que não és apologista da filosofia destas linguagens referes-te a quê em concreto. Qual preferes ou utilizas. (Newbie asking... be gentle... :P )

Refiro-me à "porcaria" que o PHP/ASP e afins permitem... À semelhança do VB, estas linguagens são demasiado "libertinas", permitindo que quem não tenha bases de programação "martele" umas linhas de código que até fazem o que é esperado, mas de uma forma totalmente errada, sem método, resultando normalmente num "belíssimo molho de bróculos" que ninguém consegue "digerir" quando uma aplicação necessita de ser revista por causa de um bug ou de uma evolução.

Um exemplo concreto no PHP/ASP: é possível (e isto é o que eu tenho observado que é a prática comum) misturar a camada de apresentação, com o acesso aos dados, as regras de negócio e a funcionalidade da aplicação, tudo numa "linda" página de código... Outra coisa que costuma ser "insentivada" por estas linguagens é a utilização de variáveis globais, o não uso de funções e refactoring então é algo de que nunca se ouviu falar...

Enfim, há um conjunto bastante grande de "erros de design" das próprias linguagens que fazem com que a filosofia das mesmas não sejam do meu agrado...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não quero que entendas este meu post como sendo a favor ou contra, pois utilizo PHP não há muito tempo daí não ser tendencioso...

Mas, é no entanto possível, utilizar estas linguagens e programar de forma correcta, ou não? Podemos utilizar o include() ou require(), podendo desta forma ter uma página onde estão as funções de apresentação e outra com funções de acesso a dados e por aí adiante... Quanto às variáveis globais, e lembra-te que sou apenas um newbie no que diz respeito a estas coisa, mas as únicas variáveis "globais" que utilizo, são as variáveis de sessão. Variáveis essas que são necessárias para determinados fins.

Quanto à pergunta de qual linguagem scriptong server side que utilizas, devo concluir pelo teu post não não utilizas nenhuma dada a tua grande aversão à sua filosofia, ou por vezes rendes-te a alguma? Suponho portanto que também não sejas muito adepto do PERL, dada a anarquia que é programar em PERL...?

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Refiro-me à "porcaria" que o PHP/ASP e afins permitem... À semelhança do VB, estas linguagens são demasiado "libertinas", permitindo que quem não tenha bases de programação "martele" umas linhas de código que até fazem o que é esperado, mas de uma forma totalmente errada, sem método, resultando normalmente num "belíssimo molho de bróculos" que ninguém consegue "digerir" quando uma aplicação necessita de ser revista por causa de um bug ou de uma evolução.

Um exemplo concreto no PHP/ASP: é possível (e isto é o que eu tenho observado que é a prática comum) misturar a camada de apresentação, com o acesso aos dados, as regras de negócio e a funcionalidade da aplicação, tudo numa "linda" página de código... Outra coisa que costuma ser "insentivada" por estas linguagens é a utilização de variáveis globais, o não uso de funções e refactoring então é algo de que nunca se ouviu falar...

Enfim, há um conjunto bastante grande de "erros de design" das próprias linguagens que fazem com que a filosofia das mesmas não sejam do meu agrado...

enfim... és um l33t do cacete também... porcaria pode-se fazer em qq linguagem, é como tudo na vida... e se há quem martele no php sem ter bases de programação é devido à popularidade do mesmo e não por causa da linguagem em si.

E no php as variáveis globais servem para não termos de habilitar o register_globals e evitar o tal "belíssimo molho de bróculos"-

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Bem, vou mas é aprender PHP para vêr se consigo fazer um sistema de login, eu não quero fazer apenas as barras etc, quero mesmo que se faça o login, por exemplo, no forum tenm que se ter uma conta para postar, é isso que eu quero, mas num site, e com essa conta  os utilizadores tinham tipos de extras,  vou é aprender PHP...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Usa a página de pesquisa do fórum e encontras alguns exemplos de scripts de login. Depois é questão de leres os ditos tópicos e ver se te podem esclarecer de como funciona o script. Se não esclarecer pergunta.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não quero que entendas este meu post como sendo a favor ou contra, pois utilizo PHP não há muito tempo daí não ser tendencioso...

Também uso PHP, mais por não ter outras hipóteses (CGIs sairam de moda e mal por mal perfiro fazer hosting em máquinas Linux com PHP e MySQL ) do que por ser bom...

Mas, é no entanto possível, utilizar estas linguagens e programar de forma correcta, ou não? Podemos utilizar o include() ou require(), podendo desta forma ter uma página onde estão as funções de apresentação e outra com funções de acesso a dados e por aí adiante... Quanto às variáveis globais, e lembra-te que sou apenas um newbie no que diz respeito a estas coisa, mas as únicas variáveis "globais" que utilizo, são as variáveis de sessão. Variáveis essas que são necessárias para determinados fins.

Sim, tudo o que dizes é correcto. É possível usar as coisas de forma (mais ou menos) correcta, mas como referi acima, dadas as caracteristicas dessas linguagens, a verdade é que são raros, raríssimos mesmo, os casos em que isso acontece.

Quanto à pergunta de qual linguagem scriptong server side que utilizas, devo concluir pelo teu post não não utilizas nenhuma dada a tua grande aversão à sua filosofia, ou por vezes rendes-te a alguma? Suponho portanto que também não sejas muito adepto do PERL, dada a anarquia que é programar em PERL...?

PERL só mesmo se tiver de ser, caso contrário a minha escolha recai no Python (há uns anos usava TCL). Quando são scripts simples, bash, awk, sed e afins costumam servir perfeitamente... :P

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Refiro-me à "porcaria" que o PHP/ASP e afins permitem... À semelhança do VB, estas linguagens são demasiado "libertinas", permitindo que quem não tenha bases de programação "martele" umas linhas de código que até fazem o que é esperado, mas de uma forma totalmente errada, sem método, resultando normalmente num "belíssimo molho de bróculos" que ninguém consegue "digerir" quando uma aplicação necessita de ser revista por causa de um bug ou de uma evolução.

Um exemplo concreto no PHP/ASP: é possível (e isto é o que eu tenho observado que é a prática comum) misturar a camada de apresentação, com o acesso aos dados, as regras de negócio e a funcionalidade da aplicação, tudo numa "linda" página de código... Outra coisa que costuma ser "insentivada" por estas linguagens é a utilização de variáveis globais, o não uso de funções e refactoring então é algo de que nunca se ouviu falar...

Enfim, há um conjunto bastante grande de "erros de design" das próprias linguagens que fazem com que a filosofia das mesmas não sejam do meu agrado...

enfim... és um l33t do cacete também... porcaria pode-se fazer em qq linguagem, é como tudo na vida...

É um facto. Mas tal não elimina a realidade das coisas: linguagens como PHP e o VB dão (muita) corda para um tipo se enforcar, ao contrário de outras linguagens cuja filosofia impõe um método e uma ordem para fazer as coisas, impedindo muitos erros por parte de quem desenvolve.

e se há quem martele no php sem ter bases de programação é devido à popularidade do mesmo e não por causa da linguagem em si.

Quase que tens razão: só que a popularidade do PHP é a mesma do VB e advém do facto de que qualquer um pode martelar umas linhas de código sem saber programar, ou seja, a popularidade vem exactamente do facto da linguagem ser muito permissiva.

E no php as variáveis globais servem para não termos de habilitar o register_globals e evitar o tal "belíssimo molho de bróculos"-

:P:) :) As variáveis globais em qualquer linguagem de programação não servem para nada, a não para mostrar que quem escreveu o código não sabe, efectivamente, programar. Só em casos muito, mas mesmo muito, particulares é que uma variável global pode ser admitida.

As variáveis globais são um dos mecanismos que mais corda disponibilizam para um tipo se enforcar e são uma das fontes de bugs que pode ser facilmente eliminada. Mas... e há sempre um mas nestas coisas, este é exactamente um excelente exemplo do mau uso que se dá ao PHP e ao VB, só que é do agrado dos seus utilizadores e é isso que faz o sucesso dessas linguagens.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

?? deves estar a brincar de certeza... epa vai mas é saber o que são register_globals primeiro-> http://pt.php.net/register_globals

Sei bem o que faz o register_globals e sei bem o porquê de passarem de on para off:

"When on, people use variables yet really don't know for sure where they come from and can only assume. Internal variables that are defined in the script itself get mixed up with request data sent by users and disabling register_globals changes this."

As variáveis globais tem a ver com a forma que o PHP tem de passar valores entre páginas do lado do servidor e sim, é uma treta tão grande quanto o register_globals: grosso modo, apenas deram um nome diferente para o mesmo problema.

A definição de variável global implica que a mesma está acessível em qualquer parte do programa, o que, só por si, é péssimo. Isto tem uma razão de ser, é que esse tipo de mecanismo aumenta a complexidade de uma aplicação e trás, por arrasto, um conjunto de problemas.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Man, estás a confundir o register_globals com variáveis gloabais (aka superglobals).

O registar_globals é que faz isso que estás a atribuír ás superglobals. O register_globals é que faz com que o valor de uma variável seja carregada pelo script inteiro, o que pode maximizar a probabilidade de bugs e falhas de segurança. As superglobals são variáveis, que embora o valor da mesma seja defenido pelo utilizador/programador, o seu propósito/destino só pode ser aquele para a que a superglobal foi destinada pelo php.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Man, estás a confundir o register_globals com variáveis gloabais (aka superglobals).

O registar_globals é que faz isso que estás a atribuír ás superglobals. O register_globals é que faz com que o valor de uma variável seja carregada pelo script inteiro, o que pode maximizar a probabilidade de bugs e falhas de segurança. As superglobals são variáveis, que embora o valor da mesma seja defenido pelo utilizador/programador, o seu propósito/destino só pode ser aquele para a que a superglobal foi destinada pelo php.

Não há confusão nenhuma, nem sequer falei nas superglobals.

O que eu disse, e reafirmo, é que substituir um mecanismo de acesso/gestão de variáveis globais por qualquer outro a única coisa que muda é o nome, pois o uso das variáveis globais continua lá.

Volto a reafimar que: "a definição de variável global implica que a mesma está acessível em qualquer parte do programa, o que, só por si, é péssimo. Isto tem uma razão de ser, é que esse tipo de mecanismo aumenta a complexidade de uma aplicação e trás, por arrasto, um conjunto de problemas."

Isto nada tem a ver com nenhum mecanismo em particular mas sim com uma característica intrinseca das variáveis globais.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora