• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

falco

Petição pela reposição do GCompris no Magalhães

19 mensagens neste tópico

Recentemente o jornal Expresso deu eco através de uma notícia de primeira página que o software GCompris, que estava instalado nos computadores Magalhães distribuídos aos alunos do ensino básico tinha um número elevado de erros graves de tradução para português. O que era absolutamente verdade!

No entanto no mesmo jornal, apesar de ter tido sido informado que entre o fim do mês de Dezembro e início de Janeiro e também no Sábado passado, as falhas haviam sido corrigidas, e as já estavam disponíveis para instalação em qualquer computador com acesso à Internet e que os erros de português estavam circunscritos ao pacote do GCompris. Resolveu omitir esta parte da verdade.

O Expresso também noticiou que a pessoa que havia traduzido o software tinha apenas a quarta classe, o que é falso, a pessoa fez a quarta classe em Portugal e continuou os estudos no estrangeiro (tendo agora uma licenciatura em filosofia e outra em informática).

Tudo isto deu origem a uma remoção do GCompris da imagem que vem instalada de fábrica no Magalhães.

Podem saber mais sobre este caso em:

http://blog.softwarelivre.sapo.pt/2009/03/10/ataque-ao-governo-software-livre-ou-ambos/

http://pinguinsmagicos.blogs.sapo.pt/

http://blog.softwarelivre.sapo.pt/2009/03/11/peticao-pela-reposicao-do-gcompris-no-magalhaes/

Lembro também que durante anos a fio o jornal Expresso teve como muito importante fonte de receitas publicitárias a m$ (uma das faces do saco no qual era distribuído a todos os leitores era da exclusividade desta). Por isso esta falta de imparcialidade na notícia é extremamente suspeita. Não será esta uma tentativa de agradar à empresa para que esta volte a investir fortemente na publicidade neste jornal?

Tendo em conta as repetidas graves falhas de segurança que por vezes demoram anos a serem corrigidas no window$ xp e em outros produtos da m$. Não será essa uma razão muito mais forte para a remoção do software da imagem de fábrica do Magalhães?

A falta de imparcialidade e seriedade no tratamento desta questão é chocante. Havia de facto um problema sério, que foi corrigido e há neste momento uma quantidade de pessoas que se interessou por garantir uma tradução de qualidade do GCompris, não havendo por isso qualquer razão, provida de razão para remover o dito software da imagem.

Exijam o razoável! Assinem a petição para que o GCompris seja reposto:

http://www.petitiononline.com/gcomagpt/petition.html

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Lembro também que durante anos a fio o jornal Expresso teve como muito importante fonte de receitas publicitárias a m$ (uma das faces do saco no qual era distribuído a todos os leitores era da exclusividade desta). Por isso esta falta de imparcialidade na notícia é extremamente suspeita. Não será esta uma tentativa de agradar à empresa para que esta volte a investir fortemente na publicidade neste jornal?

falco, deves ter algum problema. Tudo o que acontece é sempre mão da Microsoft.

Quanto ao resto, guerrinhas sem importância.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Acho que o software é removido apenas se o utilizador quiser, eles até tinham uns instruções para desinstalar o GCompris através do Gestor de Pacotes. Ou irá ser removido de futuras versões do Magalhães?

Falco, acho que sendo um erro mais comum de se perceber (erros de português, ainda mais estando a falar de uma ferramenta de educação) do que uma falha de segurança, teve lugar à noticia. Se o mesmo acontecesse em Windows, mais que certo que iria ser essa aplicação criticada, não se trata de nenhuma forma um ataque ao software livre.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Na realidade, o ataque é todo ele direccionado ao "Magalhães"... em todas as notícias sobre este caso o titulo é algo do género: "Magalhães com erros de ortografia" ou qq coisa do género... enfim... :P

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não tenho nada contra o magalhães mas a questão essencial é que é um pouco indignante vermos erros ortográficos num PC que é dirigido a alunos do 1º Ciclo, é que reparem, eles estão a aprender a ler e a escrever. E um PC que foi desenhado para aumentar o sucesso escolar não me parece que assim chegue lá... enfim.

O que há a fazer é corrigir os erros quanto antes.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

A questão é que os erros foram corrigidos, mesmo antes de a última notícia ter sido lançada, é mais um belo exemplo do óptimo jornalismo que temos. Não entro pelas teorias da conspiração, não tenho qualquer dado que me permita comprovar ou negar um ataque ao software livre, mas exista ou não, só demonstra a constante deturpação de notícias, e com ou sem conspirações é flagrante o louvor que existe sempre à Microsoft, e o depreciar que existe em relação ao software livre, embora não seja apenas relativo à Microsoft, e seja até comum em relação às mesmas duas empresas da área de desenvolvimento em Portugal, ficando todas as outras na sobra e ignorância.

Enfim, a questão para mim, além da notícia francamente má, é que a solução dos responsáveis passou por retirar o sistema e não por resolver o problema. O software está melhor e deveria manter-se nos novos computadores a serem distribuídos e não ser removido.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

falco, deves ter algum problema. Tudo o que acontece é sempre mão da Microsoft.

Neste caso eu estava a levantar a suspeita em relação ao jornal e não à m$. Por isso o único que aqui deve tera algum problema em relação a alguém deves ser tu, em relação a mim.

Acho que o software é removido apenas se o utilizador quiser, eles até tinham uns instruções para desinstalar o GCompris através do Gestor de Pacotes. Ou irá ser removido de futuras versões do Magalhães?

Não fui muito claro, quanto a isso.

O Governo publicou uma recomendação de remoção. Os efeitos que essa recomendação pode ter junto de professores e pais pode eventualmente vir a ser semelhante ao de uma ordem.

Para além disso foi dada ordem para não incluir o GCompris nas imagens a ser instaladas na fábrica.

Se o mesmo acontecesse em Windows, mais que certo que iria ser essa aplicação criticada, não se trata de nenhuma forma um ataque ao software livre.

A questão é que tudo isto foi explicado à jornalista, por isso a jornalista não tem qualquer razão para ver as coisas dessa forma.

Mas ainda assim a questão não é essa, a questão é a medida desproporcionada que é a remoção do software, quando ainda por cima estão disponíveis correcções. Essa medida deverá ser revertida e é esse o objectivo da petição.

ferpedes, os erros já foram corrigidos! E as correcções começaram a estar disponíveis em Outubro de 2008 (anteriormente tinha dito Dezembro mas Outubro é o mês correcto).

E sim é muito mau que isto tenha acontecido! No entanto tenho estado a acompanhar a situação e neste momento está a ser organizado um esforço para garantir no Futuro uma tradução contínua e de qualidade para este pacote de software e estas sim são as medidas que devem ser tomadas na presente situação a par das já tomadas no sentido de corrigir e distribuir correcções.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Infelizmente o GCompris está a ser vitima de guerras políticas, e daí ser removido. Na minha humilde opinião, o problema não está no facto de a Caixa Mágica não ter, como devia, certificar-se que o GCompris atingia os requisitos mínimos de qualidade antes de o incluir. O problema está sim no facto de ter sido no "Magalhães" a detectar-se o problema...

Tenho pena, pois o esforço gasto por muitos a "deitar abaixo" poderia converter-se num esforço para traduzir melhor e melhorar o Gcompris (e outros)... mas os dividendos politicos serão maiores se as coisas correrem menos bem.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

haztik, vou ter que discordar! A Caixa Mágica devia ter feito o controlo de qualidade, aliás isso já foi admitido publicamente pela mesma, como sendo uma falha da sua parte.

Mas sim em vésperas de eleições só faltava dizer que tinha sido ao deputado do PSD que se meteu a fazer barulho com isto (querendo mesmo a presença da Ministra da Educação no plenário da AR), o Primeiro Ministro, ou a Ministra da Educação a fazer a tradução.

É óbvio que não há qualquer responsabilidade governamental neste caso e o governo não tem que responder por este problema no GCompris. Já em outros casos a situação poderá ser diferente...

Não sou fã, nem do governo, nem do magalhães... Mas isto que o PSD e os média fizeram neste caso é injusto, pois não contaram toda a verdade.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

haztik, vou ter que discordar! (...)

Ou eu escrevo (e leio) mal português ou acabaste de concordar comigo :thumbsup:

Parece-me que estamos os dois a dizer o mesmo.  :)

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não!

Não concordámos totalmente, porque independentemente do achar que há um aproveitamento mesquinho para fins intriguistas entre partidos políticos. Eu acho que o problema é mesmo a Caixa Mágica não ter feito o controlo de qualidade, o resto é secundário.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Na minha humilde opinião, o problema não está no facto de a Caixa Mágica não ter, como devia, certificar-se que o GCompris atingia os requisitos mínimos de qualidade antes de o incluir. O problema está sim no facto de ter sido no "Magalhães" a detectar-se o problema...

Ele concorda contigo falco. Quando ele diz "o problema não está no facto de...", está a querer dizer a "a razão pela qual esta notícia foi tão empolada não foi...". É óbvio que o problema real é esse mesmo.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

falco, não consegues escrever um tópico sem atacar os produtos da Microsoft (ou equivalente). Tens sempre de dizer mal de algum produto para mostrar que os produtos da comunidade de "Software Livre" são superiores. Só tenho pena que sejas tu e todos os outros fanáticos pelo Software Livre, que lhe tirem toda a credibilidade. Como tu existem muitos outros, como deu para ver nos blogs que referiste no teu post inicial. Muitas vezes até fazem o mesmo que acusam a Microsoft de fazer, manipulando factos (não estou a dizer que é o teu caso em particular).

Olha para o exemplo do Firefox. Os tipos em relativamente poucos anos conseguiram ter uma cota de mercado fantástica e com um crescimento cada vez maior. Isto tudo sem dizerem mal dos produtos da concorrência. As pessoas têm mudado pelo mérito do produto.

Eu já tive oportunidade de usar o Caixa Trágica, e deve ser das piores distribuições que já experimentem (utilizei em particular a versão instalada num dos portáteis e-Escolas). Tenho mesmo pena das pessoas que efectivamente são _enganadas_, quando são prometidas um sistema operativo "a sério" e no fim chegam há conclusão que afinal não é um "mar de rosas".

Aliás, segundo li no blog que referiste, (não sei se é verdade ou não), a CM só teve 1 mês para preparar uma imagem para o Magalhães. Não sei como é que alguém consegue lançar um produto com qualidade _razoável_ em tão pouco tempo... Se o tal pacote em questão não sofreu testes de qualidade, então não devia ser incluído na distribuição. Como parece que a CM já assumiu o erro em questão, espermos que não se repita.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
falco, não consegues escrever um tópico sem atacar os produtos da Microsoft (ou equivalente)

Neste thread só critiquei o jornal, a jornalista e o governo por ter agido de forma desproporcionada à situação actual e a casos de outros defeitos em outros softwares.

A única referência à m$ que fiz, foi para levantar uma suspeita sobre o jornal e não sobre a m$ e para estabelecer um paralelo entre casos em que houveram defeitos graves em sistemas. Ou seja, para criticar o tratamento desigual feito pelo governo e não para criticar a m$.

Não tenho culpa que m$ seja um tão bom exemplo de más situações, isso é culpa exclusiva da m$.

Tendo em conta isso, o teu ataque pessoal, não só não tem qualquer sentido, como mostra que o único fanático aqui és tu.

Olha para o exemplo do Firefox. Os tipos em relativamente poucos anos conseguiram ter uma cota de mercado fantástica e com um crescimento cada vez maior. Isto tudo sem dizerem mal dos produtos da concorrência

Isso de não criticarem não é verdade.

E a quota de mercado não é fantástica é bastante moderada. Talvez conseguissem uma fantástica se o mercado fosse realmente livre.

Os portáteis do e-escolas foram escolhidos por serem compatíveis com várias versões de window$, infelizmente sei que as pessoas que quiseram incluir GNU/Linux numa oferta de qualidade (com máquinas suportadas correctamente), tiveram barreiras por parte dos OEM e do governo, que não demonstraram qualquer interesse real nisso. Por isso alguns desistiram, a Caixa Mágica optou por não desistir.

Também não morro de amores pela Caixa Mágica, mas não é isso que está em discussão.

Quanto à questão do controlo de qualidade, segundo o li apenas esse pacote não terá tido o controlo de qualidade na sua totalidade (foi apenas parcialmente controlado).

A Caixa Mágica tem aceitado submeter-se a tudo para poder ter uma oferta no mercado, o governo e outros envolvidos em projectos governamentais, têm ditado condições injustas, desiguais e em alguns casos sei mesmo que houve sabotagem. Infelizmente não posso falar publicamente sobre algumas dessas situações, das quais de alguma forma consegui ter conhecimento porque poderia colocar algumas pessoas em sarilhos.

Mas não desviemos o assunto da thread que é a petição para a re-inclusão do GCompris.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

falco, deves ter algum problema. Tudo o que acontece é sempre mão da Microsoft.

sublinho...

eu já so venho á secção de noticias para ler "a conspiração do dia"

em relação à vossa intolerância contra certos tipos de software... o software livre nem sempre é a melhor opção, o software proprietário ainda é uma necessidade!! Parece-me óbvio e muito justo que o governo e a ministra se responsabilizem pela falha, eles são os responsáveis por tudo o que os professores põe à frente dos alunos...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Sofware livre é um modelo de licenciamento, não é software, por isso compara-lo com software é no mínimo idiota.

Software Livre é sempre o modelo correcto! Porque é o único modelo de licenciamento que respeita os utilizadores e não os coloca numa situação legal de dependência técnica.

O Governo não é responsável neste caso, assim como os professores também não são os fabricantes e distribuidores do magalhães e por isso não são responsáveis por ele.

Se aqui há alguém responsável por falhar, são exclusivamente o tradutor e a Caixa Mágica. Que são as entidades responsáveis por fazer bem e certificar-se que estava bem feito.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Software Livre é sempre o modelo correcto! Porque é o único modelo de licenciamento que respeita os utilizadores e não os coloca numa situação legal de dependência técnica.

Podes fundamentar a tua "opinião"?

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Software Livre é sempre o modelo correcto! Porque é o único modelo de licenciamento que respeita os utilizadores e não os coloca numa situação legal de dependência técnica.

Nem sempre é o modelo mais correcto, afirmar que é sempre o modelo correcto é ser dogmático.
0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

O Software Livre é sempre o modelo de licenciamento mais correcto, e terei essa opinião, até alguém me convencer do contrário.

Seria dogmático se não tivesse aberto a aceitar argumentos válidos em contrário. Apenas ainda não encontrei e  não me apresentaram argumentos válidos em contrário e tenho esta opinião baseada em anos de estudo do tema, pensamento, experimentação e vivência, por isso não é fácil de convencerem-me do contrário, embora não seja impossível.

Resumidamente:

* não acho aceitável ter menos que as quatro liberdades da definição do Software Livre;

* não gosto de monopólios, e o software proprietário é um monopólio. O direito de autor concede por omissão ao autor determinados direitos exclusivos ao autor, ou seja controlados/monopolizados, pelo autor, que se não forem licenciados pelo autor, como acontece no caso do Software Livre, criam monopólios sobre a obra e sobre a prestação de determinados serviços relacionados com a obra. Isto vai contra o mercado livre, baseado no mérito da oferta e da qualidade do trabalho de cada um;

* o software proprietário cria legalmente dependência do fornedor;

* o software proprietário interfere com a liberdade individual do dono do computador, de controlar exactamente tudo o que o seu computador faz;

* o software proprietário impede o utilizador de procurar a solução mais adequada, ao limitar os direitos do utilizador, limita as escolhas possíveis;

Com muito mais detalhe:

http://www.gnu.org/philosophy/philosophy.html

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora