• Revista PROGRAMAR: Já está disponível a edição #53 da revista programar. Faz já o download aqui!

Notícias de Tecnologia

  • artigos
    86
  • comentários
    2
  • visualizações
    76114

Autores deste blog

  • FDomingos 56
  • jpaulino 21
  • HecKel 5
  • Rui Carlos 3
  • pedrotuga 1

Sobre este blog

Artigos neste blog

FDomingos

A rede social aposta num interface dinâmico e num design apelativo para criar uma nova forma de consumir conteúdos e informações da rede social. O Flipboard é o grande rival e já leva anos de vantagem.

O Facebook vai entrar em mais uma aventura, desta feita no das aplicações dedicadas a notícias e conteúdos em formato de história. O novo software chama-se Paper e vai ficar disponível a 3 de fevereiro em exclusivo para os utilizadores do iOS. Ainda não existem informações de quando pode chegar a outros sistemas operativos.

Fonte e ver mais: http://tek.sapo.pt/tek_mobile/apps/facebook_paper_chega_em_fevereiro_para_dar_lu_1362893.html

Ver mais: Facebook Paper chega em fevereiro para dar luta ao Flipboard

FDomingos

PT vai estrear domínios .meo e .sapo em 2014

Poderá já não demorar muito para que os primeiros Domínios de Topo Genéricos registados em Portugal fiquem disponíveis para o alojamento de novos sites e conteúdos.

A PT vai estrear os domínios de topo genéricos (Generic top-level domain, ou gTLD) .meo e .sapo em 2014.

A Exame Informática confirmou que a PT pretende estrear os dois novos domínios no âmbito de diferentes iniciativas que vão ser lançadas durante 2014.

A PT foi a única empresa/entidade portuguesa a solicitar o registo de gTLD junto da Internet Assigned Numbers Authority (IANA). Os dois domínios foram atribuídos pela IANA em maio de 2013.

Os gTLD têm como objetivo gerar um novo impulso no que toca à criação de endereços de Internet. Com os novos domínios de topo, torna-se possível criar sufixos inspirados em marcas (como os já referidos .sapo e .meo) ou atividades e objetos (.books, .travel, etc.). Os gTLD são geridos pelas entidades que os reservam e pretendem atuar como alternativas a outros domínios de topo bem conhecidos como o .com, o .org, ou o .pt.

A reserva dos gTLD teve um custo inicial de 185 mil dólares (cerca de 134 mil euros).

A Exame Informática apurou ainda que também a Região Autónoma dos Açores chegou a ponderar o registo de um gTLD com o nome do arquipélago, mas acabou por abandonar o projeto.

Fonte: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/internet/2013-12-13-pt-vai-estrear-dominios-.meo-e-.sapo-em-2014

Ver mais: PT vai estrear domínios .meo e .sapo em 2014

Rui Carlos
Depois de muitos rumores, eis a confirmação oficial. A Google tem um novo telemóvel de marca própria sendo que o destaque do novo elemento da linha Nexus volta a ser a relação qualidade preço.

A Google e a LG voltaram a juntar forças para produzirem o mais recente elemento da linha de dispositivos Nexus. O smartphone apresenta características topo de gama, é o primeiro a ter a versão 4.4 do Android e tem ainda alguns truques de software para cativar os utilizadores. Tudo por 349 dólares, cerca de 256 euros, para a versão de 16GB.

O smartphone apresenta um ecrã de cinco polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 800 de quatro núcleos a 2,3Ghz, 2GB de RAM e um sensor fotográfico de oito megapíxeis com estabilizador ótico de imagem. O Nexus 5 tem ainda NFC, Bluetooth 4.0 e suporte para redes LTE.

[...]

Fonte: http://tek.sapo.pt/tek_mobile/equipamentos/google_nexus_5_estreia_nova_versao_do_android_1345945.html

FDomingos

No fim-de-semana, os sites do Cartão do Cidadão e da Agência para a Modernização Administrativa (AMA) foram atacados por hackers. Durante horas, os dados de acesso dos sites estiveram expostos para o público. A AMA vai apresentar queixa às autoridades.

Sexta-feira à noite, o primeiro alerta começou a correr no circuito da segurança eletrónica: os sites do Cartão do Cidadão (CC) e da AMA foram atacados por alguém com a assinatura de hack_addicted.pt. O nome não permite saber se o ataque foi feito por uma única pessoa ou por um coletivo de hackers, mas sabe-se que os autores desta investida divulgaram, através dos sites atacados, a password e o nome de utilizador usados para assumir o controlo dos dois sites – sendo que um destes sites é conhecido por distribuir o software usado pelo Cartão do Cidadão.

Ao que a Exame Informática apurou, a base de dados que suporta os dois sites tinha o nome de utilizador “root” e a password “mysql@AMA”. Não se sabe se, durante as várias horas em que estiveram disponíveis ao público, os dados foram usados por qualquer outro internauta para aceder, indevidamente, à plataforma que suporta os sites. «É uma password fraca, porque é bastante óbvia. Além disso, é algo que um hacker descobre facilmente através de ferramentas específicas que permitem experimentar várias passwords usadas em vários sites ou serviços. Na minha opinião, é uma password que não devia ser usada em sites tão importantes como são o da AMA e do CC», explica Tiago Henriques, líder do fórum especializado em cibersegurança PTCoreSec, quando questionado pela Exame Informática.

Também em resposta a questões da Exame Informática, a AMA informou que pretende apresentar o caso para a Procuradoria Geral da República para posterior investigação criminal. A AMA informa ainda que já tinha alertado as autoridades, na passada sexta-feira. O que permite confirmar que o ataque teve lugar ainda antes do fim de semana.

A AMA desvaloriza os efeitos práticos do ataque, lembrando que os conteúdos disponibilizados pelos dois sites «são meramente informativos, não transacionais, pelo que não se coloca o risco de violação de segurança de dados sensíveis». A AMA nega ainda qualquer risco de adulteração ou criação de vulnerabilidades no software usado pelo CC (e que é distribuído através do site do CC): «A disponibilização das várias versões de software do cartão de cidadão através do site www.cartaodecidadao.pt é assegurada através de ligações a servidores distintos e isolados, alocados em zona segura, pelo que não se verificou nenhum ataque informático ao software. As versões de software disponibilizadas através do site Cartão de Cidadão são apenas versões executáveis para uso público. O código fonte original está obviamente preservado em lugar seguro e permitiria, em qualquer momento, a reprodução das versões executáveis, caso elas tivessem sido alteradas ou apagadas. No entanto, e como referido, não se verificou qualquer ataque e consequente alteração deste software».

Não foi o Joomla!

Inicialmente, chegou a ser aventada a hipótese de os hackers terem recorrido a uma qualquer vulnerabilidade do Joomla! (uma conhecida plataforma de gestão de conteúdos) para assumir o controlo dos dois sites, mas Tiago Henriques acredita que não foi essa a via usada: «Sabendo as passwords e tendo acesso ao MYSQL, torna-se possível executar comandos sem passar pelo Joomla!»

No domingo, os mesmos hackers publicaram uma segunda vaga de mensagens nos dois sites atacados. Segundo o site WebSegura, que deu a notícia em primeira mão, os autores do ataque publicaram as cópias das páginas desfiguradas dos dois sites num endereço conhecido como Zone H. Desta vez, as mensagens já não continham quaisquer dados sensíveis – apenas referências a informar que os dois sites tinha sido tomados de assalto.

Depois de um período de interrupção de serviço forçada pelos técnicos da AMA, os sites do CC e da AMA voltaram hoje à operacionalidade. Aparentemente, foi feito um reinício do serviço, que terá levado à inclusão de novas passwords e nomes de utilizador. Mas há uma questão que continua por responder: Além dos hackers, quantas pessoas usaram os dados de acesso divulgados publicamente para executar comandos ou inpecionar a plataforma que suporta os dois sites?

Além do processar os dados de milhões de portugueses, o software usado pelo CC serve de base a vários serviços de assinatura digital usados por empresas públicas e privadas.

Fonte: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/internet/2013-05-27-site-do-cartao-do-cidadao-tinha-password-facil-de-descobrir

Ver mais: Site do Cartão do Cidadão tinha password fácil de descobrir

FDomingos

Numa publicação no blogue oficial da empresa, o diretor do projeto Kinect for Windows, Bob Heddle, promete novas possibilidades para empresas e programadores a solo.

A Microsoft confirmou que o Windows também vai receber uma nova versão do Kinect, que é em tudo semelhante ao sensor apresentado em conjunto com a Xbox One. O lançamento da versão para computadores vai acontecer em 2014 e vai ser acompanhado de um novo kit de desenvolvimento (SDK).

O Kinect para Windows vai ter um sensor mais preciso, um microfone com melhor capacidade para filtrar sons ambientes da voz dos utilizadores, vai ter uma maior capacidade de análise a nível de área e profundidade, e tem um sistema refinado de reconhecimento de estruturas corporais.

No evento BUILD 2013 a Microsoft promete revelar mais pormenores sobre o equipamento e SDK, para que os programadores e empresas possam concetualizar a forma como querem tirar partido do novo Kinect para Windows.

Ainda há muito para render

A tecnológica de Redmond acredita que ainda vai vender mais 25 milhões de unidades da Xbox 360. A consola, que tem dominado por completo o mercado norte-americano - onde a consultora NPD faz uma análise de mercado mensal -, terá vendido até ao momento cerca de 77 milhões de unidades em todo o mundo.

A gigante norte-americana acredita assim que vai conseguir atingir a marca de 100 milhões de unidades vendidas em 2018 desde o lançamento, em 2005.

Para confirmar esta "fé" na Xbox 360, e apesar de já ter anunciado o equipamento sucessor, a Microsoft promete que durante as próximas E3 vai esforçar-se por manter o vigor e os níveis de interesse na consola, escreve a revista oficial da consola do Reino Unido.

Fonte: http://tek.sapo.pt/noticias/computadores/nova_versao_do_kinect_para_windows_no_proximo_1318321.html

Ver mais: Nova versão do Kinect para Windows no próximo ano

FDomingos

Já há um multibanco de Bitcoins

A Robocoin esteve a funcionar durante uma conferência nos EUA e trocou milhares de dólares por Bitcoins, a moeda virtual mais popular do momento. A dúvida dos criadores deste multibanco é se é legal.

O problema é que aparentemente não existe regulação para este novo mercado. Os empreendedores estão à procura de uma forma de lucrar com a popularidade das Bitcoins, mas os reguladores ainda não perceberam muito bem o que é ou não legal.

Os irmãos Russell, de Las Vegas, criaram esta máquina multibanco, que aceita dólares e em troca fornece Bitcoins. Mark Russell, um dos irmãos, trabalhava em Las Vegas e trocava pessoalmente dinheiro por Bitcoins e vice-versa. Os dois irmãos criaram o multibanco para ser uma forma de automatizar o trabalho que já faziam, explica a Wired.

Em março, a agência governamental responsável pelos mercados financeiros nos EUA, a FinCEN, definiu que quem fornecesse Bitcoins seria visto como um “transmissor de dinheiro” e, como tal, teria de cumprir uma série de requisitos legais e cumprir normas anti-lavagem de dinheiro e anti-terrorismo.

No entanto, o texto legal desta agência é bastante dúbio e ainda não se percebeu muito bem quais as implicações reais e o que é que, por exemplo, os irmão Russell têm de fazer para tornarem legal a sua máquina multibanco de Bitcoins.

Há empresas nos EUA dispostas a instalar software nas ATM já existentes para lhes possibilitar operarem com Bitcoins também.

Fonte e mais informações: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2013-05-23-ja-ha-um-multibanco-de-bitcoins

Ver mais: Já há um multibanco de Bitcoins

FDomingos

ISPs do Reino Unido bloqueiam sites de pirataria

A indústria do entretenimento no Reino Unido ganhou um caso em tribunal e os fornecedores de Internet estão obrigados a bloquear o acesso a uma lista de 25 sites reconhecidos por partilha de ficheiros ilegais.

O Movie2K e o Download4All estão bloqueados no Reino Unido. No entanto, ativistas pró-pirataria já criaram alguns sites-clone que oferecem exatamente o mesmo conteúdo. A decisão do bloqueio chegou depois de a Motion Picture Association ter ganho uma ação judicial contra uma lista de 25 sites.

Estas páginas permitem o download ou o stream de filmes que são “ripados” a partir de DVDs, por exemplo. A BBC noticia que os maiores operadores de Internet no país acataram a ordem judicial e já estão a bloquear o acesso.

As associações de defesa da propriedade intelectual e da indústria fonográfica querem ainda bloquear o acesso a sites como o Grooveshark, o Filestube ou o Isohunt.

Fonte: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/internet/2013-05-23-isps-do-reino-unido-bloqueiam-sites-de-pirataria

Ver mais: ISPs do Reino Unido bloqueiam sites de pirataria

HecKel

Apercebi-me agora, e parece que é mesmo novo :)

O visual do Flickr mudou radicalmente, está bastante mais moderno e agradável de usar! São várias as novidades a nível de visual, mas também outras novidades nomeadamente o alojamento. Agora oferece 1TB aos seus utilizadores, e fotos em full-format :)

http://www.flickr.com/new/

In the beginning, Flickr innovated the way people share and discover photos. Today, we are shifting the photo-sharing landscape again. We’re releasing a Flickr that’s more spectacular, much bigger, and one you can take anywhere.

In: http://blog.flickr.net/en/2013/05/20/a-better-brighter-flickr/

Thread de discussão: Flickr muda o visual e oferece 1TB aos seus utilizadores

FDomingos

Quando a gigante dos motores de busca disse que ia "limpar" o Webkit não estava a brincar - nos primeiros dias do projeto foram logo eliminadas 4,5 milhões de linhas de código excedentes.

No espaço de um mês a equipa da Google destacada para o projeto Blink, o novo motor de renderização que a tecnológica vai usar no projeto open source Chromium, já removeu cerca de 8,8 milhões de linhas de código-fonte do Webkit.

A novidade foi revelada durante a conferência de Open Web Platform do Google I/O por um dos gestores do Chrome, Alex Komoroske.

Quando a tecnológica norte-americana apresentou o projeto Blink sempre disse que o motor de renderização Webkit - que está na origem de outros browsers como o Safari - é leve, flexível e poderoso, mas que se perdeu ao dar suporte a várias arquiteturas e navegadores de Internet.

O objetivo do Blink passa por partir do Webkit para uma plataforma mais leve e que ao mesmo tempo garanta uma performance melhor. Para já tudo corre dentro do planeado já que a remoção de milhões de linhas de código tem permitido aos engenheiros da Google aumentar a produtividade e focarem-se na evolução de aspetos específicos do novo rendering engine.

No mini-projeto Lazy Block Layout, escreve o TechCrunch, os developers estão a trabalhar na forma como o motor de renderização consegue diminuir o processamento de aplicações Web mais pesadas focando-se apenas nas partes da app que aparecem no ecrã - o que permitiu uma redução no tempo de carregamento de quatro segundos para 32 milisegundos.

O objetivo de construir uma plataforma que permita aumentar a interoperabilidade entre diferentes empresas também parece estar a ser cumprido já que durante o processo de "limpeza" a Google teve a ajuda de técnicos da Adobe, Intel e Microsoft. A Opera também já tinha revelado que ia suportar o Blink em detrimento do Webkit.

Ainda não é certo se as alterações que estão em curso serão visíveis para os utilizadores finais nas próximas versões do Chromium e Google Chrome, mas os programadores vão encontrar várias alterações.

Fonte: http://tek.sapo.pt/noticias/computadores/google_ja_removeu_8_8_milhoes_de_linhas_de_co_1317137.html

Ver mais: Google já removeu 8,8 milhões de linhas de código do Webkit

FDomingos

Os estudos indicam que 94% das folhas de cálculo têm erros. O que significa que o novo software desenvolvido por investigadores do Tec Minho tem uma grande margem de progressão pela frente.

O estudo de Rogoff e Reinhart entrou para a história por preconizar medidas de austeridade – e também por conter erros nas folhas cálculo de Excel que serviram de base às conclusões desse estudo. Se os investigadores que dão nome ao estudo usassem o software Mdsheet, provavelmente, os erros teriam sido detetados na própria folha de cálculo e eventualmente as conclusões seriam diferentes.

O Mdsheet foi desenvolvido por investigadores pelo Laboratório de Software Confiável (HasLab) do Tec Minho para operar como um guia da construção em folhas de cálculo. Atualmente, está disponível uma versão para Libre Office; mas os mentores da aplicação garantem que facilmente recorrem a add ons que permitem o uso da mesma aplicação em folhas de cálculo Excel, da Microsoft, ou de outras marcas que operam no segmento.

O laboratório associado do Inesc-Tec já solicitou o registo de patente para este software. A tecnologia tira partido dos métodos desenvolvidos pelo estudante de doutoramento Jácome Cunha, que teve por temática as «Folhas de Cálculo entendidas como linguagens de programação. Atualmente, está a ser trabalhada uma eventual parceria com uma empresa holandesa. Os mentores do projeto acreditam que, no verão, poderá haver novidades no que toca a uma eventual estreia comercial.

Para criarem a nova ferramenta, os investigadores do Tec Minho transportaram para as folhas de cálculo alguns princípios usados nas linguagens de programação contemporâneas que reduzem grande parte dos erros produzidos pelos programadores.

«Nas folhas de cálculo, há muita liberdade, mas também há muitos erros. Nós criamos uma ferramenta que define um modelo de acordo com uma lígica de negócio. O que significa que todos os dados que forem inseridos nessa folha de cálculo têm de respeitar esse modelo. Isto é importante porque cada vez mais se usam folhas de cálculo... sendo que cada utilizador pode manipular essas folhas», explica João Saraiva, líder do desenvolvimento do Mdsheet, quando inquirido pela Exame Informática.

Em comunicado, os investigadores recorrem ao polémico estudo sobre as políticas de austeridade para ilustrar o que o Mdsheet poderia fazer para evitar que cinco países tivessem ficado de fora das contas finais: “No caso do estudo de Rogoff e Reinhart (2010), “Crescimento num tempo de dívida”, sempre que um novo país fosse inserido, as fórmulas no fundo da folha de cálculo seriam automaticamente atualizadas para incluírem esse novo país. O software não permitiria que nenhum país fosse deixado de fora”, atenta João Saraiva.

No que toca ao potencial de negócio do Mdsheet, os números falam por si: alguns estudos revelam que em países como os EUA as folhas de cálculo são usadas por 95% das empresas.

A este dado acresce outro de especial relevância: 94% das folhas de cálculo usadas em ambiente empresarial têm erros, que terão estado na origem de prejuízos de 10 mil milhões de dólares anuais.

Fonte: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/software/2013-05-13-investigadores-portugueses-criam-software-que-evita-erros-de-excel

Ver mais: Investigadores portugueses criam software que evita erros de Excel

FDomingos

Todas as máquinas a bordo da Estação Espacial Internacional vão operar com sistemas operativos de código aberto. Os últimos PCs com Windows XP serão alterados para Debian 6.

A United Space Alliance e a NASA, entidades que coordenam a missão da Estação Espacial Internacional (ISS), anunciaram que deixaram de usar o Windows e passaram os computadores para Linux: «Migrámos funções chave do Windows para o Linux porque precisamos de um sistema operativo que seja estável e fiável», cita o Extreme Tech.

Nesta última vaga, «dezenas de portáteis» vão ser alterados para um sistema operativo de código aberto. Os restantes sistemas a bordo da ISS já correm em algumas versões do Linux, como RedHat ou Scientific Linux.

Recorde-se que várias entidades científicas, como os laboratórios do CERN, a NASA ou a SpaceX já operam com Linux e o motivo é invariavelmente a estabilidade que este sistema oferece.

A principal razão para a mudança neste caso, além da estabilidade, é que os engenheiros espaciais precisavam de um sistema que pudesse ser controlado internamente: «se precisarmos de um patch, de um ajuste ou de nos adaptarmos, conseguimos», explica Keith Chuvala, da United Space Alliance.

Tudo indica que as aplicações usadas pelos astronautas a bordo tenham sido reescritas de Win32 para Linux e que não estejam a ser corridas através de emuladores como o Wine. Os astronautas e cosmonautas vão receber formação da Linux Foundation.

Fonte: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/software/2013-05-10-estacao-espacial-internacional-troca-windows-por-linux

Ver mais: Estação Espacial Internacional troca Windows por Linux

FDomingos

O Departamento de Estado dos Estados Unidos exige que a Defense Distributed, que está a dar as plantas para a impressão 3D de armas, retire os ficheiros da Net porque podem violar as normas nacionais e internacionais que regem a exportação de armas.

O Departamento de Estado dos Estados Unidos escreveu uma carta à Defense Distributed – a empresa sem fundos lucrativos que advoga a criação de armas criadas utilizando a impressão 3D – a exigir que sejam retirados da Web as plantas 3D que permitem fabricar uma arma que disparada pela primeira vez esta semana.

O organismo norte-americano justifica o pedido com base numa suposta violação das restrições que existem na exportação de armas e que existem ao abrigo da International Traffic in Arms Regulations (ITAR).

Fonte: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2013-05-10-eua-plantas-de-armas-3d-tem-de-ser-retiradas-da-web

Ver mais: EUA: plantas de armas 3D têm de ser retiradas da Web

HecKel
Segundo o Wall Street Journal, a empresa encontra-se atualmente a negociar com a Apple. O objetivo é conseguir colocar mais conteúdos Yahoo nos dispositivos de marca da maçã, iPhone e iPad.

Na verdade a Yahoo já marca presença nestes. Exemplo disso é o sistema de meteorologia do iPhone, onde os dados são recolhidos do portal Yahoo.

Mas Melissa Mayer quer mais. Segundo a mesma fonte, o portal norte-americano quer tornar-se no sistema de pesquisa padrão do browser Safari, excluindo assim a Google de ambos dos aparelhos. Além disso, a empresa tecnológica quer ter uma nova aplicação, instalada por defeito, com conteúdos noticiosos no iPhone e no iPad.

De: Yahoo tenta substituir Google nos aparelhos Apple

FDomingos

Maior ataque de sempre afeta desempenho da Internet

Serviços como o Netflix estão entre os mais prejudicados por um ataque massivo que teve como alvo a infraestrutura da Internet. Tudo começou com uma disputa entre um grupo de combate ao spam e uma empresa holandesa.

Os especialistas foram rápidos a classificar este ataque como o maior de sempre à infraestrutura da Internet e os efeitos fazem-se sentir no acesso a diversos serviços e sites web, escreve o jornal The New York Times.

"Este é o maior dataque DDoS anunciado publicamente na história da Internet", afirmou ao jornal Patrick Gilmore, chief architect da Akamai Networks, uma empresa que faz o acompanhamento do tráfego na rede e que hoje regista um crescimento de 142% no número de ataques detetados.

Para além da lentidão no acesso a páginas web, os técnicos responsáveis pela gestão da rede a nível global mostram preocupação com a escalada dos ataques, que estão a subir de intensidade e que podem vir a tornar inacessíveis serviços considerados básicos, como email ou homebanking.

Os ataques são dirigidos ao sistema de resolução de nomes na Internet (DNS - Domain Name System) e foram já relatados na semana passada por uma empresa de segurança norte-americana. O método usado pelos atacantes é o denial of service, DDoS, e segundo a mesma fonte estão a atingir picos de magnitude, crescendo para 300 mil milhões por segundo.

Os ataques terão tido origem numa disputa entre a Spamhaus - uma organização que regista entidades envolvidas no envio de spam - e uma empresa holandesa de alojamento, a Cyberbunker. A Spamhaus adicionou a Cyberbunker à sua lista negra e esta terá retaliado com ataques DDoS, que têm um efeito mais lato do que o objetivo inicial de evitar que a Spamhouse distribuísse a sua lista.

A Cyberbunker conta a sua versão da história no seu site, mas nunca admite ser a origem dos ataques.

A BBC escreve que há cinco grupos de combate ao cibercrime de diferentes países a investigar os ataques e cita os responsáveis da Spamhouse, que afirmam estar a combater o ataque há mais de uma semana, com sucesso, mantendo os seus mais de 80 servidores a funcionar.

Mas este foi classificado pelos responsáveis da Spamhaus como um ataque de "uma dimensão sem precedentes", embora estejam habituados a retaliações em modelos semelhantes de serviços que são colocados na lista negra

Fonte: http://tek.sapo.pt/noticias/internet/maior_ataque_de_sempre_afeta_desempenho_da_in_1307813.html

Ver mais: Maior ataque de sempre afeta desempenho da Internet

HecKel

Google Reader vai ser "fechado"

We have just announced on the Official Google Blog that we will soon retire Google Reader (the actual date is July 1, 2013). We know Reader has a devoted following who will be very sad to see it go. We’re sad too.

There are two simple reasons for this: usage of Google Reader has declined, and as a company we’re pouring all of our energy into fewer products. We think that kind of focus will make for a better user experience.

Ler mais.

Tópico: Google Reader vai ser "fechado"

FDomingos

Bloqueio do ecrã do iPhone não é seguro

Há vídeos no YouTube a demonstrar como conseguir fazer chamadas e ver fotografias de um iPhone com iOS 6.1, mesmo que este esteja bloqueado. Os dados ficam disponíveis para qualquer atacante, mas não se tem acesso às aplicações

Em menos de um minuto, o vídeo do utilizador do YouTube videosdebarraquito mostra como se consegue ter acesso a informação privada num iPhone. O processo envolve uma série de truques, fazer chamadas para números de emergência e carregar em vários botões em simultâneo. No final, o atacante consegue ver os contactos e fotografias daquele telefone, fazer chamadas e aceder ao registo de chamadas. No entanto, não se consegue aceder ao ecrã inicial nem às aplicações do utilizador.

Nos comentários ao vídeo, vários utilizadores afirmam ter conseguido desbloquear iPhones 4, 4S e 5, com o iOS 6.1, noticia o Huffington Post.

O hack original foi feito em Espanha e a Apple já terá comentado o assunto, dizendo que será lançada uma correção brevemente, na próxima atualização de software.

Ler mais: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/internet/2013/02/15/bloqueio-do-ecra-do-iphone-nao-e-seguro#ixzz2L1UUaM3y

Ver mais: Bloqueio do ecrã do iPhone não é seguro

FDomingos

Domínio .pt vai ser gerido através de uma associação

O Governo vai criar uma associação privada para fazer a gestão do domínio de topo .pt. A tarefa era uma das atribuições da Fundação para a Computação Cientifica Nacional, entidade que recebeu ordem de extinção do Governo no âmbito das alterações à orgânica do Ministério da Educação e Ciência, aprovadas no final do ano passado com o objetivo de ganhar eficiência e reduzir custos.

O desaparecimento da FCCN acontece por integração da estrutura na Fundação para a Ciência e Tecnologia, uma decisão que motivou a demissão em bloco da direção liderada por Pedro Veiga.

Hoje, em reunião de Conselho de Ministros, o Governo aprovou uma decisão que prevê a criação de uma "associação de direito privado a constituir nos termos da lei" para gerir o .pt.

[...]

Fonte

Ver mais: Domínio .pt vai ser gerido através de uma associação

FDomingos

Raspberry Pi de baixo custo disponível na Europa

O Model A custa cerca de 22 euros e já pode ser comprado em lojas online. Este Raspberry Pi consome um terço de energia do modelo anterior e pode ser usado para construir máquinas alimentadas a bateria ou a energia solar.

Neste momento, o novo modelo pode apenas ser entregue na Europa, mas brevemente estarão disponíveis as entregas para o resto do Mundo. O Model A não tem porta Ethernet, mas oferece uma ligação USB e 256 MB de RAM.

O mini computador agora anunciado custa menos dez euros sensivelmente que o seu antecessor e, como consome menos de um terço de energia, pode ser usado para criar dispositivos alimentados a bateria, energia solar ou que tenham de ser instalados em localizações remotas, por exemplo.

A Fundação Raspberry Pi anunciou recentemente a venda de um milhão de unidades destes computadores. A comunidade de utilizadores está a dar largas à imaginação e a construir diversos equipamentos baseados nesta plataforma. Num esforço para promover a programação informática junto das crianças, a Google anunciou a compra de 15 mil Raspberry Pis para serem doados a escolas britânicas.

Ler mais: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/hardware/2013/02/05/raspberry-pi-de-baixo-custo-disponivel-na-europa#ixzz2K4Wf0uK6

Origem: Raspberry Pi de baixo custo disponível na Europa

FDomingos

Android 5.0 pode chegar em abril

O acesso ao mapa de lançamentos da Qualcomm mostra que há uma grande probabilidade do Android 5.0 chegar em abril.

Chama-se Key Lime Pie é a versão 5 do Android e pode chegar já em abril. Pelo menos é isso que mostram alguns slides retirados da apresentação do mapa de lançamentos da Qualcomm para este ano. Neles, segundo o site Android Police é mostrado que o Android 5.0 pode chegar já no próximo mês. As fotografias dos slides já foram, por exigência da Qualcomm, retiradas dos sites que os estavam a mostrar.

O que era esperado é que o Android 5.0 fosse revelado na I/O, a conferência anual da Google na qual a empresa já lançou anteriores versões do sistema operativo.

Especula-se que com o Android 5.0 seja mostrado o Motorola X: o primeiro smartphone a ser fabricado com a marca Motorola desde que a Google comprou esta empresa.

Ler mais: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/software/2013/02/01/android-5.0-pode-chegar-em-abril#ixzz2JtOnN8kj

Origem: Android 5.0 pode chegar em abril

FDomingos

A Microsoft pode estar prestes a enfrentar mais uma onda de contestações por causa do Surface. O modelo Pro de 64GB apenas traz 23GB de armazenamento interno disponível para o uso de quem o comprar. Ou seja, de todo o espaço que é "prometido", só 36% vai estar livre para utilização.

Quando o Surface RT de 32GB chegou ao mercado houve muita contestação porque o tablet disponibilizava na realidade 16GB para o utilizador instalar apps e guardar ficheiros multimédia, cerca de 50% do espaço real anunciado. Em comparação, o Surface RT de 64GB tem 45GB disponíveis (70,3%) e o Pro de 128GB tem 83GB prontos para utilização (64,8%)

A empresa de Redmond tem uma página online de suporte que explica porque razão o Surface RT de 16GB só tem metade do espaço livre para utilização. As razões estão no tamanho que o próprio Windows RT ocupa e na versão do Office que vem instalada de origem, assim como outras aplicações.

O Surface Pro ainda não tem direito a uma página de apoio na Web e por isso não existe uma explicação oficial por parte da Microsoft para a existência de tão reduzido espaço. Mesmo tendo em conta que o Windows 8 é mais "pesado" que o RT, continuam a faltar explicações para o pouco armazenamento existente e que está realmente ao dispor dos utilizadores.

E como nos EUA a cultura manda os descontentes resolverem tudo à base de um processo judicial, não seria de admirar que após o dia 8 de fevereiro, data da chegada dos Surface Pro ao mercado norte-americano e canadiano, surgissem notícias de que a Microsoft foi acusada de enganar os utilizadores.

Fonte: http://tek.sapo.pt/noticias/computadores/microsoft_surface_pro_de_64gb_apenas_tem_23gb_1296791.html

Origem: Microsoft Surface Pro de 64GB apenas tem 23GB disponíveis para uso

FDomingos

Fim do Messenger já tem data marcada

A Microsoft anunciou esta quarta-feira que vai encerrar o serviço de conversação online Messenger a 15 de março, reiterando o pedido aos utilizadores daquele serviço para transitarem até lá para o Skype.

«[Os utilizadores] serão capazes de trocar mensagens instantâneas e fazer conversas em vídeo como antes e descobrir também novas formas de conversação através de telemóvel e tablet», disse a Microsoft, numa mensagem citada pela Agência Lusa.

Numa publicação recente no blogue do Windows Live Messenger, sob o título «O próximo capítulo» para a rede do Messenger, o gestor do serviço, Brian Hall, disse que «muito mudou para as mensagens instantâneas e para o Messenger» nos últimos anos, referindo-se à forma como as pessoas passaram a utilizar redes como o Facebook e o Twitter.

«Estamos agora a encorajar todos os utilizadores de Messenger a atualizarem-se ao descarregar a última versão do Skype. Nos meses vindouros, vamos retirar as aplicações do Messenger para todas as regiões mundiais exceto para a China continental», escreveu em novembro passado o gestor da aplicação.

Noutro blogue, o presidente da divisão do Skype, Tony Bates, adiantou que o Messenger e a aplicação de comunicações telefónicas estão a «juntar-se» e que daqui em diante «milhões de utilizadores do Messenger serão capazes de falar com os seus amigos no Skype».

«O nosso objetivo continua a ser fornecer a melhor experiência de comunicação a todos, em todo o lado. Queremos focar os nossos esforços em fazer com que as coisas sejam mais simples para os nossos utilizadores, enquanto melhoramos a experiência geral. Vamos retirar o Messenger em todos os países no primeiro trimestre de 2013 (exceto na China continental)», esclareceu Tony Bates.

De acordo com Brian Hall, a Microsoft acredita que «o Skype providencia uma melhor experiência e uma rede ainda mais forte», acrescentando que também está planeada uma maior interação com o serviço de e-mail Outlook.

A Microsoft adquiriu em maio de 2011 a empresa que detinha o Skype, um serviço de comunicação textual e telefónica online, por 5,9 mil milhões de euros.

http://www.tvi24.iol.pt/tecnologia/messenger-msn-microsoft-skype-tvi24/1408354-4069.html

Origem: Fim do Messenger já tem data marcada

FDomingos

O Governo pretende que, em 2020, todos os lares portugueses disponham de um acesso à Net com velocidades de 30 Mbps. O Serviço Universal Banda Larga vai ser instituído em 2013.

Ler mais: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/mercados/2013/01/03/governo-promete-30-mbps-para-todos-os-portugueses-ate-2020#ixzz2GxfPlyLF

Origem: Governo promete 30 Mbps para todos os portugueses até 2020

FDomingos

A falha foi denunciada online pelo investigador “alephzain” e foi completamente revelada, antes de a Samsung ter tido tempo de preparar uma atualização, o que significa que poderão já existir apps a tirar partido desta falha.

As aplicações preparadas para explorar esta falha injetam código no smartphone para terem acesso a tudo o que está na memória física do equipamento. Assim, o hacker pode conseguir acesso a toda a informação aí presente ou aproveitar para instalar ainda mais código malicioso, noticia o VentureBeat. A falha não está em todos os smartphones Android, mas apenas nos modelos que usam o kernel alterado pela Samsung para correr o sistema nos terminais com processadores Exynos.

A Samsung já anunciou que vai «acompanhar de perto a situação até a correção estar disponível para todos os equipamentos afetados». O melhor comportamento para evitar que o seu smartphone seja infetado é, para já, evitar descarregar apps de todo. Caso tenha mesmo de instalar algo, recorra a fornecedores conhecidos e que tenham sido verificados, sempre através de fontes credíveis, como a Google Play, por exemplo.

Ler mais: http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/software/2012/12/20/samsung-confirma-vulnerabilidade-em-milhoes-de-smartphones#ixzz2FdhNF7RK

Origem: Samsung confirma vulnerabilidade em milhões de smartphones

FDomingos

Samsung é número 1 em Smartphones

Os smartphones da Samsung tornaram-se incrivelmente populares nos últimos anos e de acordo com um estudo recente conduzido pela empresa IHS iSuppli, este fabricante é agora o número 1!

A Samsung tem cerca de 28% do mercado global de smartphones, a Apple está em segundo lugar com 20% e a Nokia encontra-se em terceiro com 5%.

No que concerne a todos os dispositivos móveis, ou seja, smartphones e telemóveis comuns, a Samsung conseguiu vencer a Nokia com uma quota de mercado a rondar os 29%.

Fonte: http://wintech.com.pt/content/view/13522/1/#.UNOj_m_s_ng

Origem: Samsung é número 1 em Smartphones