• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

Quadrado

Indecisão

41 mensagens neste tópico

O problema é o seguinte pessoal decidi colocar um post, pk tipo das coisas que eu mais gosto de fazer na vida é estudar, mas mesmo, eu adoro informática e tenho o 12 ano e um curso de informática de gestão , mas alem disto eu considero que ja tenho muitos mais cursos, eu todos os cursos e workshops que apanho faço, e sozinho estudo de td, a minha vida é a tecnologia, mas agora ando a trabalhar para ter guito para entrar para a uni. Mas eu a universidade sei que aprendemos muita coisa mas a meu ver aquilo não passa de um titulo, e cada vez estamos mais limitados não pelo que sabemos, mas pelos títulos estamos a viver num tempo em que não interessa o que sabemos mas o escalão social.lololololololol e eu e mais um grupo de amigos daqueles que as pessoas consideram os crominhos que adoram estudar, que adoram programação, jogos bd entre outras coisas, estamos indecisos se a melhor opção seria entrar ja como quem diz, para a uni, visto que tamos interessados em fazer cet tambem, e ja falamos e tipo existe aquele chamado opção da meta dos 23 que tipo tiramos este tempo vamos estudando como é claro mas tipo vamos trabalhar organizar a vida e entramos depois para a uni por volta dos 23 anos...

Pronunciem-se a este respeito, agradeço....

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Fazendo de advogado do Diabo, mesmo que a univ te dê apenas um título (o que não é verdade) esse titulo coloca-te a par de todos os outros que também têm titulo e dá-te uma vantagem sobre os que não têm.

Posto isto, à questão "de que lado do título queres estar" só há uma resposta: se te dá vantagem, é mais do que óbvio que deves fazer uso dessa vantagem.

No entanto a univ não te dá só o título, aprendes imenso de forma rápida. Tudo o que se ensina na univ podes aprender sozinho sem andar na univ. O problema é que a menos que sejas um Einstein, vais demorar consideravelmente muito mais tempo a assimilar tudo aquilo do que os 3 anos que passas lá (Bolonha).

Se gostas mesmo de estudar e fazer investigação, então esse é mesmo o ambiente propicio para ti. Muito dificilmente encontras outro local tão propicio onde possas estudar como na univ. A generalidade das empresas não investe em investigação, no máximo dão-te um ou dois cursos por ano (com muita sorte) sobre assuntos que lhes interessam e que podem não ser do teu interesse.

Isto acontece porque os objectivos das univs e das empresas são distintos.

Por fim, conheço muito poucos casos (na verdade apenas um) de alguém que interrompeu os estudos entre o secundário e a univ, trabalhando durante esse tempo (um ou dois anos, não me recordo bem).

As estatísticas provam-te que uma vez deixando os estudos tal acontece para sempre. Com raras excepções como seja o caso de alguém que passados uns anos volta à univ para fazer um mestrado ou um doutoramento.

Tendo hipóteses de ingressar na univ, eu (e este é o meu caso pessoal) não hesitaria, nem sequer colocaria a hipótese de adiar a coisa. Toda a minha experiência no mercado de trabalho me mostrou que os meus estudos são mais um factor diferenciador e de escolha em relação a outros.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

agradeço o teu concelho ;) eu estou inclinado a entrar ja para o ano que vem. Mas queria saber a opinião do pessoal. :)

isso que disseste é bem verdade, obrigado pois assim ja tenho outra opinião alem da minha e do pessoal que esta na mesma situação que a minha. :ipool:

Quantos mais derem opinião melhor.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Quadrado, lembra-te de um coisa: a decisão final será sempre tua, por isso, independentemente das opiniões, deves decidir em consciência.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

sou profissional de informática desde 1994... já tinha feitos uns trabalhos pelaporta do cavalo antes, mas oficialmente desde essa data

segundo o que perguntas acho importante deixar o meu testemunho... tive a mesma questão que tu, mas noutra altura... acabei o 12º e estava tão desiludido com a escola e tão motivado com os trabalhos "por fora" que fazia que verifiqei que o estudo da escola e a realidada nada tinham a ver

e a escolha faz-nos perder tempo demais com coisas qeu para mim nao interessam e nunca senti falta delas... como viram pelos varios temas que abordo gosto mesm MT de estudar e plo que percebi és deste tipo

a isso chama-se auto-didacta... pessoas qeu não precisam de ajuda para estudar.. conseguem por eles encontrar o material de estudo e entendelo

5 anos para se aprender o que eu vejo saberem os estagiarios... nem comento.. será que vale a pena? será que traçarmos um caminho de estudo e aprofunda-lo, mesmo com mt teoria que é necessária claro... mas um caminho especifico para um objectivo e não ter de se levar com programas criados por pessoas, muitas vezes sem qualquer experiencia profissional

hoje o conhecimento está ai e eu acredito no modelo "on demand".. isto é.. .não vale a pena encher-se a cabeça com montes de coisas para a eventualidade de um dia se precisar.. pelo que me diz que vai à univ, no trabalho apenas usam uma pequena parte de tudo o que estudaram

isso para mim é perca de tempo... a forma como as unives funcam, o poder dos professores, a sorte ou azar de se ter bom ou mau professor, etc

eu não fui à univ e é curioso como este sistema funciona, que quando era arquitecto numa multinacional foi me "permitido" tirar uma pós-graduação (o meu director e o director da emprsa cliente do projecto eram assim algo de poderosos e num apice apareci inscrito, apesar de não poder "sim... inconscientemente já fiz o que tanto critico, mas no momento não vi as coisas dessa forma e apenas estava a fazer algo exigido por um cliente de um grande projecto"... isto mostra realmente o significado das coisas... e um papel é sempre um papel, sempre susceptivel de ser manipulado... mas não é essa questão

mas para nao prelongar e ir ao concreto digo-te apenas assim:

nunca tive qualquer "porta fechada" por não ter curso superior e sempre vi (nas entrevistas é onde podemos ver isto melhor) que a maior valorização é a tua experiencia profissional e os teus conhecimentos

acho que o tempo que perdes na univ pode aproveitar para ter experiencias profissionais pro curriculo... qd os da tua idade estao a sair da univ como estagiarios já tu és experiente e com curriculo (Aconteceu-me isto)

não é exibicionismo mas o resultado da minha paixão pelas TI levou-me a ter um curriculo com experiencias profissionais que vão desde, já ter tido uma pequena empresa minha nos meus 18 anitos, passando por médias empresas, grandes, multinacionais gigantes, software houses de gama alta até grandes bancos internacionais... nunca ninguem sequer falou no facto de só ter o 12º ano... não mentiria neste assunto. senão fosse assim neste momento estava calado. porque o faria? não sou psicopata, apenas é esta a realidade... todo o mundo têm cursos mas nem todos têm grandes conhecimentos técnicos... é aqui que se faz a diferença

e cada vez mais isto é verdade, contrariamente ao que alguns pensam... porque hoje quase toda a gente tira um curso e não é tão dificil que seja uma garantia de conhecimentos... a forma como a univ funca permite que se tire cursos sem se dominar a area... desde o metodo de decorar para o teste, ser-se pendura nos trabalhos de grupo até "aliciar" professores para melhores notas

numa curte que tive com uma miuda esta disse-me que dormiu com um prof para ter um 10... falou de uma maneira que parece isso acontecer com alguma frequencia

o que eu digo aos meus amigos é:

-especializem-se em areas fortes... 1º escolher o que se quer ser (admin de sistemas? programador? progamador de sites? este tipo de questões)... aprofunda-te a serio nessa area e tornate um factor de diferenciação e mostra isso numa entrevista

até nos anuncios de emprego em que pedem mesmo "licenciatura informática" aceitam quem não têm...falo por experiencia propria ou nunca tinha o curriculo e percurso que tenho

é apenas a minha humilde opinião... a decisão, claro é tua e dependerá de factores individuais da tua personalidade

teckV

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Estou neste momento a tirar esse curso :)

A minha prof de linguagens, diz que com os conhecimentos com que nós concluímos o curso, podemos quase fazer da universidade um part-time :D

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

A minha prof de linguagens, diz que com os conhecimentos com que nós concluímos o curso, podemos quase fazer da universidade um part-time :)

Não sei se rir se chorar lol
0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
A minha prof de linguagens, diz que com os conhecimentos com que nós concluímos o curso, podemos quase fazer da universidade um part-time

queres dizer o que com isso? não entendi...

da minha experiencia profissional verifico que saber da linguagem é um factor minimo num projecto de desenvolvimento. isso qualquer um aprende e não precisa ir a uma univ com tanto recurso de estudo acessivel... agora, usar essa linguagem no mundo real, com as situações e constragimentos reais, o afactor "pouco tempo" que não permite se seguir os modelos e best-pratices adquiridas nas univs, os low budgets, a concorrencia sem qualidade técnica, a pressão em fazer mt em pouco tempo preferindo o muito mal feito ao pouco bem feito... lidar-se com equipes já criadas nada receptivas à pica e novas ideias dos recem formados... etc, etc

saber-se usar essa linguagem e arquitecura neste contexto da realidade empresarial... isso sim é importante

nada melhor que se estudar com um road-map proprio, de preferencia aconselhado com alguem com experiencia profissional e começar a bulir para se ter curriculo

curriculo hoje é um segundo BI e o mais importante para o mercado de trabalho

e noutro contexto, mas não resiti de brincar um pouco (apesar de o assunto da formação ser sério)

Acabei de confirmar no site e está lá, no site institucional do BCP.  Vejam bem os anos de licenciatura e de pós-graduação!!!!!  : 

Armando António Martins Vara 

Dados pessoais:   

Data de nascimento: 27 de Março de 1954   

Naturalidade: Vinhais - Bragança   

Nacionalidade: Portuguesa   

Cargo: Vice-Presidente do Conselho de Administração Executivo   

Início de Funções: 16 de Janeiro de 2008   

Mandato em Curso: 2008/2010   

Formação e experiência Académica   

Formação: 2005 - Licenciatura em Relações Internacionais (UNI)

                  2004 - Pós-Graduação em Gestão Empresarial (ISCTE)

num pais onde se tiram mestrados antes de licencianturas, há quem tire mestrado sem ser licenciado, há quem seja engenheiro com diploma sem ter "concluido" o curso :smoke: h3h3h3h3h pra que serve um diploma?

teckV

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

A vida é feita de oportunidades. Aparecem e nunca mais as vão ter, ou arriscam e agarram e lutam ou jogam pelo seguro. Depois da decisão tem 2 lados: ou arrependem-se por arriscar ou por não ter arriscado, ou então agiram no momento certo. Isto depende da perspectiva e ideias de cada um. Mas nunca se esqueçam: esse passo foi apenas (mais) uma etapa. Mas nunca se esquecem, o nosso caminho/percurso somos nós que o traçamos....

Boa Sorte! Pois é preciso muita.

A minha prof de linguagens, diz que com os conhecimentos com que nós concluímos o curso, podemos quase fazer da universidade um part-time :)

Não vás pelo que diz a tua Professora, pois ela não sabe nada. Mais de 90% dos Professores de Informática que apanhei nenhum deles faz sequer ideia do Mercado de Trabalho das TI's. Pois eles são Professores, não trabalham no mundo das TI's.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Estou neste momento a tirar esse curso :)

A minha prof de linguagens, diz que com os conhecimentos com que nós concluímos o curso, podemos quase fazer da universidade um part-time :D

Não levas a mal, mas há várias pessoas que vieram de tecnológicos aqui na feup e vários até parece que vieram do cientifico (ie, programação = 0). Claro que há excepções, mas aprender bases de C, C++, Vb e talvez algo mais não me parece que te deixe muito preparado para o futuro.

Mas isto é a minha opinião que ainda estou no 1º ano.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Estou no 1 ano do curso, e em 1 mês demos as algoritmia e os conceitos, agora basicamente já programamos aplicações completas! E não sei se sabes, mas nem todas as escolas são iguais :)

E depois existem 2 tipos de pessoas: quem quer aprender e quem quer ter o 12º.

Damos c++, pascal, vb.net e talvez php e java.

E o curso não é apenas de informática. Gestão aplicada ás ciências sociais e gestão empresarial.

Logo temos pelo menos duas saídas profissionais, o que é bom para quem não deseja prosseguir estudos.

Não sei o que pensam, mas também não faço ideias de me chatear porque este tipo de conversas não levam a conclusão nenhuma. Apenas são boas para ajudar a refletir e aprender sobre o mundo profissional, mas também não devemos falar sobre o que não sabemos :D

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

num pais onde se tiram mestrados antes de licencianturas, há quem tire mestrado sem ser licenciado, há quem seja engenheiro com diploma sem ter "concluido" o curso :smoke: h3h3h3h3h pra que serve um diploma?

Se queres tirar o curso para ficar com um diploma, realmente não serve de nada o curso.

Agora, não conheço um único licenciado (mas licenciado a sério e não essas coisas que aparecem) que diga que o 12º e ir trabalhar chega.

Quem não andou na universidade não faz a mínima ideia do que se aprende lá dentro, e depois tem o fraco hábito de comparar bons profissionais com licenciados medíocres.

A mesma pessoa, um excelente aluno, com espírito de iniciativa, tudo o que quiserem, entre acabar o 12º e ficar 5 anos a trabalhar ou ir para a faculdade aprender a sério durante 5 anos.. a sério, até acho injusto comparar.

Agora, se o que pretendem é comparar aquele estudante universitário que falta a metade das aulas porque está cansado da noite anterior, e copia os trabalhos pelos colegas, com quem acabou o 12º e foi trabalhar no duro, chegar a casa e estudar.. parece-me pouco honesto.

Já agora, entrei na universidade vindo de um curso tecnológico, dos melhores do país.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

quanto aos cursos tecnológicos, eu conheço alguns e até vim de um curso profissional. Os que conheço, mal te preparam na matemática, quando mais a nível de programação. De todos os que tão aqui, o único com o qual eu concordo verdadeiramente é o M6.

Tu consegues aprender sozinho o mesmo que dão nas faculdades, só precisas é de pôr de parte a tua vida social durante uns tempos, a menos que sejam um Einstein.

Não concordo mais uma vez com o herakty, tudo vai da pessoa, qualquer um consegue tirar um mestrado e até com um pouco de marranço tirar uma boa média. Mas na faculdade acabas sempre por desenvolver o teu espírito de trabalho e desenrascanço.

E Warrior, eu conheço muitos bons profissionais, licenciados que dizem exactamente o contrário do que tu dizes.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Boa noite.

Se o seu foco é o mercado profissional, independente de universidade, que acho bom, deverias penser em tirar CERTIFICAÇÕES.

Como fator para empregabilidade são muito importantes.

Abraços

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Estou no 1 ano do curso, e em 1 mês demos as algoritmia e os conceitos, agora basicamente já programamos aplicações completas! E não sei se sabes, mas nem todas as escolas são iguais :)

E depois existem 2 tipos de pessoas: quem quer aprender e quem quer ter o 12º.

Damos c++, pascal, vb.net e talvez php e java.

E o curso não é apenas de informática. Gestão aplicada ás ciências sociais e gestão empresarial.

Logo temos pelo menos duas saídas profissionais, o que é bom para quem não deseja prosseguir estudos.

Não sei o que pensam, mas também não faço ideias de me chatear porque este tipo de conversas não levam a conclusão nenhuma. Apenas são boas para ajudar a refletir e aprender sobre o mundo profissional, mas também não devemos falar sobre o que não sabemos :D

Eu digo-te, desde já, que se fores com esse tipo de mentalidade para a universidade, não vais a lado nenhum.

Ainda me lembro de quando fiz o primeiro ano da licenciatura (Engenharia Informática). Era só gente a achar que por ter tirado X curso profissional ou tecnológico podia lá estar a descontrair. Chegava ao ponto de ignorarem por completo os trabalhos que deviam fazer nas aulas.

Resultado: Chumbaram a grande parte das cadeiras porque as bases que achavam que tinham, não tinham.

Admito que o 1º ano é bastante fácil até e grande parte da dificuldade que possa existir vem das cadeiras de matemática (que mesmo assim não são nada por aí além), mas daí para a frente começas a aprender muitas coisas novas.

Posso estar a falar sem saber, mas overall esse tipo de mentalidade é errada e a tua professora está a falar do que não sabe.

On-Topic: É sempre vantajoso tirares um curso superior, simplesmente porque hoje em dia é essencial para arranjares um bom emprego.

É pena é que a maior parte dos que saem de lá, só fizeram o curso por causa do canudo e não porque queriam aprender..

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

certificações tou mesmo a pensar tirar, mas vi agora umas especialização muito fixes tipo uma pessoa especializa-se naquilo

depois mesmo que queira fazer a uni ou não é com ela mas ali, pronto fica especializado na área não vai dar matéria desnecessária, e uma pessoa pode fazer as que quiser, desde que tenha guito lolololol :biggrin:, mas depois pode na mesma fazer a uni sem problemas nenhum. Um exemplo disso é a http://www.lxschool.pt/

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Vou deixar aqui mais 15 cêntimos (5 por cada opinião :)):

Desenganem-se se pensam que na unvi vos vão ensinar a programar ou a mexer numa linguagem de programação.

O que as univs têm a oferecer vai muito além disso.

O que se ensina é a compreender um determinado paradigma e a fazer bom uso dele. Tudo, claro, assente em bases teóricas sólidas.

Outra coisa que a univ ensina é a pensar usando vários métodos. Por exemplo, o que se aprende em lógica de primeira ordem é distinto do que se aprende em IA, mas ambos os conhecimentos são valiosos.

Outro ensinamento das univs é mostrar como usar conhecimentos de várias áreas e combiná-los de forma correcta para obter bons resultados. Tipicamente isto só se torna visível nos últimos anos ou em pós-graduações, onde os desafios são maiores e os alunos são obrigados a fazer investigação para os seus trabalhos.

Quanto às certificações, bem o que é uma licenciatura ou uma pós-graduação senão uma certificação de que uma pessoa tem um conjunto abrangente de conhecimentos? Dependendo da nota, esses conhecimentos são ainda catalogados de "mínimos" (nota 10) a excelentes (nota 20).

Quanto às outras certificações, da minha experiência profissional, as mesmas costumam apenas ser valorizadas em alguns nichos. Por exemplo, há uma enorme diferença entre um tipo dizer que é DBA de Oracle e um que tem uma certificação de DBA pela Oracle. No entanto, o mercado já não liga tanto quando a tecnologia é Java ou .Net.

Por fim uma última palavra quanto à formação no geral. Creio que é pacifico que a mesma é sempre uma mais valia profissional. Ao longo da vida profissional, tudo isto vai-se diluindo e tornando menos importante.

Por exemplo, alguém que tenha saído da univ à 10 anos e tenha começado logo a trabalhar, ou seja tem 10 anos de experiência, e alguém que não andou na univ e tem os mesmos 10 anos de experiência, neste caso os percursos profissionais ganham muito mais relevância do que os percursos académicos (mas atenção, não se iludam porque a sua importância não desaparece totalmente).

Por outro lado alguém que se mantenha actual e que, por exemplo, 10 anos depois de começar a trabalhar faça uma pós-graduação, seja tecnológica ou de gestão, volta a ganhar uma vantagem competitiva em relação aos seus pares.

A mensagem que quero deixar aqui é que a formação é importante, se bem que há formações mais relevantes que outras.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Eu acho que não só para mim mas para aqueles que podem ler este tópico estão a aprender muito... :)

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

quem mostra conhecimentos técnicos nao precisa de cursos... há tantos casos... grande parte dos programadores nao são formados

eu apostava esses 5 anos em experiencia profissional e no dia em que poderias estar a sair do curso cmo estagiario, já eras programador sénior

o que acham ganhar mais? um estagiario ou um programador senior com 5 anos? e a diferença de ordenado é gigante, basta olhar para equipe onde estou...

mas quem quer fazer ouvidos de mercador...

teckV

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Eu contra mim falo.... Iniciei a univ, e deixei porque "ganhar cheta era mais interessante". Agora passados 9 anos estou a ponderar voltar à univ em nocturno. Nunca vi uma oportuniade ser fechada por falta do curso, mas reparei que cada vez mais se pede a formação superior. Para mim o ideal é conciliar as duas coisas, o ensino superior nocturno com o trabalho diurno. Concordo que uma pessoa se deve expecializar numa determinada area, porque ter conhecimentos de todas sem expecialzar em nenhuma, não serve de absolutamente nada! Népias, Nadinha.

Longe vão so tempos em que um gajo era respeitado por ser autodidacta, agora o respeito vem com os cursos. E sem curso.... As coisas complicam-se!

Na univ não se aprende a programar, aprendem-se conceitos, paradigmas, muita teoria, que deve ser conciliada com experiencia pratica, e alguma formação mais tecnica e menos teorica.

Ainda assim eu concordo que um curso superior tem as suas mais-valias associadas.

Cumprimentos

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Essa do ensino superior nocturno ja ouvi falar mas não sei bem como é. Tem diferenças do normal?

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Tirando ser à noite, e se estiveres a trabalhar, poderes pedir o estatuto de trabalhador-estudante, são a mesma coisa. Se quizeres poupar uns trocos e fores para o publico, e te achares com vocação para dispender algum do teu tempo em trabalho voluntário, alista-te numas das duas instituições nacionais que aceitam voluntários,e dão algumas beneces no que toca a proprinas no ensino superior publico. Assim "safas-te por 2 lados", a benece nas propinas e a facilidade no ingresso.

Mas oficialmente eu não posso dizer isto!  :smoke:

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

5 anos de experiência no inicio fazem imensa diferença, é verdade.

O que isso não invalida é o facto de que quem formação superior costuma apanhar os melhores lugares.

Não raras vezes esses 5 anos investidos numa formação fazem com que a ascensão na carreira seja muito mais rápida, ou seja, não é incomum que alguém com esses 5 anos a menos suba mais depressa na carreira. Conheço alguns casos desses relacionados com desistências a meio da licenciatura.

Há empresas no nosso mercado que não contratam não licenciados, e agora com o processo de Bolonha começam a exigir mestrado.

Pessoal e profissionalmente, a minha formação académica já me abriu portas que seriam muito difíceis de abrir e creio que numa ou noutra as portas talvez não se abrissem sequer.

Para mim é simplesmente estúpido não aproveitar uma oportunidade que nos dá credibilidade e nos permite distinguir dos restantes pares.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora