• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

Ridelight

Apple bloqueia Google Voice para o iPhone

45 mensagens neste tópico

Vários programadores disponibilizaram ferramentas usando o Google Voice na App Store. Estas aplicações estão a ser retiradas por «duplicarem funcionalidades».

 

Tal como os Blackberry e dispositivos Android, também o iPhone recebeu várias aplicações baseadas no Google Voice. A diferença é que a Apple está a retirá-las da loja online alegando haver uma duplicação de funcionalidades com o Dialer, SMS, e outras.

«Disseram-me que estava a remover o GV Mobile da App Store, por estar a duplicar funcionalidades que o iPhone já tem», disse Sean Kovacs, o programador da aplicação GV Mobile, citado pela Pocket Lint.

Há rumores que dizem que a Apple terá retirado as aplicações a pedido da operadora AT&T, com quem tem contratos nos EUA. Lembre-se que o Google Voice permite fazer chamadas entre dispositivos através da Internet.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Está a acontecer o que se temia: o ponto centralizado para distribuir apps para o iPhone, que é a Apple Store, e que foi responsável por grande parte do sucesso das Apps para iPhone, está agora a tornar-se uma idiotice!

Começou com as apps de conteúdo porno, que essa as pessoas ainda conseguiam compreender, e agora começam a tornar-se ditadorzinhos idiotas...

Com essa estupidez, se alguém conseguir dar a volta e tornar a Apple Store desnecessária acho que se ia observar uma mudança de atitude...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Isto e o que tem acontecido com os livros apagados nos kindle (quando tiver tempo falo sobre isso), são o tipo de coisas que acontecem quando damos o controlo dos nossos computadores (iphone é um computador) e dos mercados a uma entidade única que tem interesses comerciais.

A Apple utiliza legislação e licenças, para ter um monopólio e controlar todo os mercados relacionados com os seus produtos e serviços.

A Apple parece achar que o direito das pessoas escolherem é algo que não deve existir...

A Apple já tem um longo historial, de desrespeito pelos seus clientes e pelo mercado livre baseado no mérito. Está claramente a querer competir com outros neste campo e está a começar a ter bastante sucesso. O que me faz achar estranho como é que alguns ainda se orgulham de ser clientes desta empresa...

Eles até podem fazer produtos porreiros, mas este tipo de atitudes, faz perder todo o bom karma que poderiam ter com os seus produtos.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Exacto, essa cena idiota dos livros no Kindle é outra estupidez...

Apenas discordo contigo quando dizes que a "Apple parece achar que o direito das pessoas escolherem é algo que não deve existir...".

A escolha parte dos consumidores, e estes têm de estar cientes das regras do jogo, ou seja de compras o produto X que tem determinadas características e funcionalidades, sabes o que estás a comprar, ninguém te obriga a comprar Apple, a liberdade de escolha está ai.

O que é importante é que saibas o que estas a comprar, ou seja, que não haja cláusula em letras miudinhas escritas com sumo de limão.

Nota que não estou a defender a Apple, isto é válido para qualquer empresa e produto. Quando se escolhe algo há que saber o que estamos a comprar.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Calma lá, estão aqui a criticar a Apple por ter retirado o Google Voice...

A Apple tem contratos com várias empresas de telecomunicações (entre elas a AT&T). Não conheço o conteúdo desses contratos, mas presumo que essas empresas devem pagar bem (seja em dinheiro ou sob outra forma qualquer) para poderem comercializar o iPhone. Ora, a Apple não pode disponibilizar uma aplicação que vai contra os interesses dessas empresas, eliminando a fonte de receitas das mesmas (chamadas e SMS). Acho que faz todo o sentido.

Também não concordo com a Apple não deixar as pessoas escolherem... Afinal as pessoas só compram o iPhone se quiserem.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

É uma questão de perspectiva. Eu não acho que a liberdade das pessoas se deva esgotar a um acto.

Tecnicamente não se justifica este tipo de controlo sobre a liberdade das pessoas, e também acho que não é ética e moralmente correcto. É desnecessário e inaceitável!

Este tipo de controlo evita um mercado livre e baseado no mérito. O que mais tarde, ou mais cedo vai prejudicar toda a gente.

Se os contractos da Apple com os operadores, estão afectar a liberdade de escolha dos consumidores, então também eles são nesses termos inaceitáveis.

O mercado deve basear-se na escolha livre. E não na capacidade dos que oferecem produtos e serviços em retirar liberdade aos consumidores. E infelizmente este tipo de controlo que a Apple exerce provoca a segunda situação.

A Apple tem direito a ter lucro sim, mas não ao custo da liberdade de escolha dos consumidores. E ambas as coisas são compatíveis. É apenas uma questão de não colocar a ganância à frente de valores fundamentais para a vida em sociedade. Para ter lucro a Apple só tem que vender o que as pessoas estão dispostas/querem a comprar. Um bom exemplo disso é o sucesso da Apple Music Store. A maioria das pessoas estão dispostas a comprar produtos e serviços se estes forem oferecidos nas condições que fazem sentido para elas ao invés de se pensar apenas no que interessa financeiramente às empresas que querem vender. O pouco sucesso que a Apple tem tido é porque consegue fazer clientes satisfeitos com a qualidade dos produtos que fabrica, o que demonstra que este tipo de controlo é desnecessário para poder ter lucro.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

falco, assim que escolhe um telemóvel, ou smartphone neste caso, fazes uma escolha e tens de viver com ela.

E sim, a liberdade é restringida num acto mas ela não se esgota como afirmas.

Por exemplo, se necessitas do Skype, então não escolherás um Blackberry mas um iPhone ou algo que use Windows Mobile. Se necessitas de bluetooth tethering então não escolherás um iPhone mas sim algo que use Windows Mobile ou um Blackberry.

O acto da escolha de um produto destes implica restrições, mas não esgotam a liberdade de quem faz a escolha.

E já agora a Apple não tem pouco sucesso como dizes, bem antes pelo contrário.

Os teus comentários a favor da liberdade e contra qualquer coisa que mexa fora do open sourcen são sobejamente conhecidos aqui no fórum, mas não achas que podes, e deves, defender o que acreditas sem recorrer a mentiras?

Afirmares que a Apple tem pouco sucesso é, digamos de forma simpática, estar em fase de negação.

Afirmares que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade de escolha dos consumidores, é, digamos também de forma simpática, totalmente errado.

Desde que o Jobs voltou, globalmente a Apple soma sucessos, iPod, iPhone, Powebook, iMac, é só escolheres. Ah, e essa conversa da ganância, enfim... Só quem não percebe nada de economia e mercados abertos é que papa esse blá-blá-blá...

Escolher um Powerbook, que só assim por acaso até me permite correr imenso software livre, é limitar a escolha das pessoas? E será que quem compra Apple fê-lo de forma forçada? Será que não há imensas loja onde tenho imensos produtos concorrentes?

Se eu escolho um iPhone tenho, obviamente e como referi atrás, consequências sobre o acto da escolha.

Mas terei perdido a minha liberdade? É claro que não. Tenho é opções diferentes das que teria se tivesse feito outra opção.

Edit: bolas acho que rebentei com a média de typos num só post! :D

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Já dizia o senhor Ford "Podem escolher o carro da cor que quiserem. Desde que seja preto".

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Já dizia o senhor Ford "Podem escolher o carro da cor que quiserem. Desde que seja preto".

Eh pá, mas esse gajo sabia o que dizia, para mim os carros vêm em Preto e os Ferrari em vermelho! :)

Nunca comprei nenhum carro que não fosse preto! :)

Mas não tinhas de comprar um Ford, pois não? :D

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Isto e o que tem acontecido com os livros apagados nos kindle (quando tiver tempo falo sobre isso)

Quando tiveres um tempinho conta a história.
0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

falco, assim que escolhe um telemóvel, ou smartphone neste caso, fazes uma escolha e tens de viver com ela.

E sim, a liberdade é restringida num acto mas ela não se esgota como afirmas.

Com um iphone muita dela esgota. Porque a Apple controla muitos aspectos da utilização dele.

Por exemplo, se necessitas do Skype, então não escolherás um Blackberry mas um iPhone ou algo que use Windows Mobile. Se necessitas de bluetooth tethering então não escolherás um iPhone mas sim algo que use Windows Mobile ou um Blackberry.

O acto da escolha de um produto destes implica restrições, mas não esgotam a liberdade de quem faz a escolha.

Estas a comparar duas coisas diferentes.

Que eu saiba simplesmente não há skype para iphone.

Mas imagina que a skype cria um cliente para iphone e a Apple lembra-se de recusar que possas instalar e utilizar?

Estás a ver a diferença?

E já agora a Apple não tem pouco sucesso como dizes, bem antes pelo contrário.

Discutível mas irrelevante para o caso.

Os teus comentários a favor da liberdade e contra qualquer coisa que mexa fora do open sourcen

Eu não defendo o Open Source Software, faço sempre questão de falar de Software Livre.

são sobejamente conhecidos aqui no fórum, mas não achas que podes, e deves, defender o que acreditas sem recorrer a mentiras?

Não menti!

