• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

(in)dependente

[Duvida] Programar TI-92 Plus

5 mensagens neste tópico

Boa tarde a todos!

Não tenho muita experiência em programação. E, para melhorar o tempo de cálculo, queria criar um programa que fizesse o que preciso. No entanto, encalhei! Trata-se de um programa para uma máquina de cálcular da Texas, TI-92 Plus.

Tenho o seguinte problema:

A involuta "inv()" de um angulo "ang" pode ser calculada pela função

inv(ang)
Func
tan(ang)-ang*Pi/180
EndFunc 

Contudo, em certas situações, a involuta pode ser definida ela equação

invalfa0=Pi*m/(4*ri1)+ inv(alfa)

. Mas neste caso teria que recorrer à definição de involuta para saber a que angulo corresponde.

Descrevi o código de seguinte modo:

Pi*m/(4*ri1)+ inv(alfa)->invalfa0
solve(tan(alfa0)-alfa0*Pi/180=invalfa0,alfa0)->alfa0 

Em que Pi; m; ri1; alfa; alfa0 são variáveis, Pi=3.14..., e inv() é a função involuta.

Mas obtenho erro "Circular Definition" quando efectuado o solve.

Agradecia a ajuda,

Obrigado.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Circular definition é a consequencia prática do que em teoria se chama "sistema de equações com solução indeterminada".

Repara, estás a tentar resolver um sistema em que ambas as equações são equivalentes.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Circular definition é a consequencia prática do que em teoria se chama "sistema de equações com solução indeterminada".

Repara, estás a tentar resolver um sistema em que ambas as equações são equivalentes.

Mas o método de resolução é assim mesmo! Para este caso particular é possivel chegar à solução da involuta do ângulo "alfa0" ("invalfa0") com as duas equações mas só com uma delas é que é possível chegar ao angulo correspondente... Na verdade, é um sistema de duas equações a duas icógnitas.

O meu problema passa por conseguir fazer o programa a resolver o sistema. Sendo que, a 2ª equação está indexada numa função e, por isso, tenho que chamar a função dentro do programa para poder resolver...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Podes sempre experimentar assim:

solve(tan(alfa0)-alfa0*Pi/180=invalfa0|Pi*m/(4*ri1)+ inv(alfa)=invalfa0,alfa0)->alfa0

Mas desconfio que dê o mesmo erro.

Podes afixar links sobre essa função? Nunca ouvi falar de tal coisa.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Podes sempre experimentar assim:

solve(tan(alfa0)-alfa0*Pi/180=invalfa0|Pi*m/(4*ri1)+ inv(alfa)=invalfa0,alfa0)->alfa0

Mas desconfio que dê o mesmo erro.

Podes afixar links sobre essa função? Nunca ouvi falar de tal coisa.

São cálculos para o dente de uma roda dentada...

em que a involuta pode ser cálculada da seguinte forma:

involutahe6.th.jpg

e a espessura do dente assim:

espessuradodenteng7.th.jpg

A particularidade que procuro é o vértice (imaginário) do dente que surge quando a espessura é igual a zero.

A função que criei para calcular a involuta, queria tê-la em separado para poder usar sempre que for oportuno, quer pelo programa que pelos meus cálculos na janela principal de cálculo.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora