Ir para o conteúdo
  • Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #57 da revista programar. Faz já o download aqui!

Ridelight

BE quer travar preços mais altos da Internet no interior

Mensagens Recomendadas

Ridelight    8
Ridelight

O Bloco de Esquerda (BE) apresentou hoje um projecto de lei para acabar com o «escândalo» da proposta discutida na Anacom que permite preços mais altos do acesso à Internet a zonas do interior.

«É um país a duas velocidades», afirmou o deputado bloquista Francisco Louçã que mostrou um mapa de Portugal com as regiões que podem vir a ter reduções de preços no acesso à Internet, no litoral, e aqueles onde os preços de deverão manter, maioritariamente no interior.

No seu projecto, o Bloco pretende incluir o acesso à Internet de banda larga no serviço universal de telecomunicações, fazendo com que os preços sejam «acessíveis» em todo o país e também mais baixos.

«Não faz qualquer sentido que alguém que queira entregar a sua declaração de impostos em Serpa pague um acesso mais caro do que alguém que vive em Gaia ou no Porto», disse.

Para Francisco Louçã, este acordo, a ser aceite pelo regulador, favorece uma empresa, a Portugal Telecom e é «um escândalo».

«Este projecto [de preços] que favorece a Portugal Telecom em particular e que a Anacom se dispõe a aceitar, é uma violação gravíssima dos direitos de regulação e de imposição de regras de transparência e igualdade», afirmou.

O BE defende que o Estado deve determinar um preço máximo para este tipo de serviços da Internet.

A bancada bloquista, que em 2002 apresentou um projecto idêntico mas que nunca chegou à votação final global, propõe-se incluir o acesso à Internet de banda larga no serviço universal de telecomunicações.

Por outro lado, o BE propõe que o acesso à banda larga «a preços acessíveis» não dependa da «subscrição de serviços adicionais».

Diário Digital / Lusa

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
mpeixoto    0
mpeixoto

Este Francisco Louças só diz asneiras da boca para fora. Ele deve pensar que os custos de manutenção e rentabilização no interior são iguais aos do litoral...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos    309
Rui Carlos

Também acho que não faz muito sentido coisas como se vêem agora, da nDSL só em zonas Sapo...

Mas ou o estado compensa a PT, ou obrigam todos os operadores a cobrir todo o país.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
carlosmp70    0
carlosmp70

É um pouco complicado....

A PT está a levar concorrencia a sério nas grandes cidades/litoral.

Mas no interior a PT não tem concorrencia.

Logo tem de baixar os preços nas cidades, mas não quer baixar para as zonas

do interior onde os custos são mais elevados.

Por outro lado a concorrencia, não consegue concorrer com a PT fora das grandes cidades.

E por isso não quer ir para o interior onde os custos são mais elevados e onde domina a PT.

Qual será a solução para isto?

Se houvesse uma infraestrutura comum, acho que seria uma solução.

Separar a PT grossista da PT retalhista,

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
asworm    1
asworm

Eu só digo uma coisa, tanto dinheiro que se gasta todos us dias em m***** sem jeito nenhum, salários exurbitantes, reformas escandalosas, cada vez mais tias que se consideram vips, acham que há falta de dinheiro em portugal??? há é falta de organização, se ouvesse uma pessoa que soubesse gerir o dinheiro, aí sim, estaria a virtude, o Francisco Louçã diz muitas coisas que são verdade, Não é por acaso que foi um crânio a economia na universidade onde estudou, e não foi na independente como o josé Socrates, Ele Sabe o que faz, e não me admira nada que entretanto seja ele a chegar ao puder... cada vez há mais pessoas a "virar" há esquerda...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
mpeixoto    0
mpeixoto

É um pouco complicado....

A PT está a levar concorrencia a sério nas grandes cidades/litoral.

Mas no interior a PT não tem concorrencia.

Logo tem de baixar os preços nas cidades, mas não quer baixar para as zonas

do interior onde os custos são mais elevados.

Por outro lado a concorrencia, não consegue concorrer com a PT fora das grandes cidades.

E por isso não quer ir para o interior onde os custos são mais elevados e onde domina a PT.

Qual será a solução para isto?

Se houvesse uma infraestrutura comum, acho que seria uma solução.

Separar a PT grossista da PT retalhista,

A Anacom é quem dita os preços da PT, a PT não pode praticar os preços que quiser.

Separar a PT grossista da retalhista? Aqui ha uns anos atrás houve um concurso que o estado fez para alugar a rede de cobre existente, a PT concorreu sozinha e agora é dona dela por não sei quantos anos, e é obrigada a alugar ao barato ás outras operadoras que não tem rede própria.

O estado lança outro concurso este ano para a TDT, mais uma vez a PT concorre sozinha, daqui a uns anos vem as outras operadoras fazer queixa á Anacom a exigir que a PT lhes alugue a rede da TDT para eles....

A PT só começou a levar a concorrência a sério desde o spin-off da PTM agora ZON, com 1.5 Milhões de Clientes aproximadamente e sim uma operadora a sério pois tem rede própria.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos    309
Rui Carlos

Separar a PT grossista da retalhista? Aqui ha uns anos atrás houve um concurso que o estado fez para alugar a rede de cobre existente, a PT concorreu sozinha e agora é dona dela por não sei quantos anos, e é obrigada a alugar ao barato ás outras operadoras que não tem rede própria.

O estado vendeu a rede fixa que a MFL andava à procura de receitas para controlar o deficit... E não é obrigada a alugar ao desbarato, simplesmente o serviço grossista tem que manter uma determinada relação com os preços da PT a clientes finais.

Mas há também a questão da PT se ter servido da sua posição de monopólio durante muito anos para chegar aonde chegou.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
mpeixoto    0
mpeixoto

O estado vendeu a rede fixa que a MFL andava à procura de receitas para controlar o deficit... E não é obrigada a alugar ao desbarato, simplesmente o serviço grossista tem que manter uma determinada relação com os preços da PT a clientes finais.

Mas há também a questão da PT se ter servido da sua posição de monopólio durante muito anos para chegar aonde chegou.

A PT é obrigada pela Anacom a alugar a rede aos concorrentes a preços ajustados pela Anacom e não pela PT. Isto é o aluguer de "passagem", e quem trata da manutenção da rede? E quem suporta a manutenção dos clientes das outras operadoras? E quem instala e cria as ligações para os clientes das outras operadoras? Se tiveres uma empresa e quiseres ter um circuito de dados S1, E1 ou outra qualquer e escolhes o operador X, quem trata do processo todo na rede é a PT, inclusive instalar o equipamento final no cliente, a única diferença é que esse cliente paga a factura a operadora X em vez de pagar á PT. Ter empresas de telecomunicações assim é fácil, é só facturar e pagar um aluguerzinho a outra operadora para fazer o trabalho todo...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Rui Carlos    309
Rui Carlos

Ter empresas de telecomunicações assim é fácil, é só facturar e pagar um aluguerzinho a outra operadora para fazer o trabalho todo...

É um aluguerzinho, mas vai-se lá saber como, o PT continua a dar lucros assinaláveis... E estás-te a esquecer que o clientes têm sempre que pagar assinatura à PT nos casos em que toda a linha é toda da PT (i.e., nos casos em que as empresas se limitam a alugar a linha). E tanto quanto sei, nesses casos não é a ANACOM que fixa os preços, ela apenas fixa limites na relação entre o preços grossistas e a retalho.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
aluminium    0
aluminium

Concordo com esta posição do Francisco Louçã. Só quem vive ou viveu no interior é que sabe como as coisas são. É lamentável que se continue a pagar valores vergonhosos por um acesso que não é, de todo, igual ao do litoral.

É um país de desigualdades, em todos os aspectos e é pena que se continue a apoiar essas desigualdades...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
MacgyverPT    1
MacgyverPT

Concordo com esta posição do Francisco Louçã. Só quem vive ou viveu no interior é que sabe como as coisas são. É lamentável que se continue a pagar valores vergonhosos por um acesso que não é, de todo, igual ao do litoral.

É um país de desigualdades, em todos os aspectos e é pena que se continue a apoiar essas desigualdades...

Pagas e bem por um serviço que é uma lástima... Mas como é o único, comes e calas-te... Se fores reclamar levas com as respostas do costume...

Nesse aspecto o Francisco Louçã tem razão...

Mas pronto, isto é apenas um comentário de um utilizador que vive no profundo Alentejo...

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
aluminium    0
aluminium

Pagas e bem por um serviço que é uma lástima... Mas como é o único, comes e calas-te... Se fores reclamar levas com as respostas do costume...

Nesse aspecto o Francisco Louçã tem razão...

Mas pronto, isto é apenas um comentário de um utilizador que vive no profundo Alentejo...

Exactamente.

Trás-os-Montes e Alentejo continuam a ser duas regiões completamente esquecidas pelos governantes, empresas e pelas gentes do litoral.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
Warrior    68
Warrior

O problema é que não custa o mesmo passar cabo por trás-os-montes do que pelo litoral, em que a cada dezena de metros tens um potencial cliente.

E as pessoas tendem a esquecer-se disso, também não é justo toda a gente pagar mais porque é necessário colocar uns quilómetros de cabo para chegar à quinta no cimo do monte.

É um problema complicado.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
aluminium    0
aluminium

Mas quem vive no interior não pode ser prejudicado pelas más decisões dos politicos.

Compreendo esse ponto de vista, mas quem, como eu, viveu no interior, sente na pele o problema.

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
aluminium    0
aluminium

Não foram os políticos que criaram o problema, é injusto atribuí-lo a eles.

Quando me refiro às más decisões políticas, refiro-me às opções tomadas por eles no passado, no que toca a acessibilidades, desenvolvimento, etc. Recordo que o distrito de Bragança é o único distrito do país sem um Km de auto-estrada.

Mas isto ia levar-nos a outros assuntos e ia também fugir ao tema.  :P

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!

Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.

Entrar Agora


×

Aviso Sobre Cookies

Ao usar este site você aceita a nossa Política de Privacidade