Afirmares que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade de escolha dos consumidores, é, digamos também de forma simpática, totalmente errado.

Não é errado! É verdadeiro!

A Apple restringe a liberdade dos utilizadores com a forma como licencia o seu software (que por exemplo obriga à compra de computadores Apple para poder usar o sistema operativo deles) e como tenta impedir a existência e utilização de software e serviços de terceiros compatíveis com o iTunes e Apple Music Store, anteriormente com a utilização de DRM nos ficheiros da Apple Music Store (felizmente corrigiu isso). Sem contar a quantidade de vezes que já levantou processos utilizando a DMCA contra projectos de Software Livre que usavam o Darwin e outros componentes Software Livre para criar sistemas operativos compatíveis com o OS X.

Se aqui alguém está em fase de negação és tu.

Desde que o Jobs voltou, globalmente a Apple soma sucessos, iPod, iPhone, Powebook, iMac, é só escolheres. Ah, e essa conversa da ganância, enfim...

É verdade que a Apple tomou um caminho muito mais bem sucedido com a liderança do Jobs. O que não implica que por vezes não se tenha excedido. E infelizmente ultimamente tem excedido bastante.

Só quem não percebe nada de economia e mercados abertos é que papa esse blá-blá-blá...

Mercados abertos baseados em impedir, ou pelo menos limitar a escolha dos clientes e em impedir a existência de produtos compatíveis, e serviços concorrentes baseados em plataformas compatíveis, devem ser mesmo abertos...

Escolher um Powerbook,

Não é o mesmo que escolher um iphone.

Podes instalar livremente outro OS no Powerbook sem que tenhas a Apple a ameaçar-te... Infelizmente não acontece o mesmo com o iPhone.

Mas terei perdido a minha liberdade? É claro que não. Tenho é opções diferentes das que teria se tivesse feito outra opção.

Em relação a esse telefone e em muitos aspectos só tens as opções que a Apple te deixa ter. Por isso sim, pode-se dizer que não tens liberdade em relação a esse telemóvel, perdes-te a ao escolher o telemóvel.

Em relação a algumas coisas, temos mesmo que aceitar que determinadas escolhas têm determinadas implicações, porque por exemplo não podemos impedir a gravidade de fazer cair o que largas no ar, mas claramente a perda de liberdade que tens em relação ao iphone, tens apenas para que a Apple tenha controlo e possa aproveitar-se disso para fazer dinheiro. Isto é desnecessário e inaceitável. Devem ser os proprietários dos telemóveis a mandar e decidir o que podem, , ou não podem fazer com eles, ou se querem ceder o direito de controlo (sem nunca abdicar de o poder retomar), e não o seu fabricante.

É simplesmente errado que o proprietário do que quer que seja, seja limitado em relação à sua propriedade (quando se compra algo passa-se a ser proprietário do que se comprou), por algo mais que não a lei e a sua vontade.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Open Source (ou software livre) vs Microsoft e Open Source (ou software livre) vs Apple dá sempre nisto.

Uma empresa não pode tentar maximizar os seus lucros aproveitando uma tecnologia/software que ela própria inventou que é acusada de falta de liberdade?

Quem quer um telemóvel/computador/whatever que faça tudo aquilo que pretende, então que construa um. Agora ficar à espera que outros o façam e depois acusá-los de falta de liberdade? Porque será que não existe hardware open-source? Pois...

Só compra quem quer. Quem não quer não compra. É simples.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

falco, assim que escolhe um telemóvel, ou smartphone neste caso, fazes uma escolha e tens de viver com ela.

E sim, a liberdade é restringida num acto mas ela não se esgota como afirmas.

Com um iphone muita dela esgota. Porque a Apple controla muitos aspectos da utilização dele.

Não estou a ver muito bem em que isso difere do facto de eu escolher um Symbian ou um Blackberry.

O que dizes é totalmente vago e genérico, aplica-se a qualquer marca que escolhas, num caso será no hardware noutros no software.

Por exemplo, se necessitas do Skype, então não escolherás um Blackberry mas um iPhone ou algo que use Windows Mobile. Se necessitas de bluetooth tethering então não escolherás um iPhone mas sim algo que use Windows Mobile ou um Blackberry.

O acto da escolha de um produto destes implica restrições, mas não esgotam a liberdade de quem faz a escolha.

Estas a comparar duas coisas diferentes.

Não estamos não. Estamos a falar de liberdade de escolha e de como uma escolha inicial impacta as possibilidades de escolha seguintes.

É válido para qualquer fabricante, não é só para a Apple e para o seu iPhone.

Que eu saiba simplesmente não há skype para iphone.

Mas imagina que a skype cria um cliente para iphone e a Apple lembra-se de recusar que possas instalar e utilizar?

Estás a ver a diferença?

Sim estou a ver. Deixavas de poder Skype no iPhone.

O que colocas é totalmente hipotético e esse campo é infinito.

E se a Nokia decidisse impedir JVMs nos seus aparelhos? Qual a diferença?

Nenhuma. E ainda por cima são ambas hipotéticas.

Mas mesmo assim, partindo do principio de que o Skype não era permitido no iPhone.

Qual é o problema? Absolutamente nenhum. É exactamente igual ao facto de que se necessitares de bluetooth tethering (não sei o termo em português), simplesmente optas por outra solução que sirva as tuas necessidades

E já agora a Apple não tem pouco sucesso como dizes, bem antes pelo contrário.

Discutível mas irrelevante para o caso.

De novo estás em negação. Não é de todo discutível. O sucesso de uma empresa mede-se pelos seus lucros e pelo seu valor e é claro como água de que o valor da Apple tem vindo a subir significativamente, em particular quando o Jobs regressou. Se dúvidas houver, basta ver o histórico do valor em bolsa da Apple.

Os teus comentários a favor da liberdade e contra qualquer coisa que mexa fora do open sourcen

Eu não defendo o Open Source Software, faço sempre questão de falar de Software Livre.

São preciosismos, mas ok.

são sobejamente conhecidos aqui no fórum, mas não achas que podes, e deves, defender o que acreditas sem recorrer a mentiras?

Não menti!

Afirmar que a Apple é uma empresa de pouco sucesso quando a realidade é exactamente o oposto é o quê? Dizer a verdade não é com certeza.

Mais, afirmar que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade dos seus clientes é também falso.

Da forma como colocas até parece que a Apple é agiota ou faz extorsão de dinheiro.

Como é que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade de alguém que comprou um iPhone?

Qual é a relação entre a liberdade do consumidor e o iPhone que usa?

Afirmares que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade de escolha dos consumidores, é, digamos também de forma simpática, totalmente errado.

Não é errado! É verdadeiro!

Não é e vou já mostrar como o que afirmas abaixo não é verdade.

A Apple restringe a liberdade dos utilizadores com a forma como licencia o seu software (que por exemplo obriga à compra de computadores Apple para poder usar o sistema operativo deles)

1º És livre para aceitar ou não. Não és obrigado a comprar nada deles.

2º Não é totalmente verdade, a coisa fala em Apple-labled computers o que quer dizer que qualquer máquina licenciada por eles (é um sistema proprietário e fechado ao contrário do PC) e não obrigatoriamente um computador deles.

Havia clones de Mac, licenciados pela Apple, não sei se entretanto ainda existem ou não.

Mas o que referes é o equivalente a teres de meter injectores da Bosh no motor do teu carro, simplesmente porque mais nenhum injector vai funcionar correctamente aí.

e como tenta impedir a existência e utilização de software e serviços de terceiros compatíveis com o iTunes e Apple Music Store, anteriormente com a utilização de DRM nos ficheiros da Apple Music Store (felizmente corrigiu isso).

De novo, qual é o problema?

Não tens de usar o iTunes, tens mais leitores de MP3 para o Mac. A Apple não te obriga a usar o iTunes.

Quanto à Apple Music Store, há mais lojas online, não tens de a usar.

A Apple não te obriga a usar nenhuma dessas coisas. És livre de escolher outro leitor de MP3 e qualquer loja online de MP3.

Sem contar a quantidade de vezes que já levantou processos utilizando a DMCA contra projectos de Software Livre que usavam o Darwin e outros componentes Software Livre para criar sistemas operativos compatíveis com o OS X.

A Apple é amiga do open source, e tu sabes isso muito bem.

Agora, sempre que houver uma violação das regras, é esse o caminho a seguir.

Lá por ter levantado processos não quer dizer que tenham automaticamente razão, será o tribunal a decidir. Já há resultados desses processos?

Se aqui alguém está em fase de negação és tu.

Creio que ficou claro que és tu quem estás a ver mal o filme.

Achas que lá porque se escolhe um iPhone ou um Powerbook fico locked-in à Apple o que não é verdade.

Desde que o Jobs voltou, globalmente a Apple soma sucessos, iPod, iPhone, Powebook, iMac, é só escolheres. Ah, e essa conversa da ganância, enfim...

É verdade que a Apple tomou um caminho muito mais bem sucedido com a liderança do Jobs. O que não implica que por vezes não se tenha excedido. E infelizmente ultimamente tem excedido bastante.

Só quem não percebe nada de economia e mercados abertos é que papa esse blá-blá-blá...

Mercados abertos baseados em impedir, ou pelo menos limitar a escolha dos clientes e em impedir a existência de produtos compatíveis, e serviços concorrentes baseados em plataformas compatíveis, devem ser mesmo abertos...

Estás a confundir negócio com mercado.

A Apple está no mercado dos smartphones, laptos, desktops, leitores de MP3, etc.. Esse mercado é fechado? Nesse mercado não há produtos compatíveis e concorrentes? Nesse mercado não há plataforma compatíveis?

Nesse mercado há, ou não há liberdade de escolha?

O que tu referes é que a Apple tem um modelo de negócio que se centra em disponibilizar as suas próprias soluções. E o seu negócio não tem de ser aberto, aliás, nenhum negócio o é nem faz sentido que fosse. Se um negócio fosse aberto, então toda a gente poderia usar esse negócio e aí não haveria negócio.

Escolher um Powerbook,

Não é o mesmo que escolher um iphone.

Podes instalar livremente outro OS no Powerbook sem que tenhas a Apple a ameaçar-te... Infelizmente não acontece o mesmo com o iPhone.

Hummm... Então afinal a Apple dá-te liberdade de escolha?!? Estou pasmado...

E estou chateado porque a Blackberry não me deixa meter o Windows Mobile nos seus smartphones!...

Ui, que medo... O que a Apple mais tem feito é dar porrada em quem tenha mexido no seu iPhone.

A menos que tenhas assinado algum contrato a dizer que não o poder fazer (que pode acontecer em alguns casos) podes fazê-lo.

Mas terei perdido a minha liberdade? É claro que não. Tenho é opções diferentes das que teria se tivesse feito outra opção.

Em relação a esse telefone e em muitos aspectos só tens as opções que a Apple te deixa ter. Por isso sim, pode-se dizer que não tens liberdade em relação a esse telemóvel, perdes-te a ao escolher o telemóvel.

Achas? O facto de eu poder ter o Skype no iPhone mas não num Palm não é a mesma coisa?

Mais, o facto de a Apple restringir o que disponibiliza para o iPhone não será também benigno?

Por exemplo, tens uma garantia muito alta de que não vais ter aplicações manhosas a vasculhar o teu telefone, de que não vais ter software maligno para ti.

Podes não acreditar, mas há (imensas) pessoas que valorizam isso.

Em relação a algumas coisas, temos mesmo que aceitar que determinadas escolhas têm determinadas implicações, porque por exemplo não podemos impedir a gravidade de fazer cair o que largas no ar, mas claramente a perda de liberdade que tens em relação ao iphone, tens apenas para que a Apple tenha controlo e possa aproveitar-se disso para fazer dinheiro.

É exactamente essa relação que eu gostava que provasses.

Já referiste isso várias vezes, mas nem sequer um exemplo concreto de como a Apple (na tua ideia) se aproveita da tua falta de liberdade para fazer dinheiro.

Isto é desnecessário e inaceitável. Devem ser os proprietários dos telemóveis a mandar e decidir o que podem, , ou não podem fazer com eles, ou se querem ceder o direito de controlo (sem nunca abdicar de o poder retomar), e não o seu fabricante.

Mas é isso que não compreendes, são os proprietários que decidem o que podem ou não fazer com eles. Podem, ou não, ouvir MP3, aceder à web, fazer chamadas, tirar fotos, agora até podem fazer copy/past :P etc. sem ter de pedir licença à Apple.

A única coisa que a Apple limita são as aplicações disponíveis para o iPhone devido à existência de um único ponto centralizado, a loja.

É simplesmente errado que o proprietário do que quer que seja, seja limitado em relação à sua propriedade (quando se compra algo passa-se a ser proprietário do que se comprou), por algo mais que não a lei e a sua vontade.

Mostra-me como é que se eu for proprietário de um iPhone não possa fazer o que quiser com ele em proporção directa com qualquer outro smartphone.

Mas atenção, tudo o que eu disse não invalida o facto de achas idiota algumas das acções da Apple.

Reafirmo que não estou a defender a Apple, apenas a mostrar que a escolha do iPhone, ou de qualquer outro smartphone, implica restrições às possibilidades de escolha seguintes.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Começou a teima :P

Infelizmente pode confundir-se com isso. Pessoal, evitem responder a cada frase separadamente. *a custa de responderem a cada letrinha despedaçam por completo a clareza das vossas opiniões expostas.

Teimas à parte, eu concordo em pleno com o que o falco disse nos primeiros posts. Infelizmente já se é rotulado de 'radical' por ser contra software proprietário.

Esta notícia acrescenta zero ao que já se sabia. O modelo de negócio está errado desde início porque interfere com liberdades básicas de cada um. Quem percebe isso percebe assim que esse produto, apple store, lhe é apresentado e não quando uma coisa destas vem para a comunicação social.

Os dois primeiros tópicos do falco resumem bem a temática TODA. Quem tiver coragem para pensar neles ablita-se a libertar a parte mais tech da sua mente.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

pedrotuga, já discutimos a forma das respostas.

Claramente eu e o Falco gostamos deste estilo, em particular eu gosto porque mostra que não deixamos nada sem resposta.

Quanto a rótulos ou radicalismos, bem, eu não  coloquei nenhum rótulo, e radicalismos são idiotas.

Não sei se te sentes rotulado, mas se te sentes assim, não será por mim. Também não rotulei o Falco, longe de mim, limitei-me a constatar um facto, o do Falco ser defensor do software livre (que tal Falco, está melhor, agora não disse Open Source :P ). Além disso por defenderes o software livre não tens de ser contra o software proprietário.

Um exemplo: ganho a vida (entre outras coisas) a desenvolver software fechado e proprietário mas sou apologista do open source. Isto não é uma contradição, quer apenas dizer que uso, promovo, recomendo e participo em projectos open source. Tanto a nível pessoal como académico e profissional. Trata-se de ser pragmático e aconselhar a melhor solução para um dado problema.

Os radicalismos são idiotas, e são contrários à minha posição pragmática, porque são extremos que têm uma visão limitada, ou seja não conseguem ver com clareza o que realmente se passa.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Uma empresa não pode tentar maximizar os seus lucros aproveitando uma tecnologia/software que ela própria inventou que é acusada de falta de liberdade?

Prejudicando os consumidores, o mercado livre e por consequência a sociedade? Não!

Deve faze-lo de forma a que não tenha os efeitos negativos de que falei e sim existem formas e a Apple até as sabe fazer.

Apple não inventou nada!

Inventar e/ou criar, não dá o direito moral e ético de controlar a forma como os outros utilizam as coisas que compram e das quais são donas.

Agora ficar à espera que outros o façam e depois acusá-los de falta de liberdade?

É sempre giro contar só metade!

Eles criam e fabricam os iphones, mas depois vendem-nos. Quando os vendem deixam de ser deles. E por isso não têm nada que os controlar!

Porque será que não existe hardware open-source? Pois...

Existe pois!

Não estou a ver muito bem em que isso difere do facto de eu escolher um Symbian ou um Blackberry.

Não disse que era diferente!

Mas a Apple exerce muito mais controlo do que os outros nestes aspectos, embora a tendência seja a imitarem a Apple. Mas esta thread é sobre uma situação verificada com a Apple e não com os outros.

O que dizes é totalmente vago e genérico, aplica-se a qualquer marca que escolhas, num caso será no hardware noutros no software.

Não é assim tão vago, nem genérico.

Quando eu compro um PC, nenhum fabricante me diz, ou controla qualquer aspecto da minha utilização do PC, o mesmo acontece com as torradeiras, frigorificos, com a maior parte dos telemóveis... Em fim... Com quase tudo...

E em termos de software não acontece por exemplo com o Software Livre e Com o Open Source Software.

Não estamos não. Estamos a falar de liberdade de escolha e de como uma escolha inicial impacta as possibilidades de escolha seguintes.

Estamos pois, porque estás a comparar uma situação em que as consequências são provocadas pela vontade do fabricante do telemovel, com outras, que dependem apenas de coisas como possibilidade técnica, e a existência de um determinado software para outra plataforma. E isso é totalmente diferente.

Sim estou a ver. Deixavas de poder Skype no iPhone.

O que colocas é totalmente hipotético e esse campo é infinito.

E se a Nokia decidisse impedir JVMs nos seus aparelhos? Qual a diferença?

Nenhuma. E ainda por cima são ambas hipotéticas.

Não é hipotético!

A Apple tem de facto feito isso em relação a vários softwares para iPhone.

Este tópico até é sobre um desses casos que não são hipotéticos!

O iPhone foi desenhado pela Apple para correr apenas as aplicações que a Apple aprova, e desrespeitar este poder da Apple viola leis e licenças de direito de autor. E a Apple até persegue legalmente pessoas envolvidas no "jailbreaking".

Por isso de hipotético, não temos aqui nada!

Tanto quanto sei, nenhum outro fabricante está a fazer isto que a Apple está a fazer. Se estiver é igualmente mau. Mas isso não diminui em nada o mal que a Apple faz.

Mas mesmo assim, partindo do principio de que o Skype não era permitido no iPhone.

