• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

Rui Carlos

Debian GNU/Linux 5.0 released

13 mensagens neste tópico

February 14th, 2009[/b']

The Debian Project is pleased to announce the official release of Debian GNU/Linux version 5.0 (codenamed Lenny) after 22 months of constant development. Debian GNU/Linux is a free operating system which supports a total of twelve processor architectures and includes the KDE, GNOME, Xfce, and LXDE desktop environments. It also features compatibility with the FHS v2.3 and software developed for version 3.2 of the LSB.

Debian GNU/Linux runs on computers ranging from palmtops and handheld systems to supercomputers, and on nearly everything in between. A total of twelve architectures are supported: Sun SPARC (sparc), HP Alpha (alpha), Motorola/IBM PowerPC (powerpc), Intel IA-32 (i386), IA-64 (ia64), HP PA-RISC (hppa), MIPS (mips, mipsel), ARM (arm, armel), IBM S/390 (s390), and AMD64 and Intel EM64T (amd64).

Debian GNU/Linux 5.0 Lenny adds support for Marvell's Orion platform which is used in many storage devices. Supported storage devices include the QNAP Turbo Station series, HP Media Vault mv2120, and Buffalo Kurobox Pro. Additionally, Lenny now supports several Netbooks, in particular the Eee PC by Asus. Lenny also contains the build tools for Emdebian which allow Debian source packages to be cross-built and shrunk to suit embedded ARM systems.

Debian GNU/Linux 5.0 Lenny includes the new ARM EABI port, armel. This new port provides a more efficient use of both modern and future ARM processors. As a result, the old ARM port (arm) has now been deprecated.

This release includes numerous updated software packages, such as the K Desktop Environment 3.5.10 (KDE), an updated version of the GNOME desktop environment 2.22.2, the Xfce 4.4.2 desktop environment, LXDE 0.3.2.1, the GNUstep desktop 7.3, X.Org 7.3, OpenOffice.org 2.4.1, GIMP 2.4.7, Iceweasel 3.0.6 (an unbranded version of Mozilla Firefox), Icedove 2.0.0.19 (an unbranded version of Mozilla Thunderbird), PostgreSQL 8.3.6, MySQL 5.0.51a, GNU Compiler Collection 4.3.2, Linux kernel version 2.6.26, Apache 2.2.9, Samba 3.2.5, Python 2.5.2 and 2.4.6, Perl 5.10.0, PHP 5.2.6, Asterisk 1.4.21.2, Emacs 22, Inkscape 0.46, Nagios 3.06, Xen Hypervisor 3.2.1 (dom0 as well as domU support), OpenJDK 6b11, and more than 23,000 other ready-to-use software packages (built from over 12,000 source packages).

With the integration of X.Org 7.3 the X server autoconfigures itself with most hardware. Newly introduced packages allow the full support of NTFS filesystems and the use of most multimedia keys out of the box. Support for Adobe® Flash® format files is available via the swfdec or Gnash plugins. Overall improvements for notebooks have been introduced, such as out of the box support of CPU frequency scaling. For leisure time several new games have been added, including puzzle games as well as first-person shooters. Also notable is the introduction of goplay, a graphical games browser offering filters, search, screenshots and descriptions for games in Debian.

The availability and updates of OpenJDK, GNU Java compiler, GNU Java bytecode interpreter, Classpath and other free versions of Sun's Java technology, into Debian GNU/Linux 5.0 allow us to ship Java-based applications in Debian's main repository.

Further improvements in system security include the installation of available security updates before the first reboot by the Debian Installer, the reduction of setuid root binaries and open ports in the standard installation, and the use of GCC hardening features in the builds of several security-critical packages. Various applications have specific improvements, too. PHP for example is now built with the Suhosin hardening patch.

For non-native English speaking users the package management systems now support translated package descriptions and will automatically show the description of a package in the native language of the user, if available.

Debian GNU/Linux can be installed from various installation media such as DVDs, CDs, USB sticks and floppies, or from the network. GNOME is the default desktop environment and is contained on the first CD. Other desktop environments — KDE, Xfce, or LXDE — can be installed through two new alternative CD images. Again available with Debian GNU/Linux 5.0 are multi-arch CDs and DVDs supporting installation of multiple architectures from a single disc; and this release adds Blu-ray Discs, allowing the archive for an entire architecture to be shipped on a single BD.

In addition to the regular installation media, Debian GNU/Linux can now also be directly used without prior installation. The special images used, known as live images, are available for CDs, USB sticks, and netboot setups. Initially, these are provided for the amd64 and i386 architectures only.

The installation process for Debian GNU/Linux 5.0 has been improved in many ways: among many other improvements, support for installation from more than one CD or DVD has been restored, firmware required by some devices can be loaded by using removable media, and installations via Braille display are supported. The installer boot process has also received much attention: a graphical menu can be used to choose front-ends and desktop environments, and to select expert or rescue mode. The installation system for Debian GNU/Linux has now been translated to 63 languages.

Debian GNU/Linux can be downloaded right now via bittorrent (the recommended way), jigdo or HTTP; see Debian GNU/Linux on CDs for further information. It will soon be available on DVD, CD-ROM and Blu-ray Disc from numerous vendors, too.

Upgrades to Debian GNU/Linux 5.0 from the previous release, Debian GNU/Linux 4.0 (codenamed Etch) are automatically handled by the aptitude package management tool for most configurations, and to a certain degree also by the apt-get package management tool. As always, Debian GNU/Linux systems can be upgraded painlessly, in place, without any forced downtime, but it is strongly recommended to read the release notes for possible issues, and for detailed instructions on installing and upgrading. The release notes will be further improved and translated to additional languages in the weeks after the release.

[...]

Depois dos adiamentos, até acabou por chegar mais cedo do que estava à espera.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Como é habitual essa notícia encontra-se traduzida se acederem com um browser com identificação PT:

Debian GNU/Linux 5.0 lançado

14 de Fevereiro de 2009

Após 22 meses de constante desenvolvimento, o Projecto Debian tem o prazer de anunciar o lançamento oficial da Debian GNU/Linux versão 5.0 (nome de código "Lenny"). Debian GNU/Linux é um sistema operativo livre que suporta um total de doze arquitecturas de processador e inclui os ambientes de trabalho KDE, GNOME, Xfce e LXDE. Também fornece compatibilidade com o FHS v2.3 e software desenvolvido para a versão 3.2 do LSB.

Debian GNU/Linux corre em computadores desde 'palmtops' e outros sistemas de mão até supercomputadores, e em quase tudo pelo meio. É suportado um total de doze arquitecturas: Sun SPARC (sparc), HP Alpha (alpha), Motorola/IBM PowerPC (powerpc), Intel IA-32 (i386), IA-64 (ia64), HP PA-RISC (hppa), MIPS (mips, mipsel), ARM (arm, armel), IBM S/390 (s390), e AMD64 e Intel EM64T (amd64).

Debian GNU/Linux 5.0 "Lenny" adiciona suporte para a plataforma Orion da Marvell, a qual é usada em muitos dispositivos de armazenamento. Os dispositivos suportados incluem a série QNAP Turbo Station, o HP Media Vault mv2120, e Buffalo Kurobox Pro. Adicionalmente, "Lenny" suporta vários Netbooks, em particular o Eee PC da Asus. "Lenny" também contém as ferramentas de construção para Emdebian as quais permitem que pacotes fonte Debian possam ser adaptados e encolhidos para respeitarem sistemas embebidos ARM.

Debian GNU/Linux 5.0 (Lenny) inclui o novo 'port' ARM EABI, "Armel". Este novo 'port' disponibiliza uma utilização mais eficiente para processadores ARM tanto modernos como futuros. Como resultado, o antigo 'port' ARM (arm) foi agora descontinuado.

Este lançamento inclui numerosos pacotes de software actualizados, como o K Desktop Environment 3.5.10 (KDE), uma versão actualizada do ambiente de trabalho GNOME 2.22.2, o ambiente de trabalho Xfce 4.4.2, LXDE 0.3.2.1, o desktop GNUstep 7.3, X.Org 7.3, OpenOffice.org 2.4.1, GIMP 2.4.7, Iceweasel 3.0.6 (uma versão sem marca do Mozilla Firefox), Icedove 2.0.0.19 (uma versão sem marca do Mozilla Thunderbird), PostgreSQL 8.3.6, MySQL 5.0.51a, GNU Compiler Collection 4.3.2, kernel Linux versão 2.6.26, Apache 2.2.9, Samba 3.2.5, Python 2.5.2 e 2.4.6, Perl 5.10.0, PHP 5.2.6, Asterisk 1.4.21.2, Emacs 22, Inkscape 0.46, Nagios 3.06, Xen Hypervisor 3.2.1 (suporte a dom0 assim como a domU), OpenJDK 6b11 e mais de 23.000 outros pacotes de software prontos a usar (construídos a partir de mais de 12.000 pacotes fonte).

Com a integração do X.Org 7.3 o servidor X auto-configura-se com a maioria do hardware. Pacotes recentemente introduzidos permitem suporte completo a sistemas de ficheiros NTFS ou ao uso 'instantâneo' da maioria das teclas multimédia. Suporte para ficheiros de formato Adobe® Flash® está disponível via swfdec ou plugin Gnash. Foram introduzidos melhoramentos gerais para notebooks, como o suporte 'instantâneo' do escalonamento da frequência da CPU. Para tempos de lazer foram adicionados vários jogos novos incluindo jogos de puzzles assim como 'first-person shooters'. Uma alteração notável é a introdução do "goplay", um navegador gráfico de jogos que oferece filtros, busca, capturas de écran, e descrições para jogos, na Debian.

A disponibilidade e actualizações do OpenJDK, compilador Java GNU, interpretador bytecode Java GNU, Classpath e outras versões livres da tecnologia Java da Sun, na Debian GNU/Linux 5.0 permite-nos inserir aplicações baseadas em Java no repositório principal ("main") da Debian.

Mais melhoramentos relativos à segurança do sistema incluem a instalação de actualizações de segurança disponíveis antes do primeiro arranque pelo sistema de instalação, a redução de binários 'setuid root' e portos abertos na instalação standard assim como a construção de vários pacotes de segurança crítica com funções GCC Hardening. Também várias aplicações tiveram melhoramentos específicos. O PHP, por exemplo, é agora construído com a patch Suhosin hardening.

Para utilizadores não nativos da língua Inglesa, os sistemas gestores de pacotes agora suportam descrições de pacotes traduzidas os quais irão automaticamente mostrar a descrição do pacote na linguagem nativa do utilizador, caso disponível.

Debian GNU/Linux pode ser instalado de várias médias de instalação como DVDs, CDs, 'pens' USB e disquetes, ou a partir da rede. O GNOME é o ambiente de trabalho predefinido e está contido no primeiro CD. Outros ambientes de trabalho - KDE, Xfce ou LXDE podem ser instalados através de duas novas imagens de CD alternativas. Mais uma vez, disponível com Debian GNU/Linux 5.0 estão CDs e DVDs de multi-arquitectura suportando a instalação de múltiplas arquitecturas desde um único disco, e este lançamento adiciona discos Blu-Ray permitindo arquivos para uma arquitectura inteira serem lançados numa única média de instalação.

Adicionalmente ao meio de instalação regular, a Debian GNU/Linux pode também ser usada directamente sem instalação prévia. Estas imagens especiais são também conhecidas como imagens Live e estão disponíveis em CDs, canetas USB e diferentes formas de configurações de rede. Inicialmente, estas são apenas disponibilizadas para as arquitecturas amd64 e i386

O processo de instalação da Debian GNU/Linux 5.0 foi melhorado em muitas maneiras: entre muitos outros melhoramentos, foi restaurado o suporte para instalação a partir de mais que um CD ou DVD, o firmware necessário para alguns dispositivos pode ser carregado usando médias removíveis e é suportada a instalação através de écran Braille. O processo de arranque do instalador também recebeu muita atenção: Pode ser usado um menu gráfico para escolher 'front-ends' e ambientes de trabalho, e para seleccionar modos avançado (expert) e de recuperação (rescue). O sistema de instalação da Debian GNU/Linux está agora traduzido em 63 linguagens.

Debian GNU/Linux pode ser descarregado agora via bittorrent (o método recomendado), jigdo ou HTTP; veja Debian GNU/Linux on CDs para mais informação. Irá também estar brevemente disponível em DVD, CD-ROM e disco Blu-Ray de inúmeros distribuidores.

As actualizações para Debian GNU/Linux 5.0 a partir do lançamento anterior, Debian GNU/Linux 4.0 (nome de código "etch"), são automaticamente geridas pela ferramenta de gestão de pacotes aptitude para a maioria das configurações, e até a um certo ponto, também pela ferramenta de gestão de pacotes apt-get. Como sempre, os sistemas Debian GNU/Linux podem ser actualizados no local e sem problemas, sem nenhum tempo inactivo forçado, mas é fortemente recomendado que leia Notas de lançamento para possíveis problemas, e para instruções detalhadas ao instalar e actualizar. As notas de lançamento irão ser melhoradas e traduzidas em mais linguagens durante as semanas após o lançamento.

Dedicação

Debian GNU/Linux 5.0 "Lenny" é dedicado a Thiemo Seufer, um desenvolvedor Debian que faleceu em 26 de Dezembro de 2008, num trágico acidente de automóvel. O Thiemo estava envolvido em Debian de muitas maneiras. Ele manteve vários pacotes e era o principal a contribuir para os 'ports' Debian para a arquitectura MIPS. Era também um membro do nossa equipa de kernel, assim como membro da equipa do Instalador Debian. As suas contribuições ultrapassaram em muito o projecto Debian: Ele trabalhou também no 'port' MIPS do kernel Linux, na emulação 'MIPS' do 'qemu', e em demasiados projectos mais pequenos para serem referidos aqui.

O trabalho de Thiemo, o seu empenho, os seus amplos conhecimentos técnicos e a sua habilidade de os partilhar com os outros irá deixar saudades. As suas contribuições não serão esquecidas. O nível de excelência de trabalho do Thiemo serão dificeis de continuar.

Já agora parabéns à equipa de traduções para português: http://www.debian.org/international/l10n/po-debconf/rank  (99% actualmente)

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Só vi o email agora.

Provavelmente vou fazer download e instalar por cima deste Ubuntu 7.04, visto os repositórios dele já não estarem disponíveis.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Quando sairá a versão testing?!

cumps  :P

A versão testing já é o squeeze (de referir que a equipa de segurança ainda não está a tratar dos updates de segurança desta versão, por isso talvez seja melhor esperar alguns dias).

http://www.debian.org/releases/testing/

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

A versão testing já é o squeeze (de referir que a equipa de segurança ainda não está a tratar dos updates de segurança desta versão, por isso talvez seja melhor esperar alguns dias).

http://www.debian.org/releases/testing/

Eu queria a testing, porque por exemplo, a stable tem o GNOME v2.22.2 e só na v2.24 é que o Nautilus tem suporte a tab's....

Edit: Estive agora a ver no http://packages.debian.org e essa versão do Gnome (2.24) ainda está em experimental, por isso, ainda vai demorar a entrar em testing...

Se calhar vou optar mesmo por instalar a stable....

cumps  :P

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Alguem aqui usa? Eu era gajo para pôr o debian no próxmo computador onde instalar um SO. Estou satisfeito com o ubuntu, mas as últimas duas ou três releases têm deixado um pouco a desejar em termos de estabilidade. Isto de uma major release de 6 em 6 meses tem empurrado demasiados bugs e muitos faz-desfaz.

Por outro lado a documentação do ubuntu e o suporte comunitários estão cada vez mais robustos e capazes.

Alguem que use o debian pode partilhar a experiencia?

Quanto ao openJDK já o usei aqui há um anito atrás e em geral o software em java que tinha instalado funcionou todo sem problemas à excepção de alguns applets de salas de poker.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Antes de passar a usar Ubuntu usava debian, é ate agora a "versão" linux que mais gosto. É estável, fácil de modificar/configurar, tem apenas o que eu quero, usa o gestor de pacotes que mais gosto e onde mais confio, enfim, tudo no projecto me agrada.

Actualmente uso Ubuntu porque preciso de algumas coisas mais actuais e porque é simplesmente mais rápido ter um sistema pronto a usar, coisa que me interessa mais para já.

A nível de utilização não posso indicar muito porque afinal isso nem depende muito do Debian mas sim de outro programas que colocas em cima, como o Gnome/KDE e afins.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Uso Debian há quase 2 anos e estou bastante satisfeito.

Em primeiro lugar é bastante estável, o que tendo em conta que por vezes tenho a máquina a funcionar como servidor, é um aspecto importante.

Depois, porque consigo ter tudo o que preciso a funcionar. O software da minha impressora, por exemplo, está preparado para meia-dúzia de distros, nas quais é fácil de a pôr a funcionar. Fora destas distros provavelmente seria uma carga de trabalhos...

No gestor de pacotes também encontramos praticamente tudo o que é preciso.

Ainda tem o defeito de instalar muita coisa que nunca irei usar, e pessoalmente sou adepto de ter o mínimo de tralha instalada, restringindo-me ao essencial. Apesar do gestor de pacotes ser muito bom, penso que precisava de um instalador mais flexível ao nível da selecção de pacotes (sempre achei o do Fedora um exemplo neste aspecto). Actualmente obriga-me a, depois da instalação, percorre a lista de software instalado e remover o que não preciso.

Resumindo, apesar de não ser perfeito, acho que o Debian é uma distro equilibrada, e deve ser a que melhor se adapta à minha utilização.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não costumo ter esse problema de pacotes a mais porque uso sempre o netinstall e coloco apenas o que preciso, mas é verdade que a instalação por omissão pode colocar muita coisa que não seria necessário.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Não costumo ter esse problema de pacotes a mais porque uso sempre o netinstall e coloco apenas o que preciso, mas é verdade que a instalação por omissão pode colocar muita coisa que não seria necessário.

Também gostava de instalar o Debian por netinstall mas tirando o gdm e depois Gnome/Xfce/Kde, ñ sei o que é preciso instalar mais, tirando claro os programas essenciais....  :-[

Alguém quer dar ai uma ajuda, como instalar sons e afins?!  :cheesygrin:

cumps  :thumbsup:

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Alguem que use o debian pode partilhar a experiencia?

Eu uso o testing portanto tenho usado o agora stable, lenny. A vantagem é que é muito mais estável em comparação com distros com actualizações mais frequentes. Os programas que têm uma versão anterior (tipo OpenOffice ou Gimp) facilmente se arranja na net ou se compila (com a ajuda do maravilhoso comando apt-get build-dep "XXX" que instala as dependências necessárias para compilar) ou se vai buscar aos repositórios unstable ou experimental.

O suporte para Debian (a nível de tutoriais e afins) é como o ubuntu já que este último baseia-se nele. Esperas sempre mais pela última mariquice do GNOME mas o trabalho de manutenção exigido (menos problemas) quanto a mim compensa bem esses contras.

Alguém quer dar ai uma ajuda, como instalar sons e afins?!  :)

http://www.portugal-a-programar.pt/index.php?showtopic=7917

Edit: Uma análise http://linuxmagazine.uol.com.br/materia/analise_do_debian_50_lenny

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora