• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

anolsi

25 de Abril - A Revolução dos Cravos

Salazar terá merecido ganhar o concurso "O MAIOR PORTUGUÊS DE TODOS OS TEMPOS"?   28 membros votaram

  1. 1. Salazar terá merecido ganhar o concurso "O MAIOR PORTUGUÊS DE TODOS OS TEMPOS"?

    • Sim
      8
    • Não
      20

Please inicie sessão ou registe-se para votar.

63 mensagens neste tópico

Uma vez que estamos tão perto deste dia (este ano, para o ano há mais  ;)), peço a opinião dos utilizadores do P@P sobre este acontecimento e sobre Salazar.Creio que todos concordamos que a Revolução do Cravos trouxe mais liberdade para Portugal, mas então porque foi eleito Salazar o maior português de todos os tempos? Seria o problema do Marcelo Caetano?

Expressem a vossa opinião e não se acanhem!

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Já agora anolsi, porque votaste não?

Passo a explicar a minha opinião. Sim. António Oliveira Salazar (por acaso têm dois dos meus nomes e o último começa pela mesma letra que o meu, mas é apenas uma curiosidade) fez muitas coisas boas a este país, e tirou-o de um estado atrasado (Se lá tivesse ficado hoje não estávamos tão mal de finanças). Mas para isso retirou alguns bens supremos enunciados na declaração universal dos direitos do homem

Artigo 3.º

Todo o indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Artigo 5.º

Ninguém será submetido a tortura nem a penas ou tratamentos cruéis,

desumanos ou degradantes.

Pode ter feito muito pelo país, mas não o fez pelas pessoas (na globalidade), e isso faz com que desça na minha consideração. Embora ache que tinha direito a ficar nos 10 primeiros lugares.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Eu votei sim, e escreveria como justificação o que escreveste aqui, acrescentando apenas:

Ninguém é perfeito, e o Salazar levou as suas ideias um pouco mais longe do que devia. No entanto, todos nós sabemos que não o fez por mal (ou seja, não o fez no sentido de prejudicar a nação, bem pelo contrário), ele acreditava que um estado seguro e com paz viria de uma submissão total do povo a um soberano (ele) (como Thomas Hobbes, por exemplo http://en.wikipedia.org/wiki/Social_contract_theories#Thomas_Hobbes.27s_Leviathan_.281651.29), algo que, no nosso ponto de vista, é inaceitável, já que estariamos a abdicar da nossa liberdade, por mais limitada que fosse, etc etc.

E se acham que isto não é suficiente para justificar um sim, apenas acrescento que o ponto de vista dele, na minha opinião, até é dos melhores para algumas situações pontuais e temporárias (ie., país na bancarrota, guerra civil, etc etc).

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Eu votei sim, e escreveria como justificação o que escreveste aqui, acrescentando apenas:

Ninguém é perfeito, e o Salazar levou as suas ideias um pouco mais longe do que devia.

Acho que o grande problema de todos era mais que o "poder lhes subia à cabeça". ;)  Sei que ninguém é perfeito, mas mantenho a minha opinião em que ficava bem nos 10 primeiros mas não no 1º.

Ele queria tornar-se quase um Deus que ouvia tudo, sabia tudo, mandava em tudo. Foi aí que pecou e que fez com que eu não concordasse com o 1º lugar.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Claro, vocês têm que ver é que é graças a ele que o país está no estado atrasado em que está. Salazar e a Igreja preferiram governar um povo analfabeto e ignorante, uma vez que é mais simples de governar. Além disso, apostou em áreas de desenvolvimento completamente ridículas em vez de nos modernizar. Sim, a única coisa decente que fez na vida foi tirar-nos da "miséria" económica dos anos 20 e da república inicial, mas, enfiou-nos noutro estado de miséria que ainda hoje sofremos...

Btw, votaria sim. Sim porque o maior portugues não é necessariamente o melhor, mas sim o que mais nos tocou..

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Acho que o grande problema de todos era mais que o "poder lhes subia à cabeça". ;)  Sei que ninguém é perfeito, mas mantenho a minha opinião em que ficava bem nos 10 primeiros mas não no 1º.

Ele queria tornar-se quase um Deus que ouvia tudo, sabia tudo, mandava em tudo. Foi aí que pecou e que fez com que eu não concordasse com o 1º lugar.

Mas ele não queria "ser Deus" por querer ser o maior cá da terra, ele queria "ser Deus" porque, tendo esse poder, podia garantir paz à nação, ou nunca ouviste "Deus, Pátria e Família"? Ele para poder salvar a pátria (que foi o que ele fez... no início) precisava de não ter oposição, precisava de apoio incondicional, democratizar NÃO era opção. Porquê? Olha para o parlamento, vês que a oposição não defende os interesses do povo (que é o que é suposto eles fazerem), mas sim os do partido. Eles defendem os interesses de uma elite, e quando algum defende realmente o povo, é bombardeado como se tivesse traido o país (quando, na verdade, apenas traiu os interesses do partido para defender os interesses do povo). Falo do caso do deputado lá de Ponte de Lima (o do queijo Limiano) no tempo do Guterres. ;) E se quiseres um exemplo menos extremo, posso dar-te, por exemplo, o exemplo de uma comunidade online. Quando és admin de uma comunidade e tens um staff que não participa nas decisões para o desenvolvimento da mesma (não considero como participação "façam o que acharem melhor, por mim está bom"), das duas uma: ou esperas por uma decisão do staff e a ideia não sai do papel (ou ficas desmotivado), ou tentas apanhar algum feedback do staff e a ideia vem cá para fora (o que pode ou não dar porcaria) (claro está, também podes sempre renovar o staff, mas assumo que os membros do staff ausentes o estão devido a motivos de força maior). A primeira hipótese, na minha opinião, numa comunidade pequena (até metade do tamanho do P@P p.e.) é democratizar demais, e, embora a segunda opção possa dar porcaria, muitas vezes é mesmo a melhor opção que tens. Agora, $admin = Salazar, $comunidade = Portugal.

Claro, vocês têm que ver é que é graças a ele que o país está no estado atrasado em que está. Salazar e a Igreja preferiram governar um povo analfabeto e ignorante, uma vez que é mais simples de governar. Além disso, apostou em áreas de desenvolvimento completamente ridículas em vez de nos modernizar. Sim, a única coisa decente que fez na vida foi tirar-nos da "miséria" económica dos anos 20 e da república inicial, mas, enfiou-nos noutro estado de miséria que ainda hoje sofremos...

Btw, votaria sim. Sim porque o maior portugues não é necessariamente o melhor, mas sim o que mais nos tocou..

Salazar e a Igreja preferiram governar analfabetos e ignorantes simplesmente porque era o que eles precisavam para seguir as suas ideias, fossem elas certas ou erradas (tens o "tirar-nos da "miséria"" um exemplo para as ideias certas, e tens praticamente tudo o resto para as erradas).

Há uma coisa em que não concordo a 100% contigo: "é graças a ele que o país está no estado atrasado em que está". Pode ter atrasado o país, mas, sinceramente, não sei se ainda existia país se não tivesse ele tomado as rédeas do país. Pode ter feito muita porcaria (e fez), mas evitou a desgraça total do país, e, antes atrasado que espanhol (não que tenha alguma coisa contra eles, mas gosto muito de ser português :D): se estiver atrasado, posso ainda tentar apanhar os outros, se for espanhol já não volto a ser português.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

E está dito! (joao rodrigues)

Eu acho um programa como aquele uma aberração. Em portugal há ainda muito esta mania de tentar classificar as pessoas em vez de aproveitar o potencial que cada pessoa tem. Depois dá nestas aberrações. Um dos programas de televisão mais estupidos que já existiu.

Mas porque é que estamos a falar disso no dia 25 de Abril?!

Quero é festejar o facto de sermos livres, e olhem que isso é um direito humano básico.

Salazar foi bom ou foi mau, foi péssimo, em termos economico-sociais foi um desastre, conseguiu criar um país dos mais pobres da europa e dos com mais défice de conhecimento. Mas para dizer a verdade, isso pouco interessa no fim de contas. Até podia ter sido o governante mais brilhante da história, jamais aprovaria a privação de liberdade que impôs aos portugueses. Para alem disso há a guerra colonial, eu não pactuo com políticas de guerra.

Agora que já estamos quase a chegar aos 35 anos desde o 25 de abril, a distencia temporal começa a ser longa, é tempo de começar a discutir a importancia da liberdade e analizar a liberdade actual. Muito se ganhou no no 25 de abril, mas desde então já se tem perdido muitas liberdades.

Bom feriado a todos, viva a liberdade!

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Claro, vocês têm que ver é que é graças a ele que o país está no estado atrasado em que está.

Salazar tem as costas largas... Daqui a 1000 ainda vão dizer que o país está atrasado por causa de Salazar. 30 anos depois do 25 de Abril, ainda é ele o culpado de ficarmos cada vez mais distantes da Europa, certamente.

O problema de Portugal é simples, continuamos a ser um país de ignorantes, mesmo quando já temos todas as portas abertas. E olha para o que aconteceu antes de Salazar, parece-me que temos é de lhe agradecer, pois antes tinhas um país pobre e de analfabetos, depois pelos menos já não éramos tão pobres (e agora continuamos analfabetos, embora com diplomas, e numa situação económica desastrosa).

É claro que não concordo com a forma como ele limitou a liberdade de expressão das pessoas (e sendo para mim a liberdade o direito mais básico que temos, é o suficiente para considerar o seu desempenho péssimo), mas não me venham dizer que ele é o culpado do nosso atraso.

EDIT: pedrotuga, não te esqueças que também foi ele que nos manteve fora da 2ª guerra mundial (mesmo tendo errado depois na guerra colonial).

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Ele queria tornar-se quase um Deus que ouvia tudo, sabia tudo, mandava em tudo. Foi aí que pecou e que fez com que eu não concordasse com o 1º lugar.

Ele não queria tornar-se um deus. Não era uma pessoa extravagante. Acreditava no governo das elites. Tinha uma mentalidade de "aldeia" que atrasou o país. Mas não é por causa dele que hoje continuamos atrasados até porque há países que já estiveram pior do que nós e hoje estão bem melhor...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Mas não é por causa dele que hoje continuamos atrasados até porque há países que já estiveram pior do que nós e hoje estão bem melhor...

Irlanda p.e.
0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites
JoaoRodrigues:

a única coisa decente que fez na vida foi tirar-nos da "miséria" económica dos anos 20 e da república inicial, mas, enfiou-nos noutro estado de miséria que ainda hoje sofremos...

Vejamos: nos últimos 100 anos houve dois momentos na história de Portugal em que dois homens - e seus muchachos - governaram o país durante 60% desse tempo - ~60 anos.

Salazar e Cavaco Silva, ou melhor, o salazarismo e o cavaquismo, são dois momentos da nossa história contemporânea que moldam, nos aspectos políticos, económicos, culturais, sociais, a nossa vida actual. Um e outro momentos (o 1º durante quase 50 anos, o 2º durante 10) são indiscutivelmente responsáveis pela situação em que hoje vivemos - responsáveis na medida em que o que herdamos é fruto das suas opções, decisões e indecisões, perspicácia ou falta dela - ainda que entre ambos exista uma diferença de regime: o 1º construiu uma ditadura à sua medida; o 2º herdou um regime democrático constitucional.

Nem vou cair na loucura de sugerir que a situação actual de Portugal seja péssima: para uns é óptima para outros é uma desgraça. O que é um facto é que 'isto' que temos hoje é consequência do que eles fizeram ontem; estes e outros.... mas sobretudo estes porque tiveram tempo e meios de sobra para fazer tudo quanto podiam.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Epa... 35 anos pode parecer muito, mas não é assim tanto tempo.

Eu sou natural de uma aldeia com cerca de 1000 habitantes. De estre as pessoas da idade dos meus avós, contando com todas as pessoas que já morreram, havia menos de dez que sabiam ler.

De entre as pessoas da idade dos meus pais, 7 estudaram para alem da quarta classe.

Voces dizem que não é desculpa, mas eu aqui na suécia falo inglês com pessoas de 90 anos que conheço. E qualquer pessoa, inlcuindo reformados faz todas as suas operações bancárias, carregamento de telemovel, compra de bilhetes de autocarro, e todo o tipo de pagamentos via internet.

Como é qum um país em que a esmagadora maioria das pessoas sabe ler e escrever pauperrimamente, a tabuada até ao 10 e os rios de portugal, saiba sequer usar um computador? Até o telefone lhes custa a entender.

Mesmo quando eu andei na escola primária, tinha passado pouco mais de uma dezena de anos do 25 de abril, notava-se claramente uma imaturidade brutal no sistema de ensino, basta olhar para os manuais.

Certo que hoje, em portugal há uma falta de estratégia grande e que já se podia ter avançado muito mais, mas não tenham dúvidas que o atraso a que a ditadura estagnante nos remeteu tem consequencias graves que se sentem ainda hoje. Aliás, toda a gente dá o exemplo da irlanda, mas esquecem-se que os irlandeses são um povo com muito mais património humano do que nós, têm muito mais conhecimento, e isso é que é o verdadeiro poder de um povo, conhecimento, informação.

Olhem para os ucranianos que nos vieram brindar com a sua mão de obra, comparem a mentalidade de trabalho deles com a nossa e vejam porque é que há países que têm uma passada forte no que toca a desenvolverem-se.

Agora, há uma coisa que pessoalmente tenho um grande orgulho enquanto português. Apesar de tudo portugal ainda é um país sem grandes hostilidades e em que os valores de liberdade, paz, etc são encarados de forma séria. com todos os nossos problemas lá vamos seguindo com oum país pacífico, sem problemas sociais demasiado graves, sem conflitos violentos, sem racismo, etc.

Olhando para os vizinhos: frança, espanha e inglaterra, portugal é de longe o país com uma sociedade mais desenvolvida no sentido que sabe respeitar as dferenças.

Outro pequeno (grande) orgulho que tenho é o facto de termos sido dos primeiros países a abolir a pena de morte.

Rui Carlos, a gestão da diplomacia na altura da segunda grande guerra foi na minha opinião bem feita e inteligente. Esse mérito dou-lho sem problemas. Não quero dizer que tudo em que o homem tocava se transformava em m...., pode ter feito mais coisas boas, mas na globalidade as suas políticas foram desastrosas para o país. Mas como já disse, mesmo que tivessem sido brilhantes, privar as pessoas de liberdade jamais caberá nos limites dos meus valores.

Não sei o que ia na cabeça daquele homem, podem dizer que as intenções dele eram boas, etc. Mas um gajo que não é capaz de de perceber o que é liberdade, e que pactua com políticas de tortura, perseguição e guerra, não lhe chamaria propriamente um gajo porreiro e não ia à bola com ele, mesmo que fosse do benfica como eu.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Vocês escrevem muito...

Votei não, concordando com o JêPê (private joke ;)) não é preciso ter feito uma coisa boa para ser o maior Português de todos os tempos no entanto continuo a achar que não foi ele. Se a votação fosse feita aqui na Alemanha até era capaz de votar no Hitler pois ele de facto teve um peso brutalissimo na história deste país e é sem qualquer sombra de dúvidas o alemão mais conhecido de todos os tempos, foi ele que meteu a Alemanha na história mundial..., pena ter sido da forma como foi.

Quanto a Salazar, aos comentários que leio só me passa pela cabeça a frase que os meus pais dizem quando alguém diz "isto no tempo de Salazar é que era"..., quem não viveu nesse regime não sabe do que fala, em troca da liberdade não havia droga, assaltos e afins mas o pânico era bem maior do que vir a ser assaltado.

A escolher "o" maior Português de todos os tempos até era capaz de escolher a Mariza ou o Saramago do que Salazar, a primeira não nasceu em Portugal mas é Portuguesa (e por mim uma grande embaixadora de Portugal no Mundo) enquanto que o segundo é a favor da União Ibérica como País..., mas levou o nome do nosso cantinho ao Nobel.

No entanto, acho que já é paleio a mais para quem se está a basear num programa da treta que até mete um actor dos Morangos com Açúcar nos candidatos..., acho simplesmente absurdo tal coisa. Não por ser actor, até acho que o Ruy de Carvalho, a Eunice Muñoz, a Beatriz Costa e afins seriam excelentes nomes para essa lista mas não uma pessoa que nem sabe o que é representar e se considera como actor.

Fico-me por aqui.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Esperem mais 50 anos e vamos ver se Portugal não vai continuar a ser o mesmo país atrasado, e habitado por analfabetos, mesmo tendo a sua população nascido depois do 25 de Abril.

Um país que tem as taxas de abandono escolar que Portugal tem, não vai longe. Um país que tem um ensino no estado que Portugal tem, não vai longe.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Esperem mais 50 anos e vamos ver se Portugal não vai continuar a ser o mesmo país atrasado, e habitado por analfabetos, mesmo tendo a sua população nascido depois do 25 de Abril.

Um país que tem as taxas de abandono escolar que Portugal tem, não vai longe. Um país que tem um ensino no estado que Portugal tem, não vai longe.

Eu não quero fazer batching nesta discussão, mas isso são consequencias do tipo de sociedade que a ditadura deixou. As mentalidades custam a mudar. Mas os políticos estão a abusar mais e mais, vai chegar a um ponto em que chega a mostarda ao nariz dos portugueses e perdemos todos a paciencia para as tretas do costume.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Há uma coisa em que não concordo a 100% contigo: "é graças a ele que o país está no estado atrasado em que está". Pode ter atrasado o país, mas, sinceramente, não sei se ainda existia país se não tivesse ele tomado as rédeas do país. Pode ter feito muita porcaria (e fez), mas evitou a desgraça total do país, e, antes atrasado que espanhol (não que tenha alguma coisa contra eles, mas gosto muito de ser português :D): se estiver atrasado, posso ainda tentar apanhar os outros, se for espanhol já não volto a ser português.

Bem, nesse aspecto concordo contigo. Antes português que espanhol. E por isso parabéns a todos aqueles que durante a História de Portugal, impediram que perdêssemos a nossa nacionalidade (tanto para a Espanha, como para a Inglaterra, para a França...) ;)

Já que estamos a falar do rumo que o país tomou, acho embora o ciclo natural seja um país ir-se desenvolvendo ao longo do tempo, Portugal está a fazer o contrário. Está a tornar-se um país subdesenvolvido... ;)

As mentalidades, atitudes tanto daqueles que mandam como de muitas pessoas "importantes", são muitas vezes retrógradas. Até temos como exemplo o caso da Carolina Michaelis.

Com sorte daqui a 50 anos somos um país subdesenvolvido (com pouca sorte daqui a 25).

E como ainda não o desejei Bom Feriado e que pensem na Liberdade!

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

O curioso, é que, pelo menos na realidade que conheço, os pais (do tempo do Salazar) incentivam os filhos a estudar, e são os filhos (pós 25 de Abril) que não querem. Os pais sabem das dificuldade por que passaram por não terem tido a oportunidade de estudar, os filhos é que acham que é tudo um mar de rosas, e não precisam de estudar.

Nos jovens de hoje, vemos cada vez mais faltas de respeito pelos professores (e pela sociedade em geral), certamente que também é uma mentalidade herdada do Salazarismos.

E ainda relativamente às mentalidades, um dos problemas da nossa economia actual, é os portugueses gastarem mais do que têm, coisa que é totalmente contrária à mentalidade do tempo de Salazar, em que as pessoas poupavam o pouco que ganhavam.

Mesmo admitindo que o jovens desistirem de estudar, é um problema de mentalidade herdado do tempo de Salazar (coisa que acho uma desculpa esfarrapada), é curioso ver que a mentalidade dos portugueses noutros aspectos mudou sem qualquer problema...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Rui carlos, isso não é nenhuma curiosidade, é a coisa mais natural e previsivel face ao defice de (in)formação dos pais actualmente.

Os pais, como não tiveram eles oportunidade, querem à força que os filhos estudem, para terem um título, serem importantes e outros caprichos idiotas. Mas não o sabem fazer bem.

Há dois estremos que são muito comuns:

ou superprotegem os filhos tornando-os nuns desgraçados que não podem fazer nada porque vão errar (esquecem-se que os jovem precisam de fazer m**** para aprender)

ou, como não tiveram eles oportunidades, estragam os filhos com um esbanjamento brutal, dando-lhe telemoveis, consolas, e tudo o que o filho quiser, sem contrapartidas nenhumas. Adicionalmente dão-lhe toda a liberdade para fazer parvoice e não ter consequencias com os resultados.

Estas deficiencias na educação só existem porque os pais não tiveram eles proprios uma educação que lhes mostrasse como educar os filhos. Eu não culpabilizo os pais por completo, estes têm falta de informação, coitados, bem tentam eles fazer o melhor.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Isso que referes prece-me mais o que acontece com os pais mais recentes, já eles nascidos depois do 25 de Abril (ou que pouco viveram da ditadura). Dar tudo aos filhos, parece-me bastante distante da mentalidade Salazarista, isso é típico do consumismo do pós 25 de Abril.

A maior parte dos problemas têm-se vindo a agravar, quando se isto fosse uma herança da ditadura, devia estar a desaparecer (ou melhor, já tinham desaparecido, como desapareceu a mentalidade do respeito pela autoridade, ou da poupança).

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Acho que isso já é misturar assuntos. Uma coisa é a educação dada pelos pais a outra coisa é o que a altura da Ditadura afectou o país.

Eu neste momento estou a ponderar fazer uma pausa no mestrado, tenho uma licenciatura de Bolonha e sei que é insuficiente mas é o suficiente para começar a trabalhar. Os meus estudos não se devem aos meus pais mas sim a mim, prova disso é que tenho um irmão mais velho que quis interromper os estudos no secundário e tanto eu como o meu irmão tivemos as mesmas oportunidades dadas pelos meus pais. Tratou-se apenas de uma questão de escolhas e os meus pais sempre nos deixaram errar, limitaram-se a sugerir o que na ideia deles seria o melhor para nós, nunca nos forçaram a nada e no entanto até há coisa de 10 anos ambos só tinham a antiga 4ªclasse (a minha mãe já tirou o 9º ano posterior a isso).

Quanto à economia, vejo as coisas de outra forma, antes as pessoas tinham medo de investir agora esse medo já é ousadia a mais. Eu investi nos meus estudos e foi graças a um empréstimo que acabei a minha licenciatura e estou agora em mestrado, estou a gastar mais do que posso mas não se trata de capricho mas sim de investimento. Também pode alegar o factor de estar agora em Erasmus, apesar do meu sucesso escolar neste momento ser uma valente porcaria é garantidamente o ano em que estou a ter mais proveito a nível de formação mas isso já é outra história.

Não confundam as coisas, sff. E o país está como está também é culpa nossa, quantos de vós (que podem votar) foram votar na escolha de um novo PM? Muitos têm o pensamento de "vai para lá sempre um corrupto, nem vale a pena ir votar" quando esses votos poderiam fazer a diferença. Os nossos governos têm sido o resultado de grandes abstenções, o mal começa no povo.

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

No tempo do Salazar é que era...até as ruas estavam limpas!

Os meninos e as meninas tinham aulas separadas, cantava-se o hino, havia uma foto dum velho carcomido em cada sala de aula e uma cruz, ia-se papar a hóstia à igreja, assistia-se à chegada a Lisboa de caixões e de gajos sem pernas e braços a gritar de alucinação por todos os lados, um casal a f*der era considerado um ajuntamento, os rebeldes comunicavam por mensagens cifradas, a bófia jogava às cartas com as vidas das pessoas e a vida regia-se pelo ideal Deus, Pátria e Família. "Angola é nossa, gritarei!".

E depois elegem um gajo que cai de uma cadeira e morre como o maior português! EPIC FAIL!

Se o Salazar fosse o maior, o P@P já tinha fechado por ser considerado um ajuntamento...

"Aqui vamos cantando e rindo..."

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Confesso que tenho alguma dificuldade em perceber como é que ele teve o voto de alguém para maior português de sempre, e tomando como certa a minha definição de "Maior Português de sempre", ou seja, que para mim significa "A pessoa que mais fez pelo país e que mais dignificou o "ser português" ", a sua pessoa não merece admiração da minha parte...

Basta-me o facto da repressão da liberdade para discordar totalmente do título que lhe foi atribuído nesse programa de TV, que se alguma credibilidade podia ter ao início, perdeu-a completamente quando, como já foi referido, passou a constar um pseudo-actor na lista... 

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

O curioso, é que, pelo menos na realidade que conheço, os pais (do tempo do Salazar) incentivam os filhos a estudar, e são os filhos (pós 25 de Abril) que não querem. Os pais sabem das dificuldade por que passaram por não terem tido a oportunidade de estudar, os filhos é que acham que é tudo um mar de rosas, e não precisam de estudar.

Nos jovens de hoje, vemos cada vez mais faltas de respeito pelos professores (e pela sociedade em geral), certamente que também é uma mentalidade herdada do Salazarismos.

E ainda relativamente às mentalidades, um dos problemas da nossa economia actual, é os portugueses gastarem mais do que têm, coisa que é totalmente contrária à mentalidade do tempo de Salazar, em que as pessoas poupavam o pouco que ganhavam.

Mesmo admitindo que o jovens desistirem de estudar, é um problema de mentalidade herdado do tempo de Salazar (coisa que acho uma desculpa esfarrapada), é curioso ver que a mentalidade dos portugueses noutros aspectos mudou sem qualquer problema...

Totalmente de acordo!

Em relação aos pais não incentivarem os filhos a estudarem, todos os defeitos apontados, TODOS, são os que vejo nos pais pós-74. O meu pai que tinha os seus 18 anos em 74, e hoje, não me obriga a estudar, deixa-me errar, e está cá para me puxar a roupa ao pêlo quando é preciso. No entanto, se estudo e tiro boas notas, dá-me X, Y e Z, sempre me ensinou como gerir os meus recursos (sejam financeiros, wtv), etc. Ele tem o 9º ano (equivalência ao 12º na área do curso profissional que tirou, já que tirou o 6º ano + curso profissional no tempo do Salazar), e praticamente tudo o que ele me tem vindo a passar, e que vai fazendo ao longo dos anos, foi graças ao Estado Novo. Quando tiravas um curso na escola industrial, só saias de lá quando tivesses os conhecimentos necessários, e quando saias, tinhas emprego logo, nem que fosse a ganhar pouco. Naquela altura não se formava pessoas por formar, formava-se pessoas para ter uma profissão, e serem boas nessa profissão. Quem não tinha possibildade de tirar um curso superior, tirava logo o profissional, caso contrário seguia pelo liceu e tirava depois o profissional. Depois da revolução, foi incutida na cabeça das pessoas que não, tirar um curso profissional não prestava, que tinha era que haver cursos superiores para todos! Este é só um exemplo de muitos.

E ainda dizem que a culpa é do Salazar, que quem veio depois dele não tem culpa no cartório. Enfim...

0

Partilhar esta mensagem


Link para a mensagem
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou ligue-se para comentar

Só membros podem comentar

Criar nova conta

Registe para ter uma conta na nossa comunidade. É fácil!


Registar nova conta

Entra

Já tem conta? Inicie sessão aqui.


Entrar Agora