Qual é o problema? Absolutamente nenhum.

Vou responder a isso como se o skype fosse uma aplicação de voip que usa standards (o que não é o caso).

O problema existe! E é as pessoas não terem a liberdade de usarem o software que querem nos seus telemóveis. Isso é impedir o mercado livre e a liberdade de escolha individual, apenas para obter o lucro.

É exactamente igual ao facto de que se necessitares de bluetooth tethering (não sei o termo em português), simplesmente optas por outra solução que sirva as tuas necessidades

Não é!

Num caso trata-se de uma imposição artificial, para o propósito de deter poder sobre o mercado e ganhar dinheiro, imposta por alguém que não é o proprietário do dispositivo, ao proprietário do dispositivo. No outro caso trata-se de uma limitação técnica inerente às características técnicas do dispositivo.

De novo estás em negação. Não é de todo discutível. O sucesso de uma empresa mede-se pelos seus lucros e pelo seu valor e é claro como água de que o valor da Apple tem vindo a subir significativamente, em particular quando o Jobs regressou. Se dúvidas houver, basta ver o histórico do valor em bolsa da Apple.

A única pessoa aqui que está em negação és tu!

É óbvio que é discutível a medida do sucesso da Apple. Eu não disse que a Apple não tem sucesso, apenas disse que tinha pouco, e se comparares os lucros da Apple com a dos principais concorrentes, percebes perfeitamente que nessa perspectiva o seu sucesso global é pouco.

São preciosismos, mas ok.

Não são não!

As definições são diferentes, apesar de resultarem no mesmo na maior parte dos casos. E as filosofias de quem segue um e de quem segue outro são diferentes.

Afirmar que a Apple é uma empresa de pouco sucesso quando a realidade é exactamente o oposto é o quê? Dizer a verdade não é com certeza.

A Apple ter pouco sucesso em relação por exemplo à m$, ou à Nokia, ou a imensos outros é um facto. Não significa que não tem sucesso, apenas que em relação aos lideres é pouco.

Mais, afirmar que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade dos seus clientes é também falso.

Não é falso!

É um facto. A Apple ganha dinheiro aproveitando restrições legais, licenças e condições de prestação de serviços restritivas. Persegue legalmente os que não fazem o que ela gosta.

Por isso embora a Apple não seja extorcionista, ganha dinheiro à custa da liberdade dos outros e isso é FACTUAL. Negar isto é ter a cabeça enterrada na areia, ou então mentir delibradamente.

Como é que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade de alguém que comprou um iPhone?

Talvez controlando todo o mercado de aplicações para iPhone?

Qual é a relação entre a liberdade do consumidor e o iPhone que usa?

Usando iPhone tem menos liberdade de escolha em relação seu telemóvel do que se usasse outro (e não estou a dizer que todos os outros), como por exemplo o Neo Free Runner e outros, nos quais os fabricantes de hardware e de software não dizem o que é que os donos dos telemóveis podem fazer com eles.

1º És livre para aceitar ou não. Não és obrigado a comprar nada deles.

Assim que compras perdes liberdade de escolha, apenas para o proveito da Apple.

2º Não é totalmente verdade, a coisa fala em Apple-labled computers o que quer dizer que qualquer máquina licenciada por eles (é um sistema proprietário e fechado ao contrário do PC) e não obrigatoriamente um computador deles.

Havia clones de Mac, licenciados pela Apple, não sei se entretanto ainda existem ou não.

Mas o que referes é o equivalente a teres de meter injectores da Bosh no motor do teu carro, simplesmente porque mais nenhum injector vai funcionar correctamente aí.

A coisa? Qual coisa?

O facto é que a Apple não deixa vender computadores que corram o seu sistema operativo (vulgos hackintosh), aos que não lhe prestem vassalagem, mesmo que tenham comprado legalmente o OS X.

E não um injector não é a mesma coisa que software e sim outros sistemas operativos têm a capacidade de correr no iPhone. Por isso não é uma limitação técnica ao contrário do que estas a dizer.

De novo, qual é o problema?

Não tens de usar o iTunes, tens mais leitores de MP3 para o Mac. A Apple não te obriga a usar o iTunes.

Quanto à Apple Music Store, há mais lojas online, não tens de a usar.

O problema é que é uma restrição inaceitável. É uma manipulação do mercado! É tentar vender algo sem ser com base no seu mérito, ou na vontade do consumidor.

A Apple é amiga do open source, e tu sabes isso muito bem.

A Apple usa Software Livre quando lhe convém, e contribui para ele quando lhe convém. O que é perfeitamente legitimo! Não tenho nada contra. E muitas outras empresas fazem o mesmo. Mas isso não faz com que as empresas passem a ter imunidade contra criticas.

Mas isso não faz com que ela também não o tenha atacado ferozmente incluindo com perseguições legais.

á por ter levantado processos não quer dizer que tenham automaticamente razão, será o tribunal a decidir. Já há resultados desses processos?

Não tenho conhecimento de se ter chegado a decisão em nenhum. Em alguns casos como os projectos de Software Livre não tinham capacidade de montar uma defesa legal (falta de dinheiro e/ou tempo e/ou paciência), desistiram e cessaram a sua actividade.

Creio que ficou claro que és tu quem estás a ver mal o filme.

Achas que lá porque se escolhe um iPhone ou um Powerbook fico locked-in à Apple o que não é verdade.

Não disse isso em relação a Powebook, alias disse o contrário. Apenas disse em relação ao iPhone. E em relação ao iPhone é verdade!

Estás proibido de fazer coisas tão simples como instalar outro OS, instalar aplicações que não tenham sido aprovadas pela Apple, estás impedido de fazer qualquer modificação à plataforma. Se isto não é ter liberdade condicionada, então é o quê????

Estás a confundir negócio com mercado.

Não estou não!

A Apple está no mercado dos smartphones, laptos, desktops, leitores de MP3, etc.. Esse mercado é fechado?

Não é totalmente!

Mas são vários mercados que têm sido alvo de vários problemas que levaram mesmo à intervenção dos reguladores e dos tribunais.

Nesse mercado não há produtos compatíveis e concorrentes? Nesse mercado não há plataforma compatíveis?

Nesse mercado há, ou não há liberdade de escolha?

Ao separar e controlar o iPhone e o iTunnes e a Apple Music Store, através de medidas técnicas e legais, a Apple criou vários mercado à parte. Mercados esses que são para produtos e serviços relacionados com esses seus produtos e serviços. Ou seja, não há apenas esses mercados genéricos entre produtos e serviços de diferentes fabricantes e fornecedores, há mercados específicos, para cada produto e cada serviço. A Apple monopoliza completamente (ou perto disso) os mercados de produtos e serviços relacionados com vários dos seus produtos e serviços. Esses mercados, não são abertos! Nesses mercados apenas podes escolher o que a Apple aprova/permite. E isso é mau para os consumidores e para o mercado livre.

O que tu referes é que a Apple tem um modelo de negócio que se centra em disponibilizar as suas próprias soluções. E o seu negócio não tem de ser aberto, aliás, nenhum negócio o é nem faz sentido que fosse. Se um negócio fosse aberto, então toda a gente poderia usar esse negócio e aí não haveria negócio.

Quem está a confundir negócio com mercado és tu.

A Apple pode fornecer verticalmente todos os produtos e serviços que quiser. O que não é legitimo é que tente e impeça os concorrentes de entrar na pilha e tanto não é que há processos em reguladores e tribunais em vários países a propósito disso.

Hummm... Então afinal a Apple dá-te liberdade de escolha?!? Estou pasmado...

Ao contrário do que dizes que eu digo. Eu nunca disse que Apple tira toda a liberdade de escolha em relação a todos os produtos e serviços.

A menos que tenhas assinado algum contrato a dizer que não o poder fazer (que pode acontecer em alguns casos) podes fazê-lo.

Aí é que te enganas!

A uma combinação entre licenças de direito de autor e leis como a DMCA, impedem. E Apple tem perseguido quem o tenta fazer.

Achas? O facto de eu poder ter o Skype no iPhone mas não num Palm não é a mesma coisa?

Tenho a certeza!

Não percebi a tua pergunta, contextualiza-a...

Mais, o facto de a Apple restringir o que disponibiliza para o iPhone não será também benigno?

Por exemplo, tens uma garantia muito alta de que não vais ter aplicações manhosas a vasculhar o teu telefone, de que não vais ter software maligno para ti.

Podes não acreditar, mas há (imensas) pessoas que valorizam isso.

Uma coisa é as pessoas terem a liberdade e decidirem não a utilizar, independentemente das motivações que as levam as isso, outra é não ter a liberdade.

É exactamente essa relação que eu gostava que provasses.

Já referiste isso várias vezes, mas nem sequer um exemplo concreto de como a Apple (na tua ideia) se aproveita da tua falta de liberdade para fazer dinheiro.

Controlo sobre o mercado, consegue por exemplo criar determinadas vendas.

Para além disso a Apple App Store rende 30% de cada venda para a Apple.

Mas é isso que não compreendes, são os proprietários que decidem o que podem ou não fazer com eles. Podem, ou não, ouvir MP3, aceder à web, fazer chamadas, tirar fotos, agora até podem fazer copy/past :P etc. sem ter de pedir licença à Apple.

A única coisa que a Apple limita são as aplicações disponíveis para o iPhone devido à existência de um único ponto centralizado, a loja.

Não são não!

Se a Apple é que decide que software é que eles podem usar. Então a Apple é que decide que é que os donos podem fazer.

Mostra-me como é que se eu for proprietário de um iPhone não possa fazer o que quiser com ele em proporção directa com qualquer outro smartphone.

O proprietário do iPhone não pode usar Google Voice, ao contrário do proprietário de qualquer telemóvel para o qual esse software esteja disponível.

Ao menos leste o título do tópico???

Reafirmo que não estou a defender a Apple, apenas a mostrar que a escolha do iPhone, ou de qualquer outro smartphone, implica restrições às possibilidades de escolha seguintes.

Não, tu estás a defender a Apple, e não os outros fabricantes não fazem o mesmo (pelo menos não vão tão longe), pelo menos que eu saiba. E se utilizares o Smatphone que tenha uma stack de Software Livre (e existem), então não há essas restrições de certeza.

Além disso por defenderes o software livre não tens de ser contra o software proprietário.

Claro que tens!

Não podes defender a ideia de que as pessoas devem ter as 4 liberdades do Software Livre e ao mesmo tempo ser contra a existência dessas 4 liberdades (ser a favor do software proprietário é ser contra as 4 liberdades).

Um exemplo: ganho a vida (entre outras coisas) a desenvolver software fechado e proprietário mas sou apologista do open source.

Isso é porque não tiveste a coragem de fazer aquilo em que acreditas. Eu por exemplo tive. E eu sei que não é fácil dar esse passo e que tem que ser muito bem pensado. E para uns é mais fácil que para outros

Trata-se de ser pragmático e aconselhar a melhor solução para um dado problema.

Qual problema?

O problema que o Software Livre tenta resolver é o da falta de liberdade. É desse problema de que falas?

O que estás a fazer não é ser pragmático. Estarias a ser pragmático se não fosse possível ganhar dinheiro com Software Livre (fosse por exemplo proíbido), mas não é o caso.

Deixemos essa conversa dos radicalismos de fora. Ela só serve para evitar a discussão. A partir do momento em que começamos a acusar alguém de ser radical não aceitamos discutir com essa pessoa, nem estamos dispostos a aceitar qualquer tipo de argumento, por mais válido que seja.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

É por estas e por outras que não tenciono comprar um iPhone.

Da mesma forma, também me recusava a comprar músicas no iTunes, e agora tenciono fazê-lo.

É verdade que a Apple muitas vezes exagera na limitações que impõe, mas não tenho tido problemas em lidar com isso. Só uso um produto se achar que as limitações não são problemáticas, quer seja da Apple, quer seja de outra marca qualquer.

A Apple ter pouco sucesso em relação por exemplo à m$, ou à Nokia, ou a imensos outros é um facto. Não significa que não tem sucesso, apenas que em relação aos lideres é pouco.

Uns gráficos interessantes:

http://finance.yahoo.com/q/bc?s=AAPL&t=5y&l=on&z=m&q=l&c=MSFT

http://finance.yahoo.com/q/bc?s=AAPL&t=5y&l=on&z=m&q=l&c=NOA3.DE

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

[...]

Não estou a ver muito bem em que isso difere do facto de eu escolher um Symbian ou um Blackberry.

Não disse que era diferente!

Mas a Apple exerce muito mais controlo do que os outros nestes aspectos, embora a tendência seja a imitarem a Apple. Mas esta thread é sobre uma situação verificada com a Apple e não com os outros.

A Apple exerce controlo no que disponibiliza na sua loja, é um facto.

Isso é uma característica da loja só vende sw certificado pela Apple.

Como referi num post anterior, o facto de tu achares isso mau, não quer dizer que o seja. A prová-lo está o facto de que imensas pessoas apreciam a garantia de que o sw que corre nos seus iPhones não lhes trás problemas.

O que dizes é totalmente vago e genérico, aplica-se a qualquer marca que escolhas, num caso será no hardware noutros no software.

Não é assim tão vago, nem genérico.

Quando eu compro um PC, nenhum fabricante me diz, ou controla qualquer aspecto da minha utilização do PC, o mesmo acontece com as torradeiras, frigorificos, com a maior parte dos telemóveis... Em fim... Com quase tudo...

Correcto.

E o mesmo acontece com o iPhone, ninguém te diz, ou controla, a utilização do mesmo. Estás a confundir utilização com disponibilidade de expansão, o que é totalmente diferente.

E em termos de software não acontece por exemplo com o Software Livre e Com o Open Source Software.

Por acaso não é de todo verdade.

Por exemplo, se expandires open source (dependente das licenças) tens limitações, como não poderes vender esse software, teres de disponibilizar o código fonte, por vezes nem sequer o podes usar para uso comercial.

Não estamos não. Estamos a falar de liberdade de escolha e de como uma escolha inicial impacta as possibilidades de escolha seguintes.

Estamos pois, porque estás a comparar uma situação em que as consequências são provocadas pela vontade do fabricante do telemovel, com outras, que dependem apenas de coisas como possibilidade técnica, e a existência de um determinado software para outra plataforma. E isso é totalmente diferente.

Errado.

As consequências são provocadas pelos teus actos e não por terceiro.

Quando tu fazes uma escolha tens consequências associadas. Se tu escolheres um iPhone a acção é tua, é o teu acto que provoca as consequências, a Apple não te impõe nenhuma vontade de escolha!

Sim estou a ver. Deixavas de poder Skype no iPhone.

O que colocas é totalmente hipotético e esse campo é infinito.

E se a Nokia decidisse impedir JVMs nos seus aparelhos? Qual a diferença?

Nenhuma. E ainda por cima são ambas hipotéticas.

Não é hipotético!

A Apple tem de facto feito isso em relação a vários softwares para iPhone.

Este tópico até é sobre um desses casos que não são hipotéticos!

Sim, tens razão. Foi exactamente isso que despoletou esta discussão.

Mais, por acaso a AT&T não deve curtir que uses o Skype estará a perder USDs.

Mas nem por isso o Skype é removido pois não?...

O iPhone foi desenhado pela Apple para correr apenas as aplicações que a Apple aprova, e desrespeitar este poder da Apple viola leis e licenças de direito de autor. E a Apple até persegue legalmente pessoas envolvidas no "jailbreaking".

E depois? Voltamos ao mesmo: a Apple certifica que quem tem um iPhone apenas pode correr aplicações que não são malignas para os seus utilizadores.

Quem desenvolve as aplicações para o iPhone tem de aceitar as condições impostas, certo?

Da mesma forma, se eu expando um sw open source tenho de aceitar as condições impostas, certo?

És livre de não aceitar as condições e de escolher outra coisa.

Já rejeitei contratos porque o que me apresentaram não era do meu agrado, sou livre de escolher. Mas uma vez aceites as condições, são para cumprir.

Por isso de hipotético, não temos aqui nada!

Tanto quanto sei, nenhum outro fabricante está a fazer isto que a Apple está a fazer. Se estiver é igualmente mau. Mas isso não diminui em nada o mal que a Apple faz.

Lá está. O que tu achas que é mau, é fantástico para milhares de utilizadores.

Aquilo que para ti é "um bicho papão" é para outros uma mais valia.

Mas mesmo assim, partindo do principio de que o Skype não era permitido no iPhone.

Qual é o problema? Absolutamente nenhum.

Vou responder a isso como se o skype fosse uma aplicação de voip que usa standards (o que não é o caso).

O problema existe! E é as pessoas não terem a liberdade de usarem o software que querem nos seus telemóveis. Isso é impedir o mercado livre e a liberdade de escolha individual, apenas para obter o lucro.

Errado.

No ponto zero no tempo és livre de escolher o que necessitas. Se nesse ponto fazes uma má escolha, chegas ao ponto um no tempo e deparas-te com as consequências da tua escolha no ponto anterior.

Se queres ou necessitas de usar determinado software então no ponto zero tens de fazer uma boa escolha, caso contrário só te podes queixar de ti próprio!

Lá por teres cometido um erro isso não quer dizer que o mercado não é livre e que tens a tua liberdade de escolha individual castrada por causa do lucro.

Aliás, esta última não faz qualquer sentido neste caso.

É exactamente igual ao facto de que se necessitares de bluetooth tethering (não sei o termo em português), simplesmente optas por outra solução que sirva as tuas necessidades

Não é!

Num caso trata-se de uma imposição artificial, para o propósito de deter poder sobre o mercado e ganhar dinheiro, imposta por alguém que não é o proprietário do dispositivo, ao proprietário do dispositivo. No outro caso trata-se de uma limitação técnica inerente às características técnicas do dispositivo.

:P:):P Acha?!?!?

Por acaso estás errado.

É que eu posso, por exemplo, ter wifi a partir de um cartão SD (a solução que a Palm implementou para os dispositivos mais antigos).

E eu posso afirmar que os tipos não me deram wifi/bluetooth/whatever e como tal limitaram a minha liberdade. Mais, podiam, e deviam, ter pelo menos dado uma porta de extensão para eu colocar lá o hardware que quisesse.

São uns malandros estes tipos do hw, a limitarem a minha liberdade!!!

De novo estás em negação. Não é de todo discutível. O sucesso de uma empresa mede-se pelos seus lucros e pelo seu valor e é claro como água de que o valor da Apple tem vindo a subir significativamente, em particular quando o Jobs regressou. Se dúvidas houver, basta ver o histórico do valor em bolsa da Apple.

A única pessoa aqui que está em negação és tu!

É óbvio que é discutível a medida do sucesso da Apple. Eu não disse que a Apple não tem sucesso, apenas disse que tinha pouco, e se comparares os lucros da Apple com a dos principais concorrentes, percebes perfeitamente que nessa perspectiva o seu sucesso global é pouco.

:):D :D

Não vale a pena... Parece que tens tipo um "ódiozinho de estimação" pela Apple ou algo assim que te impede de ver os factos.

São preciosismos, mas ok.

Não são não!

As definições são diferentes, apesar de resultarem no mesmo na maior parte dos casos. E as filosofias de quem segue um e de quem segue outro são diferentes.

Tudo bem, dou essa de borla dado que para o caso é totalmente irrelevante.

Afirmar que a Apple é uma empresa de pouco sucesso quando a realidade é exactamente o oposto é o quê? Dizer a verdade não é com certeza.

A Apple ter pouco sucesso em relação por exemplo à m$, ou à Nokia, ou a imensos outros é um facto. Não significa que não tem sucesso, apenas que em relação aos lideres é pouco.

Certo, certo. Como costumo dizer aos putos: leva a bicicleta!

Está mais do que claro que preferes viver no teu mundo de realidade paralela, por isso ficamos por aqui neste ponto.

Mais, afirmar que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade dos seus clientes é também falso.

Não é falso!

É um facto. A Apple ganha dinheiro aproveitando restrições legais, licenças e condições de prestação de serviços restritivas. Persegue legalmente os que não fazem o que ela gosta.

Por isso embora a Apple não seja extorcionista, ganha dinheiro à custa da liberdade dos outros e isso é FACTUAL. Negar isto é ter a cabeça enterrada na areia, ou então mentir delibradamente.

Se é factual, mostra-me lá como é que a Apple ganha dinheiro à custa das restrições.

Sendo factual vai ser muito simples provar isso.

Como é que a Apple ganha dinheiro à custa da liberdade de alguém que comprou um iPhone?

Talvez controlando todo o mercado de aplicações para iPhone?

Talvez?

Não tens a certeza?

Qual é a relação entre a liberdade do consumidor e o iPhone que usa?

Usando iPhone tem menos liberdade de escolha em relação seu telemóvel do que se usasse outro (e não estou a dizer que todos os outros), como por exemplo o Neo Free Runner e outros, nos quais os fabricantes de hardware e de software não dizem o que é que os donos dos telemóveis podem fazer com eles.

Mas será que tu não compreendes que a Apple não te diz o que podes e não podes fazer com o iPhone?

A Apple diz-te se podes ou não enviar SMSs ou fazer chamadasn ou a que sites ir ou onde comprar os MP3?

1º És livre para aceitar ou não. Não és obrigado a comprar nada deles.

Assim que compras perdes liberdade de escolha, apenas para o proveito da Apple.

Acorda para a realidade: limitas a tua liberdade de escolha como consequência do teu acto. Escolhe qualquer smartphone e isto é válido.

2º Não é totalmente verdade, a coisa fala em Apple-labled computers o que quer dizer que qualquer máquina licenciada por eles (é um sistema proprietário e fechado ao contrário do PC) e não obrigatoriamente um computador deles.

Havia clones de Mac, licenciados pela Apple, não sei se entretanto ainda existem ou não.

Mas o que referes é o equivalente a teres de meter injectores da Bosh no motor do teu carro, simplesmente porque mais nenhum injector vai funcionar correctamente aí.

A coisa? Qual coisa?

O facto é que a Apple não deixa vender computadores que corram o seu sistema operativo (vulgos hackintosh), aos que não lhe prestem vassalagem, mesmo que tenham comprado legalmente o OS X.

Obviamente. Isso é uma solução fechada que possui determinados requisitos e como tal quem não os cumprir ou quem violar as leis deve ser punido.

É assim com qualquer produto: tens leis e contactos que definem as regras.

E não um injector não é a mesma coisa que software e sim outros sistemas operativos têm a capacidade de correr no iPhone. Por isso não é uma limitação técnica ao contrário do que estas a dizer.

Mete lá o que tu quiseres a correr, podes fazê-lo desde que não violes nenhuma lei.

De novo, qual é o problema?

Não tens de usar o iTunes, tens mais leitores de MP3 para o Mac. A Apple não te obriga a usar o iTunes.

Quanto à Apple Music Store, há mais lojas online, não tens de a usar.

O problema é que é uma restrição inaceitável. É uma manipulação do mercado! É tentar vender algo sem ser com base no seu mérito, ou na vontade do consumidor.

Que enorme confusão mental está aqui!...

Se o consumidor quiser usar o iTunes e a loja a opção vem da vontade do consumidor, ou não?

Não te passa pela cabeça que há pessoas que optam por livre e espontânea vontade por essas soluções?

Quanto ao mérito, se há alguma empresa que tem mérito na actualidade é a Apple.

Ora vejamos:

- iPhone, entrou no mercado dos smartphone e arrasou, colocou a fasquia desse mercado bem mais alta, passou a ser o alvo a abater e a concorrência passou a ser medida por essa referência e teve de se esforçar para acompanhar.

- iPod, anos após ser lançado no mercado continua a ser a referência no mercado, mais um alvo a abater.

A Apple teve o mérito de reformular o mercado dos leitores de MP3 e dos smartphones, trouxe ao mercado propostas arrojadas que o mercado depressa elegeu como referências.

Se isto não é ter mérito...

A Apple é amiga do open source, e tu sabes isso muito bem.

A Apple usa Software Livre quando lhe convém, e contribui para ele quando lhe convém. O que é perfeitamente legitimo! Não tenho nada contra. E muitas outras empresas fazem o mesmo. Mas isso não faz com que as empresas passem a ter imunidade contra criticas.

Mas isso não faz com que ela também não o tenha atacado ferozmente incluindo com perseguições legais.

Claro que usou e contribui quando lhe convém.

É assim que as parcerias são feitas, quando há uma conjugação de interesses.

E volto a afirmar que a Apple, como qualquer empresa ou qualquer um de nós, tem e deve zelar pelos seus interesses sempre que a lei for violada deverá agir em conformidade.

á por ter levantado processos não quer dizer que tenham automaticamente razão, será o tribunal a decidir. Já há resultados desses processos?

Não tenho conhecimento de se ter chegado a decisão em nenhum. Em alguns casos como os projectos de Software Livre não tinham capacidade de montar uma defesa legal (falta de dinheiro e/ou tempo e/ou paciência), desistiram e cessaram a sua actividade.

Então todas as tuas acusações de perseguição e afins não passam da tua opinião e da tua visão da coisa, dado que não há qualquer prova de que a Apple não tinha razão (nem de que tinha).

Creio que ficou claro que és tu quem estás a ver mal o filme.

Achas que lá porque se escolhe um iPhone ou um Powerbook fico locked-in à Apple o que não é verdade.

Não disse isso em relação a Powebook, alias disse o contrário. Apenas disse em relação ao iPhone. E em relação ao iPhone é verdade!

Estás proibido de fazer coisas tão simples como instalar outro OS, instalar aplicações que não tenham sido aprovadas pela Apple, estás impedido de fazer qualquer modificação à plataforma. Se isto não é ter liberdade condicionada, então é o quê?

A questão das aplicações já sabemos que só aplicações certificadas, ai creio que é paícifico e estamos de acordo. Ao que tu chamas limitação a Apple chama garantia, há quem goste e há quem não goste (quem não gosta que não compre).

A questão de não poderes mexer no aparelho em si, só se assinaste um contracto que assim o indique. E o facto da Apple processar essa pessoas não quer dizer que esteja certa, há uma guerra legal que terá de ser resolvida em tribunal.

Há leis de copyright que têm de ser cumpridas, e são leis gerais não são especificas da Apple nem especificas para a Apple, aplicam-se a todos.

Quem violar essas leis pois terá de arcar com as consequências, lá por tu achares que algo não é justo e violares a lei para repor a tua justiça não torna esse algo legal, afinal violaste a lei.

Legalidades à parte, se não me falha a memória ninguém foi preso por fazer jailbreaking, ou seja, (ao contrário do que tens apregoado) és livre de mexer no teu iPhone. Obviamente que há limites definidos na lei como já referi atrás.

Estás a confundir negócio com mercado.

Não estou não!

Estás sim. Mercado é local no qual os agentes económico procedem à troca de bens por uma unidade monetária ou por outros bens.

O negócio é a administração/gestão de uma empresa para captar recursos financeiros para gerar bens e serviços.

São coisas totalmente distintas.

A Apple está no mercado dos smartphones, laptos, desktops, leitores de MP3, etc.. Esse mercado é fechado?

Não é totalmente!

Mas são vários mercados que têm sido alvo de vários problemas que levaram mesmo à intervenção dos reguladores e dos tribunais.

E?...

É para isso que servem os reguladores e os tribunais.

A intervenção desses agentes onde e quando há problemas faz com que o mercado (e não o negócio) continue aberto e não existam abusos por parte das empresas.

Nada do que dizes mostra que o mercado é fechado.

Concluindo, o mercado é aberto.

Nesse mercado não há produtos compatíveis e concorrentes? Nesse mercado não há plataforma compatíveis?

Nesse mercado há, ou não há liberdade de escolha?

Ao separar e controlar o iPhone e o iTunnes e a Apple Music Store, através de medidas técnicas e legais, a Apple criou vários mercado à parte. Mercados esses que são para produtos e serviços relacionados com esses seus produtos e serviços. Ou seja, não há apenas esses mercados genéricos entre produtos e serviços de diferentes fabricantes e fornecedores, há mercados específicos, para cada produto e cada serviço. A Apple monopoliza completamente (ou perto disso) os mercados de produtos e serviços relacionados com vários dos seus produtos e serviços. Esses mercados, não são abertos! Nesses mercados apenas podes escolher o que a Apple aprova/permite. E isso é mau para os consumidores e para o mercado livre.

Que confusão e mistura de conceitos para aqui vai.

A Apple, com o iTunes e a Store criou as suas próprias soluções e colocou-as no mercado, ao lado de milhentas outras soluções idênticas e concorrentes.

O iTunes e a Store são só mais um player nesses mercados.

Tu como detentor de um iPhone, és livre de escolhes a loja que queres usar.

Eu como não detentor de um iPhone só livre de escolher a loja iTunes para comprar um MP3.

Isto é bom para os consumidores e para o mercado livre.

Não percebo como continuas a bater na mesma tecla quando a Apple dá-te toda a liberdade de escolheres a tua loja...

O que tu referes é que a Apple tem um modelo de negócio que se centra em disponibilizar as suas próprias soluções. E o seu negócio não tem de ser aberto, aliás, nenhum negócio o é nem faz sentido que fosse. Se um negócio fosse aberto, então toda a gente poderia usar esse negócio e aí não haveria negócio.

Quem está a confundir negócio com mercado és tu.

Já mostrei acima que confundiste os termos e deixei uma explicação simples para que possas compreender as diferenças.

A Apple pode fornecer verticalmente todos os produtos e serviços que quiser. O que não é legitimo é que tente e impeça os concorrentes de entrar na pilha e tanto não é que há processos em reguladores e tribunais em vários países a propósito disso.

Com excepção da certificação do sw, que é possível dar a volta com o jailbreak como ficou esclarecido atrás, não estou a ver como é que a Apple impede os concorrentes.

Posso fazer uma loja de MP3 (ou de qualquer outra coisa) e quem usa o iPhone pode lá ir.

Quanto a esses processos, voltamos a cair no mesmo, serão os tribunais a decidir.

Tu pareces querer fazer crer a quem lê os teus posts que quem leva um processo em cima é culpado (no caso da acusada ser a Apple) ou vitimizado injustamente (caso seja um processo da Apple sobre um terceiro). Fazes afirmações como se o que dizes fossem factos consumados quando na realidade é apenas a tua visão.

Sabes que também há processos contra a Apple por causa desses locks?

A Apple tem, como qualquer empresa, processos ganhos e processo perdidos, o que quer

dizer que os tribunas deram razão à Apple quando esta tinha razão e não deram razão à Apple quando esta não tinha razão.

Se a Apple não tiver razão nos locks, então perderá esses processos, até lá tudo o que digas é pura especulação.

Hummm... Então afinal a Apple dá-te liberdade de escolha?!? Estou pasmado...

Ao contrário do que dizes que eu digo. Eu nunca disse que Apple tira toda a liberdade de escolha em relação a todos os produtos e serviços.

Ah, estamos esclarecidos então.

A menos que tenhas assinado algum contrato a dizer que não o poder fazer (que pode acontecer em alguns casos) podes fazê-lo.

Aí é que te enganas!

A uma combinação entre licenças de direito de autor e leis como a DMCA, impedem. E Apple tem perseguido quem o tenta fazer.

Ui, lá vem o bicho papão da perseguição outra vez!

A Apple tem perseguido quem? Tanto quanto sei nem sequer o Apple Dev Team, uma das fontes desse "problema" para a Apple, foi alvo de nenhum processo e muito menos há algum processo que dê razão, ou não, à Apple.

Achas? O facto de eu poder ter o Skype no iPhone mas não num Palm não é a mesma coisa?

Tenho a certeza!

Não percebi a tua pergunta, contextualiza-a...

Estava a referir-me à liberdade em relação ao que está disponível. Actualmente este ponto é irrelevante...

Mais, o facto de a Apple restringir o que disponibiliza para o iPhone não será também benigno?

Por exemplo, tens uma garantia muito alta de que não vais ter aplicações manhosas a vasculhar o teu telefone, de que não vais ter software maligno para ti.

Podes não acreditar, mas há (imensas) pessoas que valorizam isso.

Uma coisa é as pessoas terem a liberdade e decidirem não a utilizar, independentemente das motivações que as levam as isso, outra é não ter a liberdade.

Mas as pessoas têm liberdade, não só a liberdade de escolha de utilização ou não, como a liberdade de decidirem o que querem usar, dentro do que está disponível, obviamente.

É exactamente essa relação que eu gostava que provasses.

Já referiste isso várias vezes, mas nem sequer um exemplo concreto de como a Apple (na tua ideia) se aproveita da tua falta de liberdade para fazer dinheiro.

Controlo sobre o mercado, consegue por exemplo criar determinadas vendas.

Para além disso a Apple App Store rende 30% de cada venda para a Apple.

Ok, a Apple fez um bom negócio com os parceiros que vendem o seu sw na loja.

Tu se fores um vendedor não tens de desenvolver para iPhone.

É uma opção tua enquanto vendedor desenvolveres para iPhone, e quando decides fazê-lo sabes as regras, se não sabes as regras é porque estás mal informado.

Tu se fores consumidor não tens de comprar um iPhone mesmo tendo um não tens de comprar nessa loja.

Se compras um iPhone sabes que tens um ponto central de venda de sw certificado, se compras sem saber é porque não estás bem informado.

Se fores consumidor não tens de comprar nada na loja da Apple.

Até podes fazer jailbreaking e desenvolveres tu o teu sw.

Queres mais liberdade do que isto?

Mas é isso que não compreendes, são os proprietários que decidem o que podem ou não fazer com eles. Podem, ou não, ouvir MP3, aceder à web, fazer chamadas, tirar fotos, agora até podem fazer copy/past etc. sem ter de pedir licença à Apple.

A única coisa que a Apple limita são as aplicações disponíveis para o iPhone devido à existência de um único ponto centralizado, a loja.

Não são não!

Se a Apple é que decide que software é que eles podem usar. Então a Apple é que decide que é que os donos podem fazer.

Ai não são?

Então a Apple obriga-me a comprar um MP3 na loja deles?

Ou obriga-me a comprar algum dos programas que eles têm à venda?

Ou prende-me se eu fizer jailbreak e desenvolver a minha própria aplicação?

Mostra-me como é que se eu for proprietário de um iPhone não possa fazer o que quiser com ele em proporção directa com qualquer outro smartphone.

O proprietário do iPhone não pode usar Google Voice, ao contrário do proprietário de qualquer telemóvel para o qual esse software esteja disponível.

Pode, depois de fazer jailbreak.

Ao menos leste o título do tópico???

Claro que li e fui dos primeiros a dizer que isso é um tiro no pé por parte da Apple.

Mas esta discussão não é por causa disso mas sim porque tens vindo a afirmar que a Apple é um bicho papão que persegue tudo e todos e que não obriga os utilizadores do iPhone a comprar as suas coisas e os utilizadores não têm vontade própria porque a Apple lhes retirou a sua vontade própria.

É contra estas balelas que eu me meti nesta discussão, para repôr a verdade.

Reafirmo que não estou a defender a Apple, apenas a mostrar que a escolha do iPhone, ou de qualquer outro smartphone, implica restrições às possibilidades de escolha seguintes.

Não, tu estás a defender a Apple, e não os outros fabricantes não fazem o mesmo (pelo menos não vão tão longe), pelo menos que eu saiba. E se utilizares o Smatphone que tenha uma stack de Software Livre (e existem), então não há essas restrições de certeza.

Estás a ver mal o filme.

Não estou a defender a Apple, não tenho de o fazer nem quero fazê-lo (nem sequer possuo nada deles), o que estou a mostrar é que os teus ataques à Apple e as tuas afirmações de relativas à liberdade reflectem apenas e unicamente a tua visão e que não são justas (limitas-te a acenar com o bicho papão das perseguições mas quanto a factos, nicles).

Além disso por defenderes o software livre não tens de ser contra o software proprietário.

Claro que tens!

Não podes defender a ideia de que as pessoas devem ter as 4 liberdades do Software Livre e ao mesmo tempo ser contra a existência dessas 4 liberdades (ser a favor do software proprietário é ser contra as 4 liberdades).

Que confusão mental outra vez.

Acho que nem tu serás capaz de compreender o que escreveste aqui quando leres isto...

Mais, essa tua posição do "ou estão comigo ou são contra mim" mostra que claramente não queres aceitar que há quem viva e conviva saudavelmente com a opção de escolha entre todo o software disponível, seja open source, livre ou proprietário. 

Um exemplo: ganho a vida (entre outras coisas) a desenvolver software fechado e proprietário mas sou apologista do open source.

Isso é porque não tiveste a coragem de fazer aquilo em que acreditas. Eu por exemplo tive. E eu sei que não é fácil dar esse passo e que tem que ser muito bem pensado. E para uns é mais fácil que para outros

Errado e Errado.

Primeiro, precipitaste-te quanto à minha coragem. Não me conheces a não ser daqui e como tal não tens conhecimento na matéria. Quanto a este ponto, estamos conversados.

Segundo, já referi que sou pragmático e como profissional tenho o dever de servir bem os meus clientes. Como tal tenho de escolher a melhor solução para eles, seja proprietária, livre ou aberta.

Claramente pelas tuas palavras tu empurrarias sempre software livre, mesmo que com isso o cliente ficasse mal servido. É necessário muita coragem para ver o que há de bom "no outro lado".

Trata-se de ser pragmático e aconselhar a melhor solução para um dado problema.

Qual problema?

O problema que o Software Livre tenta resolver é o da falta de liberdade. É desse problema de que falas?

Não.

Falo dos problemas que os meus clientes têm, trata-se de resolver os problemas que eles têm com a melhor solução possível.

O que estás a fazer não é ser pragmático. Estarias a ser pragmático se não fosse possível ganhar dinheiro com Software Livre (fosse por exemplo proíbido), mas não é o caso.

Que disparate!!!

Sabes o que quer dizer pragmático ao menos???

Pragmático é alguém que tem motivações relacionadas com a acção ou com a eficiência, é quem revela um sentido prático e sabe ou quer agir com eficácia.

Para que percebas claramente, se tenho várias soluções à escolha, opto pela que melhor serve os meus clientes, independentemente de ser uma solução fechada e proprietária ou open source.

O que tu descreves é apenas um grave problema de visão, vês apenas um mundo quando o mundo não se esgota na tua visão...

Deixemos essa conversa dos radicalismos de fora. Ela só serve para evitar a discussão. A partir do momento em que começamos a acusar alguém de ser radical não aceitamos discutir com essa pessoa, nem estamos dispostos a aceitar qualquer tipo de argumento, por mais válido que seja.

É um facto.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Pessoal não li o tópico todo, mas eu se fosse o Google, simplesmente retaliava, e tirava o site da Apple do motor de busca. A Apple baixava logo a bolinha. ;)

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

lol o problema do google era que se fizesse isso, muito provavelmente eram imediatamente processados.

Também não li todos os posts (M6 e falco principalmente devido a serem enormes), mas do que vi de relance, concordo com o falco neste caso. É muito mau dar este tipo de controlo a uma plataforma. Daqui a pouco até nos MAC só se podem instalar as aplicações permitidas pela apple.

Quando comprámos um aparelho, ou uma plataforma de software, há uma liberdade de uso que vêm associada. Era como o windows ou o linux virem com uma lista de software que pode ser ou não usada no SO.

O que me faz confusão é como é que UE que está tão preocupada com o facto de o windows não trazer browsers da concorrência, não se importa com situações como esta.

Como respondi ao Triton, se o google fizesse isso aposto que caiam logo em cima deles.

Quanto ao jailbreaking, se não estou em erro, cá em Portugal não é ilegal (diga o que disser no TOS da apple). Apenas se for feito para desbloquear a rede, pois aí quebra-se o contrato feito pelo qual obtivemos uma vantagem financeira na compra do telemóvel. É como aqueles colantes "se rasgar perde a garantia", pode dizer isso, mas isso não faz com que se torne lei.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Ainda não tive tempo livre para poder responder ao M6, mas vou responder... :)

Se o Google retaliasse, seria igualmente uma coisa má.

Não é com outra coisa má que se resolve a questão. E é por isso que existem autoridades com a função de mediar e resolver esta questão.

O facto de a FCC, se ter envolvido, é uma prova que pelo menos a recusa da Apple é no mínimo suspeita.

A resposta da Apple da FCC à Apple é no mínimo uma tentativa de atirar areia para os olhos da malta e eu interpreto-a da seguinte forma:

- Ainda não recusamos definitivamente... Mas vamos decidir aceitar no dia de são nunca à tarde.

- Ah e tal a AT&T tem regras que não permitem utilizar este software no iPhone (mas no de outros frabricantes já podem)...

Estas desculpas são no mínimo esfarrapadas... Não vos parece?

Recentemente houveram mais desenvolvimentos:

http://www.osnews.com/comments/22193

Alguns cidadãos conseguiram tornar publica a resposta do Google, que veio trazer à luz mais detalhes... Pois basicamente o Google não quis que toda a sua resposta fosse pública.

Basicamente a Apple não quer que os utilizadores de iPhone possam não usar software da Apple para as coisas que a Apple decide. Ou seja, não quer que os utilizadores tenham liberdade de escolha, não quer que os utilizadores possam utilizar o que acham melhor, ou simplesmente o que lhes apetece, mesmo sendo o telemóvel propriedade dos utilizadores.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Epa já se sabe isto há muito tempo acerca da Apple. É uma das maiores queixas em relação ao iPhone e à App Store... é uma carga de trabalhos para teres apps aceites lá.

Agora como é o Google a coisa processou-se doutra maneira. Deviam ser obrigados a abrir a plataforma para todos poderem participar...

Isto não é ilegal, apenas aceitar algumas apps?

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Só uns pequenos comentários:

A Apple exerce controlo no que disponibiliza na sua loja, é um facto.

Isso é uma característica da loja só vende sw certificado pela Apple.

Como referi num post anterior, o facto de tu achares isso mau, não quer dizer que o seja. A prová-lo está o facto de que imensas pessoas apreciam a garantia de que o sw que corre nos seus iPhones não lhes trás problemas.

Isso é um falso argumento. A Apple podia ter a Store com aplicações verificadas E deixar-te instalar software de outros sítios. Quem quisesse essa garantia, usava só software da Store.
Por exemplo, se expandires open source (dependente das licenças) tens limitações, como não poderes vender esse software, teres de disponibilizar o código fonte, por vezes nem sequer o podes usar para uso comercial.
Que licença é essa? GPL não é de certeza, podes vender e usar comercialmente software GPL. Aliás, várias empresas fazem-no.
Lá está. O que tu achas que é mau, é fantástico para milhares de utilizadores.

Aquilo que para ti é "um bicho papão" é para outros uma mais valia.

Não é. Não há nenhuma vantagem para o utilizador em estar restringido à App Store.
:) B) :D Acha?!?!?

Por acaso estás errado.

É que eu posso, por exemplo, ter wifi a partir de um cartão SD (a solução que a Palm implementou para os dispositivos mais antigos).

E eu posso afirmar que os tipos não me deram wifi/bluetooth/whatever e como tal limitaram a minha liberdade. Mais, podiam, e deviam, ter pelo menos dado uma porta de extensão para eu colocar lá o hardware que quisesse.

São uns malandros estes tipos do hw, a limitarem a minha liberdade!!!

A diferença é que o IPhone já podia instalar software, mas a Apple consumiu recursos de forma a que isso não acontece-se. Enquanto nesse caso, eles teriam que consumir recursos para tu poderes expandir. É diferente.
Mas será que tu não compreendes que a Apple não te diz o que podes e não podes fazer com o iPhone?

A Apple diz-te se podes ou não enviar SMSs ou fazer chamadasn ou a que sites ir ou onde comprar os MP3?

O IPhone tem a capacidade de instalar qualquer software. A Apple propositadamente limitou as capacidades que já existiam. Não vejo em que seja diferente de te impedir de enviar SMS's apenas para um número.
Primeiro, precipitaste-te quanto à minha coragem. Não me conheces a não ser daqui e como tal não tens conhecimento na matéria. Quanto a este ponto, estamos conversados.

Segundo, já referi que sou pragmático e como profissional tenho o dever de servir bem os meus clientes. Como tal tenho de escolher a melhor solução para eles, seja proprietária, livre ou aberta.

Claramente pelas tuas palavras tu empurrarias sempre software livre, mesmo que com isso o cliente ficasse mal servido. É necessário muita coragem para ver o que há de bom "no outro lado".

Por isso é que a FSF, por exemplo, defendem a ilegalização do software proprietário. Todo o software seria livre, portanto ninguém ficaria mal servido por querer software livre.

Além disso, isso só defende os teus clientes a curto prazo. Agora daqui a uns anos, quando eles quiserem actualizar a aplicação ou lhes der jeito acrescentar esta ou aquela funcionalidade, vais ver o bom para eles que vai ser não poderem contratar um programador/empresa de software para o fazer.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora